Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 31 de outubro de 2015

Só com Lula na Papuda começa a limpeza no País.

Crédito da imagem: Veja

A imprensa faz estardalhaço sobre a movimentação financeira do Lula. Oh! Só agora, a imprensa descobriu que o Lula é bandido e ladrão. Precisou que o COAF vazasse informações de que o Lula teria movimentado R$ 52,3 milhões, incompatível com a atividade econômica ou ocupação profissional e a capacidade financeira, no período de 2010 a 2014, para virar notícia. Este blog vem fazendo denúncia de enriquecimento ilícito do Lula, há pelo menos 3 anos!


 Triplex do Lula 

Crédito da imagem: Veja

Isto é apenas a ponta visível do patrimônio da família do Lula. Lula tem patrimônio oculto em nome dos filhos, em nome das noras, em nome da amancebada Rosemary e nas contas nos paraísos fiscais. O apartamento triplex do Guarujá, que ainda está em nome da Construtora OAS, não é dele? Os $ 25 milhões de euros que foram depositados em nome da Rosemary em Portugal, como ficou? E as contas em paraísos fiscais abastecidas pela Construtora Odebecht não conta? E tantas outras falcatruas não são investigados, por que?

Qualquer pessoa com inteligência mediana sabe que o Lula levou propina para conseguir empréstimos para o empresário estelionatário Eike Batista. O próprio BNDES confirmou, à época do pedido de recuperação judicial do grupo, de que devia para o Banco R$ 10,6 bilhões. Estranharia muito se o Lula tivesse tido tanto empenho em conseguir financiamento para o empresário estelionatário, sem que tivesse levado propina. 

Lula levou propina para conseguir financiamentos R$ bilionários para o grupo JBS/Friboi, à época, uma empresa com saúde financeira duvidosa. Tenho certeza que não foi pela cor dos olhos do seu principal executivo, o banqueiro Henrique Meirelles, que o Lula arranjou financiamentos a juros subsidiados de 3,5% ao ano a uma empresa quebrada. Este blog fez denúncia com antecedência de 9 meses de que o grupo seria o maior financiador da campanha da Dilma à reeleição. Dito e feito, foi!

Lula e Dilma venderam 50% da participação da Braspetro Gas & Oil com ativos na costa ocidental da África, cujo controle é da subsidiária integral da Braspetro Internacional com sede na Holanda. O negócio foi tão bom que o BTG Pactual, que comprou a preço de banana a participação na Companhia, recebeu dividendo antes mesmo de fazer o aporte de capital relativo aos 50%. Só mesmo um retardado mental tem dúvida de que o Lula e Dilma, não tenha recebido propina na negociação na venda de ativo para o menino André Esteves.

O Lula tem tanto poder financeiro que manda o ministro da Justiça pedir explicação ao Delegado Geral da Polícia Federal, o motivo de ter entregue intimação para para o seu filho Luís Cláudio, às 23 horas no endereço onde ele reside. Funcionalmente, o Lula não tem cargo nenhum no governo federal. Mas, ele tem poder financeiro de mandar no ministro de Justiça. Digamos que Lula virou o Rei da República da Banania e os filhos dele, os príncipes, tal qual acontece na família real britânica ou espanhola. 

O que todos ignoram é a razão da existência do COAF. O COAF é braço de inteligência do DEA - Drug Enforcement Administration subordinado ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos. O convênio de cooperação entre o governo brasileiro e o governo americano, para combater o narcotráfico e atividades ilícitas, foi firmado ainda no governo FHC e assim foi criado o COAF. Na prática, o Departamento de Justiça americana, tem acesso direto, sem as cartas rogatórias, aos dados de movimentação financeira de todos brasileiros, "on line".

Solicitado pelo governo brasileiro, o DEA dos Estados Unidos, pode fornecer o mapa completa de informações sobre a movimentação financeira do Lula e dos seus filhos, dentro e fora do País. Bastaria que o MPF ou a Polícia Federal solicitasse ao DEA. Como há rede de proteção com sede no Palácio do Planalto e em todas esferas dos poderes constituídos, este pedido não sai do Brasil, nem que a vaca tussa!

Só quando o povo brasileiro expulsar a facção criminosa que tomou conta do Palácio do Planalto, teremos condição de passar o Brasil a limpo. O Brasil está a merecer uma faxina geral. Há que fazer limpeza nos três poderes da República. A limpeza do País só começa com o Lula na Papuda!

Ossami Sakamori













sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Inflação do bolso de 2016 será de 30% ao ano!

Crédito da imagem: Blogdosaposentados

Os leitores me pedem que eu opine sobre situação da renda dos brasileiros para o próximo ano. Eu já disse que não tenho bola de cristal para saber o que acontecerá com o futuro do País. No entanto, posso fazer uma avaliação aproximada do que poderá ocorrer com a renda do brasileiro em geral nos próximos 12 meses, se a presidente Dilma não cair.

A economia brasileira não anda bem. O governo federal, em especial, não consegue equilibrar o Balanço das contas, sem as pedaladas fiscais. A previsão inicial de "superávit primário" de R$ 65 bilhões, fala-se em "déficit primário" de mais de R$ 50 bilhões. Em tese, se não fossem títulos da dívida do Tesouro, o governo federal teria que emitir papel moeda para cobrir o "rombo". Seja título ou papel moeda, a cobertura do "rombo" será um dos focos da inflação nos próximos 12 meses.

