Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Atenção! Mais um dia de cão no Mercado Financeiro!

Mais um dia negativo para o mercado financeiro brasileiro.  Após o feriado de ontem, nada melhorou o humor do mercado.  O aumento da taxa Selic de 0,5% contrariando à expectativa do mercado que era de 0,25% fez com que os investidores, repensassem sobre a expectativa dos índices econômicos, sobretudo no índice Bovespa e no câmbio.  O mercado esteve azedo.  Leiam as notícias da Folha e meus comentários na sequência.

Para Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora, a entrada de dólares no país seguirá fragilizada, mesmo com uma Selic maior, por causa do intervencionismo do governo Dilma na economia. Fonte: Folha.

"Os investidores internacionais veem o governo interferindo em diversos segmentos da economia constantemente. Isso assusta e afasta os estrangeiros do país. Eles (os investidores internacionais) acabam colocando recursos em mercados com rentabilidade menor, mas com uma gestão política mais confiável."  Fonte: Folha.

Comentário.

O índice Bovespa caiu, porque a expectativa de crescimento do Brasil, pelo menos para o ano de 2013, vai ser negativa.  Se antes, o mercado esperava crescimento do PIB deste ano entre 2,5% a 3,0%, já espera crescimento abaixo de 2,5%.  Este blog já prevê um crescimento abaixo de 2%.  Resumindo, um crescimento pífio como o do ano passado.  Em consequência os empresários vão pisar no freio, ou no mínimo vai reduzir o ritmo de investimentos, pelo menos, neste ano.  

Bovespa caiu, novamente, com queda de 2,48%. As ações da OGX, teve forte queda, fechando com baixa de 6,0%.  As ações do ramo imobiliário despencaram: PDG e MRV com baixa de 10,65% e 8,64% respectivamente. Não vejo motivo, para expressiva alta nos próximos dias, no índice Bovespa, por conta do cenário negativo da economia.

O dólar estava cotado, às 17 h, apesar das intervenções do Banco Central, em R$2,14.  O Banco Central vendeu o Swap Cambial Reverso, na tentativa de amenizar o aumento da cotação, hoje.  Foi a primeira vez, depois de alguns dias, sem intervenção.  A atuação do Banco Central, foi apenas para sinalização.  Não houve intervenção pesada.  No meu sentimento é que o Banco Central trabalha com o teto de R$ 2,20.  Quanto ao câmbio é difícil de fazer previsões, pois depende do humor dos investidores e especuladores  estrangeiros, em deixar ou retirar investimentos no Brasil.

Se o dólar ultrapassar a cotação de R$ 2,20, o próximo stop ou teto fica difícil de fazer prognóstico, até mesmo para operador do Banco Central do Brasil.  Como a economia brasileira, está baseada no engessamento do dólar no patamar de R$ 2, se o dólar ultrapassar o teto de R$ 2,20, a economia fica bagunçada.  Como diria o Ratinho do SBT, a cobra vai fumar!  Vamos aguardar, com serenidade, para avaliar o reflexo do dólar num novo patamar.  

De qualquer forma, fiquem atentos, não no índice Bovespa, mas sim, na cotação do dólar.  Lembrando que o dólar está sendo usado  pelo trio Dilma/ Mantega/ Tombini, como âncora para segurar inflação no patamar que está.  Se o dólar subir mais do que 10% num período curto de tempo, a inflação pode explodir.  

Muita calma nesta hora!  Segurem um pouco os investimentos ou gastos que estavam programados.  A prudência nesta hora é importante, até mesmo, em nível de finanças pessoais.  Fiquem atentos!  Quando o mercado se acalmar, voltarei aqui para avisá-los. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Resolução 25 do COAF. Pega ladrão! ... de galinha.


Hoje é dia 31 de maio, o conceituado e mais lido jornal do Brasil, a Folha On Line, publicou matéria sobre a Resolução 25 do COF e suas consequências, assim como fez este blog, há exatos 29 dias atrás.  Leiam o noticiário abaixo e complete o seu entendimento sobre a matéria somado com a matéria já postada com o título "COF. Resolução 25. Pega ladrão!" no dia 2 de maio pp.  

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) -órgão do Ministério da Fazenda que combate lavagem de dinheiro- emitiu comunicado informando que as concessionárias terão de informar as vendas de veículos quando estas forem iguais ou superiores a R$ 30 mil e desde que pagas em "dinheiro vivo", ou seja, quando o cliente paga com notas (e não por cheque ou transferência bancária, como TED e DOC). Fonte: Folha.

Resolução nº 25, em vigor desde 1º de março, determina que as pessoas físicas ou jurídicas que vendam itens "de luxo" (aqueles com preço maior do que R$ 10 mil) precisam fazer um cadastro de seus clientes, com nome, CPF (ou CNJP), documento de identificação e endereço completo, que deve ser guardado por cinco anos, contados da conclusão da operação. Fonte: Folha. 

Comentário.

Nada a acrescentar além do que está detalhado na matéria "COAF. Resolução 25. Pega ladrão!".  Segundo comentário corrente é de que a Resolução do COAF, vinculado ao Ministério da Fazenda tem muitos pontos falhos, contestáveis no âmbito judiciário.  Trata-se da quebra do sigilo bancário e fiscal, sem o devido trâmite legal.  Como não tenho conhecimento jurídico, deixo o espaço de comentário para que os profissional da área comentem e debatam o tema.

