Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 31 de março de 2013

MARINA SILVA é DILMA em 2014!


Marina Silva, corre freneticamente para fundar o "seu" Partido Rede Sustentabilidade.  O prazo expira no dia 4 de outubro de 2013.  Como ela mesma disse, ideologicamente, não é nem da direita e nem da esquerda.  Mais ou menos o mesmo esquema do PSD do Gilberto Kassab, nem da direita e nem da esquerda, segundo ele.

Marina conta com financiamento do Guilherme Peirão Leal, dono de 25% da empresa de cosméticos Natura.  Ele foi candidato ao vice na sua chama em 2010.  O mote da publicidade dos produtos Natura é justamente a "sustentabilidade".  Entende-se porque o Partido apoiado financeiramente pelo Guilherme vai se chamar Partido Rede Sustentabilidade.  

A palavra sustentabilidade é muito bonita.  Todas empresas brasileiras utilizam a frase "empresa sustentável", como se em utilizando-a, se tornarem ecologicamente "não poluente". Nada disso é verdade no terreno da realidade.  As empresas sustentáveis utilizam-se de alguns, apenas alguns, processos industriais não poluentes para justificar o uso da frase.

Os ecologistas como a Greenpeace é um exemplo típico.  Vão defender a matança de determinadas espécies de animais, mas são incapazes de fazer campanha para despoluição da baía de Guanabara no Rio ou do rio Tietê na capital paulista, por exemplo.  Quanto ao desmatamento da floresta amazônica, já existe Código Florestal aprovado após anos de discussão no Congresso.  Temos aparelhamento do Estado para fazer cumprir a lei?   

Os que defendem a sustentabilidade não estão preocupados com poluição causada pelas refinaria da Petrobras. Por que?  Nem tão pouco, falam em "potencial" desastre ecológico na exploração da bacia do pré-sal. Não estamos livres de ter um desastre semelhantes ao do golfo do México, com a British Petroleum.  Por que, não traz ao debate?  O rio São Francisco, em todo o percurso, está totalmente assoreado.  Quais são as diretrizes do novo partido da Marina, sobre o tema?  Como vamos resolver o problema de 60% da população que não tem esgotamento sanitário? E sobre ampliação da Usina Nuclear de Angra dos Reis? O partido dela é a favor ou contra? Certamente, a Rede vai passar ao largo dos temas polêmicos, como os que citei? 

Como a própria Marina já manifestara, sobre o Partido Rede Sustentabilidade, o partido vai apresentar candidato à presidência, negada por ela, mas que vai, vai. No caso, novamente, Marina Silva vai ser candidato à presidência da República.  O mote vai ser "rede sustentabilidade".  É só o povo pensar um pouco. Será que ela Marina Silva, tem capacidade para enfrentar os poderosos, nos desafios ambientais da era moderna? Ou vai continuar, defendendo estes ou aqueles bichinhos em extinção?  Pode ser que pegue ou pode ser que vire piada. 

O que Marina Silva deixou claro que no segundo turno de 2014, ela vai apoiar a presidente Dilma, por estar mais afinada com ela do que as oposições.  Resumindo, o Partido Rede Sustentabilidade vai ser uma linha auxiliar do Partido dos Trabalhadores, nas eleições de 2014. Não se faz mais "partidos verdes" como antigamente.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12 

sábado, 30 de março de 2013

AÉCIO NEVES não é BARACK OBAMA!



Aécio Neves, melhor que seja o o político, mesmo sendo neto do Tancredo Neves, ex-governador do estado de Minas Gerais e atual Senador da República, não é, ainda "o cara" do Obama.  Seu currículo não tem nenhuma semelhança com ao do presidente Obama dos EEUU.  Veja o que deu na notícia, na Folha de São Paulo.   

O PSDB vai trazer um dos estrategistas da campanha do presidente dos EUA, Barack Obama, para ajudar a construir a candidatura do senador Aécio Neves à Presidência da República em 2014. A costura para trazer David Axelrod, um ex-alto funcionário da Casa Branca e conselheiro político das campanhas presidenciais de Obama, foi feita pelo novo marqueteiro do tucano, Renato Pereira, com ajuda do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso --que tem proximidade com o ex-presidente norte-americano Bill Clinton. Fonte: Folha.

Comentário.

Aécio Neves, existe para os mineiros, mas, para demais estados da federação é "mais um" que vai disputar o cargo de presidência da República.  Os mineiros devem conhecer os méritos e deméritos do Aécio Neves, pois dizem imprensa que ele é carioca/ mineiro.  Ele é um desconhecido fora do PSDB.  Mais ou menos como o Eduardo Campos, PSB, governador de Pernambuco. Fora dos seus estados e fora dos seus partidos, para a população é um "desconhecido".

Ao contrário, segundo sua biografia, o presidente Obama foi advogado dos sindicalistas, militou na área sindical na maior cidade dos EEUU, qual seja Chicago.  Chicago para os EEUU é como cidade de São Paulo para o Brasil.  Obama, foi senador da República, antes de se candidatar à sucessão do George Bush, filho. Além de tudo, em sendo negro, se identificou com a minoria.  Parece que a semelhança com o Aécio Neves, tem muita distância.

Realmente, marketing vale muito.  Dilma Rousseff nunca foi político militante, nem sequer foi um deputado, mas com o apoio do presidente Lula se elegeu com grande vantagem.  Fernando Haddad, foi um medíocre ministro da Educação, mas foi eleito prefeito do maior cidade do Brasil e da América Latina com marketing bem feito.  Talvez, até seja mais fácil para o marqueteiro vender o produto Aécio, porque é fácil de construir uma imagem como bem entender a um político com pouca liderança.  Pode ser que funcione, mas pode ser que não.

Eleições nos EEUU é diferente daqui.  Lá as eleições são facultativas, só vota quem tem interesse.  Tradicionalmente, o país de lá, funciona como bipartidarismo, entre Democratas e Republicanos, há mais de 200 anos!  Aqui no Brasil, as eleições são obrigatórias.  Aqui é diferente de lá, funciona mais de 30 partidos.  Não há ideologia partidária. Os partidos políticos no Brasil é um conglomerado de interesses, financeiros.  

Sim, o Lula foi um fenômeno, assim como foram Juscelino Kubitschek e Getúlio Vargas.  Eles souberam manipular o povo, cada um da sua maneira.  Eles próprios foram os seus marqueteiros, sem noção de sê-los, sendo eles prórpios o produto de marketing.  A presidente Dilma é longe de ser um produto fácil de vender, depende exclusivamente do seu perfomance no exercício da presidência.  O Aécio, tem tipo playboy, frequentador da vida noturna, com as suas tietes.  Pode ser positivo, mas pode ser negativo, a sua maneira de viver.

O Aécio Neves, quando governador de Minas Gerais, fez alianças com o presidente Lula.  Nunca foi crítico contundente da política econômica do governo Dilma, como eu mesmo faço desde o primeiro mês da administração.  Como que, de repente, tivesse descoberto, mirou a metralhadora para a política econômica da Dilma, desde que decidiu ser candidato.  Ele é político oportunista, na minha concepção. Tão oportunista quanto o seu oponente José Serra, dentro do seu partido.

Espero que a próxima campanha eleitoral não seja baseada apenas em "motes" de campanha.  Motes são aquelas frases de efeito, que não traduz muita coisa, mas são ingredientes que não faltam nas campanhas produzidas pelos marqueteiros, notórios, das campanhas presidenciais.  Fico triste que a preocupação número 1 dos candidatos ao cargo máximo da República esteja focada nos marqueteiros.  

Outra coisa, o Brasil não está preocupado com confronto de pessoas e de grupos.  O povo está preocupado com a sua vida, com o seu cotidiano.  O sistema de saúde falido, com baixo investimentos em educação e na segurança pública tanto na área criminal quanto na área de trânsito, são área explosivas.  O Brasil cresceu, como sempre cresceu, em todos governos, inclusive nos governos militares. É vocação do Brasil.  Mas a infraestrutura não acompanhou o crescimento.  Os sucessivos governos, inclusiva o da Dilma, esqueceram de investir em infraestrutura.  

Dizer que o governo do PT fez, mas vai fazer mais, é um mote um tanto sem graça, sem brilho.  São os discursos, por hora, dos candidatos Aécio Neves e Eduardo Campos.  Por enquanto, não enxergo como alternativas ao governo Dilma, mas cheira mais como continuidade da política econômica e social "furada" do governo Dilma.  Por enquanto, Aécio Neves, não me convenceu para que veio.  

Aécio Neves não é Barack Obama!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

sexta-feira, 29 de março de 2013

CURITIBA, 320 ANOS!


Parabéns, minha Curitiba!

320 anos de história.  Denominado pelos indígenas, na língua dos próprios, como terra dos pinheirais ou pinhões.  Tem pinheiro, árvore símbolo, no marco zero da cidade, a Praça Tiradentes.

