Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 31 de março de 2018

Bolsonaro quer armar o povo até os dentes!

Crédito da imagem:  Folha

Eu sei que vou perder centenas de leitores deste blog, mas sinto-me na obrigação de falar sobre o que prega o candidato à presidência da República Jair Bolsonaro. Ele tem feito périplos pelo País pregando o armamento da população civil.  Para mim, ficou evidenciado na estada do presidenciável na cidade de Curitiba.  Do aeroporto, na chegada, até no palanque de comício, o discurso foi recorrente. Jair Bolsonaro quer armar a população "até os dentes", como afirmou em seus discursos inflamados. Este pensamento é típico de pessoas "truculentas" que tentam resolver conflitos com as próprias mãos.  Se a moda pega, será um caos!

Deputado Jair Bolsonaro está cumprindo o seu 7º mandato como deputado federal e faz parte da "bancada da bala" na Câmara dos Deputados. O parlamentar defende a revogação do Estatuto do Desarmamento, decorrente do plebiscito realizado e defende que o proprietários rurais tenham direito a adquirir fuzis para evitar invasões do MST. Sou contra a maneira de atuação do MST, mas a solução que vejo para o problema de invasão é "cortar" o financiamento dos baderneiros rurais.  O que deputado Jair Bolsonaro no seu quintal que é cidade de Rio de Janeiro?  Fácil é dar soluções para os problemas que não estão no seu quintal.

O ex-capitão Jair Bolsonaro em 7 mandatos como deputado federal, não teve nenhuma lei de destaque de sua iniciativa aprovada. Mesmo o seu principal programa do governo de armar os produtores rurais de fuzis, parece não ter merecido um projeto de lei de sua iniciativa.  De notoriedade tem a sua briga recorrente com a deputada Maria do Rosário, com quem em publico teve "bate boca" onde afirmara que ela não merecia ser estuprada, uma atitude tipicamente machista. Já vou avisando que não nutro nenhuma simpatia para com a deputada Maria do Rosário, mas respeito ela na condição de mulher. Não sou "feminista" nem "belicista".  A discussão não é por ai !

O País vive crise de segurança pública, terreno fértil para disseminar o principal projeto do ex-capitão Jair Bolsonaro, o de armar "até os dentes" a população brasileira.  A foto colhida pela Folha, o deputado exibe a espada usada pelos guerreiros japoneses à época da intervenção militar que dominou o Japão por 3 séculos. Simbolicamente, o gesto do deputado apenas demonstra sua verdadeira índole de "truculência" ao contrário da "pregar a paz", que o povo brasileiro tanto espera.

O problema da segurança pública no Brasil, sobretudo nas favelas, já manifestado por mim nas diversas matérias, é a ausência do Estado nos serviços essenciais à população como educação, saúde pública, luz, água e esgoto tratados, centros de convivência da população e arruamentos dignos nos bolsões de pobreza, tal qual centro das cidades.  Não é armando o povo "até os dentes" é que vai resolver o problema de segurança pública no Brasil. 

Eleito presidente da República, Jair Bolsonaro não fará intervenção no Supremo Tribunal Federal e nem cassará nenhum ministro da Suprema Corte.  Bolsonaro não irá rasgar a Constituição da República.  Não se iludam. 

Sinto dizer, mas o Jair Bolsonaro é apenas mais um pretenso "salvador da pátria", como tantos que o Brasil já teve experiência.  Vamos refletir, vamos?

Ossami Sakamori


sexta-feira, 30 de março de 2018

Temer está politicamente morto!

Crédito da imagem: Veja

O projeto do presidente Michel Temer de tentar reeleição em 2018 está se esvaindo.  O ministro Barroso do STF mandou a Polícia Federal dar prosseguimento nas investigações sobre o Decreto dos portos à pedido da Procuradoria Geral da República. O resultado é que, ontem, houve operações da Polícia Federal para executar as prisões de pessoas próximas ao presidente da República e donos dos dois principais operadores portuários do porto de Santos. 

No início do mês, precisamente no dia 13 de março, afirmei: "Embora todos envolvidos, inclusive o presidente Temer, tenham afirmado de que não houve nenhum favorecimento, o Decreto do Temer concede extensão do contrato de concessão em vigor de 25 anos para 35 anos. Pior, com cláusula de prorrogação da concessão por mais um período de 35 anos.  Se não fosse o Decreto, no final do prazo de 25 anos de concessão, os atuais concessionários teriam que participar de concessão dos terminais com pagamento de "ágios".  A empresa Rodrimar e outras concessionária dos portos ganharam de "mão beijada" a prorrogação de concessão por 45 anos, na prática". 

As investigações deverá terminar dentro de 60 dias como autorizara o ministro Barroso à Polícia Federal.  A previsão é de que concluída a investigação, o ministro do STF venha solicitar à Câmara dos Deputados autorização para a instauração do inquérito contra presidente Michel Temer como duas anteriores solicitadas pelo STF.  Os dois pedidos anteriores, como são de conhecimento de todos, foram votadas e rejeitadas pela Câmara para prosseguimento da investigação. 

O novo  pedido, se for efetivado, deverá ocorrer no próximo mês de junho ou no mês de agosto. Certamente, a oposição ao presidente Temer não reunirá os 342 votos necessários para acatamento do pedido de instauração do processo do STF.  O problema não se trata da viabilidade ou não do pedido do STF, mas o desgaste que o presidente Michel Temer sofrerá perante o povo.  Vamos apenas lembar que o presidente Temer, hoje, tem aprovação do seu governo que não passa dos 6% que consideram ótimo e bom. 