No mais, na minha modesta opinião, mais um trâmite burocrático para já encrencada "burrocracia" brasileira.  O segundo ponto, que é mais grave, é o governo central querer "vigiar" cada passo do cidadão comum.  O princípio da boa fé foi para o espaço.  Em tese, o governo central quer nivelar os cidadãos do bem, com os traficantes e corruptos do governo.  Isto parece um regime de exceção, como a que foi o regime nazista na velha Alemanha.  Imaginei que o regime de exceção tivesse acabado no Brasil.  

O controle do Estado sobre a vida do cidadão está cada vez mais exacerbado.  Daqui a pouco vem o controle da mídia, porque o controle das redes sociais já é fato conhecido.  Tudo em nome da moralidade e do espírito público (sic).  Controle social, dizem os militantes.  Que controle social é este, que prendem os corruptos de R$ milhão, mas deixam livres e soltos os corruptos, transformados em lobistas ou palestristas que aproveitam da estrutura do poder para praticar "ladroagem" de R$ bilhão?

Enquanto o governo federal fica atrás de R$ 10 mil reais, os Batista$  em conluio com os lobistas/ palestristas roubam os Batista$ = R$ 20 bilhões, sem que aconteçam nenhuma investigação ou processos judiciais pertinentes.  Pelo contrário, os roubos de R$ bilhões, são devidamente acobertados com a legislação e blindados pelas instituições oficiais pertinentes.  Vale sempre a máxima: ladrão de galinha vai para cadeia, ladrão de colarinho branco andam de jatinhos Legacy ou iates de US$ 40 milhões!  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Economia 30/5. Vejam os números de ontem! Explico.


Estive nestes dois dias em Brasília, para visitar um amigo muito querido, que enriquece o meu blog com os seus comentários, sempre pertinentes.  Aproveitei para para fazer visitas aos parlamentares, meus amigos.  Estive perto, mas por motivo óbvio, não fui ao Palácio do Planalto.  Eu não tinha reparado mas o Palácio do Planalto dá de frente ao gabinete do senador Álvaro Dias.  Coincidência ou não, ontem, foram divulgados números da economia e fato político que comentei neste blog.

1. Selic de 8%. 

Todo mundo me pergunta sobre o que acha da taxa Selic de 8% e qual é a consequência.  O mercado esperava aumento da taxa Selic em 0,25% para terminar o ano no patamar de 8%.  Tombini deu paulada de uma vez só, já aumentou taxa Selic no COPOM de ontem, para 8% ao ano.  Já comentei inúmeras vezes, que o governo Dilma pratica política econômica com erro sistêmico.  Dilma quer segurar a inflação com aumento de juros, o que eu acho uma tremenda burrice. 

No entanto, o mercado raciocina junto com ela.  Os agentes econômicos, os analistas e empresários, já pegaram o vício de que inflação se combate com o aumento de juros.  Embora, tese equivocada, o mercado deixa se influenciar por isto.  Neste caso, o mercado entendeu que a Dilma vai apertar liquidez do sistema.  Significa que vai estar em cima dos índices de inflação.  Pela paulada de ontem, dá a entender que Dilma/ Tombini querem segurar inflação no teto da meta de 6,5% ao ano, na virada do ano e possivelmente durante o ano de 2014.

2. Crescimento quadrimestral de 0,6%.

Ontem, também, anunciou a crescimento do primeiro quadrimestre do ano de 2013, que deu em 0,6%.  Deu menos que o mercado e o próprio governo Dilma esperava.  Anualizando isto, para o ano de 2013, vai dar 1,8%.  Eu já tinha feito análise sobre o PIBinho deste ano, numa matéria recente, prevendo o crescimento entre 1% e 2%. O crescimento do PIB do primeiro quadrimestre parecem demonstrar isto.  Pela medida tomada, a de antecipar o aumento da Selic na reunião de ontem, a economia vai desacelerar.  Talvez, o PIBinho deste ano fica, até abaixo de 1,8%.  O fato é que a economia brasileira está completamente desestruturada, então, tem que se contentar com crescimento pífio.  

3.  Bolsa despencou 2,5%, ontem.

Eu já tinha postado matéria com referência de que índice Bovespa estava patinando.  Ontem, no final do pregão, acentuou-se a queda, em função da taxa Selic em 8%, que deve ter vazado para o mercado antes do fim do pregão.  O índice é divulgado, normalmente, após 17 horas, para não causar oscilações no mercado.  Mas, o mercado soube antes.  A queda de 2,5% foi significativo.  O índice Bovespa vai continuar oscilando num patamar que dificilmente vai romper os 60 mil pontos, ainda neste ano, a não ser que haja fator não previsto no quadro atual da economia.  O índice Bovespa vai continuar patinando.  

4.  Dólar rompendo R$ 2,11.

Aqui mora o perigo.  Embora, eu seja a favor da flutuação para que a cotação do dólar encontre o seu ponto de equilíbrio, sem intervenção do Banco Central, soltar o câmbio neste momento, onde inflação está mais vivo do que nunca, é temerário.  Eu tenho dito repetidamente que a Dilma/ Mantega/ Tombini usam o dólar como âncora para segurar a inflação.  Se o objetivo é segurar a inflação, soltar o câmbio nesta hora, vai no sentido contrário ao propósito.  Mantega afirmou que dólar não é âncora da inflação.  Então, vamos ver o que acontece, se soltar o dólar, totalmente, num cenário de um início de espiral inflacionário é como botar gasolina na fogueira.  