A igreja matriz ou catedral que leva o nome de Nossa Senhora dos Luz dos Pinhais, marca o início do povoado.  Não tão longe, o bebedouro de cavalos, onde hoje funciona as feirinhas de artesanatos.  Bom para quem gosta de bater os pés. 

Morei na Rua Dr. Muricy, num pensionato, para fazer o científico da época.  A meia quadra da Biblioteca Pública do Paraná.  Na esquinas com a Rua Cândido Lopes, agência do Banco do Brasil e Hotel Bourbon, 5 estrelas. Não tão longe, fica a Praça Rui Barbosa, onde fica o Colégio Bom Jesus, dos padres franciscanos.

Rua XV de Novembro, cruza a Rua Dr. Muricy, transformado em rua de calçadão pelo prefeito de então Jaime Lerner.  A Rua XV começa na Rua das Flores, antes denominado João Pessoa.  Na Rua das Flores, fica o bondinho para leituras.  Fica, também, a Boca Maldita, onde reúnem os aposentados para falar mal dos políticos e empresários mal sucedidos.  Enfim, a boca é maldita, mesmo!

Os novos tempos vieram.  Curitiba tem sistema de transporte coletivo planejado.  São 5 linhas de "ônibus expressos" que chegam direto na Praça Rui Barbosa, com os já conhecido ônibus bi-articulados, vermelhos.  Integram o sistema de coletivo, com passagem única, o "ligeirinho" e "interbairros" que fecham a malha de transporte coletivo.  Nas estações de embarque, ligam os ônibus da Região Metropolitana.  O sistema foi idealizado pelo então, prefeito Jaime Lerner.

Há o Parque Barigui, ícone de Curitiba, uma antiga olaria reciclada para uso do povo curitibano.  É o parque que está a 10 passos, onde eu moro.  É o local de encontro, do povo "fechado", até agora, porém mais cosmopolita com a chegada de novos moradores, que vieram contribuir com o progresso da cidade.  Sem antes esquecer do Parque Tingui, Parque Tanguá e tantos outros, que torna a cidade de Curitiba, com o índice de área verde per capita a maior de todas capitais do Brasil.

Curitiba, também, sedia a Universidade mais antiga do Brasil, fundada em 1912, a Universidade Federal do Paraná, onde fiz o curso de engenharia civil e onde dediquei parte da minha vida naquela instituição de ensino, como professor. Hoje, tem várias universidades.  Nem sei enumerar quantas.  Tem o Teatro Guaíra, na Praça Santos Andrade, a mesma praça da sede antiga da Universidade Federal, a mais antigas do País.  O Guaíra foi projetado pelo engenheiro Rubens Meister, professor da UFPR.

Curitiba tem 3 times de futebol que disputam, quem cai para segunda divisão.  Coitado do meu time, o coxa! Sempre batalhando para não cair na segunda divisão.  Coxa é apelido, porque é como Palmeiras, era de origem dos italianos, com coxa (perna) branca.  O Atlético é time da minha filha. Na arena da baixada, do Atétlico Paranaense, vai sediar a Copa 2014, só não sabemos se vai concluir à tempo para os jogos da Copa. O Paraná Clube é uma mistura de tudo que é time que sobrou do tempo antigo. Acho que Paraná vai sumir do mapa! 

Aqui, nós falamos, o português com pronúncia ao pé da letra.  É Curitiba do "leite quente", pronunciando o "e" como deve ser pronunciado.  Fica esquisito, fica, mas é característica do curitibano.  E assim termino minha singela homenagem à cidade que me adotou, com a frase pronunciado com todas as letras: Parabéns Curitiba! Obrigado por me acolher! 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

BRASIL da DILMA é PAÍS DAS MARAVILHAS!

Para tentar decifrar a polêmica criada sobre crescimento versus inflação, na fala da presidente Dilma, na reunião de cúpula do bloco informal BRICS, coletei trechos importantes dos noticiários que diz repeito ao tema em análise.  Não foi fácil, reunir, opiniões e ordená-las para melhor entendimento pelos leigos.  Como sempre, na sequência os meus comentários, preocupantes.


O governo Dilma embarcou em uma frenética operação de "controle de estragos" poucos minutos após a fala da presidente sobre inflação, em entrevista durante a cúpula dos Brics. Pouco tempo depois, a presidente resolveu culpar a imprensa. Fonte: Folha.

O que a presidente Dilma Rousseff disse na África do Sul sobre inflação e crescimento é rigorosamente o que ela pensa -e faz tempo, pelo menos desde que assumiu, há dois anos e três meses. A primeira mais firme manifestação de Dilma em favor do crescimento se deu, curiosamente, às margens de outra cúpula dos Brics, a de abril de 2011 na China.  Fonte: Clovis Rossi, colunista da Folha.

A presidente, visivelmente irritada, reagiu à pergunta da TV Globo: "Presidente, a senhora quer esclarecer sua fala sobre a inflação?". "A notícia que saiu é manipulada", disse Dilma. "Sou uma pessoa que até já escreveu que o combate a inflação é um valor em si; repudio a manipulação da fala." Fonte: Folha.

O Banco Central avalia que a redução da inflação este ano para um patamar próximo ao centro da meta estipulada pelo governo, de 4,5%, é um cenário "irrealista". A avaliação foi feita pelo diretor de política econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, nesta quinta-feira (28) durante divulgação do relatório trimestral de inflação. Fonte: Folha.


Após apresentar um calendário para aumentar, progressivamente, a alíquota do IPI para automóveis, o Ministério da Fazenda agora pensa em adiar a esperada elevação do imposto a partir de abril. A decisão será tomada até a próxima segunda-feira. O objetivo é manter a produção aquecida e conter a inflação, mas há dúvidas no mercado sobre o impacto da prorrogação. Fonte: Folha.

Com o aumento da pressão inflacionária, o posto da "musa" dos juros baixos da Caixa Econômica Federal, Camila Pitanga, pode estar ameaçado. A Folha apurou que gerentes de agências do banco receberam ordens de recolher folhetos publicitários em que a atriz aparece como garota- propaganda. Uma gerente afirmou que a imagem de Pitanga poderá ser usada apenas até domingo. Fonte: Folha.

Comentário.

Existe enorme distância em Dilma querer e a equipe econômica poder fazer. Não é uma tarefa fácil.  A equipe econômica, ao tentar fazer prevalecer a vontade da presidente, abandonou definitivamente um plano de desenvolvimento econômico e social, se é que tem algum.  Desde primeiro dia do governo Dilma, a equipe econômica está neste dilema.  E eu como engenheiro, com habilitação em economia e pequeno participante do mercado financeiro, venho sistematicamente fazendo crítica à política econômica (sic) da Dilma.

A dupla ministro Mantega e presidente do Banco Central Alexandre Tombini, vinha dando jeitinho nos primeiros 2 anos do governo Dilma.  Deram prosseguimento ao "plano de emergência" do presidente Lula, em 2009, para sair da crise financeira mundial de 2008.  Como qualquer plano de emergência, quando se torna uma política econômica definitiva, vai causando distorções difíceis de serem corrigidos, sem trauma.  O que Dilma abomina é uma operação traumática, para manter a popularidade em alta.

Pelo que pude perceber das últimas atitudes da equipe econômica, pós Durban, denota-se a continuidade da operações jeitinhos, que à essa altura se tornara "gambiarras".  Nada vai mudar no reino da rainha Dilma, vai continuar, basicamente, com o "plano emergencial" do presidente Lula de 2009.  A dupla Mantega/ Tombini, vão continuar fazendo ajustes aqui e acolá, deixando pendente os problemas cruciais como a desindustrialização e falta de infraestrutura logística.

Vejam as sinalizações:  1. Banco Central, admite, inflação acima do limite da meta de 6,5% ao ano; 2. Desonerações do setor automotivo, devem continuar; 3. O Copom aumentará a taxa Selic para conter inflação (sic); 4. O juros ao consumidor dos bancos oficiais, BB e CEF, vão subir; 5. Desonerações mentirosas, da folha de pagamento, substituídas pela alíquota sobre faturamento continuam;  6. Controle do câmbio nos atuais patamares permanece, com intervenções sistemáticas do Banco Central.  

Dentre todas preocupações, o que mais me deixa apreensivo, como analista e empresário, não é propriamente o aumento dos juros Selic, que é o foco principal dos agentes do mercado.  No meu entender, tem um grave problema que, até o final do ano, poderá explodir é a questão cambial.  Atrás deste, vem o resto.  O câmbio está, artificialmente, defasado como política do governo Dilma.  O dólar deveria estar, no mínimo, na banda de R$ 2,60 a R$ 2,70.  A cada dia que passa, o câmbio congelado, provoca mais distorções na economia.  Se explodir, não tem Banco Central que segure, apesar da Reserva Cambial confortável.

Enquanto isto, vamos vivendo o País do oba, oba, da gerentona Dilma Rousseff, presidente!  Rio ou Choro?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

quinta-feira, 28 de março de 2013

OGX. EIKE BATISTA vende JANTA para ALMOÇAR!

