Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 31 de dezembro de 2017

Toma vergonha, Brasil !



Não tem como, todo final do ano, me remeter à infância que passei. Meus pais, imigrantes japoneses foram contratados pelas companhias de imigração para se servirem aos barões do café, como que escravos brancos. Foi o que marcou a minha infância. Enfim, depois de décadas, somos mais um brasileiro, filhos e descendentes de imigrantes que ajudaram a construir o País.  

Aos 10 anos foi me colocado a trabalhar para ajudar no meu próprio sustento e estudar para ser "alguém na vida". Uma das poucas coisa que me lembro é de ter ganho meu primeiro sapato na formatura do "grupo escolar". Das poucas coisas boas que me lembro também é a professora Zoraide, uma mulher morena, digna da profissão que a abraçou. Tenho saudades da atenção que me dispensava a professora Zoraide! Bons tempos, aqueles!

Formei-me na Universidade Federal do Paraná, onde fui ser professor da mesma Escola de Engenharia, donde mais aprendi com os alunos do que os ensinei. Para quem era um simples filho de imigrante foi para mim, uma realização e tanto. Hoje em dia, sou apenas um engenheiro civil, consultor de empresas, tanto quanto muitos outros  colegas engenheiros. Sem perder o costume do magistério, mantenho este espaço como elo de troca de conhecimento com leitores e pessoas pensantes deste País. 

Estou aqui postando esta mensagem com esperança renovada na mudança do rumo do País. Não é possível que um país como o Brasil, com dimensões continentais, o quinto em extensão territorial, localizado em latitudes favorecidos e mais de 200 milhões de habitantes, não consigamos sair desse marasmo que castiga fortemente a sua população.

Não adianta somente culpar os sucessivos "governos corruptos", mas precisamos reunir as nossas forças interna à busca de melhores dias, na tentativa de para colocar o Brasil na rota do "desenvolvimento sustentável". Condições para tanto há de sobra! Basta que a população pensante do País se conscientize de que, juntos somos a força da mudança!



Esta é a mensagem de um já quase ancião que deseja ver o País pujante, que seja orgulho de todos os nós! 

Toma vergonha, Brasil !

Ossami Sakamori

sábado, 30 de dezembro de 2017

Gasolina irá para R$ 6 !


O preço de gasolina na bomba deverá estar a R$ 5, na bomba, na maioria das cidades brasileiras já no primeiro trimestre do próximo ano. O aumento decorrerá em função da alta do barril de petróleo no mercado internacional. Depois de bater o fundo do poço, o preço internacional do petróleo vem recuperando o terreno perdido. O efeito cascata do aumento do petróleo deve causar um acréscimo no índice de inflação do próximo ano, também. No final de 2018, o preço de gasolina deverá bater R$ 6, considerando o efeito do aumento de dólar. 

O aumento de petróleo no mercado internacional tem dois efeitos. Para a Petrobras que produz óleo do pré-sal, com custo alto em relação ao óleo explorado em terra, o aumento do preço de combustíveis na bomba aumenta a margem de lucro da Companhia. A prática do preço de "paridade" com o mercado internacional vai ajudar a Petrobras melhorar a relação endividamento/ geração de caixa. 

No entanto, para a população, o efeito do aumento dos combustíveis vai trazer reflexo no preço de produtos de consumo que dependem majoritariamente do transporte rodoviário. O aumento de preço de transporte coletivo, inexorável, no meio do ano, vai refletir no índice de inflação oficial, o IPCA. A inflação só não vai explodir com o aumento de combustíveis devido a não repasse destes valores aos salários dos trabalhadores, que continuarão "congelados"

O efeito do aumento de combustíveis somado à correção do dólar ao patamar de R$ 4, só não será explosivo por falta de demanda devido ao alto número de desempregados e desalentados. Inexoravelmente, o preço de gasolina na bomba, no final de 2018, deverá bater R$ 6 em algumas capitais do País. 

E o salário mínimo? R$ 954 por mês ou 150 litros de gasolina!

Ossami Sakamori

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Chega de salvadores da pátria!