A taxa básica de juros dos títulos da dívida interna do governo federal, Selic, está em 14,25%, muito acima da inflação corrente. Ao contrário do que afirmam os formuladores da economia, do governo e de muitos analistas econômicos, de que a alta da taxa Selic "segura" inflação, é exatamente o contrário. Os juros reais pagos pelo governo federal "realimenta" a inflação. Na minha opinião, ao praticar a taxa Selic acima da inflação é como botar gasolina na fogueira da inflação. 

A inflação que já alcança dois dígitos (acima de 10%), realimenta a inflação. A inflação vira inercial. É como andar de carro. Depois de veículo em movimento, perdemos a noção da velocidade. Isto se chama velocidade inercial. Acostumamos com ela. O passageiro só apercebe da velocidade, quando imprime velocidade maior do que anterior. Com a inflação é a mesma coisa. Depois que acostuma, incorpora-se no cotidiano da pessoa. Só apercebemos que há alta quando a inflação futura for maior do que a presente. 

Não há em vista medida de contração da base monetária por parte do Banco Central. Pelo contrário, o governo federal ampliou o limite do crédito consignado de 30% para 35% da renda. É mais gasolina na fogueira. O governo federal acabou de anunciar a ampliação do limite de financiamento para aquisição de casa própria. Isto é expansão da base monetária. É o governo irresponsável botando gasolina na fogueira da inflação.

Resumindo, com a continuidade do governo Dilma, esta situação não vai mudar. Joaquim Levy é muito pequeno, apesar de porte físico grande, para formular política econômica de longo prazo, com previsão de desenvolvimento sustentável. Não esqueçamos que Joaquim Levy é banqueiro. Levy pratica política econômica que privilegia apenas o setor bancário. Os banqueiros estão lucrando como nunca, com esta situação. É o lobo cuidando do galinheiro!

O que quero chamar atenção dos leitores é sobre a diferença entre a inflação oficial, IPCA, é a inflação do bolso. O IBGE aponta inflação oficial próximo de 10% ao ano, mas a inflação do bolso do consumidor representa cerca de 30% ao ano (o dado não é científico). A prevalecer atual governo que vem praticando política econômica equivocada, conforme comentamos acima, a inflação do bolso para o próximo ano, 2016, deverá ser de de 30% ao ano, sobre os preços já exorbitantes dos produtos e serviços de consumo.

Para quem está reclamando que a inflação comeu parte da renda neste ano, pode se preparar para o ano que vem. A inflação do ano que vem, vai comer mais um tanto igual ou superior ao deste ano. Grosso modo, podemos dizer que a inflação do bolso de 2015 e a de 2016, somados, vão comer mais de metade da renda, comparado com aquela de 2014. 

Este quadro só vai mudar se houver a queda da Dilma e Temer. Infelizmente, o vice Michel Temer, não tem força política para implementar uma política econômica correta para a situação. Se houver o impeachment da Dilma e do Temer, tudo que foi dito por mim sobre o ano de 2016, fica invalidado. O quadro deve mudar para o melhor, qualquer que seja o novo governo. Pior que o governo Dilma não vai ser. 

Por enquanto, vamos apertando o cinto e se preparando para o pior no ano que vem. A prudência recomenda.

Ossami Sakamori













Lula e Dilma transformaram o Brasil em país de m... !

Cara de m... !

O ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, segundo a imprensa, pediu explicações à Polícia Federal porque, em tese, teria intimado o investigado Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, às 23 horas da última terça-feira, dia 27. Ainda, segunda a imprensa, o depoimento do filho do Lula estava previsto para esta semana, mas foi adiado para a semana que vem, em razão da exiguidade do tempo para preparar a defesa do investigado. O fato parece corriqueiro, mas não é.

Ainda, a imprensa, o advogado de defesa do investigado, Cristiano Zanin Martins, referindo-se à suposta participação do Luís Cláudio Lula da Silva, filho do Lula, no esquema de compra de Medidas Provisórias, disse: "Reitera-se que a mera opinião de dois procuradores da República de que os pagamentos feitos pela Marcondes e Maltoni à LFT seriam muito suspeitos não autoriza a prática de qualquer medida que implique mitigar as garantias fundamentais de qualquer cidadão".

O envolvimento de um ministro de Estado numa investigação que quer fazer parecer corriqueira, o desdobramento da Operação Zelotes, referente a suposta compra de Medidas Provisórias, pelo contrário, vem confirmar a importância da participação do Luís Cláudio Lula da Silva, filho do Lula, na suposta compra da Medida Provisória. Pergunto: Qualquer cidadão do País, teria a interferência e defesa de um ministro da Justiça numa investigação "corriqueira" (sic)? Com certeza, um cidadão comum não encontraria tanta deferência. 

O fato de ministro José Eduardo Cardozo da Justiça ter pedido explicação ao Delegado Geral da Polícia Federal sobre assunto com importância tão pequena, só vem a confirmar que houve sim, a venda de Medida Provisória que beneficiou a algumas montadoras. Fala-se que o benefício das montadoras, no período de vigência, seria beneficiado com incentivo fiscal de até R$ 20 bilhões.