A casa caiu. Deu desespero ao menino Eike Batista.  O jovem André Esteves do BTG Pactual já deu receita. Tem que vender a janta já começada para poder almoçar amanhã.  É a receita clássica, tem que enxugar a máquina, tornar a OGX no tamanho que deu origem à companhia, do nada.  Na sequência, após notícias do jornal Folha, comento sobre o alcance das medidas anunciadas.

Segundo executivos da companhia, que participaram nesta quarta-feira (27) de uma teleconferência com analistas, poderão ser vendidas participações em blocos onde a empresa tem grande participação - como Tulum e Viedna (recentes descobertas da bacia de Campos), campo de Tubarão Martelo (na mesma bacia) e os blocos de gás natural na bacia do Parnaíba (Maranhão). Fonte: Folha.

"Não há mais espaço para endividamento da empresa e, se formos participar (da 11ª rodada), temos estruturas (financeiras) em aberto", disse o diretor financeiro, Roberto Monteiro. O executivo disse que ainda não foi decidido se a OGX irá participar do leilão de blocos de petróleo da ANP (Agência Nacional do Petróleo), em 14 e 15 de maio, apesar de a empresa ter sido uma das quatro primeiras habilitadas para a disputa. Fonte: Folha.


Segundo Moteiro, uma nova certificação das reservas está prevista para começar a ser feita no primeiro semestre. Analistas dizem que, com a nova certificação, a confiança do mercado sobre a real situação da OGX poderá aumentar. A empresa teve que rever suas projeções de produção em 2012 depois que seu primeiro campo, Tubarão Azul, produziu abaixo do esperado. Fonte: Folha.


Comentário.

Segundo Roberto Monteiro, executivo da OGX, a empresa encomendou uma nova certificação das reservas, numa tentativa de devolver a confiança aos investidores.  No entanto, questiono a qualidade da certificação.  Tudo até aqui na OGX foi feito de maneira camuflada, inflada, para poder manter a OGX num patamar de grau de confiabilidade, com objetivo de levantar capital para os seus projetos.  Não darei "um tostão furado" para a "nova certificação das reservas".  Vocês darão?

Segundo o executivo, a empresa OGX vai vender as participações importantes nos blocos com participação expressiva.  É como vender o resto da janta, para poder almoçar amanhã.  O OGX, no final do ano de 2013, estará, literalmente na lona, com Caixa (tesouraria) zerada.  Não tem dinheiro para sobrevivência no ano de 2014, senão vender os ativos, ainda com algum potencial.  É o fim da feira!  Como eu já disse, ontem, OGX está falida!

O menino Eike Batista, está no beco sem saída, se não houver socorro dos presidentes Lula e Dilma.  Certamente, o farão. Se não derem socorro, via BNDES, BNDESpar, CEF e BB, a OGX vai à falência e os presidentes Lula e Dilma deverão responder pelo "crime de responsabilidade" ao conceder à empresa de "papel" uma boa fatia dos empréstimos de R$ 9,7 bilhões.  Acho difícil, um investidor  tradicional colocar mais dinheiro na OGX, na situação que está.  Nem mesmo, o André Esteves, ele quer é tirar os seus R$ 2 bilhões, custe o que custar, mas não colocará mais nenhum dinheiro novo.  

À essa altura, o menino Eike Batista, hironicamente, dita regras de cadeira.  Ele já está quebrado mesmo, então, que o maior credor do grupo que é o governo federal que "se vire" para salvar as suas empresas. À qualquer momento, a presidente Dilma, será chamada para ser o "síndico" da massa falida.  Na pior das hipóteses, será chamada para colocar mais dinheiro nas empresas do menino.  Aposto que a Dilma fará isto.  E o contribuinte, logicamente, será chamado novamente para tirar o dinheiro suado do bolso.  

Fiquemos atentos, muito atentos, para que a presidente Dilma, não mande colocar mais recursos oficiais nas empresas do grupo do menino Eike Batista.  É como jogar dólares no vaso sanitário e dar a descarga, vão embora junto com os que já foram parar no esgoto.  Como qualquer empresário, o menino Eike Batista, que procure único caminho que resta à empresa OGX, a "recuperação judicial" e fique impedido de administrar qualquer tipo de empresas no País. 

Infelizmente, os nossos R$ bilhões, que o menino utilizou para comprar iates, jatinhos e ferraris, nunca mais vão voltar.  Na melhor das hipóteses, voltará somente uma parte.  Bolsa Empresário é isto!  Já são R$ 400 bilhões, em sua maior fatia emprestados aos "players"  ou aos "queridinhos" do Palácio do Planalto.

Eike Batista vende janta para almoçar!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

quarta-feira, 27 de março de 2013

OGX do EIKE BATISTA está FALIDA!

A OGX, petroleira do grupo de Eike Batista, divulgou nesta terça-feira ter fechado o ano de 2012 com prejuízo mais do que dobrado: o saldo negativo foi de R$ 1,172 bilhão, 130% superior ao registrado em 2011. Fonte: Estadão.

"Desde o início da produção, em 31 de janeiro de 2012, o Campo de Tubarão Azul produziu mais de 3,9 milhões de barris de petróleo e entregou seis cargas", diz a nota que acompanhou o balanço. A produção média diária nos 13 meses de produção foi de 10,2 mil barris por dia em dois poços. Fonte: Estadão.

A OGX revisou em US$ 100 milhões a sua previsão de investimentos para 2013, passando de US$ 1,2 bilhão para US$ 1,3 bilhão. De acordo com a empresa, a decisão foi tomada após a aquisição da participação no bloco BS-4. Fonte: Estadão.

Comentário.

Esta é notícia repassada pela empresa OGX ao mercado e à imprensa.  Os analistas do mercado e as instituições financeiras oficiais que tem empréstimos junto à OGX, ainda tem esperança de que o menino Eike Batista esteja dizendo verdade ao mercado. Diz, também, o banqueiro André Esteves do BTG Pactual, credor das empresas do Eike Batista, que a empresa tem potencial para recuperação, no esforço desesperado de tentar recuperar os seus R$ 2 bilhões, enfiados no grupo EBX.

Já vou dizendo que o resultado da análise que fiz no balanço da OGX, divulgado ontem, é "estarrecedor".  Tem razão, o presidente Lula e Dilma se preocuparem em dar socorro ao menino Eike Batista.  Está em jogo, grande parte dos R$ 7,9 bilhões que a OGX deve em empréstimos e financiamentos às instituições do governo federal, como CEF, BNDES, BNDESpar.  

A empresa OGX tinha em seu Caixa equivalente a R$ 3,3 bilhões, dos quais já comprometido para investimento em 2013, cerca de R$ 2,6 bilhões.  Literalmente, no final do ano, a OGX ficará com Caixa, praticamente zerado.  É aí que entra o jovem salvador da pátria, André Esteves.  Vai tentar buscar sócios estratégicos "otários" para botar dinheiro na empresa OGX.  Em último caso, vai acionar CEF, BNDES, BNDESpar, BB para injetar recursos novos para tentar, pelo menos, dar sobrevida à empresa.

Pela análise do balanço que fiz e a Moody´s deve ter feito mesma coisa, existe um ativo "camuflado" lançado como Imobilizado num montante de R$ 10 bilhões. Como uma empresa petrolífera, não possui domínio do solo, conforme legislação brasileira, o valor deve ser os gastos em poços que futuramente, poderão dar ou não vazão economicamente viável.  Pode ser também, cruzamento de ativos entre as empresas do grupo, que teoricamente poderia contabilizar como Imobilizado.  

Resumindo. Do dinheiro de Caixa, R$ 3,3 bilhões, vai R$ 2,6 bilhões para investimentos nos poços.  No final do ano, vai ficar com o restinho do tacho de R$ 700 milhões, sem contar com as despesas correntes da OGX.  Certamente, segundo minha análise, no final do ano de 2013, o Imobilizado vai para R$ 12,6 bilhões.  Imobilizado que vai zerar, virar mico, se os poços resultarem em seco ou economicamente inviável, como aconteceram com outros poços.  

Pode ser, que num golpe de sorte, o terceiro poço, dê uma vazão do tipo 100 mil barris/dia. Se isto acontecer, a OGX poderá fazer faxina contábil no seu Imobilizado dos ativos podres. Até lá, deixa o mercado "fazer de conta" que a OGX tem grande potencial, como afirma André Esteves do BTG Pactual.  A empresa de ratings já percebeu o furo, por isso o rebaixamento da sua nota em relação à empresa.  

Se, zerado o ativo classificado como Imobilizado, R$ 12,6 bilhões, no final de 2013, a empresa OGX ficará com Patrimônio Líquido negativo!  As ações no mercado 3, 2 bilhões, simplesmente virarão pó, vão virar ações de R$ 0,01 (centavinho).  Os bancos de investimentos estrangeiros já recomendam como preço alvo, R$ 1,00  por ação, apostando positivo na produção do terceiro poço em perfuração.  Se não der certo, a empresa inteira vai valer R$ 1,00, para alguém assumir o passivo. 