Dentro deste contexto, fica inviável ao MDB lançar Michel Temer à reeleição.  O provável candidato do MDB passará a ser o atual ministro da Fazenda Henrique Meirelles que migrou do PSD para o partido do Michel Temer, já esperando o desgaste do nome do presidente Temer. Caso Rodrimar sepultará de vez a pretensão do presidente Temer da sua reeleição.

Temer está politicamente morto!

Ossami Sakamori


quinta-feira, 29 de março de 2018

Curitiba, 325 anos!

Parabéns, Curitiba!


 Jardim Botânico

 Museu Oscar Niemeyer

Boca Maldita

Bairros e sistema viário

Parque Barigui

 Ópera do arame

Parque Tanguá

Teatro Guaíra

Ônibus Expresso

Povo de Curitiba


Ossami Sakamori

quarta-feira, 28 de março de 2018

Não há mais espaço para MST !

Crédito da imagem: Estadão

Disse o ministro da Segurança Pública Raul Jungmann que é absolutamente inaceitável que acontece, parta de quem partir o confronte entre entre militantes petistas e anti-lulistas. O ministro que já pertenceu ao Partido Comunista - Secção Brasileira da Internacional Comunista, hoje PPS, comentou de que o episódio não pode repetir dentro do regime democrático. Estou me referindo ao tiros dados ao ônibus vazio que faz parte da caravana que percorre no sul do País promovendo a candidatura do ex-presidente Lula da Silva à presidência da República. 

Dois pesos, duas medidas. Quando o MST invade fazendas produtivas de produtores rurais, destruindo instalações e maquinários com instrumentos como facão e foice, o mesmo ministro comunista, na condição de deputado federal nunca condenou os atos de barbáries dos ditos "sem terras".  O fato é que o MST se abriga sob "guarda chuva" do PT. Os membros do MST são pagos para fazer parte claque para aplaudir Lula e simpatizantes nos palanques, com os já conhecidos pão com mortadela e diária.


Ontem, os jornalistas da Rede Globo condenar o ato como anti-democrático o confronto como que ocorreu no interior do Paraná contra caravana do Lula.  A Rede Globo não tem dado o mesmo destaque e comentário do MST e o PT quando invadem fazendas produtivas intimidando agricultores e destruindo instalações e maquinários. Dois pesos, duas medidas. 

A imprensa em geral e particularmente a Rede Globo nada fala sobre a propaganda antecipada de um candidato à presidência como faz Lula em seu périplo pelo sul do Brasil.  Isto é proibido pela legislação em vigor. O que o Lula faz é "comício de campanha presidencial", explicitamente, apesar de ele estar inelegível para qualquer cargo eletivo desde  última segunda feira, dia 26. 

Não quero polemizar. Condeno qualquer forma de intimidação com uso de "violência física', tanto faz com tiros ou facões. Porém, aprovo a ovada. Ovada é legítima manifestação de descontentamento com determinadas figuras públicas do País. É a única maneira do povo mostrar o seu descontentamento. 

Os comunistas que se recolham no seu devido lugar. Já passou da hora! Não há mais espaço para MST no Estado democrático de direito! 

Ossami Sakamori


terça-feira, 27 de março de 2018

Lula merece a "ovada", sim !

Crédito da imagem: Gazeta do Povo

A recepção da caravana do Lula pelo interior do sul do País , Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, tem sido marcado pela recepção hostis do povo das cidades onde ele tem passado, com finalidade de fazer o comício de uma eventual campanha eleitoral para presidência da República deste ano.  Os produtores rurais, sobretudo, tem feito bloqueio na entrada das cidades e a uma parte da população tem jogado ovos à comitiva do ex-presidente Lula da Silva.

A atitude vem sendo repudiado pela imprensa e parte da população brasileira. O povo brasileiro é assim, leva os ovos na cara, mas não tem retribuído na mesma moeda aos que tanto sacrifício tem os impostos.  O próprio presidente Lula já sugeriu certa ocasião de que não tendo dinheiro para colocar bife no prato que substituísse pelo ovo.  Seja através de tomate podre ou ovo, a manifestação do povo brasileiro apenas tem demonstrado o descontentamento com as pessoas que fizeram muito mal à população como todo. 

Convém recordar que o ex-presidente Lula da Silva, dentro ou fora do governo, estimulou os seus companheiros a promover maior esquema de ladroagem aos cofres públicos que o Brasil já viu na história. Ontem, segunda-feira, dia 26 de março, o Tribunal Regional Federal confirmou a condenação do Lula da Silva pelo crime de corrupção. Se não fosse o Habeas Corpus a ser votado no dia 4 de abril próximo, hoje, o ex-presidente estaria sendo conduzido à cadeia determinado pelo juiz federal Sérgio Moro.


De leniência em leniência do povo brasileiro para com os administradores públicos, os cofres públicos do Brasil continuam sendo dilapidado em muitos R$ bilhões, exatamente o dinheiro que está fazendo muita falta nas áreas de educação, saúde e segurança pública. 

É de justiça o povo brasileiro extravasem o sentimento de revolta jogando os ovos na comitiva do ex-presidente Lula, até porque o Supremo Tribunal Federal mostrou-se incapaz de pronunciar-se a um simples Habeas Corpus do Lula, mesmo com o fato de que o destino do condenado na segunda instância estar previsto na súmula vinculante de 2016. 

Lula merece "ovada", sim !

Ossami Sakamori



segunda-feira, 26 de março de 2018

Uma carta para Carmen Lúcia

Crédito da imagem: Evaristo SA/AFP

Excelentíssima Senhora Carmen Lúcia
Presidente do Supremo Tribunal Federal


Senhora presidente Carmen Lúcia, o que segue não é nenhuma petição ou peça que deva ser juntada a algum processo em andamento no Supremo Tribunal Federal. Permita-me que esta carta seja aberta para Vossa Excelência e ao povo brasileiro.  Esta peça, não foi escrito por nenhum jurista, portanto peço paciência e atenção para a sua leitura até o final, apenas como se fosse a voz do povo oprimido. 

