Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

TREM BOLA DA DILMA GERA R$ 3,0 BI EM CAIXA 2

O leilão do Trem de Alta Velocidade (TAV), que ligará Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas, será realizado no dia 29 de maio de 2013, na BM&FBovespa, às 14 horas, quando as propostas econômicas das proponentes qualificadas serão abertas, prevê a minuta do edital. Para participar do leilão, os interessados deverão depositar uma garantia para a proposta no valor mínimo de R$ 77 milhões.  A assinatura do contrato será realizada no dia 7 de novembro de 2013.
Fonte: Folha.


A minuta prevê que a tarifa teto a ser aplicada para o serviço ferroviário não poderá ser superior a R$ 0,49 por quilômetro, de acordo com informações da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O valor de referência para o pagamento pela outorga será de no mínimo R$ 66,12 por trem.km equivalente - unidade que corresponde à circulação de uma composição de comprimento igual ao trem referência ao longo de um quilômetro. Fonte: Folha.

Licitações pelo avesso.  A assinatura do contrato será pela concessão de "operação" de linhas TAV, Trem Bala.  Não se sabe quem vai construir as obras, com que tecnologia vai ser construídas, quem vai desapropriar as áreas onde vai correr linhas do TAV.  Nem ao menos sabe o valor total da obra, estimado pelo governo em R$35 bilhões, sendo que o mercado aposta no custo de no mínimo R$55 bilhões.  No entanto como a obra faz parte do PAC, então é regido pelo REC que prevê 100% de reajustes, a obra poderá ultrapassar os R$100 bilhões.  

Além de tudo, o regime de concessão da operação vai ser feita na base de PPP (Parceria Público Privado), até que as tarifas cubram o número de passageiro previsto para o trecho, o Tesouro terá que arcar com o eventual prejuízo provocado pela falta de demanda de passageiros.  Os contribuintes serão chamados novamente para cobrir o rombo.

Um verdadeiro balaio de gato, que certamente vai correr o já famoso "dinheiro não contabilizado".  Se obedecer o mesmo percentual aplicado nas obras do DNIT, será de $3,0 bilhões.  Digamos falando em português claro, roubalheira explícita de R$3,0 bilhões.  O presidente nomeado para TAV já tem expertise sobejamente conhecido sobre o dinheiro não contabilizado.  O nome dele foi rejeitado pelo Senado para recondução na ANTT pelo motivo de suspeição de roubalheira explícita.

Desta forma, a presidente tem chance de ser conhecida como Trem Bola ao invés de Trem Bala.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

Um comentário:

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.