A OGX só tem uma única saída, a presidente Dilma, entregar ao menino Eike Batista, mais um bloco de exploração, na próxima rodada de licitações, na tentativa de André Esteves, procurar um sócio estratégico para a OGX.  Com a entrega de mais um bloco de exploração de petróleo, justifica BNDES e BNDESpar injetar novos recursos para as empresas do menino Eike Batista.  Só assim para salvar, senão a OGX está, literalmente na lona ou falida!

O mais triste da história das travessura do menino Eike Batista é que, certamente em algum tempo, o contribuinte será chamado para pagar uma boa parte do empréstimo da OGX, num montante de R$ 7,9 bilhões. A bolha do Eike Batista já estourou!

Ministro Joaquim Barbosa, é assim que acontece no Brasil dos presidentes Lula e Dilma.  A roubalheira ou a safadeza, acontece à luz do dia.  Não são R$ milhões, ministro, são R$ bilhões!  Tudo dentro da legislação brasileira, ministro.  O assunto só vai subir para STF, quando o fato for consumado, ou seja, quando o povo já levou o prejuízo de R$ 7,9 bilhões, infelizmente.

OGX do Eike Batista, menino de ouro, dos presidentes Lula e Dilma, está literalmente falida!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

terça-feira, 26 de março de 2013

BNDES da DILMA está BICHADO!


Uma das manobras contábeis feitas pelo governo federal para garantir o cumprimento da meta fiscal em 2012 vai dificultar a vida do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Fonte: Estadão.

A ressalva, que colocou um entrave às captações externas do banco, foi feita pelos auditores porque uma decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN), tomada às vésperas da virada do ano, permitiu inflar o lucro do BNDES em R$ 2,38 bilhões. Fonte: Estadão. 

A medida adotada permite que um quarto das ações na carteira da instituição não precise mais ter valor de referência atualizado quando há grandes oscilações de mercado. Dessa forma, o lucro do banco não foi afetado pela queda das cotações das principais papéis que detém. Fonte: Estadão.

Com as portas mais fechadas no mercado internacional, o BNDES fica ainda mais dependente do Tesouro Nacional para se financiar. Somente no ano passado, o Tesouro repassou R$ 55 bilhões de empréstimo ao banco de fomento. Fonte: Estadão.

Comentário.

O tradicional jornal Estadão, foi benevolente nos adjetivos com referência a "gambiarra contábil" mandado fazer pelo ministro Mantega, certamente, com anuência da presidente Dilma.  O Estadão denomina de "manobra contábil" que a própria auditoria externa a KPMG fez destaque.  Estadão foi muito diplomata. Respeito posição do Estado. Baseado na matéria do Estadão que me permitiu tecer comentários. Obrigado, Estadão! 

Em linhas gerais, vou explicar a "gambiarra" do Mantega.  A boa prática contábil, manda que o ativo financeiro, sobretudo, as ações negociadas na bolsa, sejam contabilizadas no balanço anual,  atualizando os valores das ações da carteira de ativos financeiras, ao do fechamento do negócio do último dia útil do ano, para empresas com exercício financeiro coincidente com o ano civil.  São os casos dos BNDES, BNDESpar e CEF.  

Acontece que o ministro Mantega, mandou que o CMN baixasse resolução, permitindo que 25% dos ativos financeiros, ficassem fora do critério de atualização dos valores ao do último dia útil do ano. Neste pacote de 25% das ações "congelados", com certeza, estão as ações dos "Batistas" e Petrobras que caíram violentamente no exercício de 2012.  Isto significa que os valores das ações citadas, ou estão com o valor de dezembro de 2011 ou valor de aquisição em 2013.  Isto parece mais "maracutaia" do que "gambiarra", no meu entender.

Com a "gambiarra" ou a "maracutaia", apesar de BNDES e BNDESpar, estarem com o "prejuízo real" em 31 de dezembro de 2012, produziram lucro de R$ 2,38 bilhões.  Se essa "gambiarra" fosse na empresa privada, certamente, o seu administrador iria para cadeia.  Nas empresas privadas tem mecanismos de "camuflagem" de prejuízos, que as legislação permite.  São as "camuflagens" que os "Batistas" utilizam para fazerem "parecer" suas empresas "sadias".  

Se o ministro Mantega deixarem de fazer as "gambiarras" e os "Batistas" deixarem de "camuflar" os prejuízos, o povo vai perceber que estamos vendo um verdadeiro relíquia de móvel com "cupinzeiro", por fora bonito de ver, mas por dentro todo corroído e podre.  O BNDES da Dilma está bichado! 

Para não dizerem que estou puxando sardinha para um lado, posso dizer que nos áureos tempos da ditadura, o BNDES quase quebrou por conta dos empréstimos e participações malsucedidos. Isto foi na ditadura militar.  O que ocorre hoje é coisa pior, os empréstimos são concentrados nas mãos dos "Batistas".  "Batistas" são ícones das figuras notórias da vida empresarial, donos de 70% dos empréstimos "subsidiados" concedidos pelo sistema BNDES, que tem merecido atenção especial dos presidentes Lula e Dilma.  

Aproveitando a matéria, o que aconteceu com a CEF, que está em situação semelhante é que parte dos ativos dos "Batistas" que estavam no BNDES foram parar na CEF.  A "gambiarra" foi feita, por conta do aumento de capital, para justificar o enquadramento ao acordo de Basileia. Motivo pelo qual a CEF, também, recebeu o rebaixamento da nota pela agência de ratings Moody´s.  Portanto, a CEF é outro cupinzeiro!  

O espaço no rodapé, de comentários, está livre para os que foram citados fazerem suas defesas, se acharem convenientes.  Se não fizerem é porque consente.  O espaço próprio para o diálogo é aqui.  Ofensas via redes sociais, significam que estou certo nas minhas convicções.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

segunda-feira, 25 de março de 2013

LULA e DILMA vão socorrer EIKE BATISTA


A situação de Eike Batista, até outro dia apontado como o homem mais rico do Brasil e o sétimo do mundo, é dramática. Nos últimos 12 meses, suas empresas perderam R$ 53 bilhões de valor de mercado. André Esteves do BTG Pactual disse que a participação que o empresário possui hoje nos negócios que criou, na casa dos 60% a 70%, tende a diminuir. "O natural deveria ser o Eike ter participações menores, de 20% a 30%. Mas ele não perde o controle", afirma o banqueiro. Fonte: Estadão.

Afirma André Esteves, que muitas pessoas questionam o endividamento do grupo EBX, mas, mesmo com as ações bastante depreciadas, existe um significativo patrimônio positivo. O endividamento não é tão grande. O que existe é uma demanda por investimento futuro que precisa ser equacionada, projeto a projeto. Fonte: Estadão.

Ainda segundo André Esteves, a OGX tem um corpo técnico bom. As oportunidades estão aí. Vai depender da gestão da companhia. Uma coisa que não vamos fazer e não temos capacidade de fazer é tirar mais petróleo do fundo dos poços. Se as ações vão valer R$ 2 ou R$ 5, não tem nada a ver com a nossa capacidade. Fonte: Estadão.

Comentário.

Pouco me importa se o menino Eike Batista passar de acionista majoritário para minoritário nas empresas do grupo EBX.  Para mim, importa muito menos se o menino Eike Batista, passar de 5º homem mais rico do mundo para 150°.  O que me importa e me incomoda, é que o menino Eike Batista deu golpe na praça, vendeu ações das suas companhias nos preços supervalorizados e continua tutelado pelo governo Dilma.  

O banqueiro André Esteves, foi indicado, informalmente, pelos presidentes Lula e Deilma, para encobrir os, já certos, prejuízos para com as instituições financeiras e fundos oficiais, CEF e BNDES.   Os empréstimos foram concedidos pelas instituições financeiras com juros subsidiados a 3,5% ao ano.  André Esteves, também, é credor do grupo econômico em R$ 2 bilhões, pelo BTG Pactual.  

André Esteves do BTG Pactual declarou que o patrimônio líquido das empresas do grupo Eike Batista são positivos.  No meu entender, o patrimônio líquido são positivos, até considerarem a reavaliação dos ativos, tais como reserva de petróleo que resultaram infrutíferas.  Receio que quando contabilizar a reavaliação dos ativos dentro da realidade, o patrimônio líquido resulte "negativo".

A CEF, Fundo da Marinha Mercante, BNDES e BNDESpar, carregam nos seus ativos, empréstimos a receber do grupo EBX, do menino Eike Batista, num montante não revelado, que ultrapassa de longe os R$ 10 bilhões.   Estes empréstimos, em condições normais de mercado, são considerado de alto riscoA agência de classificação de ratings Mood´s rebaixou a nota das instituições da CEF e BNDES por conta destes créditos, dentre eles, os de responsabilidade do menino Eike Batista.