5.  Tarifa de energia.

A Dilma optou por deixar a MP da Energia cair em decadência.  Foi uma das hipóteses levantada por mim, na matéria do dia 28/5.  Vem agora, a ministra chefe da Casa Civil dizer que vai preencher a lacuna criada com decadência da MP, através de Decretos preservando a redução das tarifas.  Isto não está bem explicado.  Se com os Decretos podem resolver a redução tarifária, por que, então, a Dilma mandou MP para o Congresso?  Voltem, à matéria sobre MP de Energia que explica algumas nuanças sobre a polêmica MP. 

6.  Alerta!

De todos os fatores acima citados, o que mais preocupa é em relação ao dólar.  O câmbio está controlado há muito tempo, através de intervenção do Banco Central.  O dólar está demasiadamente comprimido, com intervenções sistemática do Banco Central.  O resto da economia foi atrelando ao dólar comprimido.  Se de repente soltar e deixar flutuar livremente, é um perigo maior ainda do que o próprio engessamento.  Espero que Dilma mande o Mantega e Tombini se entenderem e ir soltando devagar, senão a emenda ficará pior que o soneto.  

7.  Conclusão.

O Brasil do período do governo Dilma, vem praticando política econômica (sic), na base dos jeitinhos e gambiarras.  Política econômica que não tem consistência.  Nem mais é bipolar, como a nossa presidente, agora, é multipolar.  Significa que não temos nenhuma política econômica.  O Brasil está mais ou menos como o Airbus 320 presidencial, tiraram o tenente brigadeiro para colocar um piloto de teco-teco para comandar a aeronave de última geração.  É mais ou menos como dizer que Brasil está sem piloto!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Há fraude no Bolsa Miséria dos presidentes Lula e Dilma!


Escrevo minhas matérias baseado em números e estudos apresentados pelos institutos de pesquisas, porque não gosto de basear as matérias em cima de números e fórmulas empíricas, mas aqui o faço.  Na falta de estudos mais apurados e elaborados sobre a miséria absoluta no Brasil, enveredei no terreno empírico para tirar alguma conclusão sobre os 22 milhões de miseráveis, com o perdão da palavra, do meu Brasil.

Estão muito a falar de inflação na ponta do consumo.  Eu não tinha ideia dos preços de produtos básicos de alimentação nos supermercados.  Entrei no site do Pão de Açúcar e me assustei pelo preço de cada item, para tentar avaliar o estrago que a inflação provoca na camada da população de extrema pobreza.  

Já estou cansado de ouvir a presidente Dilma declarar aos 4 cantos do planeta que a miséria no Brasil acabou, com o atendimento de 22 milhões de brasileiros com o programa Bolsa Miséria.  O programa,  em essência, é distribuição de benefícios em dinheiro correspondente a R$ 70 per capita mês aos assistidos.

Vejam o que dá para comprar com R$ 70 per capita mês do programa Bolsa Miséria, se o beneficiário entrasse no supermercado Pão de Açúcar.  Agora, são 17 horas do dia 28 de maio de 2013.  Já vou avisando que amanhã ou nas próximas horas, estes preços, provavelmente tenham mudados.

30 Kg de arroz Tio João 5 Kg ...............R$ 74,34  ou
  8 Kg de Feijão Preto Kero (340g)....... R$ 70,35  ou
  9 Kg de peito de frango resfriado ........R$ 71,46  ou
  6 Kg de paleta em pedaço ...................R$ 76,26  ou
  5 Kg de linguiça Aurora em bandeja ....R$ 73,65  ou
 14 Kg de tomate ....................................R$ 70,00 

Do jeito que está, se os 22 milhões de miseráveis viverem apenas do benefício da Bolsa Miséria, certamente estarim todos mortos. Definitivamente, não há condições de ter uma vida digna com os R$ 70 do programa Bolsa Família.  O presidente Lula disse que o programa era para os beneficiários fazerem 3 refeições diárias, além de pagar luz, pagar água, pagar condução, pagar material escolar, um verdadeiro milagre.  Parece que isto é impossível acontecer com os R$ 70 per capita, por mês que teoricamente recebem do Bolsa Miséria.  É tudo uma canalhice, para enganar a boa fé do povo.  

Pelo demonstrativo feito, o programa atende, muito precariamente, apenas e tão somente, a fome.  As demais necessidades básicas, ficam à mercê da própria sorte.  Isto não é, em absoluto, tirar o povo da miséria.  Mesmo com Bolsa Miséria, a população assistida continuam tão miseráveis quanto antes. Mais parece ser Bolsa Esmola.  Não há programa que vislumbre a saída da situação de miserável deste contingente da população.  Isto é um verdadeiro curral de animais que só tem porta de entrada, sem porta de saída. 

Cada vez mais, tenho a convicção de que o programa Bolsa Miséria é tremenda de uma mentira!  Um ser humano não vive dignamente no Brasil com renda per capita mensal de R$ 70, só se for no Burundi, África.  Se o próprio governo, através do IBGE, diz que tem menos de 4 milhões de desempregados, definitivamente, não fecha com o número de beneficiários, 22 milhões.  

Minha conclusão, ainda no terreno empírico, é ainda pior, o programa Bolsa Miséria sobrevive de fraudes. Como justificaria a diferença de 18 milhões de pessoas ocultas, que só aparece na hora de receber os benefícios?  Dou espaço neste blog, para a presidente Lula e Dilma explicarem para o meu público, aqui e agora! 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

terça-feira, 28 de maio de 2013

MP da Energia. DILMA vai por RENAN CALHEIROS de 4?