Senhora presidente, as poucas palavras que seguem não é nenhuma ameça à sua pessoa ou mesmo à Suprema Corte da República, mas apenas o sentimento do povo brasileiro em relação à decisão do último julgamento posto em pauta no dia 22, quinta-feira, o Habeas Corpus ao favor do Lula da Silva.  Os últimos episódios envolvendo ex-presidente Lula da Silva, sobretudo no sul do País, onde está havendo enfrentamento entre os movimentos sociais e a classe produtora, requer reflexão e atenção. 

Senhora Carmen Lúcia, o povo brasileiro sentiu-se traído por Vossa Excelência ter pautado o Habeas Corpus que impede o cumprimento da decisão de segunda instância em desfavor do Lula da Silva, ex-presidente da República. Nem é preciso lembrar, senhora presidente, de que a Oitava Turma do Tribunal Federal de Recurso da Justiça Federal da Região Sul, condenou o ex-presidente, em votação unânime, em 12 anos e um mês de prisão em regime fechado e vai confirmar a sentença definitiva de mérito no dia de hoje, 26 de março.

Senhora Carmen Lúcia, o povo brasileiro estranhou muito que Vossa Excelência tenha, repentinamente, tenha pautado o Habeas Corpus a favor do ex-presidente Lula da Silva, faltando apenas 4 dias para o julgamento do embargo de declaração pela Oitava Turma da Corte de segunda instância.  Nem é preciso lembrar senhora Carmen Lúcia que o julgamento de hoje é apenas sobre o embargo de declaração que não muda a natureza da decisão e nem a dosimetria da pena. 

Senhora presidente, liminarmente, o plenário da Suprema Corte suspendeu o cumprimento do encarceramento do ex-presidente Lula, contrariando a decisão à desfavor do Lula da Silva pela Oitava Turma e que será confirmado no dia de hoje, segunda-feira, até que o plenário do Supremo venha se reunir para decidir sobre o mérito do Habeas Corpus no próximo dia 4 de abril. Senhora Carmen Lúcia, isto o povo entendeu como sendo mais uma manobra para favorecer o condenado Lula da Silva. 

Senhora presidente do Supremo Tribunal Federal, a suspensão da sessão do pleno na quinta-feira, logo após votação da admissibilidade às 18 horas, na sessão que iniciou precisamente às 14 horas, com um longo intervalo, apenas tão somente porque um dos ministros iria viajar e outro porque estaria muito cansado para prosseguir em sessão noturna, aos olhos do leigo como eu, me pareceu mais uma manobra para não perder os votos favoráveis ao impedimento da prisão do ex-presidente Lula da Silva, condenado que está e que será convalidado no dia de hoje, dia 26. 

Ministra Carmen Lúcia, todas essas movimentações me parece mais uma manobra para livrar o ex-presidente Lula da Silva do encarceramento em regime fechado, apesar de existir súmula vinculante que determina prisão do condenado em segunda instância.  Senhora Carmen Lúcia, o povo brasileiro sentiu-se traído por Vossa Excelência com mais essa manobra, porque até a véspera, Vossa Excelência tinha afirmado à imprensa de que não colocaria em pauta o assunto intempestivamente.  Vossa Excelência o fez, colocou em pauta, contrariando a própria afirmação anterior.  Sua excelência faltou com a palavra. 

Senhora presidente, o povo do sul do País vem repudiando a caravana do ex-presidente Lula da Silva e tem resultado em enfrentamento entre a caravana do ex-presidente e a população das cidades onde passam.  Senhora Carmen Lúcia, o povo brasileiro não é burro e nem otário para não perceber que a reunião do pleno do STF no dia 4 de abril será para livrar o ex-presidente Lula da Silva do constrangimento da prisão.  O ato impensado já foi feito, senhora presidente. Vossa Excelência, certamente, será cobrada por ter colocado Habeas Corpus de maneira intempestivamente. 

Eu até entendo a sua atitude, senhora Carmen Lúcia, porque Vossa Excelência deve "o favor" da sua nomeação como ministra do Supremo Tribunal Federal pelo então ex-presidente Lula da Silva.  Entendo também, senhora presidente de que os 8 ministros do Supremo Tribunal dentre 11 foram nomeados pelo ex-presidente Lula da Silva ou pela ex-presidente Dilma Rousseff, ambos importantes dirigentes do Partido dos Trabalhadores, apenas para rememorar.  Vejo também que a repentina mudança na pauta ocorreu após a visita do novo defensor do condenado, o ex-ministro da Corte Suprema, aos seus colegas da mais alta Corte Judiciária do País.  O simbolismo diz muito mais que palavras. 

Senhora Carmen Lúcia, o povo está a perguntar, baseado em últimas movimentações do Supremo Tribunal Federal, se a mais alta Corte do País não está a serviço do Partido dos Trabalhadores.  Excelentíssima Carmen Lúcia, a decisão a favor do Habeas Corpus que remete a decisão final do cumprimento da pena de reclusão em regime fechado até a última instância do Judiciário, apenas vem confirmar a percepção do povo brasileiro de que a justiça só vale para "pobres, negros e analfabetos" e que os ricos e poderosos continuarão imunes ao cumprimento da pena. 