Crédito da imagem: Exame

O ministro do Trabalho, deputado Ronaldo Nogueira, pagou o pato pelo número de cortes nas vagas de trabalho com carteira assinada e foi demitido pelo presidente Temer. Houve saldo de 12 mil trabalhadores "demitidos" a mais do que número de contratações. O governo Temer está chegando no final de 2017 com indicadores não tão alvissareiras quanto gostaria que fosse. A demissão do deputado Ronaldo Nogueira, em nada muda a situação real do País.

Segundo Caged, ao final de novembro, o Brasil tinha 38,62 milhões de pessoas empregadas com carteira assinada frente a 100 milhões de força de trabalho disponível. Considerando que a população brasileira é de 207 milhões, o número de trabalhadores com carteira assinada corresponde a menos de 1/5 da população. Segundo IBGE, outros 40 milhões estão desempregados ou sub-empregados. Somado a isso, cerca de 13 milhões de chefes de família recebem a Bolsa Família. 

Não precisa ser analista econômica para entender a dificuldade que passa o País. Os 38,62 milhões de trabalhadores recolhem a previdência social regularmente. Alguns tantos recolhem a previdência de forma simplificada e o maior contingente de pessoas recebem alguma forma de benefícios do governo federal. Desse jeito a conta não fecha nunca! Menos de 1/5 da população tem empregos formais, com carteira assinada e o restante da população vivem de alguma forma de ajuda do governo federal. 

Dentro deste contexto, o presidente Temer estima criar 1,78 milhão de empregos com carteira assinada em 2018. Para mim, a proposta é ousada e sem consistência. Não há no horizonte mudança na matriz econômica que justifique a mudança repentina no quadro da economia do Brasil. Querer por querer, até eu quero. 

Com Temer ou sem Temer, o Brasil não se preparou e nem se prepara para o desejado desenvolvimento sustentável. Vamos aguardar com atenção, as propostas dos presidenciáveis no próximo ano para analisar de perto.

Chega de "salvadores da pátria"!

Ossami Sakamori


terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Em 2018, dólar vai a R$ 4 !

Crédito de imagem: Veja

O dólar vai aumentar acima da inflação em 2018. A notícia vem dos Estados Unidos. Donald Trump quer repatriar dólares dos empresários americanos com investimentos no exterior para criar emprego no país, dentro da política de "USA First!". Bom para os EEUU e ruim para o Brasil.

Um espirro do Trump vem como tufão para o Brasil. O dólar deve ter alta (real desvalorizado) em 2018. Para o País o reflexo imediato seria os produtos importados mais caros refletindo em uma ligeira alta do índice de inflação. A consequência imediata que será sentido pela população, também, é a alta do preço de combustíveis por conta da desvalorização do real, sem contar com a tendência de alta no preço petróleo no mercado internacional. 

Somente pela alta do dólar ou o real desvalorizado, a inflação que está num número comportado hoje, menos de 3% ao ano, deve voltar ao patamar de 4,25% que será o centro da meta para o ano de 2018. A avaliação do mercado é que o dólar no final do ano de 2018, deverá estar batendo no entorno de R$ 4. 

Ossami Sakamori


domingo, 24 de dezembro de 2017

O crime de corrupção compensa!

Crédito da imagem: Exame

Pensei que, pelo menos, no final do ano, o presidente Temer nos deixasse em paz!  Mas, não!  Michel Temer assinou à véspera do Natal, o Decreto do indulto para os condenados de menor peliculosidade. Pelo Decreto, os apenados que tenha cumprido 1/5 ou 20% da pena estarão anistiados. 

Dentre os anistiados incluem os condenados pelo crime de corrupção passiva. Somente os condenados pela Lava Jato em Curitiba, são 37 beneficiados. Enfim, a anistia abriu a porteira da Colonia Médico Penal de Pinhais na Região Metropolitana de Curitiba. Os Procuradores da República que cuidam da Lava Jato em Curitiba reclamaram, mas o Decreto já foi assinado pelo presidente Temer. 

O próprio presidente da República Michel Temer foi objeto de investigação da Procuradoria Geral da República pela prática de crime de corrupção passiva e formação de quadrilha. O presidente Temer só não virou réu porque a Câmara dos Deputados negou o prosseguimento da investigação, em duas oportunidades. 

O presidente Temer quer beneficiar, com o Decreto da anistia, os seus companheiros da quadrilha. Pois, é nesse país de impunidade, onde os corruptos fazem festa, que estamos a viver!  Se Deus quiser, juntos, haveremos de fazer mudanças dos costumes deploráveis através das eleições no próximo ano!

