Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 26 de agosto de 2012

EU CONTESTO NEW YORK TIMES, LULA É APENAS CONTRAVENTOR!

Lula volta à linha de frente, diz o "New York Times", que dedicou uma reportagem ao ex-presidente em sua edição impressa deste domingo (26). Em destaque, está a relação de Lula com réus do mensalão e seu papel diante de "um dos maiores desafios" de toda a história do PT. "Não acredito que o mensalão tenha existido", afirma Lula ao jornal nova-iorquino, reiterando o que já disse em outras ocasiões. O diário cita brevemente o suposto pedido de Lula ao ministro do STF Gilmar Mendes, em abril, para que o julgamento do mensalão fosse adiado. Fonte: Folha.

Ainda na entrevista, Lula nega ter pretensões de voltar ao poder antes do fim de um suposto segundo mandato de Dilma Rousseff. "Dilma é minha candidata e, se Deus quiser, será reeleita." Sobre a eleição de 2018, porém, afirmou que é difícil para qualquer político excluir as possibilidades de ser candidato. "Um sinal claro de que seu gosto pelo jogo político permanece inalterado", aponta o jornal. "Política é a minha paixão", diz Lula, ao fim da reportagem.  Fonte: Folha.


A matéria foi publicada no jornal New York Times e republicada na jornal diário Folha de São Paulo de hoje.  Passar em branco, sem uma contestação, seria como admitir que eu sou um ser humano lobotomizado, sem nenhum sentimento, sem nenhum brio, sem nenhuma vergonha na cara e sem dignidade.  Pois estou aqui a dizer com todas as letras que o presidente Lula, diante de tanta evidência do processo mensalão, amplamente divulgado em julgamento no STF, não passa de um reles contraventor, chefe da quadrilha que apossou do Palácio do Planalto para meter a mão, literalmente, nos cofres públicos em favor da sua reeleição e dos companheiros da base aliada.

O simples fato de jornal com a envergadura da Folha de São Paulo, republicar a matéria do New York Times, sem ao menos tecer comentários próprios, significa também que o Brasil passa por uma grave crise moral.  Ao caminhar na mesma direção, a imprensa em geral, citando o processo mensalão apenas como fato jornalístico, mostra que o poder público exerce força de coerção intransponível através de verbas publicitárias.  Foi-se o tempo que o Estadão publicava o texto de Camões, nos espaços reservados às matérias que iam de interesses contrários ao regime militar de 1964. 

Digo que sou da resistência.  Sou apenas um caminhante solitário.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

2 comentários:

  1. Pelo amor... Nao há provas contra Lula no caso, a FSP, a Veja e o Estadao odeiam Lula e estao transformando julgamento em espetáculo, em circo. Enquanto isso, muita coisa pior impune no Brasil. E é importante reconhecer as conquistas do governo Lula. O Fome Zero é exemplar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e... se é assim, por que sera que a FSP, VEJA E ESTADÃO odeiam o molusco? esse ordinário é tudo que o Sakamori afirma e mais um pouco também.

      Excluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.