Ministra Carmen Lúcia, creio ser hora imprópria colocar em votação no plenário a súmula vinculante de 2016, onde se prevê o cumprimento da pena de prisão, com decisão de segunda instância.  Uma eventual mudança na súmula vinculante, naturalmente, favoreceria ao condenado Lula da Silva e demais corruptos que o País conheceu de forma tão cabal com a Operação Lava Jato. Senhora Carmen Lúcia, o povo brasileiro colocaria em dúvida o caráter de Vossa Excelência e demais ministros do Supremo Tribunal Federal se fizer revisão da sumula vinculante de 2016, em vigor, para sepultar de vez a Operação Lava Jato.  

Senhora presidente, se a nova decisão do Supremo Tribunal Federal, a de cumprimento de pena com decisão em última instância para os ladrões de cofres públicos, não acho justo que as dezenas de milhares de condenados que cumprem as penas em cadeiões públicos, com decisões de instâncias inferiores, não tenham o acesso às mesmas filigranas jurídicas que são concedidos aos que podem pagar honorários milionários a seus advogados. 

Custo acreditar, senhora presidente do Supremo Tribunal Federal, de que  há dois Brasís, uma para criminosos ricos e poderosos e outra para os criminosos pés de chinelo, invariavelmente estes últimos, pobres, negros e analfabetos.  A possibilidade de impetrar Habeas Corpus ao STF pelo preso comum, escrito em papel do maço de cigarro teria a mesma validade e prioridade, dito por um dos seus pares da Corte, é mais do que um deboche.  Certamente, o ex-presidente Lula da Silva, analfabeto funcional, se tivesse feito a defesa com próprio punho, o Habeas Corpus impetrado teria o mesmo efeito do que aquele elaborado por um ex-ministro da Suprema Corte, seu defensor. 

Ministra Carmen Lúcia, eu como simples gente do povo, não saberia propor o desenho para a nova "súmula vinculante".  O vaso já foi quebrado e cabe a Vossa Excelência juntar os cacos e apresentar solução para que o povo brasileiro possa continuar acreditando no Judiciário brasileiro. Caso contrário, ministra Carmen Lúcia, a imagem do Supremo Tribunal Federal irá para o lixo junto com a dos maiores corruptos que o País já teve notícias.  Havendo mudança na súmula vinculante de 2016, o Brasil será país da impunidade.  O Brasil será eternamente, paraíso para os ladrões dos cofres públicos. 

Rezo para que Vossa Excelência receba iluminação divina para, com muita serenidade, decidir sempre a favor do povo brasileiro.    

Com respeito e consideração.

Ossami Sakamori
Apenas cidadão brasileiro.

domingo, 25 de março de 2018

Minha homenagem é para o seu Marechal

Favela da Rocinha

Foi na quarta-feira que seu Marechal, morador da Rocinha, foi morto no tiroteio entre traficantes e policiais militares. Desde então, até ontem, já morreu 10 pessoas, traficantes e moradores da Rocinha. Seu Marechal como era conhecido vivia de venda de sucatas e conserto de ferro de passar. Ele era, segundo depoimentos postados na imprensa pelos moradores, era uma pessoa muito querida da favela de Rocinha. 

Diferente da vereadora morta há poucos dias, que virou heroína da mídia nacional e internacional, seu Marechal era líder comunitário no sentido correto da palavra, ficará no esquecimento. O enterro no Cemitério de Caju, foi realizado em companhia de muitas pessoas da comunidade. Ele era trabalhador, branco, contrastando com a maioria da comunidade que são pardos. Talvez, o seu Marechal não merecesse a mesma atenção que foi dada a vereadora executada com crueldade próprio de criminosos de alta periculosidade, por não possuir perfil dos moradores das favelas. 

Tal qual o menino Benjamin, 2 anos, negro, portador de síndrome de Down, o seu Marechal cairá no esquecimento da mídia, até aparecer novos cadáveres nas favelas do Rio de Janeiro.  Tal qual o soldado morto no mesmo episódio do seu Marechal, as pessoas inocentes assassinados cruelmente vão apenas figurar nas estatísticas da violência da cidade que é considerada maravilhosa.  Maravilhosa, onde?

Minha homenagem de hoje é para o seu Marechal que soma ao que fiz ao menino Benjamin.  Espero que as páginas deste blog não precise retornar para prestar homenagens deste tipo. Seu Marechal não mais consertará ferro de passar para as donas de casas da favela do Rocinha. 

Minha homenagem de hoje é para o seu Marechal !

Ossami Sakamori

sexta-feira, 23 de março de 2018

Lula será candidato à presidência em 2018!


Lula será candidato à presidência da República em 2018. Pode parecer estranho, mas a situação se configura muito real, após a decisão de STF referente ao HC para impedir o cumprimento da prisão após decisão em segunda instância votado pelo STF ontem. O quadro político, que já considerava Lula fora do páreo das eleições presidenciais de 2018, está a mudar substancialmente. 

Acompanhe o meu raciocínio. Se o Lula ficar inelegível com confirmação da condenação pelo colegiado, isto é Oitava Turma do TRF4, pela Lei da Ficha Limpa, certamente um outro HC no STF, na ocasião do registo da candidatura em 15 de agosto, não só vai permitir o registro da chapa, mas chegar no dia 7 de outubro em condições "sub judice".  Vamos lembar que à partir de setembro, a presidência do STF passará para o ministro Dias Tofolli, aliado incontestável do Lula. Duvido muito que após eleito, STF venha negar a posse do Lula como presidente da República de todos brasileiros. 

Se a súmula vinculante de 2016 sobre prisão à partir da segunda instância não tem mais validade, em tese, conforme decisão HC no STF, os mesmos advogados do ex-presidente Lula poderão contestar a validade da Lei da Ficha Limpa, que prevê inelegibilidade aos candidatos com condenação em segunda instância. Se a lei menor, no caso do Código de Processo Penal, sobrepõe à súmula vinculante, porque não o STF decidir pela inconstitucionalidade da Lei da Ficha Limpa?