A pergunta que fica é, depois de agrado da Dilma em deixar a presidência da República por 1 dia ao presidente do Senado Federal, Renan Calheiros vai ter coragem de deixar cair em decadência uma MP tão importante para o Palácio do Planalto? Ou tem algo estranho atrás disso. Leiam notícia e vamos compartilhar da resposta comigo, na sequência.

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) terá de decidir se colocará ou não em votação a medida provisória que banca a redução das tarifas de energia no país, vitrine da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff.  Renan é aliado da petista, mas prometeu não votar MPs que chegam à Casa com menos de sete dias para análise. Fonte: Folha.

Dilma fez o anúncio da redução de energia em cadeia nacional de rádio e TV em janeiro. A eventual derrubada da MP levará o governo a ter de achar uma saída legal para o Tesouro Nacional repassar recursos para a chamada Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), custeando assim o corte na conta de luz.  Fonte: Folha. 

Comentário.

O projeto que diz repeito a redução de tarifa de energia é importante conforme vista de pontos diferentes.  Será importante se considerar que MP 605 foi objeto de intensa campanha de marketing sobre rebaixamento de tarifa de energia feita, até pessoalmente, pela presidente Dilma.  Não será importante se considerar que MP 605 está produzindo rombo na caixa do governo, até por conta de acionamento das termoelétricas, que não estava no script.  É importante aprovar para manter a força do poder Executivo e também tanto importante quanto a decadência da MP 605, assim livraria o rombo de caixa do Tesouro.  

A segunda hipótese é mais interessante do ponto de vista estratégico para presidente Dilma, a decadência da MP 605.  A presidente culparia a oposição do fracasso da redução da tarifa de energia e aproveitaria para recompor o caixa das companhias elétricas, entre elas a Eletrobras e suas subsidiárias.  E ao mesmo tempo, daria brilho ao senador Renan Calheiro, presidente do Senado, que prometeu cumprir o interregno de tempo de 7 dias para colocar em votação das MPs no plenário do Senado Federal.

A presidente Dilma se encontra numa verdadeira sinuca de bico.  Manda Renan aprovar a MP 605 e põe novamente o Senado Federal de 4 ou Deixa cair MP em decadência e entrega os louros da vitória para Renan.  De qualquer forma vai mexer com o Renan Calheiros, presidente do Senado, para do lado ruim ou do lado bom.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Estilo DILMA de governar o Brasil !


O procedimento descrito pela Folha, conforme abaixo, dá noção exata de que, em mãos de quem está entregue a condução do País, notadamente na área econômica.  Afirmo que a Dilma não entende nada da política econômica, demonstradas pelas sucessivas declarações desastradas que ela vem dando ao público, interno e externo.  Leiam os tópicos de notícias e meu comentário na sequência.  

A presidente Dilma Rousseff não tolera turbulências nem as corriqueiras agitações da política nacional nem as literais: ela detesta quando o avião presidencial sacode em pleno ar. Foi pelo medo do balanço que se habituou a verificar, pessoalmente, o plano de voo antes de decolar, tal qual um controlador de tráfego aéreo. Fonte: Folha.

Não raro, Dilma exibe, a 39 mil pés, seu estilo de chefia tão conhecido em terra. "Joseli, por que o avião está sacudindo?"; "Joseli, que curva é essa?"; "Joseli, eu não quero ir mais rápido se for para passar por turbulência". O requisitado é Joseli Parente Camelo, tenente-brigadeiro do Ar e autoridade máxima nas rotas oficiais desde os tempos em que a Presidência era ocupada por Luiz Inácio Lula da Silva. Fonte: Folha.

Comentário.

Todos sabem que comandar um avião do tipo Aerobus, o avião presidencial, o AeroLula, requer treinamento e habilidade de um piloto comercial com anos de experiência.  Só imagino o contrangimento do comandante Joseli, tenente-brigadeiro, recebendo instruções da presidente Dilma, em seus voos oficiais.  Imagino ela metendo bico, no Plano de Voo do AeroLula, mudando roteiro para desviar das turbulências.  Para presidenta (com a) tudo pode!

Não é preciso adivinhar o que ela apronta com os responsáveis pela condução da política econômica do País.  Dando ordens para o ministro Mantega e ao mesmo tempo dando contra ordens para o presidente do BC Alexandre Tombini.  O planejamento da política econômica como todo já é complicado, por ter que compartilhar o rumo com dois pilotos, um na Fazenda e outro no BC.  Só pode dar no que está a acontecer.  Um caos! 

Uma boa política econômica precisa de Plano de Voo, para começo de conversa.  Tem que definir exatamente, de onde está partindo e para onde queremos chegar.  Estabelecer também o destino alternativo de chegada do aparelho quando houver imprevisto no aeroporto destino.  Tudo bem esquematizado, para desviar de turbulências e estresses desnecessários.  Muitas vezes, tem que atravessar um Cumulus Nimbus (CB) não previsto na rota traçada, mas o piloto e co-piloto terão que ser competentes suficientes, afinados entre si, para não ocorrerem tragédias como muitos que já vimos acontecer.

Não sou psicólogo para analisar o "estilo Dilma", mas as atitudes do cotidiano, de certa forma, mostram o comportamento de uma pessoa diante das situações de difícil solução.  O Brasil é um país emergente, cheio de nuanças e desafios para vencer.  São inúmeras alternativas para encontrar melhor destino a ser dado ao País.  Para dirigir o País tem que ter conhecimento muito mais do que saber para que serve o câmbio e Selic.  Dilma não é competente e nem tem os pilotos competentes para estabelecer política econômica adequada ao tamanho do País.  