Os acionistas minoritários do grupo EBX que esperem sentados, pois é certo que vão amargar prejuízos enormes.  Não tem como salvar 100% do dinheiro aplicado. E nós contribuintes, certamente, arcaremos pelo menos, da parte do prejuízo da CEF, Fundo  da Marinha Mercante e do BNDES e BNDESpar.  Não espantem, os contribuintes, se instituições federais aportarem mais recursos para tentar salvar as empresas do menino Eike Batista!

Ainda assim, Lula e Dilma vão socorrer o Eike Batista!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12 

BRASIL da DILMA deve R$ 2,6 TRILHÕES!

A dívida pública brasileira monta em R$ 2,6 trilhões, correspondente a 59% do PIB.  Estão de fora nessa conta, os títulos da dívida que ficam no Tesouro para dar liquidez ao sistema, ou seja, títulos do governo que ficam na tesouraria para fazer o caixa do dia a dia.  O montante está acima do que fiz referência neste blog ou seja 55% do PIB.  O próprio Banco Central reconhece que, conforme metodologia adotada em convenções internacionais, o estoque da dívida pública é maior do que 59% do PIB.  Segue comentário meu, na sequência à notícia.


Um cálculo diferente do Banco Central para a dívida pública bruta mostra montantes menores, mas confirma a piora dos resultados nos últimos quatro anos. Por essa metodologia, introduzida em 2008, o endividamento de União, Estados e municípios se elevou de 57% para 59% do PIB. Fonte: Folha.


Lançada há quatro anos em caráter temporário para combater efeitos da crise econômica internacional, a política de reforço aos bancos oficiais já acumula um impacto na dívida pública do país equivalente a 7,8% do PIB. No final de 2008, o dinheiro injetado pelo Tesouro Nacional em suas instituições financeiras chegou a pouco mais de R$ 40 bilhões. Ao fim de 2012, o total equivalia a R$ 407 bilhões. Fonte: Folha.

"Esses ativos (os créditos contra os bancos federais e as reservas em dólar) têm baixa rentabilidade", diz estudo de Josué Pellegrini, consultor do Senado Federal. E há ainda o perigo de os financiamentos concedidos pelos bancos federais serem malsucedidos e resultarem em inadimplência.  Esses números não contabilizam os títulos do Tesouro mantidos pelo BC para a gestão da política monetária --ou seja, para serem negociados com o objetivo de regular a quantidade de dinheiro na economia. Fonte: Folha.

Comentário.

O número contestado por alguns dos meus leitores, sobre o tamanho do Bolsa Empresário, também, estou completamente certo, são R$ 407 bilhões, pouco acima da minha estimativa de R$ 400 bilhões.  Segundo informações do próprio BNDES, 70% do montante são destinados para grandes empresas e 30% para os micros, pequenos e médios. As migalhas são distribuídos entre 165 mil tomadores de empréstimos.

Chamo atenção para o fato de que o montante do Bolsa Empresário em 2008, era de R$ 40 bilhões, segundo o próprio Banco Central.  Este instrumento de estímulo à industrialização (sic) é do presidente Lula, que inaugurou o Bolsa Empresário em 2009, com finalidade de sair da crise financeira internacional de 2009.  De lá para cá, foram injetados recursos novos, no montante de R$ 360 bilhões, para os "Batistas" e amigos dos presidentes Lula e Dilma, a juros subsidiados de 3,5% ao ano, enquanto o Tesouro paga a um custo médio de 11% ao ano ao mercado.

Concordo, também, com a opinião do consultor do Senado Federal, de que os recursos injetados nas instituições financeiras oficiais, poderão vir a causar perdas, pelos empréstimos malsucedidos e pelas inadimplências.  São os famosos empréstimos aos "Batistas", que poderão resultar, no mínimo, em perdas parciais.  E a dança das inadimplências e perdas já vai ser inaugurada com as empresas do menino Eike Batista, va reestruturação que está a ser proposta pelo BTG Pactual do André Esteves à pedido dos presidentes.

Normalmente o Banco Central divulga para a população a dívida líquida, no conceito dele próprio, que após várias "gambiarras" chegam num montante pouco acima de R$ 1,9 trilhões.  Sobre o número maquiados que o governo Dilma, calcula o índice de envidamento sobre o PIB, que estão aquém de 40%, para mostrar à população.  Número para enganar aos próprios economistas do governo e fora dele.  Os meus críticos, querem comparar este número com o que costumo trabalhar, ou seja o número de endividamento bruto de 59%.  Não se fala mais nisso e pronto!  

Brasil da Dilma deve R$ 2,6 trilhões!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

domingo, 24 de março de 2013

O BURACO do LULA está MAIS PARA BAIXO!


De acordo com documentos oficiais obtidos pela reportagem, as viagens de Lula foram feitas para países na África e na América Latina, nos quais as empreiteiras tinham interesses. As duas regiões foram prioridades da política externa do petista em seus dois mandatos. Fonte: Folha.

Desde 2011, Lula visitou 30 países, dos quais 20 ficam na África e América Latina. As empreiteiras pagaram 13 dessas viagens. Na última terça-feira, Lula iniciou novo giro africano, começando pela Nigéria, e patrocinado por Odebrecht, OAS e Camargo Corrêa. Fonte: Folha.

Dilma afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não é possível deduzir que Lula teria atuado a favor das empreiteiras. Ela destacou que o ex-presidente tem prestígio internacional. Fonte: Folha.

Comentário.

A grande mídia levanta o problema de o Tesouro ter pago viagens internacionais do presidente Lula, para tratar de interesse das grandes empreiteiras, maiores doadores oficiais da campanhas presidenciais. São as mesmas empreiteiras que fizeram doações expressivas nos últimos governos, incluídos Sarney, Collor, FHC e Lula. Mas as doações oficiais são para esconder o "mal maior".  

Presidente Dilma, também, foca o problema sobre o mesmo tema, para desviar atenção da imprensa e dos desavisados, para o mal menor, em termos de perdas financeiras.  O objetivo de ambos e das próprias empreiteiras é deixar passar ao largo, o foco principal que é a roubalheira explícita do dinheiro público, sob forma escamoteada.

A imprensa levantou as contribuições oficiais nas campanhas presidenciais do presidente Lula e do presidente Dilma, mas também, não é este o foco principal da ilicitude.  Aliás, as doações oficiais são previstas na legislação brasileira, portanto isto não é problema.  Não é por aí.  O buraco está mais para baixo.

A justificativa do presidente Lula e das empreiteiras é de que o presidente Lula, pelo amplo conhecimento e larga experiência na área internacional, tem feito palestras nos países da América Latina e África.  Diz a assessoria do Lula que ele obra R$ 200 mil por palestras, cujas notas fiscais são emitidas pela empresa de propriedade privada do Lula, a LILS.  Também, não é por aí.  O buraco é um pouco mais para baixo.

Os países africanos, tanto quanto latino americanos, são carentes de recursos para tocar obras de infraestrutura.  Aqueles países entregam as obras para as empreiteiras brasileiras, não pela larga experiência, porque se este é o motivo, tem muitas empresas mais eficientes que as brasileiras no exterior.  Podemos destacar entre as grandes empreiteiras as sediadas nos EEUU, Alemanha, Portugal e China.  

O que interessa aos países latino americanos e africanos, são os financiamentos vinculados às obras.  Os EEUU, Alemanha, Portugal e China oferecem também, financiamentos de longo prazo a juros subsidiados, iguais ou até em melhores condições do nosso BNDES.  Então, porque os países citados, preferem fechar contrato de obras e financiamento com o Lula?  A lógica é o seguinte.  Os países latino americanos e africanos sabem, e com certeza garantido pelo presidente Lula de que aqueles financiamentos do BNDES é para serem "perdoados" no futuro, como já foram feitos para situações semelhantes, pelo governo brasileiro.  Resumindo, obras de infraestrutura a custo "zero".  O buraco está aqui !

Para conseguir, as obras com financiamento do BNDES, tem que ter aprovação informal da presidente Dilma, devido a montante que somam US$ bilhões.  Pelo serviço prestado em conseguir angariar obras com o financiamento do BNDES, presidente Lula deve cobrar, pela tabela, aceitas no mercado, entre 3% a 5% do valor da obra/ financiamento.  Isto significa que para cada US$ bilhão de obra/ financiamento conseguido, Lula fatura, depositados em contas secretas no paraíso fiscal, entre US$ 30 milhões e US$ 50 milhões.

Isto é como matemática: 2 + 2 = 4.  Qualificação de beato, nenhum deles tem, tanto as empreiteiras como presidente Lula e presidente Dilma.  Portanto, o Lula é bandido que rouba US$ milhões do dinheiro público (BNDES), descaradamente, com maior cara de pau, com o apoio da presidente, com certeza.  Só falta os presidentes dizerem que "não sabiam" o que estava acontecendo no BNDES.  

Ministro Joaquim Barbosa, a "lavagem do dinheiro" que provêm das maracutaias com recursos públicos, é feito à luz do dia.  E não são os bagrinhos que desviam R$ bilhões do dinheiro do contribuinte, mas sim, os poderosos da República.  Sem desmerecer, as roubalheiras dos bagrinhos, seria interessante debruçar sobre o tema que venho denunciando, continuamente, nas minhas matérias.