Segundo entendi nos votos dos ministros que impôs derrota aos que defendem a prisão em segunda instância, porque não pode os mesmos ministros do STF entender que a Lei da Ficha Limpa é inconstitucional, pelo argumento de qualquer cidadão não pode ser tornar inelegível sem que tenha esgotado o direito de ser apreciado pela última instância do Judiciário brasileiro.

Tudo isto que vem ocorrendo na área jurídica pode até ter fundamentos sólidos, mas para leigo como eu, isto tudo cheira mais uma "gambiarra" para tentar reconduzir o Lula, novamente, ao cargo de presidente da República de todos brasileiros. Os interesse das pessoas que de alguma forma se locupletaram nos 13 anos do governo Lula somado ao curral eleitoral da Bolsa Família e MST tem interesse em viabilizar a volta do Lula.  

E assim sendo, Lula será candidato à presidência em 2018. 

Ossami Sakamori

Temer manda Caixa pedalar!

Crédito da imagem: Estadão

O presidente Temer está "mandando" a Caixa Econômica Federal conceder empréstimos para estados e municípios apenas com garantia de participação destes nas receitas da União proveniente de arrecadação de impostos como IPI. A autorização vai contra as decisões da diretoria do Conselho de Administração da Caixa, cujo presidente é a própria secretária do Tesouro Nacional. No eu entendimento, isto pode configurar crime de responsabilidade do presidente da República, pela má gestão do dinheiro público.

A antecessora Dilma foi cassada pelo Senado Federal por crime de responsabilidade apenas pela contabilidade criativa, a conhecida "pedalada fiscal". O caso que resultou em impeachment da Dilma é semelhante a este caso da Temer. Em ambos casos não está havendo roubalheira, mas "apenas" infringindo as boas normas da administração pública. Para ter algum respaldo legal, o presidente Temer está tentando o "aval" do Tribunal de Contas da União e do Banco Central, que no meu entender não são suficiente para justificar a "pedalada".

É uma questão formal que infringe as boas regras de administração pública.  A secretária do Tesouro Nacional é contra o empréstimo com garantia de participação nas receitas dos impostos federais. Ela também é presidente do Conselho de Administração da Caixa Econômica Federal.  O presidente do Banco Central, apenas afirmou que uma operação deste tipo, como os com garantia da receita futura, o índice de inadimplência é de 0,1% ou quase zero. A questão não parece ser sobre a "garantia" da operação, mas sim uma questão formal que é importante em administração pública. 

Esse tipo de artifício é conhecido como "pedalada", inadmissível na administração pública. Para que estas operações não sejam consideradas "pedaladas", seriam necessários que, no mínimo, o Senado Federal autorizasse as tais concessão de empréstimos cada caso em isoladamente. De sucessivas "pedaladas" as finanças públicas estão em "frangalhos". 

Temer manda Caixa pedalar!

Ossami Sakamori




quarta-feira, 21 de março de 2018

STF a serviço dos corrupto$ ?

Crédito da imagem: Estadão

A decisão sobre prisão do condenado em segunda instância já foi apreciada pelo plenário do STF em 2016, com repercussão para demais processos em andamento à partir daquela data.  Os ministros Celso de Mello e Marco Aurélio do STF querem que a ministra Carmen Lúcia coloque em pauta do plenário para "rediscussão" do mesmo tema, celeremente.  O açodamento parece ter destino certo, livrar o ex-presidente Lula da cadeia.

Nos próximos dias, a Oitava turma do TRF4 vai se reunir para dar decisão final sobre o caso triplex do Lula da Silva. O processo está em fase de analise do último recurso daquele processo, que é embargo de declaração. Como se sabe, a Oitava turma ratificou a decisão do juiz federal de primeira instância Sérgio Moro em unanimidade. Também, aquela Turma aumentou a pena do Lula da Silva para 12 anos e 1 mês.  Os ministros Celso de Mello e Marco Aurélio querem que a presidente do STF paute a "revisão" da decisão de 2016 para, supostamente, tentar reverter a prisão do Lula da Silva.  Nunca foi tão cristalino a intensão dos ministros como agora em livrar o Lula da prisão.

Em contraste à Justiça brasileira, o Tribunal Federal do Brooklyn, em Nova York, condenou o ex-presidente do CBF, José Maria Marin, de 85 anos, por crime de corrupção na FIFA. A pena só será conhecida após a publicação da sentença, neste início de 2018, mas a juíza Pamela Chen determinou que o José Maria Marin comece a cumpri-la imediatamente em um presídio federal dos Estados Unidos. Isto é o resultado nos Estados Unidos, a democracia mais longeva do mundo, que contrasta muito com as decisões tomados por alguns dos ministros da nossa Corte Suprema.  

A presidente Carmen Lúcia do STF tem resistido bravamente às manobras dos ministros que querem pautar "na marra" a "revisão" da decisão de condenados responder a pena em "regime fechado". São declaradamente favoráveis ao efeito, além dos citados acima, os ministros Gilmar Mendes e Dias Tofolli. Se o assunto vier para "revisão" no plenário, o desfecho ainda é incerto, uma vez que o ministro Gilmar Mendes, neste interregno de tempo, mudou de posição. Nada garante, porém, que se houver "revisão", o desfecho seja favorável ao ex-presidente Lula da Silva. 

