Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

TREM BALA, CAIXA 2 DE R$ 3,0 BILHÕES!

Para tentar concretizar o trem-bala, o governo cedeu e ficará responsável por todo o risco do negócio. Como contrapartida, exigirá transferência tecnológica e comprovação de experiência, o que deixará a disputa mais acirrada entre Europa e Japão. A presidente Dilma Rousseff quer tirar o projeto da gaveta "o mais rápido possível". Nem que, para isso, seja preciso remodelar o projeto.  Fonte: Estadão.

"Hoje, passar o risco para a iniciativa privada é uma coisa muito cara. É mais negócio assumir o risco do que pagar o dobro", justificou Bernardo Figueiredo, ex-diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), nomeado por Dilma como diretor-presidente da Etav, estatal constituída na última quarta-feira e que será sócia compulsória do vencedor do leilão. Fonte: Estadão.

O trem que ligará Campinas a São Paulo e Rio de Janeiro está previsto no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e deve entrar também na rodada de novas concessões que o governo anunciará na semana que vem. Fonte: Estadão.

Está claríssimo que o governo Dilma faz questão de assumir o risco do trem bala que ligará Campinas ao Rio de Janeiro.  O orçamento inicialmente previsto é de R$ 33,5 bilhões.  Fala-se no mercado que a obra não sai por menos de R$ 55 bilhões.  Como todas obras do PAC, agora são considerados, REC, o valor poderá chegar facilmente em R$ 100 bilhões.  O ônus do risco e de financiamento será do contribuinte, via Tesouro ou via BNDES com recursos repassados da União.  

O presidente da empresa Etav, empresa recentemente constituída para especificamente para execução e operação do trem bala, é nada menos nada mais que o Bernardo Figueiredo, candidato reprovado à recondução ao ANTT, rejeitado pelo Senado Federal, por ter passado não tão probo, com fortes suspeitas de envolvimento em roubalheiras.

Se prevalecer o percentual de dinheiro desviado no DNITduto para campanhas eleitorais no passado recente, isto cheira roubalheira de algo como R$ 3,0 bilhões para próximas eleições, tudo em forma de dinheiro não contabilizado, uma forma "legal" (sic) de roubalheira oficializada.  

Anotem e deixe este artigo nos arquivos do seu computador, para que no futuro próximo, verá que este bloguista tinha razão.  Prevenir é melhor que remediar.  Ou vamos ficar quietos, como sempre?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.