Tenho recebido recados maliciosos, de que os militantes usam armas não convencionais, para eliminar os seus desafetos, mas isto não me intimida.  Já estou com 68 anos e tenho pouco a perder.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  @sakamori12

sábado, 23 de março de 2013

BRASIL da DILMA, virou CUPINZEIRO!


É isto que você leu.  O nosso País virou um verdadeiro cupinzeiro. Cupim é um inseto que corrói madeira, em especial.  O inseto ataca móveis, armários, portas, etc.  O bichinho tem costume de deixar as aparências externas intactas, mas corroem por dentro.  Quando você percebe, os móveis, armários e portas já estão totalmente comprometidos. O Brasil guarda uma semelhança impressionante com o cupinzeiro.

Bem, o Brasil de hoje, lembra os móveis de primeira linha, de madeira maciça, com aparência brilhante.  Extremamente lustrados pela presidente Dilma e seus escravos.  Todo mundo sabe, que os móveis, embora, na aparência bonitos, robustos e luxuosos, está infestado de cupins.  Mas ninguém ousa em alertar o fato.  Muitos querem viver acreditando que não existe os insetos e outros sabem mas não tem coragem de revelar o fato para o povo.

Então, quem são os protagonistas? Os donos dos móveis, no caso o Brasil, são os presidentes Dilma e Lula.  Eles sabem que tem cupins nos móveis, mas fingem que não existem.  Eles costumam dizer que nada sabiam.  Alardeiam mundo a fora que os nossos móveis, no caso o Brasil, é o melhor País do mundo.  Mostram a aparência, mostram a foto, mostram o falso brilho, ainda conseguido com o jeitinho brasileiro.

Os nossos móveis são de primeira categoria, na aparência.  Mas cada móvel tem o nome.  A Petrobras é um deles, tem balanços maquiados dos ativos podres ou supervalorizados.  A Eletrobras esconde os rombos das tarifas baratas.  A Valec é dona de ferrovias Norte-Sul, que está em construção desde Sarney, mas nunca termina.  As ferrovias, trafegam trens a 30 Km por hora, quando deveria estar andando a 180 Km por hora.  As rodovias estão esburacadas e produzem anualmente 50 mil vítimas de trânsito, por ano.  Os portos estão obsoletos e não conseguem escoar a produção de grãos de soja e milho para exportação.  Nos corredores dos hospitais públicos morrem doentes.  Os problemas são tantas que me cansaria em fazer a listagem.  

E os cupins? Quem são os cupins da República?  Os cupins são os réus do mensalão que desviaram o dinheiro público para financiar partido do Lula, mas nunca devolveram.  Os cupins são os beneficiários do DNIT, entre os quais a Construtora Delta.  Os cupins são os beneficiários de inúmeras ONGs de fachadas que corroem o dinheiro público.  Os cupins são os "Batistas" que dilapidam o patrimônio do BNDES.  Os cupins são os tomadores de empréstimos favorecidos da CEF.  Os cupins são os "PDGs" que tomam dinheiro emprestado do FGTS, via CEF.  Os cupins são a maioria de ocupantes de cargos comissionados na administração federal.  Dentre os cupins, o rei é o Lula e a rainha é a Dilma, que ajudam toda esta gentalha que corroem o nosso dinheiro.

Se antes, em outros governos, os cupins se contentavam com os R$ milhões, agora o apetite está cada vez mais voraz.  O apetite, agora, é medido em R$ bilhão.  Esta semana, a Petrobras já noticiou que foi corroído R$ 10 bilhões em ativos do Golfo do México.  Na semana passada, a notícia do desastre do menino Eike Batista, que vai causar um rombo R$ bilionário nas contas das instituições financeiras e fundos vinculados ao governo federal.  Há notícias das dificuldades do grupo JBS, PDG e MRV, que devem R$ bilhões às instituições bancárias federais.  Por aí, pode ver, que o apetite dos cupins é de R$ bilhões.  

Até onde o Brasil aguenta estes cupins, todos com nomes e sobrenomes? Sinceramente, estou ficando cansado de denunciar!

Quem se sentir, ofendido, pode postar comentário, no rodapé desta matéria. Todos tem direito à defesa.  O espaço está livre para manifestações contrárias.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

sexta-feira, 22 de março de 2013

LULA é BANDIDO BILIONÁRIO !

Três construtoras com histórico de doações eleitorais para as campanhas presidenciais petistas e de execução de obras do governo federal custearam a viagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a África, encerrada anteontem. Lula ficou seis dias no continente e passou por Gana, Benin, Guiné Equatorial e Nigéria. Fonte: Estado.

Em 2010, a campanha da presidente Dilma Rousseff recebeu R$ 9,38 milhões da Queiroz Galvão, R$ 15,7 milhões da Andrade Gutierrez e R$ 2,4 milhões da Odebrecht.A informação de que a viagem fora paga pelas empreiteiras foi publicada ontem pelo jornal O Globo e confirmada pelo Instituto Lula, que, no entanto, não informou os valores pagos sob a alegação de que são dados "reservados". Fonte: Estado.

Segundo a assessoria do instituto, as palestras foram para convidados das empresas. O transporte e a hospedagem também foram custeados por elas. Os pagamentos são feitos à LILS, empresa aberta pelo ex-presidente justamente para receber pelas palestras. Fonte: Estado.


Comentário.

As palestras, embora sirvam para "branqueamento" da parte do dinheiro da propina recebido pelo Lula, são "fachadas" para realização de loby para os tradicionais empreiteiras, que atuam no exterior.  As empresas citadas já são figuras carimbadas que recebem os recursos oriundo de financiamento de obras, no exterior, sobretudo na América Latina e África. 

Pelas palestras, Lula recebem no mínimo, R$ 200 mil pelas "palestras".  Nessa última viagem, segundo consta, foi feito 4 palestras, portanto, oficialmente, o faturamento foi de R$ 800 mil, somente a parte "por dentro". Segundo a própria informação do Instituto Lula, as receitas entram para a empresa privada do Lula, denominada de "LILS", suponho, seja a sigra do Luís Inácio Lula da Silva.  A utilização do termo "Garanhuns" não pegou bem, no processo mensalão. Este dinheiro, supostamente das palestras, entram oficialmente na empresa do Lula.  

O que não é notado pela imprensa é comissão sobre os negócios conseguidos no exterior, pelos financiamentos conseguidos no BNDES.  Isto gera para o Lula, entre 3% a 5% de comissão, sobre o montante do financiamento conseguido no BNDES.  Os financiamentos são feitas para os governos locais, sejam latino americanos ou africanos.  O risco de eventual inadimplência dos governos locais, é do BNDES.  As empresas entram apenas com obras superfaturadas.  E o Lula, lava as mãos!

Somente as 3 empresas citadas, faturam no exterior, via financiamento do BNDES, muitos US$ bilhões, anualmente.  Para cada US$ bilhão de financiamento conseguido, Lula ganha entre US$ 30 milhões a US$ 50 milhões.  Tudo depositado em contas no paraíso fiscal, possivelmente com o nome "LILS".  Este loby, Lula vem praticando há pelo menos 10 anos, no poder e fora do poder.  

Lula é maior lobista do Brasil.  Certamente, deve ter sido uma das condições para o apoiamento da Dilma à presidência em 2010.  As portas e cofres do BNDES estão escancaradamente abertas para o "lobista" Lula.  Ele é US$ bilionário, não pelas "palestras" que realizam no exterior, mas pelo loby para as empreiteiras. Certamente, as receitas engordadas com loby para os "Batistas", para o André Esteves e outros tantos, beneficiários do Bolsa Empresário,  que enriqueceram nos últimos 10 anos, de forma espantosa.  

Ministro Joaquim Barbosa, as coisas acontecem assim, à luz do dia, dentro da legislação em vigor.  Questiona-se, apenas, o aspecto moral da prática de loby pelos poderosos da República.  

Lula é US$ bilionário!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

quarta-feira, 20 de março de 2013

PETROBRAS admite ESTELIONATO de R$ 10 BILHÕES!


Confirmando a possibilidade de ter havido estelionato na compra dos ativos nos EEUU, a refinaria de Pasadena e 175 blocos de exploração de petróleo, matéria minha de ontem, "Petrobras, novo estelionato US$ bilionário?", a própria contabilidade da Petrobras já demonstra os fatos.  Após trechos de notícias do jornal Estadão, passo a comentar.

A Petrobrás desistiu de vender a refinaria de Pasadena, no Texas (Estados Unidos), em processo desencadeado depois de o Grupo Estado, revelar, no ano passado, que o negócio geraria cerca de US$ 1 bilhão de prejuízo à estatal. "Saiu a refinaria de Pasadena (da lista de desinvestimentos), existem outros ativos que estão na iminência de sair", disse a executiva, sem revelar quais.  Fonte: Estadão.