Não sou operador de leis, pois milito na área de engenharia e análise sobre saúde financeira das empresas, mas tenho a sensibilidade adquirida ao longo dos anos de vida, em analisar as coisas mais comuns que interferem na vida cotidiana do povo brasileiro.  Nesse caso em discussão, fica visível aos olhos de pessoas comuns, como eu, que há em andamento um "grande conchavo" para livrar o ex-presidente Lula da cadeia. 

STF a serviço dos corrupto$ ?

Ossami Sakamori


segunda-feira, 19 de março de 2018

Intervenção federal do Rio receberá R$ 1 bilhão!


A intervenção federal vai receber mínimo de R$ 1 bilhão em investimentos na área de segurança pública, segundo Palácio do Planalto. A verba será destinada ao recém criado Ministério da Segurança Pública cujo titular é o ministro Raul Jungmann. Para ficar dentro do Orçamento Fiscal de 2018, limitado pela Emenda do teto dos gastos, o dinheiro virá de cortes em outras rubricas do Orçamento. 

Em outra matéria, eu tinha afirmado que não haveria almoço grátis referindo à intervenção federal na área de segurança pública no Rio de Janeiro.  Pois, a conta está vindo agora.

O presidente Temer, com vistas à sua reeleição, aposta no sucesso da intervenção federal no Rio de Janeiro.  Bom para o povo carioca e ruim para o contribuinte que verá raspada verbas de outros ministérios, tão essenciais quanto à intervenção federal no Rio de Janeiro. 

A providência está vindo à reboque do episódio de execução da vereadora do PSOL, da cidade de Rio de Janeiro, nessa última semana. O assunto ganhou repercussão internacional e o presidente Temer não quer passar como presidente medíocre. Os fatos tem empurrado Michel Temer a tomar atitudes para que sua popularidade não chegue  no  chão. No momento, a aceitação do presidente, entre bom e ótimo não passa dos 6% em todas pesquisas. 

Intervenção federal do Rio receberá R$ 1 bilhão!

Ossami Sakamori

domingo, 18 de março de 2018

Michel Temer é candidatíssimo à presidência da República!

Crédito da imagem: Estadão

A ponte para o futuro lançada pelo Michel Temer em abril de 2015 era para ele próprio utilizar. Presidente Temer manifestou, segundo jornal Estadão de hoje, intenção de lançar-se candidato à reeleição no próximo outubro.  Michel Temer quer passar o "legado" do governo a si próprio. Temer acredita que está fazendo um bom governo, apesar de baixa popularidade. Eu próprio, já comentei várias vezes neste blog, as intenções do Michel Temer em querer permanecer na presidência da República por mais um mandato. Nada como um dia atrás do outro para confirmar isto.  

Michel Temer está sendo compelido à manter-se no cargo de presidente da República para evitar prosseguimento do processo de corrupção passiva e formação de quadrilha, além de dois outros processos que estão sendo investigados no STF.  Faz parte da estratégia, também, salvar a pele dos seus ministros investigados pelo STF. Ou melhor, os seus ministros investigados pela corrupção são os que mais apoiam a reeleição do presidente Temer. 

A intervenção federal na segurança pública do estado de Rio de Janeiro já fazia parte do projeto do Temer para viabilizar a sua reeleição. O fato é que o Michel Temer tem caneta na mão para autorizar despesas despesas do governo, para os partidos que farão coligação para o projeto de reeleição. Certamente, os partidos de oposição que lançarão candidatos próprios ficarão na "fila de espera" para liberação de verbas de obras e serviços. A essa altura, vale tudo. Vai funcionar a todo vapor o já famoso "toma lá, dá cá".  Isto o presidente Temer sabe fazer. 

Michel Temer vai contar com a estrutura partidária, a do MDB, com maior capilaridade dentro todos. Certamente, o PP deverá se alinhar com o MDB, já que estivera sempre junto nos projetos de ladroagem dos cofres públicos. Não faltarão também a adesão de partidos nanicos em troca de "verbas" pelo tempo de televisão. O MDB e aliados terão maior parte do tempo de televisão no programa eleitoral gratuito. Se isto tudo vai resultar em votos, não saberia afirmar.

Após o prazo final para filiação partidária, dia 7 de abril, as candidaturas majoritárias, tanto no nível federal quanto no nível estadual vão se afunilando em torno das candidaturas verdadeiramente viáveis. A história tem mostrado isto.

Michel Temer é candidatíssimo à presidência da República.

Ossami Sakamori
@SakaSakamori



Minha homenagem ao menino Benjamin

Crédito da imagem: Globo

Não importa o nome, a imagem é da mãe do Benjamin, menino de 2 anos com síndrome de Down, morto no confronto entre policiais e traficantes no Complexo do Alemão. Com certeza este episódio não vai merecer atenção da Comissão de Direitos Humanos de qualquer Organização Não Governamental.  Certamente, Benjamin será apenas morte de uma criança negra e pobre moradora de favela, que irá constar nas estatísticas sobre a violência do Rio de Janeiro. 

Essa mãe, que ninguém sequer sabe o nome, chorou desesperadamente pela perda do filho.  Ela é oposta da vereadora "executada", nem sabe bem por que motivo levou seu filho à morte. Essa mãe, segundo contou à imprensa, saiu com o menino para comprar sorvete e encontrou com a tragédia no caminho, tão comum na favela onde ela reside, o Complexo do Alemão. 

Enquanto a grande imprensa não tratar o assunto como elas são de fato, sem o "glamour" do tráfico de drogas e os sucessivos governos irresponsáveis não proverem as favelas de creches, Unidades de Pronto Atendimento, ensino fundamental até a última série, água encanada, esgoto, sinais digitais gratuito para todos, centro de convivência, bibliotecas, locais para pequenos comércios, os  moradores das favelas continuarão à margem da sociedade brasileira. Não adianta nada intervenção militar que tem data para deixar as favelas, no dia 31 de dezembro. 