Ossami Sakamori



sábado, 23 de dezembro de 2017

Feliz Natal !


Feliz Natal !

As minhas palavras são de agradecimentos, aos que nos últimos cinco anos tiveram a paciência de me aturar neste blog, sem nenhuma expressão.  São mais de 2 milhões e 300 mil visitas que faz destaque dentre os blogs não profissionais. Se Deus assim quiser, estaremos presentes por mais um ano, no momento em que o país vive a maior crise econômica e social dos últimos 100 anos. Obrigado, amigos e amigas!

Aos amigos que, incansavelmente, se fazem presentes no espaço de comentários, tem me servido de incentivo para continuar escrever algumas linhas, mesmo com a minha total inabilidade na escrita.  Já me foi sugerido que contasse com o revisor de texto, mas não o tenho usado. Quero que meus amigos saibam como eu penso, de forma espontânea, sem nenhuma maquiagem. Além de colocar os assuntos no momento que acontece, tal qual acontece, sem maquiagem. 

Já se foram mais de cinco anos! No tempo decorrido, muitos amigos e amigas deixaram a vida terrena para enfim estar ao lado do Deus poderoso, na paz da eternidade. A estes dedico o espaço especial. E eu tenho certeza de que, todos eles, estão a me enviar forças necessárias para que eu continue teclando para ajudar mudar a situação do Brasil.




















Aos que estão com a angústia do dia a dia, quero trazer palavra de esperança.  Se depender deste que escreve, o próximo ano será um ano melhor. Sem dúvida, um ano de turbilhões, com muitas notícias desgastantes. Certamente, veremos assistiremos a ignorância, a esperteza e a soberba dos que se acham donos do poder. Isto tudo, haveremos de vencer com a nossa força e sabedoria. 


A vocês, amigos e amigas, desejo um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de notícias alvissareiras!  Às pessoas que estão enfermos ou pessoas que não tem o acolhimento devido das famílias, espero que a compreensão os reencontre. Desejo  que a vida digna chegue a cada um dos lares no próximo ano!  














O que passou, passou! Vamos apostar no futuro!
Sejamos, juntos, solidário um ao outro, para que tenhamos um novo ano cheio de muitas e boas realizações. 

Ossami Sakamori

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Retrospectiva 2017

Pessoas e assuntos que me chamaram atenção em 2017.
Você faz a legenda para cada imagem abaixo.

Anita
( ...                                )

Lula
(  ...                                )


Gleisi Hoffmann
( ...                                )


Vallesney de Oliveira
( ...                                 )

Gilmar Mendes
( ...                               )

Sérgio Moro
( ...                                )

Sérgio Cabral
( ...                                 )

Aécio Neves
( ...                                   )

Antonio Palocci
(  ...                                 )


Zeina Latif
( ...                                 )

Paulo Maluf
( ...                                 )

Marcelo Bretas
( ...                                )

Marina Francischini
( ...                              )

João Amoedo
( ...                               )


Michel Temer
( ...                                 )

Flávio Rocha
( ...                              )


Priscila Cruz
( ...                                )


Luis Roberto Barroso
( ...                                )

Raquel Dodge
( ...                                  )

Técnico Tite
( ...                                  )

Favela do Rocinha
( ...                                   )

Sertanejo 
( ...                                  )

Círio de Nazaré
( ...                               )

 Lençois maranhenses
( ...                                )


Mata Atlântica
( ...                                  )

Pantanal matogrossense
( ...                                   )

Agronegócio
( ...                                    )

Bandeira do Brasil

Ossami Sakamori

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

O povo brasileiro é um bundão !


Chegando ao mais um final do ano e concluo com tristeza de que o povo brasileiro, no qual me incluo, virou um "bundão". Assisto nas telas da TV, as manifestações do povo de outros países do mundo, sobretudo da Venezuela, Argentina e Chile, aguerrido quando se trata do destino do seu País. O povo brasileiro foi às ruas para pedir impeachment da Dilma em número expressivo, mais de 3 milhões de pessoas em todo território nacional, no entanto, as manifestações de hoje, quando convocados, são feitos de verdadeiros "gatos pingados". 