Infelizmente, por estas e outras do Lula e da Dilma, o Brasil foi transformado em país de m... !

Ossami Sakamori














quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Perdão, Brasil ! A culpa, também, é minha!

Por Marilsa Prescinoti










Após um ano estranho como 2014, em que fomos embalados pelos fracassos das seleção canarinha e bombeados com a grotesca e mentirosa campanha eleitoral da presidente do PT. Nasce 2015 e escancara a social-patifaria que está no poder há 13 anos. O ano em que, vem à tona, a irresponsabilidade, a incompetência, a ingerência no trato com o dinheiro público. O ano que expõe as ambições do capo, o oportunismo dos aliados, o servilismo dos idiotas.

O baixo-clero da política, da sociedade, do poder econômico e da justiça, aliaram-se através do ParTido do governo para fraudar, para facilitar e extorquir sem piedade o patrimônio da Nação. Tudo isto sob cinto da "legalidade". O lamaçal das negociatas do Congresso Nacional chegou até o pescoço. O odor deste lodo está atravessando as fronteiras. 

Vivemos em tempo que toda farra promovida com o dinheiro público, toda irresponsabilidade, servidão, corrupção, omissão e oportunismo vem cobrar o seu preço.

A pesada conta recai sobre o setor produtivo, que encolhe assustadoramente. O comércio é obrigado a fechar as portas. O ônus recai pesadamente em educação, saúde pública, segurança pública e infraestrutura, que tem seus orçamentos cortados.  A conta da farra recai ainda sobre o cidadão que perdeu o seu emprego, que teve seu salário reduzido ou está prestes a perdê-lo. O duro golpe da inflação já está fazendo vítimas, corroendo salários, sonhos e projetos.

O País está refém de um sistema ousadamente articulado, onde os integrantes dos poderes constituídos se organizam em quadrilhas, amparados em mandatos e estabilidade, com muito dinheiro para gastar e todo poder para manipulá-lo. Trava-se assim, uma guerra imoral, desigual, onde os pseudos socialistas fazem de tudo para se manterem no poder e lambuzam-se com a delícia com o capital alheio.

Os oportunistas do poder, até agora, se beneficiaram de uma sociedade desinformada, cega, desiludida, conivente e de certa forma abobada. Com muito dinheiro extorquido, foi fácil comprar apoios, disseminar ódio entre classes sociais, segregando a sociedade, aparelhando e desacreditando a as instituições democráticas, invertendo os valores morais e éticos, confundindo eleitores e fazendo de bobo o cidadão decente. 

Hoje tem uma parte da sociedade usufruindo do poder, conscientemente levando vantagens, outros inocentemente manipulados e usados. E temos nós, eu e você que sabemos disso. 

Diante do quadro, eu não fiz nada. A culpa também é minha, eu presenciei a construção deste cenário e não fiz nada. 

Perdão, Brasil, a culpa também é minha ! 

Estou vendo as instituições aparelhadas e propositadamente desmoralizadas para servir ao projeto do poder. Estou vendo a seletividade de canalhas, onde estamos sendo levado a escolher cada qual o seu canalha favorito.

Aprendi a alto custo a omissão e comodismo. Vou contribuir para recuperar o que perdemos. Vou participar ativamente na reconstrução do País. Vou apontar todos canalhas, demagogos e oportunistas que disputarão os mandatos eletivos. Vou ensinar política para meus filhos, para meus sobrinhos e amigos dos meus filhos. Vou prepará-los para combater a doutrinação ideológica nas escolas. Vou dizer a todos que a responsabilidade é nossa nas condições de eleitores e brasileiros. 

Acordei! Antes tarde do que nunca!

Marilsa Perscinoti
@MPrescinoti


quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Dilma quer anistiar os envolvidos na Lava Jato



Crédito da imagem: Veja

A sessão da Câmara de hoje, retirou da pauta de votação a Medida Provisória sobre "repatriação de divisas". Se não fosse retirado da pauta, pela maioria dos deputados presentes, a Medida Provisória poderia ser votado ainda hoje. A tendência é pela aprovação da Medida Provisória.

A questão sobre a "repatriação de divisas" é no plano "moral". Basicamente, a Medida Provisória prevê pagamento de multa e impostos, de 21% sobre o montante bruto da "divisa repatriada" e em contrapartida isentaria de penas sobre os crimes de "evasão de divisas" e "lavagem de dinheiro". O governo Dilma, para conseguir mobilizar os deputados, acena a divisão dos 21% com os governadores dos estados. Aprovada a Medida Provisória, em tese, o País viraria uma grande "lavanderia de dinheiro sujo".

A ideia inicial acordado entre as lideranças consiste que a repatriação do dinheiro remetido ao exterior, produto da "sonegação fiscal" ou mesmo transferência de dinheiro para subsidiária "off shore", uma outra forma de "lavanderia de dinheiro". Este tipo de operação é muito comum entre empresas brasileiras de grande porte, para fugir da excessiva carga tributária no Brasil. Os crimes, nestes casos, tipificados seriam de "evasão de divisas" e "lavagem de dinheiro".