Definitivamente, Dilma não sabe estabelecer o Plano de Voo adequado à magnitude de um país com US$ 2,2 trilhões de PIB.  Ela ainda tem carteira PP (piloto privado), e se mete a pilotar um  Airbus 320, eis a questão.  O Brasil necessita urgentemente de um comandante com habilidade de um Joseli Parente Camelo para fazer uma navegação segura, mas sem a subserviência dela para com a Dilma.  O Brasil não pode ficar com os atuais pilotos incompetentes, como Mantega e Tombini para pilotar o Brasil.  Mas, vamos curvar ao estilo da Dilma de governar o País, afinal ela é presidente de todos nós. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

domingo, 26 de maio de 2013

DILMA, não dei autorização para perdoar os nossos US$ 900 milhões!


Presidente Dilma foi à África para perdoar a dívida de US$ 900 milhões de países africanos, por dois motivos principais.  O primeiro é a abertura do mercado africano para presidente Lula abrir linha de financiamento do BNDES para com os seus empreiteiros brasileiros executarem obras de infraestrutura naqueles países.  O segundo objetivo é pagamento pelos votos dados ao Roberto Azevedo, brasileiro, na presidência da OMC, diga-se de passagem uma entidade de faz de conta.  Vejam as notícias que comprovam as "boas" intenções da presidente Dilma.  

Dilma foi a primeira chefe de Estado a falar na abertura da Cúpula, que começou com quase três horas de atraso. Prometeu perdoar ou reestruturar quase US$ 900 milhões em dívidas de 12 países africanos com o Brasil e anunciou o fortalecimento da Agência Brasileira de Cooperação, que passará a coordenar as estratégias de comércio e investimento para a África. Fonte: Folha.

A presidente Dilma Rousseff levou um reforço digno de abrir mercados em sua excursão à África. A convite da presidente, o novo diretor-geral da OMC, Roberto Azevedo, integrou-se à comitiva brasileira que participará da comemoração dos 50 anos da União Africana.  Fonte: Época.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira que o "apoio maciço" do continente africano foi fundamental para a vitória do embaixador Roberto Azevêdo para a diretoria-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC). Fonte: Estadão.

Comentário.

Pelo jeito, a reunião da cúpula africana, foi patética, segundo a FolhaEla participou como convidada do evento e deveria fazer um discurso grandioso, mas foi prejudicada pela falta de organização. Foi chamada ao palco 1h30 após o horário previsto, em meio a um apagão. "Eu não vou lá!", desabafou, defrontada com a escuridão e o plenário esvaziado. Mudou de ideia e acabou lendo um discurso genérico, em português sem tradução, seguido com desinteresse por menos de 100 pessoas, a maioria jornalistas. 

O Lula não dá ponto sem nó.  Ele é sobejamente conhecido lobista dos empreiteiros brasileiros junto aos governos dos países africanos e latino-americanos.  Este assunto já foi tema de matérias anteriores deste e das grandes mídia nacional.  Já são algumas dezenas de  US$ bilhões de obras de infraestrutura executadas e em execução pelos empreiteiros brasileiros com o dinheiro nosso, o do BNDES.  O Brasil é carente de infra-estrutura mas sobram dinheiro oficial para financiar infra-estrutura em outros países, tudo para atender o pedido do presidente Lula. 

Eu já disse em outra matéria que Lula era novo bilionário e tudo vem confirmar que eu não estava equivocado.  Lula é US$ bilionário! Basta fazer continha de percentagem, para calcular a sua fortuna.  Imagine loby  comissionado à base de 5% sobre o volume do financiamento concedidos àqueles países com interferência direta do Lula, o montante já ultrapassa o primeiro US$ 1 bilhão, de longe.   

Esta prática é notória e conhecida entre empreiteiros do Brasil.  Lá fora, fica mais fácil ainda, porque não tem crivo do TCU quanto aos gastos.  Obras no exterior, pagos em dólares, o comissionamento é também em dólares.  Faz-se depósito direto em contas do Lula nos paraísos fiscais.  Os US$ bilhões do Lula estão no paraíso fiscal.  O suposto Euro$ 25 milhões, se confirmado, é da Rosemary, pelo volume do dinheiro.  US$ milhões para Lula é café pequeno. 

Atrás de um aparente gesto de boa vontade com os países africanos, esconde uma tremenda "armação" ou "pavimentação" para Lula conseguir novas obras, com financiamento do BNDES, para os empreiteiros já notórios.  Os empreiteiros que se sentirem ofendidos, poderão fazer suas defesas, em querendo, neste blog.  O texto poderá ser enviado para aquele que consta do cadastro deste blog.

Fico pensando, será que este assunto não seria tema para parlamentares da oposição?  Por que tenho que me expor e fazer a vez deles?  Muitos interesses devem estar por trás disso tudo, para os parlamentares não tocarem no assunto.  Sempre vamos resguardar os parlamentares que tem boa fé.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12 

sábado, 25 de maio de 2013

Economia BR X. Em 2013, Brasil da Dilma repetirá o PIBinho!