Segundo Graça, para entrar ou sair do plano de venda de ativos os projetos passam por escrutínio e uma equipe especializada precisa provar se vale a pena manter a venda ou suspendê-la. No balanço do quarto trimestre, a Petrobrás lançou uma baixa contábil de R$ 464 milhões referente a Pasadena, valor que já reconhece como perdido. Fonte: Estadão. Fonte: Estadão.

A Petrobrás previa no plano de negócios quinquenal divulgado no ano passado desinvestir US$ 14,8 bilhões, sendo parte com operações financeiras que de fato foram realizadas. Agora, projeta vendas de US$ 9,9 bilhões, ou seja, US$ 4,9 bilhões a menos. Fonte: Estadão.

Comentário.

Realmente, a própria Graça Foster, já mandou contabilizar como prejuízo de US$ 464 milhões, da refinaria de Pasadena, numa operação que o prejuízo ascende a US$ 1 bilhão.  Graça Foster, mandou suspender a venda, porque se houver a venda, terá de contabilizar o prejuízo real.  Segundo a Graça Foster, a Companhia vai investir mais, antes de vender.  Para mim, é uma operação para camuflar o restante do prejuízo estimado em US$ 1 bilhão.

Quanto aos direitos de exploração dos 175 blocos, financeiramente contabilizado com o custo de US$ 14,8 bilhões, Graça Foster, projeta a venda por US$ 9,9 bilhões, admitindo e engolindo o prejuízo de US$ 4,9 bilhões.  O prejuízo pararia por aí, se efetivamente, a venda se realizar como pretendido pela Petrobras.  Nada garante que a venda se realize no montante desejado pela Graça Foster.

Bem, até aqui, já está comprovado o estelionato no valor de US$ 5,4 bilhões ou equivalente a R$ 10 bilhões!  Isto significa que, contabilmente, o valor do superfaturamento praticado pela administração, da Petrobras é de R$ 10 bilhões. O buraco vai estar mais para baixo.  Só vai ser considerado como prejuízo efetivo no balanço da Companhia, após a venda efetiva dos ativos nos EEUU, tanto da refinaria como dos blocos do Golfo do México.

Como eu previ, o "filé mignon" acabou virando "carne de pescoço". O pior de tudo, até aqui, o contribuinte e acionistas minoritários amargam prejuízo de R$ 10 bilhões. Podem dizer que o fato aconteceu na administração do Sérgio Gabrielli, mas a atual presidente Graça Foster, já era diretora da Companhia e a Dilma Rousseff presidente do Conselho de Administração da Petrobras.

Ministro Joaquim Barbosa, o crime de lesa pátria está materializado. Tem possibilidade de alguma medida concreta sobre o verdadeiro assalto à mão armada, praticada à luz do dia?  Receio, ministro, que o assunto não tenha enquadramento jurídico para processar os responsáveis pelos prejuízos.  E assim, será esquecido como tantas outras falcatruas praticadas pelos agentes públicos e privados.  

Petrobras admite estelionato de R$ 10 bilhões nos ativos dos EEUU!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

BB AMERICAS, uma nova LAVANDERIA de DINHEIRO?

Eu estava atrás do assunto EuroBank.  Fiz alerta na rede social há 1 ano e meio.  Não vi noticiário nenhum na mídia brasileira, mas achei na pesquisa.  Transcrevo, parte da matéria da jornalista Chris Delboni escrito em 16/10/2012, apenas para o gancho do meu comentário sobre o tema.

Ontem, 16 de outubro de 2012, Leandro Martins Alves, ex-presidente do Brasilprev, abriu as portas do primeiro banco brasileiro a operar integralmente como uma instituição financeira nos Estados Unidos com serviço local, oferecendo conta bancária, cartão de credito, cartão de débito, acesso a 50 mil caixas eletrônicos, ou terminais de autoatendimento. Direto de Miami por Chris Delboni

O BB Américas comprou por US$6 milhões o EuroBank, um pequeno banco comunitário, que no início do ano apresentava fragilidades financeiras.  Com isso, o Federal Deposit Insurance Corporation, entidade que supervisiona o sistema bancário americano, limitou a ampliação de ativos e passivos, impedindo a atuação integral do Banco do Brasil nos EEUU. Desde então, o Banco do Brasil injetou US$49,5 milhões para reforçar o capital, demonstrando a força da instituição. Direto de Miami por Chris Delboni

E assim o Banco do Brasil Américas passou a ser reconhecido pelas autoridades americanas como um banco sólido e saudável e abriu as portas oficialmente para o público ontem. Queremos buscar essa conectividade entre o Brasil e Estados Unidos de forma que o brasileiro que aqui está possa mandar dinheiro para o Brasil de uma maneira barata, simples e direta e que esse dinheiro possa vir do Brasil para os Estados Unidos de uma forma simples”, diz Alves. Direto de Miami por Chris Delboni

Comentário.

O banco americano denominado EuroBank, virou Banco do Brasil Americas, com 100% do seu capital em nome do Banco do Brasil S.A. brasileira.  O banco com nova denominação, é um banco genuinamente americana, sendo 100% do seu capital, brasileiro.  Digamos, um banco americano cujo dono é brasileiro, no caso o Banco do Brasil S.A.  

A filial brasileira do Banco do Brasil S.A. em Nova York continuará operando.  O que diferencia da filial do Banco do Brasil brasileira é que aquela agência tem que prestar conta para o Banco Central do Brasil e ao governo brasileiro, além, claro, para com o órgão de controle do governo americano. Já o Banco do Brasil Americas é uma instituição financeira americana, só tem que prestar conta ao órgão de controle americano (FDIC).  No balanço do Banco do Brasil S.A., o Banco do Brasil Americas vai constar, apenas, como mais um papel (ação) no seu ativo.  

O Banco do Brasil Americas, tem autonomia em relação ao governo brasileiro.  O CEO do Banco, só deve satisfação à Diretoria do Banco do Brasil S.A.  O COAF não tem acesso aos números do Banco do Brasil Americas, pois é uma instituição financeira americana.  Só mesmo o DEA pode quebrar sigilo bancário dos seus clientes.  O Banco do Brasil Americas, não deve satisfação ao AGU, TCU ou Banco Central do Brasil.  Pode tudo, dentro da legislação americana! 

Fiz questão de escrever esta matéria, pela péssima experiência vivida pelos brasileiros, com o Banestado New York, uma instituição financeira americana, igual ao Banco do Brasil Americas, criado pelo Banestado brasileiro, com finalidade de lavagem de dinheiro de brasileiro.  Deu-se até a "CPI do Banestado" para investigar remessas ilegais de mais de US$ 30 bilhões para exterior, via Banestado New York.  Deu no que deu, mas ninguém foi preso por isso.  

Espero que o Banco do Brasil Americas não seja, mais uma lavanderia de dinheiro sujo, produto de corrupção dos agentes públicos e privados.  Poderá virar canal para viabilizar, lavagem do dinheiro, tendo em seu comando agentes públicos brasileiros. Se em Brasília, embaixo do nariz do presidente da República, houve desvio de R$ 100 milhões para "mensalão", imagine um Banco independente, agindo no exterior, sem ter que prestar conta ao governo brasileiro. Este filme já assisti várias vezes.

Nada impede que o governo brasileiro aplique parte da Reserva Cambial a juros simbólicos, acima do título americano, 0,25% e vir a financiar empresas e pessoas físicas brasileiras, com juros subsidiados, menor do que aqueles praticados pelo BNDES, que denomino de Bolsa Empresário.  Lembrando que a reserva cambial brasileira está próximo de US$ 400 bilhões.  Precisamos ficar atentos a este fato, antes que aconteça o mal maior.

Ministro Joaquim Barbosa, com se vê, os agentes públicos e privados tem uma instituição nos EEUU, que poderá branquear o dinheiro sujo da corrupção com total facilidade. Ministro, a lavagem do dinheiro no Brasil é feito à luz do dia, afrontando toda legislação brasileira, sem pudor.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

terça-feira, 19 de março de 2013

FAÇO PARTE DOS 37% QUE DESAPROVA GOVERNO DILMA!

A aprovação da presidente Dilma, está em 63%, considerado números acima da média, segundo Ibope.  Basicamente, a aprovação se deu em função da Bolsa Miséria, contas de luz e desoneração da cesta básica, anunciada com pompa pela presidente.  Estou entre os 37% que avalia a Dilma do regular ao péssimo.  Em clima de campanha antecipada, a presidente vai utilizando dos pacotes espumas, para consolidar, antecipadamente a sua popularidade.  

A pesquisa CNI/Ibope que mostra um novo recorde na aprovação do governo de Dilma Rousseff --chegou a 63% de "ótimo" ou "bom"-- aponta que o maior crescimento na avaliação do governo e na forma de governar da presidente, nos últimos três meses, ocorreu na região Nordeste. A forma de governar da presidente foi aprovada por 85% dos entrevistados residentes no Nordeste. Fonte: Folha.