Os favelados não são bandidos. Bandidos são os traficantes e agentes públicos que negligenciam no atendimento aos moradores das favelas como que eles fossem marginais da sociedade.  A palavra "favela" tornou-se pejorativo, até que os moradores trocaram a denominação para "comunidade" com intensão de recuperar pelo menos o mínimo de autoestima.  Os favelados tem sido usados para servirem de massa de manobras dos políticos de matizes que vão de extrema direita à extrema esquerda. Nem vou perder meu tempo nominando os partidos e políticos. 

O assunto de violência nas favelas é recorrente. Há décadas que os governos de plantões não tomam providências para levar dignidade para à população.  Se os governos passados fizeram "vista grossa" quando das ocupações, os atuais tem a obrigação de dar igual tratamentos dos demais moradores da cidade do Rio de Janeiro. A condição de maioria dos moradores dos favelados serem negros e pobres não os diferenciam dos demais membros da sociedade. Os brancos não são feitos de castas superiores. 

Infelizmente, Benjamin foi mais uma vítima do tráfico de drogas e ausência das autoridades constituídas. Irei lembrar sempre do menino Benjamin que, simplesmente, saiu de casa para comprar sorvete e não mais retornou. 

Ossami Sakamori


sexta-feira, 16 de março de 2018

Humanos direitos quero eu !

Crédito da imagem: UOL

No dia 15 de outubro de 2012, portanto há pouco mais de 5 anos, escrevi matéria  "Confirmado, Haití é aquí !" . Ontem, a notícia da execução da vereadora da cidade de Rio de Janeiro Marielle Franco, ativista, negra, representante dos "direitos humanos", percorreu mundo a fora. O destaque sempre é para os "direitos humanos" onde muitas vezes se abrigam os próprios criminosos que tiram vida dos inocentes das favelas. Bandida boa é bandida morta, sem sofisma!

Sinto muito pela família da vereadora morta, mas sinto muito mais pela morte de inúmeros moradores das favelas e policiais militares e civis que sucumbem nos grandes "caldeirões" que são as favelas.  A população das favelas, a verdadeira vítima da violência, não faz parte da mídia internacional, com o mesmo destaque dos "defensores" dos direitos humanos. Os pobres, negros e analfabetos honestos não merecem guarida dos defensores dos "direitos humanos". 

As verdadeiras vítimas, os moradores das favelas, são apenas "massas de manobras" de políticos que vão da direita à esquerda.  Da direita tal qual candidato à presidência da República o capitão Bolsonaro e os políticos da esquerda como os que pertencem aos partidos Rede, PSOL, PCdoB e tantos outras siglas salvadores da pátria se acham os "donos" dos "direitos humanos".  A população honesta das favelas, também, não fazem parte dos noticiários da imprensa internacional, a não ser quando atores e atrizes se expõe nas mídias com as favelas como "pano de fundo".

A matéria deste blog de 5 anos atrás:

Cinco horas e meia após a ocupação de cinco favelas da zona norte do Rio de Janeiro pelas forças de segurança neste domingo, 14, foi realizada a cerimônia de hasteamento das bandeiras do Brasil e do Estado do Rio em uma praça localizada no interior da Favela de Manguinhos. Participaram do ato representantes das polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal, além de militares da Marinha e membros da Defensoria Pública do Estado. Fonte: Estadão.


"O hasteamento da bandeira é um marco simbólico para os moradores destas comunidades, que até então viviam sob o jugo do tráfico e agora passarão a viver sob as regras do Estado. Queremos trazer para essas pessoas o que está escrito na nossa bandeira: ordem e progresso", disse o tenente-coronel Renê Alonso, comandante do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM. Fonte: Estadão.



Cerca de 2 mil homens, entre policiais militares, civis e rodoviários  federais, além de fuzileiros navais, participaram da ocupação das comunidades, que teve início às 5 horas da manhã deste domingo. Três horas antes, 13 blindados da Marinha foram transportados em caminhões do Batalhão de Engenharia, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, até as proximidades das favelas que seriam ocupadas. Fonte Estadão.


Número impressionante de mobilização para ocupação das comunidades, enclavados na cidade ícone do Brasil, Rio de Janeiro. Tal qual Cité du Soleil ocupado pelos gangues no Haiti, as comunidades de Manguinhos e Jacarezinho eram ocupados pelo tráfico de drogas, tanto quanto outras comunidades já retomados pelo governo do estado do Rio de Janeiro.  Uma verdadeira operação de guerra se trava para retomada do território, entregue à mercê do inimigo comandado pelo tráfico. É um Haiti enclavado no território denominado Rio de Janeiro, sede da Copa 2014 e Olimpíada de 2016.  


O que me impressiona é o fato de autoridades locais levantarem bandeira do Brasil e do estado de Rio de Janeiro como gesto de reocupação do território pelos governos constituídos numa demonstração de reconhecimento da impotência do poder público.  As comunidades, até então, eram entregues ao tráfico de drogas, cujos chefes de quadrilhas eram conhecidos e reconhecidos pelas autoridades de segurança do Estado.  Isto tudo é reconhecimento da impotência do Estado em administrar a segurança pública no país.  



As tais Unidades Pacificadoras nem de longe vem resolver os problemas das comunidades ocupadas.  Apenas mudam de comandos, antes sob domínio do tráfico de drogas, agora pela forças de Segurança Pública.  O tráfico de drogas sobrevive nestas comunidades por falta de atendimento dos serviços públicos, os mínimos essenciais, para sobrevivência, tais como saúde pública, educação e segurança pública.  Não adianta nada, portanto, levar soluções parciais.  Há que instalar outros serviços de atendimento à população, sem que o objetivo de pacificação da comunidade possa ser completa.  É como tapar sol com peneira!  

