Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 4 de agosto de 2012

PETROBRÁS NA MÃO DA DILMA PODE QUEBRAR

Eu venho insistindo sobre a fragilidade da Petrobrás, em função de a Companhia estar sendo utilizada pelo governo Dilma, como instrumento de política monetária, em prejuízo dos acionistas minoritários e enfim dos contribuintes em geral. Fonte: Petrobrás em prejuízo, escrito por mim em 01.08.2012. 


O governo insiste em manter sob controle os preços dos combustiveis, por conta das eleições municipais deste ano.  O governo Dilma, quer e quer de qualquer maneira, ganhar as eleições municipais, oferecendo ao público uma falsa impressão de que o país está na plena normalidade. Fonte: a mesma fonte do trecho acima, escrito por mim em 01.08.2012. 


Veja a encrenca confirmada, no dia de ontem, 03.08.2012, noticiado pelo jornal Folha de São Paulo.  Os trechos que seguem seguem sem cortes, para análise mais apurada como ocorreu o prejuízo.  


A Petrobras divulgou nesta sexta-feira que teve prejuízo de R$ 1,346 bilhão no segundo trimestre do ano. Segundo a empresa, a desvalorização cambial foi determinante para as perdas. Esse foi o primeiro resultado negativo desde o primeiro trimestre de 1999, quando o prejuízo foi de R$ 1,5 bilhão.


"A desvalorização do real afetou de maneira relevante o resultado financeiro, pelo nosso endividamento denominado em dólares, mas também os custos dolarizados da companhia", disse em comunicado.


Além disso, lista como problemas despesas extraordinárias com poços secos e menor exportação de petróleo fruto da menor produção devido às paradas programadas com vistas ao aumento da eficiência e segurança operacional. O lucro operacional foi de R$ 5,282 bilhões, 55% inferior ao registrado no trimestre anterior.  


Um dos maiores impactos para o prejuízo foi o desempenho da área de Abastecimento, responsável pelas importações de derivados (gasolina e diesel, principalmente), que teve prejuízo de R$ 7 bilhões, contra prejuízo de R$ 2,2 bilhões um ano antes.


O endividamento líquido da empresa aumentou em reais 29% em relação ao final do ano passado, em decorrência de captações de longo prazo, das reduções nas disponibilidades e do impacto da depreciação cambial de 7,8%.  


Presidente Dilma, quer e quer ganhar eleições municipais, mesmo que quebre a Petrobrás.  Ela é competente para manter popularidade às alturas, mas é incompetente na gestão administrativa/financeira do Estado brasileiro.


Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10

Um comentário:

  1. "Saka", você já tinha previsto que isso aconteceria e acabou acontecendo mesmo. A Petrobrás está em sérios apuros. E o pior é que nosso povo diz que a Presidenta está fazendo um grande governo... Pobre Brasil !!!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.