A pesquisa capta o período em que começou a valer a redução de até 20% nas contas de lu de consumidores residenciais. Usada como forma de frear o crescimento da inflação, outra medida popular do governo, e mais recente, foi a desoneração da cesta básica. As duas medidas foram anunciadas pela própria presidente em pronunciamentos em cadeia nacional de rádio e televisão. Fonte: Folha.

Comentário.

A economia está no "ponto morto" há alguns meses.  Deu um respiro no mês de janeiro com o aumento do PIB em 1,29%.  Mas o crescimento não se sustenta.  A previsão otimista é que o PIB de 2013, cresça 3%, segundo o próprio Banco Central.  E também, previsão do próprio Banco Central é de que a inflação vai bater no teto de 6,5% no final do ano.  Torço para que os números confirmem.  Já estaria de bom tamanho.

No entanto, não vejo o horizonte da economia do Brasil, tão otimista.  Não creio no crescimento de 3% de PIB, nem no patamar de inflação no teto de 6,5%, como prevê o governo.  A economia está deteriorando rapidamente.  O próprio índice Bovespa é reflexo do quadro geral em 2012, e está no ponto morto, parou abaixo dos 60 mil pontos.  

Nos próximos meses vamos assistir a quebra de empresas imobiliárias como a PDG e MRV.  Bem, as empresas "X" do menino Eike Batista, virou saco sem fundo, absorvedouro de recursos públicos. As empresas JBS, estão igualmente entupido de financiamentos públicos, necessitando de novos recursos para manter-se em pé.  

A Petrobras e a Eletrobras estão com nível de geração de caixa muito baixa para continuar com os investimentos necessários na área de energia.  Poderemos ter os apagões. Ambas empresas estão chegando no limite de risco abaixo do recomendável pelas empresas de rating.  

Ninguém está chamando atenção, por enquanto, sobre o crescimento do déficit comercial, por conta do câmbio defasado.  Pouco se tem falado sobre desindustrialização do País, em função, também, do câmbio defasado.  Dentro de, no máximo, 3 meses, vai ter correria no governo.  O ministro Mantega, vai ter que apagar o incêndio, com mais um "jeitinho" provisório e precário, para equilibrar o balanço de pagamentos.  E assim vai ser o ano de 2013, apagando incêndios.

Infelizmente, estou fora dos 63% que aprovam o governo Dilma.  Muito pelo contrário, faço parte de contingente de pessoas que "desaprovam" veementemente a forma como governa a presidente Dilma.  Já escrevi 619 matérias criticando a forma com que governa a presidente Dilma. Gostaria de estar incluso no contingente majoritário.  Não precisaria estar escrevendo blog, que não é minha praia.  Infelizmente, tenho que estar em "prontidão".

Não faço parte dos 67% que aprova a presidente Dilma!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

PETROBRAS. NOVO ESTELIONATO US$ BILIONÁRIO?


Graça Foster, presidente da Petrobras, já anunciava em outubro do ano passado a dificuldade de vender os ativos "filé mignon" do Golfo do México. Já dizia o jornal Estadão do dia 28 daquele mês:

O plano de negócios de 2012 a 2016 prevê vendas de ativos no valor de US$ 14,8 bilhões, a maior parte em 2012. A dificuldade para vender os ativos é sentida no Golfo do México, nos Estados Unidos, onde a Petrobrás negocia com empresas de petróleo de vários países uma complexa parceria para seus 175 blocos de exploração de petróleo. Fonte: Estadão.

Estamos no fim do mês de março de 2013 e nenhuma notícia sobre a venda dos ativos do Golfo do México.  Pelo que tudo indica não é bem a complexidade do negócio, mas sim, o problema está no preço de referência.  Sem dúvida que os ativos do Golfo do México são considerados "filé mignon" devida a capacidade comprovada de produção dos poços off shore daquele Golfo.

Vejo dois problemas que impedem a venda dos tais ativos.  O primeiro problema é semelhante àquele dos poços do OGX Petróleo do menino Eike Batista, a falta de "reavaliação" de cada ativo.  A produção do petróleo é dinâmico, tem começo, meio e fim.  O fim de cada poço é inexoravelmente "seco" ou em outros termos capacidade esgotada.  E a pior situação é o poço não corresponder à produção prevista.  

O valor de US$ 14,8 bilhões é o valor contabilizado pela Petrobras, que corresponde ao valor de aquisição dos direitos de 175 blocos de exploração.  Nada garante, depois de anos de aquisição, que os referidos ativos estejam com o "valor presente" a mesma daquele de aquisição.  Poderia estar maior ou menor.  Pelo que vejo, como não há comprador pelos US$ 14,8 bilhões, o valor "reavaliado" deve estar bem menor.  O buraco pode estar bem abaixo!

O que me faz pensar é que a mesma administração que comprou os ativos do Golfo do México, comprou a refinaria do Pasadena nos EEUU, um verdadeiro escândalo que deu à Petrobras prejuízo potencial de US$ 1 bilhão, numa refinaria que vale US$ 200 milhões.

Se foi a mesma administração que comprou a refinaria do Pasadena, é provável que tenha havido "superfaturamento" de US$ bilhões na compra de ativos do Golfo do México.  Guardada mesma proporção da falcatrua do Pasadena, podemos estimar uma maracutaia de US$ 10 bilhões!  Como os negócios internacionais, até devido a sua complexidade, não são auditadas pelo TCU, mas tão somente pelos auditores independentes, contratados pela Companhia, de repente, o ativo filé mignon, pode ser um belo do "carne de pescoço".  Tomara que eu esteja errado!

Está cada vez mais próximo de o contribuinte, ter que arcar com mais uma, entre outras, o prejuízo bilionário, produto de estelionato, como aquela do grupo OGX do menino Eike Batista, agora, da antes gloriosa Petrobras.  

Ministro Joaquim Barbosa, as falcatruas no Brasil, acontecem ao luz do dia, sob proteção das filigranas legais.  Os assuntos só sobem para o STF, quando os prejuízos bilionários são consumados.  Enquanto isso, os estelionatários tem livre trânsito no centro do Poder da República, e seus coadjuvantes posando de salvadores da pátria.  Preciso dar nomes para os bois ou vacas?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

segunda-feira, 18 de março de 2013

BRASIL DA DILMA ESTÁ NO "PONTO MORTO"!


Veja o que disse ontem o economista-chefe do Itaú, Ilan Goldfajn, logo após reunião com investidores globais que ocorreu paralelamente à Assembleia de Governadores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no Panamá. Após o comentário do economista, complemento o seu pensamento com o meu, na sequência.

Ao olharem as opções, Goldfajn, considerou que esses empresários se sentem "mais confortáveis" com países como Peru, Chile e México, "onde o crescimento está surpreendendo para cima e a inflação está surpreendendo para baixo". Fonte: Estadão.

Goldfajn avalia que o controle das expectativas, porém, não é dado por um passe de mágica. "Ele tem que ser baseado não só na percepção de controlar, mas no próprio controle. "Ele tem que ser baseado não só na percepção de controlar, mas no próprio controle. Não se pode, com a inflação subindo, só falar que vai controlar a inflação. isso não adianta. Fonte: Folha.

Acho que, se a inflação não recuar, o BC vai ter que agir", afirmou, ao ressaltar que todo o dado relativo a preços que sair de agora em diante vai ser importante, tendo que ser olhado com lupa. Para o economista, quando os investidores olham outros países se sentem mais confortáveis, como o Peru, que cresce ao redor de 6,5%, com uma inflação ao redor de 2,3%. Fonte: Folha.

Comentário.


Os comentários vindo de executivo do setor bancário, no caso do maior banco privado do País, concessionário do serviço público e extremamente dependente do governo Central, até que foi recheados de críticas contundentes.  Disse ele, entre outras falas que os investidores estão mal humorados com o Brasil.  


Resumindo o País está no "stand by" ou no ditado popular, o Brasil está no "ponto morto".  Há vários fatores, já amplamente comentado por este, que vem castigando a economia brasileira, severamente.  O fator principal é intervenção excessiva do governo Dilma, na economia, seguindo a cartilha do velho PT.  O Brasil está perdendo a verdadeira face, com utilização dos bisturis em problemas pontuais, sem se preocupar com o conjunto.  Estamos criando um verdadeiro frankenstein, sem identidade própria.  

Problemas cruciais e importantes são conduzidos pelo ministro Mantega, sob ordem da Dilma, na base do "jeitinho", tapando um buraco cá,  outro buraco lá.  Fazendo gambiarra aqui e outra gambiarra acolá.  Controlando inflação, segurando o câmbio artificialmente, o preço dos combustíveis, a tarifa de energia elétrica, afrouxando liquidez do mercado incentivando o consumo, desonerando tributos de alguns setores que pesam no IPCA, tentando terceirizar os serviços públicos como aeroportos e portos pela iniciativa privada.  

O que marca o governo Dilma são os jeitinhos, o que denota a falta de um plano nacional de desenvolvimento econômico e social.  País de "gambiarras"! Diante do quadro colocado, podemos afirmar sem nenhuma dúvida de que o Brasil está no "ponto morto"!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12