Acontece que a base aliada do governo que recebeu "dinheiro sujo" da ladroagem na Petrobras no exterior, querem incluir no texto a "repatriação de divisas" anistia de outros crimes. Entre estes crimes, há interesse do PT e dos partidos da base aliada, anistiar a "repatriação de divisas", produtos da "corrupção". Se vingar a Medida Provisória como pretendem os deputados, todos os parlamentares envolvidos na Operação Lava Jato, desde que repatriado o dinheiro e pago impostos e multas seriam anistiado dos crimes de "corrupção" e de "lavagem de dinheiro". 

Neste primeiro momento, os deputados adiaram a votação da Medida Provisória, mas a tendência é pela aprovação dela. Se aprovar a anistia de alguns crimes com repatriação do dinheiro sujo produtos da sonegação, pelo princípio de isonomia, todos outros crimes cometidos, incluídos os da corrupção, serão anistiados pelo STF. 

Dilma, com desculpa de cobrir o rombo no Orçamento Fiscal, quer anistiar os companheiros envolvidos na Operação Lava Jato.

Ossami Sakamori











@SakaSakamori



terça-feira, 27 de outubro de 2015

Dilma não passará o Natal no Alvorada!

Epílogo

Notícias divulgadas na imprensa dão conta de que a área técnica da Câmara dos Deputados deu parecer favorável ao pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O processo se refere ao último entregue pelos partidos da oposição ao presidente da Câmara dos Deputados, baseado no pedido originário do Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior.

Ainda, segundo a imprensa, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, conseguiu adiar o julgamento no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar sobre sua pessoa, envolvidos no escândalo da Operação Lava Jato, para o ano que vem. Lembrando que o Conselho tem poder de encaminhar ou não ao plenário da Câmara dos Deputados, a cassação de mandato do Eduardo Cunha como deputado federal. Caso haja cassação, o Eduardo Cunha, responderá pela possível e provável participação no esquema de propina da Petrobras junto ao juiz federal Sérgio Moro de Curitiba.

Na minha opinião, o Eduardo Cunha vai acatar o processo de pedido de impeachment da Dilma. Em acatando o pedido de impeachment, percorrerá o trâmite burocrático da Câmara dos Deputados e será colocado em votação no plenário da Câmara dos Deputados.  Ainda na minha avaliação, o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, colocará em votação no plenário ainda este ano.  Agora, ele tem pressa. Politicamente, co para Eduardo Cunha, colocar em votação o impeachment da Dilma, na Câmara dos Deputados, tirará do foco o processo que envolve seu nome na Operação Lava Jato. 

O rito previsto, se vingar a votação pelo impeachment da Dilma, pela maioria absoluta dos deputados em número de 342, será o afastamento da presidente Dilma do cargo de presidente da República, de imediato, aguardando fora do cargo a votação no Senado Federal. O quórum para cassação de mandato da Dilma no Senado é de 49 votos. Neste caso, o presidência da sessão de cassação no Senado Federal será presidido pelo presidente do STF em exercício, sem que tenha direito a voto. 

O meu prognóstico, já que não tenho a bola de cristal, é de que a Dilma não passará o próximo Natal no Palácio da Alvorada.

Ossami Sakamori












segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Lula e Dilma deveriam estar presos na Penitenciária da Papuda!


Perguntam-me muito sobre novos fatos na área econômica e política. Infelizmente, não temos boas notícias. Pior, o quadro político deteriora dia após dia. A presidente Dilma virou "fantasma" que vaga nos aposentos do Palácio do Planalto. O Congresso Nacional é liderado pelos envolvidos na Operação Lava Jato, o senador Renan Calheiros e o deputado Eduardo Cunha. No STF, o comando está nas mãos do ministro petista Ricardo Lewandowski. Nenhuma medida positiva para o povo podemos esperar deles. Isto é a parte mais deprimente da história.

Todas semanas deparamos com novidades na área policial. Esta semana acordamos com prisão de pessoas envolvidos nos fraudes no Carf. Segundo a imprensa que já divulgou anteriormente e este blog reproduziu com comentário, o centro do problema é a Medida Provisória que foi assinado pelo presidente Lula para beneficiar as montadoras. A Polícia Federal vê ligação entre a concessão de benefícios fiscais concedidos às montadoras com o recebimento de propina no valor de R$ 2,4 milhões pela empresa do filho do presidente. 

Sobre a Operação Lava Jato nem é preciso mais comentar, porque o povo já sabe do que ocorreu. A ladroagem contabilizada na Petrobras é de R$ 6 bilhões e segundo a Procuradoria da República o valor alcança R$ 10 bilhões. A ladroagem R$ bilionária ocorreu debaixo de nariz do presidente Lula e da presidente Dilma. Mas, ambos estão livres e soltos. Nem sequer investigações sobre o envolvimento dos dois presidentes estão em curso. O povo está ansiosamente aguardando a prisão de ambos, mas não acontece.

Um minúsculo republiqueta da América Central, a Guatemala, está mostrando ao mundo que presidente corrupto foi preso e afastado do cargo. Na Guatemala está a realizar novas eleições para escolha de um novo presidente, no lugar do presidente corrupto e defenestrado. A Constituição daquela republiqueta permite ao Procurador Geral da República indiciar e processar o presidente da República. 