Quando as mídias massacram com informações fantasiosas sobre a situação do País, me preocupa. O governo Temer informa que o País retomou um novo ciclo de desenvolvimento, o tão esperado, depois de longo período de depressão. O governo anuncia crescimento de 1% no PIB neste ano e previsão de 2,5% do PIB no ano que vem. Não sei donde o governo tira estes números, sem que tenha tomado medidas concretas para justificar o tal resultado promissor.

Por outro lado, o povo brasileiro, apesar de muitas reclamações, não saem da zona de conforto. Faz oposição ao governo Temer, timidamente, através de redes sociais. O fato é que o povo quer "terceirizar" atitudes que gostaria de tomar para os militares através de "intervenção militar constitucional" (sic). Em outras ocasiões esperam que o candidato da direita, o capitão Bolsonaro, resolva todos problemas do País, como que eleito for, ele fará intervenção no Congresso Nacional e no Judiciário. Qualquer das situações descritas acima está longe de acontecer. Espero que o povo brasileiro não caia em "depressão" maior do que está com as "frustrações" que virão. Não há milagres a produzir. 

O ano de 2018 será o de eleições. Eleições para o cargo de presidente da República, governadores e membros do legislativo federal e estaduais. Não se pode esperar grandes mudanças com o governo "fraco" e "impopular" a essa altura dos acontecimentos para o ano que inicia daqui a alguns dias. Falo do governo do presidente Michel Temer. Não se pode esperar grandes mudanças a não ser aprovação de algumas reformas estruturantes "desidratadas". No mais, o ano de 2018,continuará marcado com as consequências da Lava Jato. 

Não se pode esperar muita coisa de um País se o seu próprio povo é um "bundão". Preocupem não, que me considero parte deste País. O Brasil está mergulhado num lamaçal de ladroagens e conivências em todos poderes da República. Infelizmente, isto é o retrato do País. 

Ossami Sakamori


terça-feira, 19 de dezembro de 2017

O Tatu Tênis Clube


Em acordo firmado com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, a empreiteira Camargo Corrêa revelou a prática de cartel em 21 licitações que ocorreram em 7 Estados e no DF em um período de 16 anos. Um processo administrativo foi instaurado pelo Cade para investigar suposto cartel em concorrências públicas para obras de metrôs e monotrilhos. Foi o que  noticiou o Estadão de hoje. 

A notícia divulgada pela Globo com o estardalhaço de sempre, como se fosse a grande "descoberta" a existência de carteis em grandes obras públicas me causa espanto. Os carteis acontecem nos países do primeiro mundo como Estados Unidos, Alemanha e Japão. Além de tudo o cartel de grandes empreiteiros não é novidade no Brasil. Todas grandes obras foram construídos pelos empreiteiros brasileiros, a maioria citados no Acordo de leniência no CADE.

As grandes obras de engenharia, construído pelos governos do regime militar foram executados pelo "cartel de empreiteiros". A dúvida que fica é se houve pagamento de "propinas" para que o carteis tivessem contratos preferenciais do governo federal. Nos países do primeiro mundo, tudo isto é conseguido através de fortes lobby dos carteis, fornecedores do governo. Se a existência de lobby é certo ou não é uma discussão que não termina tão cedo. 


Coincidência ou não, discute-se na Câmara dos Deputados, a regulamentação do "lobby" dos diversos segmentos da atividade econômica do país, tal qual existe nos países do primeiro mundo. A economia com forte presença do governo federal, só poderia terminar nisso, a dúvida. O próprio banco de fomento do governo federal, o BNDES, financia os "oligopólios" em detrimento das empresas de pequeno porte. 

Depois de leite derramado, o BNDES participando ativamente no financiamento de grandes oligopólios, muitas vezes terminam em problemas, tal qual aconteceu com a OGX do Eike Batista, a JBS dos irmãos Batista e a Oi Telecomunicações do Carlos Jereissati. Vamos deixar claro que, os "favorecimentos" aos "oligopólios" vem dos tempos imemoriais. 