Como tudo que se faz no Brasil as coisas são feitas por metade. E por estas e outras que o país não consegue inserir-se no Primeiro Mundo.

Humanos direitos quero eu !

Ossami Sakamori

quinta-feira, 15 de março de 2018

Gilmar Mendes comanda a facção criminosa no STF

Crédito da imagem: Estadão

Nem vou perder meu precioso tempo comentando sobre decisão do ministro Gilmar Mendes do STF. No entanto, a decisão do Gilmar Mendes em barrar a execução de quatro réus condenados em segunda instância sobre suposto sonegação fiscal do setor de bebidas, concedendo habeas corpus  contrariando a decisão que tomara anteriormente no plenário do STF é preocupante.  Para os olhos de um leigo como eu, isto tudo cheira decisão "encomendada" para justificar uma eventual decisão em relação a que terá que tomar em relação às clientelas do escritório de advocacia no Rio cujo sócia é sua mulher.  

A composição do STF é exatamente como a composição do extrato social da política brasileira. Metade são petistas e bandidos e outra metade são os guardiões da lei. A composição do STF está tão equilibrada entre petistas ladrões e os não petistas que está em jogo a concessão eventual habeas corpus preventivo para livrar o Lula ladrão da cadeia após a decisão do caso Triplex pelo TRF4.  A decisão descrita acima parece coisa feita para livrar todos políticos envolvidos em ladroagem dos cofres públicos. 

E lá vem o deputado Marun, certamente a mando do presidente Temer, querendo votar o impeachment do ministro Barroso da ala dos não petistas.  Vamos ver até onde a presidente do STF Carmen Lúcia resistirá aos assédio dos ministros que fazem parte da facção criminosa. Os próximos 90 dias, creio, saberemos exatamente quais ministros do STF estarão à favor da República e quem são os membros da facção criminosa que ocupam o Supremo Tribunal Federal.  Supremo?

Gilmar Mendes comanda a facção criminosa que se instalou no STF.

Ossami Sakamori


terça-feira, 13 de março de 2018

Rodrimar tira o sono do Temer

Crédito da imagem: Veja

O ministro Barroso do STF mandou quebrar sigilo bancário, telefônico e telemétrico dos supostos envolvidos do rumoroso caso Rodrimar.  São eles: o próprio presidente Michel Temer, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, os dois principais executivos da empresa Rodrimar e o "suposto" laranja do presidente Temer, Cel. João Batista Lima Filho.  O processo é desdobramento do caso Decreto presidencial de concessão de portos, assinado pelo presidente Temer. 

Embora todos envolvidos, inclusive o presidente Temer, tenham afirmado de que não houve nenhum favorecimento, o Decreto do Temer concede extensão do contrato de concessão em vigor de 25 anos para 35 anos. Pior, com cláusula de prorrogação da concessão por mais um período de 35 anos.  Se não fosse o Decreto, no final do prazo de 25 anos de concessão, os atuais concessionários teriam que participar de concessão dos terminais com pagamento de "ágios".  A empresa Rodrimar e outras concessionária dos portos ganharam de "mão beijada" a prorrogação de concessão por 45 anos, na prática. 

Presidente Temer jura "de pés juntos" de que o Decreto dos portos não favoreceu a empresa Rodrimar e que ele não teria recebido nenhuma "propina".  Michel Temer prometeu abrir ao público o sigilo bancário da sua conta pessoal, para mostrar que não entrou dinheiro nenhum ilícito na sua conta pessoal. Tal qual o ex-presidente Lula, jura que o dinheiro da corrupção não passou pela sua conta pessoal.

Por outro lado, o Cel. João Batista Lima Filho, amigo pessoal do presidente Temer, por inúmeras vezes vem sonegando depoimento na Polícia Federal, alegando doença coronária. Diante da situação, a Raquel Dodge da PGR solicitou ao ministro Barroso do STF a quebra de sigilo bancário e patrimonial dos envolvidos para esclarecimento definitivo sobre o caso Rodrimar.  O curioso é que o próprio Cel. João Batista Lima Filho tem afirmado à imprensa que o dinheiro que transitou na sua conta não pertencia a ele.  Sabe lá, de quem era o dinheiro! Tudo tem "cheiro" de "lavagem de dinheiro" do presidente Michel Temer.

O presidente Temer está muito incomodado com o assunto Rodrimar, apesar de tentar mostrar tranquilidade. O primeiro movimento do presidente Temer foi a nomeação do delegado Segóvia para chefiar a Polícia Federal preterindo o delegado da vez para assumir o posto. E deu no que deu! O presidente Temer, sem ser instado a manifestar, mandou uma "carta" para a Procuradora Geral da República, enviando o arrazoado sobre o tema da investigação que recai sobre um presidente da República. Presidente Temer, também, fez visita "particular" à ministra Carmen Lúcia, presidente do STF, para tratar do assunto sobre "segurança pública", segundo o Palácio do Planalto. 

O fato é que o presidente Michel Temer tem-se movimentado para articular a defesa sobre o caso Rodrimar, com constante deslocamento e reuniões com o seu advogado Antonio Mariz. O avião presidencial, mantido com o dinheiro do contribuinte, está em constantes idas e vindas no trecho Brasília/ São Paulo, à serviço do Michel Temer, pessoa física. Claro, sempre regado à champanha francesa e iguarias importadas. Segundo informações das pessoas do setor aéreo, o deslocamento presidencial não custa menos que R$ 300 mil cada perna. 

O caso Rodrimar tira o sono do Michel Temer.

Ossami Sakamori