Se o episódio como da Operação Lava Jato tivesse acontecido na Alemanha, a primeira ministra já teria caído há muito tempo. Se fosse no Japão, idem. Se tivesse acontecido nos Estados Unidos, o presidente da República seria indiciado e processado pelo Procurador República e com certeza seria afastado do cargo. Rixard Nixon renunciou ao cargo por mentir sobre grampo nos telefones do Partido Democrata, da oposição.

Os presidentes Lula e Dilma comandaram equipes que fez a maior ladroagem da história do País, acontecido na estatal Petrobras. E agora, outro "rombo" R$ bilionário, que é ladroagem no Carf, aparentemente com envolvimento do próprio presidente Lula, sob investigação da Polícia Federal. No entanto, após inúmeras evidências, Lula e Dilma estão livres e soltos! Se o Brasil fosse país sério, ambos estariam presos na Penitenciária da Papuda!

O meu Brasil virou uma república de banana!

Ossami Sakamori












domingo, 25 de outubro de 2015

Habemus Michel e Marcela Temer!


O Congresso Nacional, o STF e o TSE estão adiando a decisão sobre a permanência ou não da Dilma Rousseff no cargo de presidente da República. A facção criminosa está utilizando de todos recursos protelatórios para postergar a decisão sobre cassação do seu mandato do seu chefe formal. Receio que um outro acontecimento atropele os processos em andamento.

A presidente Dilma não manda mais nada. O grupo do ex-presidente Lula tomou conta do Palácio do Planalto. Jaques Wagner, ex-governador da Bahia e amigo do Lula, é quem dá as cartas no Planalto. Quem manda no Palácio do Planalto é o Jaques Wagner. Dilma se tornou apenas "fantasma" que mora no Palácio da Alvorada. Dilma está definhando aos olhos vistos. 

Dilma paga o preço da política econômica equivocada do primeiro mandato. Dilma valorizou o real, engessou as tarifas públicas e incentivou o crédito ao consumidor. A popularidade subiu para 77% que consideraram o governo Dilma como ótimo e bom. Dilma utilizou política econômica equivocada que produziu a "sensação de bem estar" e a "sensação do poder de compra". Em 2014 começaram aparecer os problemas na área econômica, pelos equívocos cometidos. Dilma resolveu ignorar.

O ano de 2014 foi o ano eleição presidencial. Dilma sabia que a política econômica equivocada estava dando água. Dilma sabia do problema, mas preferiu ignorá-lo e continuar gastando mais do que pode, para ter sucesso na reeleição. Dilma mentiu descaradamente à população durante a campanha eleitoral para permanecer no poder. Levou a eleição contra Aécio Neves, seu oponente.

Aconselhado pelos principais conselheiros informais, Dilma resolveu fazer correção na política econômica no segundo mandato. Dilma nomeou para o principal formulador da política econômica o diretor do Bradesco, Joaquim Levy. O novo ministro da Fazenda, desde início, mostrou que não tem visão para fazer plano de desenvolvimento de longo prazo para o País. Está dando no que estamos à assistir. O plano do Joaquim Levy não é plano de desenvolvimento sustentável para o País, mas apenas medidas de "ajustes fiscais", insuficiente para colocar a economia nos eixos.

Poucos analistas econômicos e articulistas de renome ousam em falar "abertamente" com medo de represálias. O fato é que o Brasil mergulhou numa recessão sem perspectiva de saída dela. O governo Dilma não está conseguindo fechar as contas deste ano. É certo que as contas do ano que vem, 2016, virá com rombo maior do que deste ano. Sem reformulação estrutural da política econômica, o Brasil caminha celeremente para o mesmo caminho dos países com problema como a Grécia. 

Dilma perdeu força. Dilma virou "fantoche". Dilma está tentando sobreviver diante do quadro da economia sem perspetivas de melhora. Não haverá melhora porque a política econômica está, novamente, equivocada. Dilma não tem força e nem credibilidade para implementar mais uma mudança na política econômica. Dilma virou apenas "fantasma" que anda pelos corredores e aposentos do Palácio da Alvorada. Dilma perdeu o "encanto" de ser primeira mulher presidente da República. Dilma não é mais a "presidenta" como queria ela que os seus súditos a chamem.

Assisti, ontem, pela TV, a imagem da Dilma, numa reunião com o governador do Rio Grande do Sul, com o prefeito de Porto Alegre e demais prefeitos de área atingido pelas inundações decorrentes do excesso de chuvas. A reunião fora feita em recinto fechado, num ambiente de muito constrangimento. As imagens produzidas pela emissora local de televisão mostraram Dilma acuada e visivelmente constrangida, até naquele minúsculo ambiente. 

O preâmbulo todo feito foi para afirmar que a Dilma não aguenta mais no cargo de presidente por muito tempo. Dilma renunciará ou tomará o mesmo destino do outro presidente populista, gaúcho. Teremos Michel Temer presidente, até que o TSE dê o seu veredito final. E, teremos Marcela Temer, primeira dama, até que o destino nos revele novas surpresas. 

Ossami Sakamori











@SakaSakamori


sábado, 24 de outubro de 2015

O ano de 2016 será pior que o de 2015.

Crédito da imagem: vinoesapore.wordpress.com

O País não conseguiu superar as sua próprias mazelas políticas neste ano, ao contrário do que este blog previu nas matérias do primeiro semestre deste ano. O aparelhamento do Estado brasileiro pela facção criminosa denominado de PT, está retardando o desfecho que já deveria estar resolvido. Infelizmente, o País apequenou-se perante o mundo. O Brasil virou piada para os habitantes do primeiro mundo. 