Ossami Sakamori


domingo, 17 de dezembro de 2017

O rolo compressor do Carlos Marun

Crédito da imagem: Globo

Carlos Marun, deputado federal do PMDB pelo Mato Grosso do Sul, assume a Secretaria do Governo em substituição ao deputado Antonio Imbassahy do PSDB de Bahia. A posse acontece num dos piores momentos do governo Temer, a falta de apoio parlamentar para promover qualquer reformas que envolve mudanças na Constituição da República. Carlos Marun vem como "rolo compressor" para promover as mudanças necessárias, creio.

A sua biografia disponível ao público, diz que ele é natural de Porto Alegre, 57 anos, advogado e engenheiro civil. Ele foi vereador em Campo Grande, deputado estadual e secretário de Habitação e Cidades do estado de Mato Grosso do Sul. Em 2014 elegeu-se deputado federal com 91,8 mil votos.

Deputado Carlos Marun, do PMDB, notabilizou-se como um dos mais ferrenhos defensores do Eduardo Cunha no episódio de cassação do mandato como deputado federal. Defendeu o deputado Eduardo Cunha, hoje preso pela Lava Jato no Complexo Médico Penal de Pinhais na Região Metropolitano de Curitiba, até o derradeiro momento da cassação pelo plenário da Câmara dos Deputados. 

Em virtude da recuperação de uma cirurgia que foi submetido o presidente Michel Temer, Carlos Marun na Secretaria do Governo deve fazer as articulações políticas que estava sendo feito pelo próprio presidente Temer, em razão do "rebelião" do "centrão" contra o então Secretário Antonio Imbassahy do PSDB. Carlos Marun deve, no período de recuperação do Temer, assumir inclusive as funções de representações em eventos. Digamos que é uma "nova estrela" na constelação da política brasileira.

Carlos Marun vai  ter disponível em mãos mais de R$ 20 bilhões em obras e emendas parlamentares referente à LDO de 2018 para serem negociados com os parlamentares, no já conhecido "toma lá, dá cá", para votação de reformas estruturantes como a da previdência. Carlos Marun terá em suas mãos o Orçamento Fiscal de 2018, "cheio" para utilizá-lo como convier para angariar o apoio dos parlamentares. Isto ele sabe fazer. Neste ponto o deputado Carlos Marun foi aluno aplicado do Eduardo Cunha, conhecido como rei das maracutaias. No sentido pejorativo, Carlos Marun teve uma boa escola. 

Seja como for, melhor um Carlos Marun atuante do que um Michel Temer doente. Brasil não pode parar!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori 


quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Sou mais um caminhante!

Crédito da imagem: UOL

Insatisfações tomam conta de mim...
São coisas que estão fora do meu controle.
Por mais que eu tente contribuir, as minhas forças não valem nada para que as mudanças ocorram ao meu querer.

Os ventos são avassaladores...
Destroem tudo que no caminho se encontra.
São coisas da natureza humana, a ambição, o desequilíbrio, a ganância, o despudor, a soberba...

Não nasci para este mundo...
O mundo que contradiz ao meu modo de ser.
Tudo virou normal, a ladroagem, o assassinato, a desídia, a exploração dos mais humildes...

O anormal virou normal...
Tudo que aprendi virou coisa dos idos tempos.
Os que labutam para ganhar o mísero  pão de cada dia são considerados otários, imbecis, ignorantes e tantos outros termos pejorativos.

Nasci caminhante da vida...
O meu destino é o caminho do trabalho, da eficácia.
Caminhante sou para não ser mais um dentre tantos insensatos e imbecis.  
Antes que me mandem para ancestrais terras, vou sair a caminhar.

Chegado o final de mais um ano é hora de pensar...
O meu destino é perseguir o caminho da sabedoria, da decência e da sensatez.
Caminhante sou, ao destino que me dê conforto espiritual, longe da insensatez de muitos seres desumanos. 

Aos que desejam caminhar comigo... o convite está feito.

Ossami Sakamori



quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Lula será inelegível em 2018.



O TRF4 marcou para o dia 24 de janeiro de 2018 o julgamento do recurso do ex-presidente Lula da Silva referente ao processo conhecido como caso Triplex. A defesa do Lula acusa o Judiciário pela celeridade do processo, porque o resultado do julgamento diz respeito diretamente à inelegibilidade do ex-presidente Lula à eleição presidencial de 2018. A lei da ficha limpa prevê a inelegibilidade a qualquer cidadão que tem condenação em segunda instância.