Nada melhor que um dia atrás do outro.  Há 1 ano atrás, este blog era uma das poucas vozes discordantes da política econômica (sic) do governo Dilma.  Aos poucos o efeito nefasto da política econômica equivocada vai aparecendo.  Os erros não são pontuais, como muitos vinham apresentando, o erro da política econômica é sistêmico.  Está errado, basicamente, na sua formulação, por isso classifico o erro como sistêmico.  

A grande mídia, como o tradicional Folha, já começou dar destaque à fragilidade da economia brasileira.  Os analistas econômicos descobriram, um pouco tardiamente, de que o Brasil faz parte da economia globalizada e pior que isso, depende extremamente de fluxo comercial e financeiro com o exterior.  Descobriram, até que enfim, de que o Brasil não é ilha da fantasia, que faz parte do contexto mundial. Leiam o que foi noticiado na Folha e na sequência o meu comentário complementar. 

A possibilidade de que a desaceleração na China e a retomada dos EUA ocorram em ritmo mais forte do que o previsto representa um risco para o Brasil. As duas maiores economias do mundo caminham em direções opostas. Fonte: Folha.

Se esse descasamento se acelerar rapidamente, o Brasil poderá se deparar com dificuldades para financiar o crescente rombo em suas contas com o exterior, que chegou a 3% do PIB. Uma fraqueza mais acentuada da China levaria a uma desaceleração maior das exportações brasileiras, podendo provocar um maior deficit em conta-corrente. Fonte: Folha.

Esse saldo negativo nas transações do país com o exterior precisa ser financiado com recursos externos. Nos últimos cinco anos de deficit, os investimentos estrangeiros diretos cobriram os buracos. Em 2013, essa situação mudou. O país voltou a depender de recursos mais voláteis, como investimentos em ações e renda fixa. Fonte: Folha.

Segundo o economista Affonso Celso Pastore, a tendência seria de uma "correção contracionista" no Brasil, ou seja, com impacto negativo sobre a atividade: "Se houver restrição de capital quando os Estados Unidos começarem a retirar liquidez do mercado, o câmbio no Brasil sofrerá um ajuste", disse Pastore durante seminário da EMTA (Emerging Markets Trade Association) na última quinta-feira. Uma desvalorização mais forte do real pressionaria a inflação, que está próxima ao teto da meta, de 6,5% (o centro da meta é 4,5%). Fonte: Folha.

Comentário.

Esta matéria é de número 714 deste blog, que foi inaugurado em 15 de fevereiro de 2012, dentre as quais a maior parte se refere à política econômica (sic) equivocada da presidente Dilma.  Fico mais aliviado, quando vejo um economista de peso como Afonso Celso Pastore, ex-presidente do Banco Central, começar chamar  atenção dos mesmos pontos, vulneráveis, da política econômica da presidente Dilma criticado por este blog.  

Diante do quadro preocupante, disseminado, agora, entre os empresários e alguns poucos agentes públicos, o Banco Central deverá impor medidas restritivas à expansão do consumo e quem sabe, a necessária flutuação cambial, sem intervenção do BC, para deixar que encontre o patamar que deveria estar.  Com o câmbio ajustado e restrição ao consumo, o PIB do ano de 2013 não deverá ser os 3% projetado pelo governo.  Como já houve ligeira expansão do PIB no primeiro quadrimestre, o PIB de 2013, deverá ser maior que 1%, mas muito menor que 3%.  Isto não é adivinhação, mas apenas seguindo o raciocínio lógico.  E acrescente-se nisso, a inflação acima de 6,5% ao ano.  

Na realidade, tanto ele como eu, falamos do óbvio.  Nem ele, nem eu, somos lunáticos ou mesmo pregador de "apocalyse now", muito menos apatriota.  Somos, os mais fervorosos defensores das causas brasileiras.  A minha exposição como pessoa devido a insignificância tem pouco valor, mas a do Afonso Celso Pastore é significativa, por isso, parabenizo-o pela coragem de expô-la, sem medo.  Espero, que dada a partida, muitos Pastore's somem para influir na correção do rumo da economia brasileira, no curto prazo, sob pena de levar o Brasil a uma situação de Grécia de ontem e de hoje.

Esta matéria é última da séria Economia BR.  Só faltava mesmo falar do PIB e isto já falamos aqui.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori1Econ

CPI da PETROBRAS só vai passanr recibo para ladroagem!


Quero ver se os parlamentares da oposição e parte do PMDB tem peito e coragem para instalar a CPI da Petrobras.  Já são 199 assinaturas apresentadas, até ontem, acima dos 171 necessários para instalação do CPI.  Isto tudo, me parece mais um jogo de barganha do PMDB para impor condições para continuar na chapa da reeleição da presidente Dilma.  Mas se a instalação da CPI da Petrobras tornar-se realidade, aí o bicho pode pegar.  Vejam notícias sobre CPI da Petrobras, logo abaixo.  

O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), negou que o pedido de criação da CPI da Petrobrás seja uma retaliação ao governo federal. Das 199 assinaturas apresentadas, os deputados do PMDB foram os responsáveis pelo maior apoio entre os partidos, com 52 nomes. São necessárias pelo menos 171 assinaturas para se criar uma comissão de inquérito. Mas, até a sua instalação, elas podem ser retiradas e a CPI não ser aberta. Fonte: Folha.

Antecipando a instalação da CPI da Petrobras, a Companhia já está vendendo ativos no exterior, conforme notícias da Folha.  As operações no exterior, em tese, estão em nome das subsidiárias integrais da Petrobras e pode fazê-las, sem licitações.  E estas operações, não estão sujeitos ao crivo do TCU.  A Petrobras, presta conta apenas sobre o capital social da subsidiária integral.  Leiam as notícias abaixo e meu comentário final, na sequência.  