Politicamente, o País virou ringue da disputa de poder entre presidente da República Dilma Rousseff e presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha. Infelizmente, somos obrigado a ler e assistir a disputa entre dois personagens, que ao meu ver, nem deveria estar ocupando cargos públicos de relevância. Estamos na mão de uma presidente da República, no mínimo, incapaz e um presidente da Câmara dos Deputados corrupto. Pior quadro politico não poderia existir.

O processo de impeachment da presidente Dilma, instrumento previsto no Artigo 15º da Constituição da República, está sendo retardado com interferência indevida do Poder Judiciário sobre o Poder Legislativo. O processo de impeachment da Dilma não anda porque há interesse particular do presidente da Câmara Eduardo Cunha de usar o impeachment como moeda de troca para evitar a cassação do seu mandato de deputado. Em caso de perda de mandato de parlamentar, o Eduardo Cunha seria julgado pelo juiz federal Sérgio Moro. Isto, Eduardo Cunha não quer! E nem tão pouco, a Dilma Rousseff.

Neste imbróglio político, a presidente Dilma, não consegue a maioria no Congresso Nacional para aprovar medidas importantes para o equilíbrio das contas fiscais. O governo já admite que o Balanço de 2015, deve fechar com "déficit primário" ao invés de pequeno "superávit primário", prometido pelo ministro da Fazenda Joaquim Levy nos périplos pelas principais praças financeiras internacionais. Isto pode custar muito caro para o País. 

O Orçamento Fiscal de 2016, que deveria ser aprovado até o final de dezembro, encontra-se no impasse, na dependência do Congresso Nacional em aprovar ou rejeitar as novas medidas, incluindo a criação da nova CPMF. Sem maioria no Congresso Nacional, dificilmente, a nova CPMF será aprovado, permanecendo assim, o "déficit primário" previsto no projeto de Orçamento Fiscal original. O "déficit primário" de 2016, somado ao "déficit primário" deste ano, o rombo para o ano que vem será muito maior do que deste ano.

Nem é preciso ser analista econômico para entender que, nos próximos meses virão rebaixamento de notas de classificação de riscos de outras agências, além da Standard Poor's. O Brasil já amarga uma nota "grau de especulação" ou "junk" (lixo) e bastaria mais uma nota para haver fuga maciça de capital estrangeiro do País.  

Nas condições expostas, só podemos avaliar que o ano de 2016 será pior do que o ano de 2015. 

Ossami Sakamori














sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Com Dilma, desemprego explode!


Enquanto os políticos estão brincando de acusações mútuas, de quem tem mais culpa no cartório, a economia do País está em frangalhos. O palco principal da política brasileira está a briga entre Dilma e Cunha. A Dilma acusando Cunha de corrupto e lamenta que o Cunha seja um brasileiro. Por outro lado, Cunha tira sua lasquinha sobre a fala infeliz da Dilma de que ela não considera Petrobras como parte do governo. Dizem que a briga é de cachorros grandes. Para mim, a briga é de dois vira latas! Briga de "moleques de rua".

A notícia hoje no Estadão é de que no Complexo Petroquímico de Rio de Janeiro, Comperj, o Consórcio Tubovias está demitindo 1 mil funcionários por falta de acordo na negociação de aditivos contratuais com a Petrobras. Ainda segundo a notícia, desde janeiro deste ano já foram demitidos mais de 5 mil trabalhadores do Comperj. Como para cada 1 trabalhador direto, está vinculado 2 trabalhadores indiretos, só nas obras do Comperj houve demissão de cerca de 15 mil trabalhadores.

As demissões no Comperj são apenas a ponta do "iceberg" de uma série de demissões que vem ocorrendo, não só com a paralisação das obras da Petrobras, mas também de outros setores da economia. As montadoras de veículos é uma outra ponta do "iceberg" que confirma as demissões em massa. As demissões nos outros segmentos da economia estão sob a lâmina d'água do "iceberg" ou dos "icebergs".

Único setor que mantém o mesmo nível de emprego é o de agronegócio. A baixa do preço de commodities no mercado internacional está sendo compensado com a valorização do dólar. Se não fosse contribuição do setor agrícola na formação do PIB, a retração da economia para este ano previsto em 3%, seria muito maior e o desemprego seria muito mais grave do que assistimos, hoje. O Brasil está a alcançar 10 milhões de desocupados entre a população economicamente ativa. Não está computado neste contingente as famílias beneficiárias do Bolsa Família que ascende a 13 milhões.

Enquanto os "vira latas" brigam, quem sofre os efeitos da política econômica perversa é a população. Que os políticos de todas latitudes se lembrem de que eles são meros representantes do povo. Nada mais que isto. Que eles se lembrem de que ninguém deu cheque em branco para fazerem o que eles bem entendem.  

O povo está de olho!

Ossami Sakamori



quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Lula e Dilma não estão presos, por que?