Em 8 de junho de 2012, portanto há mais de 5 anos, comentei sobre o envolvimento do Lula da Silva no processo conhecido como "mensalão": "O fato é que o presidente Lula pretendia adiar o julgamento do mensalão para o próximo ano, porque para o próximo ano quase todos envolvidos seriam absolvidos pela decadência do prazo prescricional.  Não deu certo para presidente Lula.  O processo mensalão vai ao julgamento, onde o chefe do mensalão (sic) é o seu ex-chefe de gabinete José Dirceu, que despachava diariamente ao lado do presidente Lula, durante todo o tempo que processava a  operação mensalão". Afirmei à época: "É o começo do fim da era Lula".

Lula da Silva sobreviveu ao processo mensalão que o deixou fora na condenação. Foi uma manobra bem sucedida (sic) do ministro da Justiça da época, o Márcio Thomaz Bastos, para livrá-lo da condenação no "mensalão".  A íntegra da matéria poderá acessar clicando no: Lula, mensalão é o início do seu fim.

É provável que o TRF4 confirme a condenação do Lula da Silva em primeira instância imposta pelo juiz Sérgio Moro da Justiça Federal de Curitiba. A justiça tarde mas chega! Com condenação em segunda instância, Lula da Silva será inelegível a qualquer cargo político devido a lei da Ficha Limpa, sobretudo ao cargo de presidente da República.  

Ossami Sakamori


terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Reforma da previdência não sai mais!

Escrevi em 13/11/2017

Minha opinião sobre o assunto previdência continua a mesma. Nem mesmo a reforma "desidratada" não mais será aprovada pelo Congresso Nacional, neste ano. Confira o que eu disse há um mês. 

Crédito da imagem: Veja

Após demonstração de indecisão, presidente Temer pressionado pelo ministro da Fazenda Henrique Meirelles pretende aprovar, ainda este ano, a reforma da previdência. Michel Temer perdeu apoio da sua base parlamentar após duas denúncias de crimes comuns pelo MPF. Em qualquer circunstância e em qualquer governo a aprovação de uma Emenda Constitucional necessita de uma base sólida. Temer perdeu o bonde da história. Não tem maioria absoluta para aprovação de reforma da previdência social, a não ser "desidratada".

A Emenda Constitucional que necessita de no mínimo 308 votos dos deputados e 54 votos dos senadores, poderia ter sido aprovado no final de 2016 ou no início de 2017, quando o governo Temer ainda tinha cacife para bancar as reformas estruturantes. À essa altura dos acontecimentos, com eleições gerais previstos para a menos de um ano, nenhum parlamentar quer se comprometer em votar "medidas impopulares" como a da previdência. 

A equipe do Palácio do Planalto quer aprovar a reforma da previdência para tentar garantir a "agenda positiva" prometida ao "mercado financeiro". Agora a ordem é reforma da previdência "desidratada" para o "otário" ver. Desidratada palatável, só mesmo a "cebola desidratada". Só mesmo fazendo críticas desta forma para aguentar o governo impopular até 31 de dezembro de 2018. 

O presidente Michel Temer, só se sustenta com o efeito de intenso trabalho de "marketing", com mídia comprada a peso de ouro! Claro, comprado com o dinheiro do contribuinte: eu, você e nós!

Ossami Sakamori



domingo, 10 de dezembro de 2017

Inflação de 2,5%: Choro ou comemoro?

Crédito de imagem: Globo

Não sei se comemoro ou choro com a notícia de inflação baixa, a menor para o mês de novembro desde 1998. Segundo IBGE, o índice é menos do que a metade do mesmo mês de 2016. Comemoro porque o índice de inflação está próximo das grandes economias do mundo, incluído a China. Ao mesmo tempo, só tenho a lamentar porque a queda da inflação é apenas consequência da profunda recessão que o País atravessa. A queda da inflação não é consequência da política econômica e monetária acertada, mas sim de uma profunda e prolongada depressão, a pior dos últimos 100 anos.

Diz o IBGE que no cálculo do IPCA, índice oficial de inflação, os itens bebidas e alimentos acumulam queda de 2,4%, a mais intensa desde a implantação do Plano Real em 1994. Ainda segundo IBGE, alguns alimentos básicos como feijão, arroz, farinha e açúcar custam até 40% menos. Infelizmente a queda da inflação não decorre da política econômica do governo Temer, mas decorrente da falta de demanda. O brasileiro está comendo menos!