Dando mais um passo na direção da venda de ativos para ajudar a financiar o seu Plano de Negócios 2013-2017, de US$ 236,5 bilhões, a Petrobras anunciou nesta sexta-feira (24) que a sua subsidiária Petrobras Tanzânia vendeu participação de 12% no bloco 6 na costa da Tanzânia para a Statoil Tanzania AS.  Fonte: Folha.

Em abril, a empresa informou que vendeu blocos no Golfo do México por US$ 110 milhões. A empresa negocia também a venda de outras participações em blocos de petróleo pelo mundo, refinarias e ativos na Argentina. Fonte: Folha. 

Comentário.

Existe um plano de investimento da Petrobras, de US$ 236,5 bilhões, que justifica, em tese, a venda a qualquer preço, dos ativos da Petrobras no exterior.  Como vocês já sabem, entre os ativos comprados no exterior, consta a refinaria do Pasadena nos EEUU, onde já se prevê prejuízo de US$ 1 bilhão.  Os ativos do golfo do México, como num passo de mágica, foi depreciado em US$ 4,9 bilhões, contabilmente, num ativo que a Companhia pagou US$ 14,8 bilhões, sem justificativa aparente.  Quero ver, no final do desinvestimento, em quanto vai sair o prejuízo nas vendas dos tais ativos.  

Toda desmobilização dos ativos no exterior está sendo conduzida pela Graça Foster, presidente da Petrobras.  Não se sabe porque, o cargo de diretor Internacional da Companhia está vago, por isso o acúmulo de cargo da área internacional pela presidência da Petrobras.  Graça Foster é pessoa de confiança da Dilma Rousseff.  A presidente da Petrobras foi companheira de cela no DOPS, à época do regime militar.  Graça Foster é mais que braço direto da presidente Dilma, isto o público já sabe.  

A CPI, se instalada, virá em boa hora.  Porém, duvido muito que o rolo compressor do Palácio do Planalto deixe criar a CPI.  Se criada, terminará como a CPMI do Cachoeira, no final de 6 meses, o relatório final virar num lacônico duas laudas de baboseira.  E vamos nós, novamente, passar recibo da ladroagem, agora, na Petrobras, via Congresso Nacional.  Passado recibo e carimbado como sendo operações perfeitamente regulares as ladroagens implícitas.  Este filme nós já assistimos várias vezes, não só neste governo, mas nos diversos.  

CPI da Petrobras vai passar recibo a ladroagem! 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

sexta-feira, 24 de maio de 2013

BRASIL na CORDA BAMBA!


Foi terrível o dia de ontem, no mercado financeiro brasileiro.  Começou o pessimismo pela Ásia e se espalhou na Europa, mas que no final do dia, acabou se acomodando.  O clima de ontem, lembrava um pouco pré crise financeira mundial de 2008, que ocorreu apenas no Brasil.  O resto do mundo, já vem fazendo os ajustes necessários para enfrentar, se for o caso, as novas ondas de pessimismo.  O Brasil não está.

O índice Bovespa é um bom indicador para aferir o grau de desconfiança dos investidores com relação à política econômica da presidente Dilma.  Estamos patinando nos níveis de 55 mil pontos.  Deflacionando o índice pré crise de 2008, índice Bovespa deveria estar no patamar de 90 mil pontos.  Os EEUU e Japão já superaram os índices pré crise de 2008.  

No fundo, no fundo, o que é que os investidores, empresários e analistas esperam se, em público, fazem declarações explícitas de apoio à política econômica (sic) do governo Dilma?  Infelizmente, a mídia dá destaque ao que dizem os cordões de puxa-sacos do Palácio do Planalto.  Não tem imprensa que sai batendo na política econômica (sic) da Dilma.  Opiniões contrárias não faltam.  Vejo entrevista de economistas e analistas independentes, vinculados aos institutos de pesquisas importantes do País, pronunciarem-se desfavoráveis à condução da economia.  Mas por outro lado, não vejo destaque daquelas entrevistas nas páginas de Economia.

Dá-se impressão, quando assistimos ou lemos matérias da imprensa de massa, de que vivemos no País das Maravilhas da Alice do conto de fadas.  A verdadeira situação do País não é passado à população.  Parece que todo mundo faz de conta que o problema é dos outros.  É impressionante, o desconhecimento ou ignorância do momento delicado que vive o país, pelos formadores de opinião, pelo menos.  Sendo cidadão brasileiro, esperava mais dos nossos empresários e agentes públicos, a participação na discussão sobre rumos da economia do País.  Todos querendo fazer o papel de Alice, sobretudo a presidente Dilma.

Deu para notar ontem, a gravidade da situação brasileira. Senti um certo "cara frio" no que poderia acontecer ao País, se realmente o pânico tivesse se instalado, ontem.  Desta vez, pelo jeito, salvamos.  

A minha preocupação é que a política econômica da Dilma se ancora no câmbio defasado ou o dólar depreciado.  Banco Central intervém para tentar segurar o dólar no atual patamar de R$ 2.  O Brasil não tem Reserva Cambial para sustentar um rojão maior.  A Reserva cambial de cerca de US$ 360 bilhões, apenas US$ 60 bilhões estão disponíveis para queimar.  É pouco dinheiro para aguentar um rojão maior.  E para piorar a situação, desde janeiro deste ano, o Brasil está deficitário em balança de pagamentos.  Já estamos queimando a Reserva Cambial, homeopaticamente.  Solavanco maior, não aguentamos!