Há conluio, de gente que não presta nos altos escalões dos três poderes, para tentar livrar o ex-presidente Lula e a atual presidente Dilma dos crimes que cometeram na maior ladroagem da história do País. No mínimo, eles cometeram crimes de responsabilidade e de peculato. Há uso intenso de filigranas jurídicas para proteger e protelar as decisões que poderiam levar ambos presidentes aos bancos dos réus.

O julgamento sobre o Balanço das contas de 2014 da presidente Dilma, rejeitado por unanimidade pelo pleno do TCU, o presidente do Congresso Nacional deu prazo de 45 dias para Dilma se manifestar. A presidente Dilma já se manifestou perante o TCU em sua defesa e não estava previsto a nova defesa na Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional. Isso, em termos jurídicos se denomina medidas "procrastinatórios".

No TSE corre o processo de cassação da chapa Dilma/ Temer, impetrado pelo PSDB, sob alegação de abuso de poder econômico e político. O processo deu início do ano, mas a relatora do processo mandou arquivar, no primeiro momento. O processo foi reaberto por maioria dos 7 ministros que compõe o pleno do TSE. Segundo o presidente do TSE, o julgamento ocorrerá no prazo de 6 meses. Até lá, a situação da Dilma e Temer ficará no limbo, esperando reverter a situação com novos fatos.

Há vários processos de pedido de impeachment da presidente Dilma na Câmara dos Deputados, mas os processos estão paralisados pelos "liminares" suspendendo o prosseguimento do efeito pelo STF. A suspensão do prosseguimento do processo de impeachment pela Câmara dos Deputados é uma clara interferência de um poder sobre o outro. Mas, o impossível acontece nesta republiqueta de quinta categoria. O processo de impeachment não deverá entrar em pauta este ano. Na melhor das hipóteses, a abertura do processo de impeachment ocorrerá no mês de março do ano que vem.

Os processos da Operação Lava Jato, com acusações da Procuradoria Geral da República contra os políticos com foro privilegiado, estão sendo fatiados. O processo da senadora Gleisi Hoffmann foi distribuído para um ministro do STF. O processos de outros acusados, com foro privilegiado, correm como relator o ministro Teori Zavaski. O processo contra o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, corre num ritmo acelerado e dos outros não. Isto faz parte da manobra do Palácio do Planalto. 

Todas evidências levam que o ex-presidente Lula é o chefe da facção criminosa, mas o seu nome é citado pela Procuradoria Geral da República, apenas como "testemunha". Sendo, assim, o presidente Lula, em caso de evidências de sua participação, ele deverá ser julgado pelo STF, já que foi apensado o seu nome no STF. Está claro que existe esquema de "blindagem" do presidente Lula na Operação Lava Jato. Só mesmo analfabeto funcional não enxerga isto.

A presidente Dilma foi responsável, direta ou indiretamente, pela Petrobras, na condição de ministra de Minas e Energia, presidente do Conselho de Administração e como presidente da República por longos 12 anos que ocorreram a ladroagem de R$ 10 bilhões na Petrobras. Em recente entrevista, Dilma afirmou que o governo brasileiro não tem nada a ver com a ladroagem na Petrobras. Apesar de ter sido responsável pela Petrobras ao longo dos anos, o Procurador Geral da República alega que uma presidente da República não pode ser indiciado no exercício do cargo. Isto, só pode ser piada de mal gosto!

As personagens que tentam "blindar" os presidentes Lula e Dilma, recebem salário do teto, com todas despesas inerentes aos cargos, pagos pelo contribuinte. Estas pessoas viajam, vai de regra, com os jatinhos da FAB, com despesas pagas pelo contribuinte. A maioria deles usam cartões corporativos pago pelos contribuintes. A maioria tem suas mansões residenciais pagos com o dinheiro do contribuinte.

Lula e Dilma são chefões da facção criminosa que arrombaram os cofres públicos em R$ 10 bilhões. Eles estão livres e soltos, verbalizando o que bem entender, sobretudo alegando o "não conhecimento da ladroagem". Eles são os caras de paus que se dizem "santos", que as ladroagens foram praticados por outros, menos eles.



Enquanto isto, o povo se rala. O povo se rala com a inflação. O povo se rala com pagamentos altíssimos de impostos. O povo se rala com a falta de oportunidades como empresários. O povo se rala com o desemprego. O povo se rala com péssimo atendimento na saúde pública. O povo se rala por falta de "pátria educadora". O povo se rala com a falta de segurança. O povo se rala, vendo impune os chefões da ladroagem dos cofres públicos, os presidentes Lula e Dilma, livres e soltos. 

Esta situação, só mudará com "levante" do povo. Eles só tem medo de uma coisa: "o povo na rua protestando". 

Ossami Sakamori







Inflação da Dilma, correndo solto!

Os números não mentem. A inflação voltou com toda força. A prévia da inflação para o mês de setembro, anualizado, está em 9,75%. Vou ser breve na exposição de hoje. Os próprios gráficos já demonstram por si só a trajetória da inflação no Brasil, dentro do Plano Real. Escolhi o período para demonstração, porque fica fácil a compreensão para leigos. 


A tendência da inflação do Plano Real era descendente, até ano passado, conforme mostra o gráfico abaixo. Com exceção dos dois primeiros ano do Plano e no ano de 2002, com o efeito eleição do Lula, a inflação não ultrapassou o índice de 10% ao ano. Tecnicamente, a trajetória era descendente, até 2013.