A queda da inflação decorre da queda de consumo decorrente do contingente de desempregados e subempregados nunca dantes visto na história do País. São 40 milhões da força de trabalho que só consomem apenas o necessário e suficiente para a própria sobrevivência. Somados a isto, os 60 milhões de pessoas inadimplentes completa o quadro desolador da economia real.

O triste de tudo é que a inflação baixa é ocasionada pelo baixo consumo da população, não pela política econômica e monetária acertadas mas pelas razões estruturais. Estruturalmente, o Brasil emite títulos da dívida pública para poder pagar as despesas do governo. Em outras palavras, o governo não consegue gerar receitas suficientes para pagar as suas próprias contas. O governo, em consequência, não consegue nem honrar o pagamento de juros da dívida pública que ascende a R$ 4,8 trilhões. O governo Temer só faz rolagem da dívida pública. Até onde vai isto, não sabemos. Um dia, isto vai explodir no colo do povo!

Resumindo, a tão comemorada baixa da inflação é resultado do política econômica que não consegue resolver a situação de 40 milhões de desempregados e desalentados, muito menos da situação de 60 milhões de pessoas inadimplentes no comércio. Governo Temer mente! Ministro da Fazenda Henrique Meirelles mente! O povo otário, como sempre, acredita!

Inflação de 2,5%: Choro ou comemoro?

Ossami Sakamori

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

2018, mais um ano perdido!

Crédito da imagem: Comex

Ao contrário da previsão do ministro da Fazenda Henrique Meirelles de que o crescimento do Pais será acima de 2,5% para o próximo ano, não vejo nenhum motivo para tanta euforia. O recuo da taxa de juros Selic ao menor patamar dos últimos anos, 7% ao ano, não representa grande mudança no rumo da economia do País como todo. Receio que o ano de 2018, ao contrário da previsão do governo Temer, poderá ser mais um ano perdido! 

O primeiro sinal que motiva o meu pessimismo é o resultado do PIB do terceiro trimestre deste ano, divulgado pelo IBGE, que foi de 0,1%. O PIB do corrente ano deve terminar dentro da previsão do mercado de 0,7%, com alguns décimos para cima ou para baixo. O tão esperado resultado otimista da venda do Natal deve terminar em termos nominais ao redor de 5% ou seja 2% de crescimento em termos reais. O resultado pode causar enorme frustração, diante do tamanho otimismo "vendido" pela grande imprensa.  

Outro fator que poderá determinar o pífio crescimento no próximo ano será o recuo na produção da safra agrícola em relação ao deste ano. O setor agrícola prevê recuo de produção de soja em 6% e 2% para o milho para safra do ano que vem. Vamos lembrar que o crescimento do PIB deste ano deveu-se, sobretudo, ao crescimento substancial do PIB do setor agropecuário. O ano de 2018, não contará com a alavanca de crescimento deste ano.  

O calcanhar de aquiles para a demora da retomada de crescimento está no contingente de desempregados e subempregados que atingem cerca de 40 milhões de trabalhadores. Por mais que o governo anuncie o aumento de "empregos informais",  o que está havendo é migração de da classe de desempregados para classe de sub-empregados, conhecido como "biscateiros". A reversão deste quadro só será possível com o crescimento do setor produtivo criando novas vagas em suas fábricas, o que não estamos a ver nos últimos indicadores econômicos. 

O fato é que os investidores diretos estão postergando os investimentos em suas fábricas devido à não realização de reformas estruturantes prometido pelo governo Temer. Somado à falta de reformas, sobretudo a reforma profunda da previdência e a reforma tributária, o ano de 2018 será marcado pela realizações de eleições presidenciais. Os investidores diretos, não decidirão sobre os novos investimentos sem ter a certeza de ver a política econômica delineada pelo novo presidente da República. Por enquanto, os prováveis candidatos não estão apresentando "matriz econômica" sustentável ao longo dos próximos anos, o que preocupa os investidores institucionais.

O ano de 2018 será marcado pelo "marasmo". Não haverá crescimento substantivo no PIB como esperam o presidente Temer e seu ministro da Fazenda.

Ossami Sakamori