A inflação é nociva para o governo e para a população. Grosso modo, feito a conta, mesmo no Plano Real, com estabilidade da moeda, a nota de R$ 100 equivale hoje a cerca de R$ 19,90. Isto é a perda do poder de compra da população. Danou-se quem deixou o dinheiro debaixo do colchão, hoje vale menos que 1/5 do valor original. E o mais triste é que a inflação deste ano vai corroer muito mais do que dos anos anteriores, o poder de compra.


Se no ano de lançamento do Plano Real, cada US$ 1.00 valia R$ 1,00, hoje cada US$ 1.00 vale R$ 4,00.  Isto é efeito da inflação em relação ao mundo. A moeda brasileira perdeu valor em relação ao dólar, moeda referência para o mundo.


Inflação alta provoca taxa de juros para consumidor em alta. O gráfico abaixo mostra a evolução da taxa média de juros bancários para o consumidor. Os juros bancários acompanha a evolução da inflação, porque os bancos são os últimos a perder o dinheiro. Os juros do cartões de crédito estão acima de 360% ao ano e os juros do saldo devedor ultrapassando 240%. Isto leva, inevitavelmente à inadimplência do consumidor. Não é por acaso é que o sistema bancário está lucrando nunca como dantes.


Você sente a inflação no cotidiano. O aumento da gasolina é onde a classe média sente de imediato no bolso. O automóvel que era sonho de consumo da "classe emergente" já deixam de sê-lo.


A classe C, sente muito mais nos supermercados. Com inflação em alta compra-se cada vez menos com o mesmo dinheiro. Está cada vez mais longe, o consumidor encher o carrinho de supermercado na hora de compra mensal. E a renda da classe C, em especial mal acompanha o índice de inflação, com inflação ascendente.


Quem ganha com a inflação em alta é o sistema bancário. Os bancos ganham, "dia e noite", todos dias, inclusive nos finais de semana e feriados. Com greve ou sem greve, os banqueiros continuam ganhando do mesmo jeito. Não é por acaso é que o Joaquim Levy foi diretor do Bradesco até a véspera da posse no cargo de ministro da Fazenda. É a raposa cuidando do galinheiro.


O governo não está nem aí com a situação do povo, em decorrência da inflação alta. A inflação, já batendo nos "dois dígitos" (10%) nas principais capitais do Brasil, incluindo São Paulo e Rio de Janeiro. Os empresários preferem aplicar no Tesouro Direto que paga 14,25% brutos ao ano, do que arriscar nos seus negócios e correr o risco de perder dinheiro. A consequência da inflação alta e governo pagando juros reais alto, causam desemprego em massa. 

Os agiotas internacionais torcem para que inflação continue em alta, porque aufere com aplicação em títulos do Tesouro Nacional, a maior taxa de juros reais entre 40 maiores economias do mundo, atrás apenas da Turquia. Os agiotas internacionais, em resumo, está sugando o sangue do povo brasileiro. 

Não adianta jornalista Miriam Leitão da Rede Globo tentar explicar os motivos da alta de inflação. O que importa para a população é a "inflação do bolso" que corrói o "poder de compra" da sua renda. O resto é conversa fiada. Muito fácil quem paga as contas com cartões corporativos, pagos pelo contribuinte. 


Dilma dizer que o País está com economia estável é como dar bofetada na cara do povo! Inflação da Dilma, correndo solto!

Ossami Sakamori







quarta-feira, 21 de outubro de 2015

A hora é de aposta na taxa Selic !


O Banco Central deve anunciar nesta quarta-feira a taxa Selic com ligeira alta em relação à taxa vigente de 14,25%. O Banco Central vem praticando ao longo do ano taxa de juro real de 5% ao ano para agradar os investidores estrangeiros especulativos. Mantida a mesma política monetária, o Banco Central deve aumentar a taxa Selic ao nível entre 14,50% e 14,75%. 

O governo anunciou a prévia de inflação para este ano em 9,77% ao ano. Segundo a mesma fonte a taxa de inflação da cidade de São Paulo já atinge o patamar de 10% ao ano. O vilão desta vez é botijão de gás e gasolina na bomba. Este índice serve para balizamento da taxa Selic, na cabeça dos membros do COPOM.

A maioria dos analistas econômicos aponta a manutenção da taxa Selic no atual patamar de 14,25% ao ano. No entanto, se pensar com a "cabeça de bagre" do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, haverá ajuste da taxa Selic para cima. O Banco Central vem praticando política monetária equivocada, tentando segurar a inflação com a taxa Selic. Segurar inflação com aumento de taxa básica de juros da dívida pública interna é formula clássica do FMI.

O pagamento de juros  reais, a mais alta entre as 40 principais economia do mundo, ficando apenas atrás da Turquia, só evidencia a desconfiança dos investidores especulativos internacionais, que financiam cerca de 20% do título público federal. Essa história de que o aumento da taxa Selic é para conter a escalada inflacionária é conversa para "boi dormir". 

A taxa Selic deverá ser anunciado pelo Jornal Nacional da Rede Globo, hoje à noite. Vamos ver o que vem pela frente. Vamos ver se o mercado tem razão ou eu tenho razão. Se eu for perdedor, será melhor para a economia do País. 

Ossami Sakamori