Dólar tentando alcançar ao valor de equilibro, vai disparar a inflação, porque a política econômica (sic) da Dilma está ancorada no dólar.  Uns falam em R$ 2,40 outros em R$ 2,50 e eu entre R$ 2,60 e R$ 2,70, o ponto de equilíbrio.  A tendência natural é que o mercado financeiro, independente da intervenção do Banco Central, vai tentar encontrar patamar de equilíbrio, até onde tem cacife alcança não sabemos.  Qualquer solavanco é como abrir a válvula da panela de pressão, explode!  A comida vai tudo para o teto!  Isto é que tem causado, na questão objetiva, o temor, quase pânico dos agentes da economia brasileira.

Os empresários, os agentes públicos e a população são todos cúmplices da presidente Dilma, todos torcem que o País das Maravilhas da Alice, nunca acabe.  Todos tem medo, muitos tem até síndrome do pânico, para encarar a situação real!  Imaginem empresários com dívidas em dólares, na totalidade são US$ 300 bilhões! Imaginem a preocupação destes!  Se eu estivesse no lugar deles, já estaria com  insônia.  É o que está acontecendo com eles.  Inclusive a Petrobras com dívida externa enorme, os planos de expansão vão ser postergados, se houver mudança no patamar da cotação de dólar.  

Para os pobres mortais como nós, a consequência da disparado do dólar, repentinamente, viria acompanhado com a explosão inflacionária.  Vai ser um Deus nos acuda.  Neste contexto, o Brasil teria que fazer uma intervenção cirúrgica urgente e entrar na UTI.  Toda intervenção cirúrgica tem custos sociais.  E aqui é que mora o perigo!  Dilma não quer estes custos sociais, antes das eleições de 2014!

Infelizmente, o quadro que a economia brasileira vive o momento é  exatamente aquilo que venho desenhando deste fevereiro de 2012, neste blog.  Recebi muitos xingamentos, mas parece que os prognósticos desenhados por mim, vem se materializando, infelizmente.  Isto tudo, porque a presidente Dilma não fez correção necessária em seus devidos tempos.  Ainda, pode fazer muita coisa, para evitar o mal maior.  Dilma, manda sua equipe econômica me ligar! 

Vamos torcer que não sejamos Grécia de ontem e de hoje.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Economia BR IX. Entenda as últimas gambiarras do Mantega!


Eu imaginei que a presidente Dilma, tinha se curado do síndrome bipolar, transferindo a condução da política monetária ao Banco Central, com intuito de tentar segurar a escalada inflacionária.  Hoje, vem o ministro da Fazenda anunciar mais gastos públicos, com redução da meta do Superávit Primário.  Vou tentar explicar a confusão que reina sobre as novas metas, no comentários que seguem às notícias.

Em vez dos R$ 108,1 bilhões planejados no início da elaboração do Orçamento de 2013, o objetivo passou a R$ 63,1 bilhões.  O governo, no entanto, criou brechas legais que, no limite, permitem reduzir o superavit a R$ 42,9 bilhões e elevar as despesas totais a R$ 948 bilhões. Fonte: Folha.

A expansão do gasto público, acelerada no ano passado, tem sido apontada pelo Banco Central como um dos motivos para a alta da inflação. Enquanto o Banco Central eleva juros para esfriar a economia e conter a inflação, a Fazenda e o Planejamento anunciam mais gastos públicos para estimular o consumo e o investimento. Fonte: Folha.

Comentário.

Muitas gambiarras foram feitas para poder gastar mais, inclusive cortes de verbas em alguns setores, como no ministério da Cidade.  Cortou de pasta que fora entregue para o ex-aliado político Eduardo Campos, PSB, em cerca de R$ 5 bilhões.  Eu disse, foram feitos cortes de despesas em alguns setores, para poder gastar mais em outros.  Entenderam a manobra?  E tem mais coisas por aí. 

Muitas gambiarras foram feitas.  A mais inusitada foi a antecipação da receita, contabilmente, não a financeira, proveniente da remuneração do Itaipu binacional com vencimentos até 2023.  A MP permite que o Tesouro emita títulos atrelados aos recebimentos anuais de R$ 4,4 bilhões, que somados dá grosso modo R$ 48 bilhões em todo período.  Pela gambiarra feita, os R$ 48 bilhões vão entrar como se fosse antecipação de receita para o ano de 2013, permitindo assim gastar mais este valor.  

Como já foi anunciado por mim, o montante de juros que o País deveria pagar ao mercado seria cerca de R$ 308 bilhões em 2013, correspondente grosso modo a 30% de toda arrecadação do governo federal no ano.  Não conseguindo pagar o total dos juros, o governo tinha estabelecido como meta o pagamento de R$ 108 bilhões como pagamento de parte dos juros do montante da dívida.  

No entanto, com a gambiarra feita pelo ministro Mantega a presidente Dilma pretende pagar apenas R$ 42 bilhões do total de R$ 308 bilhões de juros que vencem em 2013. A União Federal, como vai rolar o saldo dos juros que não consegue honrar, somado à amortização que estava prevista para este ano, a dívida pública federal para o ano de 2014, ultrapassará a cifra de R$ 3 trilhões.

Superávit Primário, para mim, é nome feio, é sinônimo de pagamento de parte dos juros da dívida pública federal. Resumindo, o valor real do montante dos juros é de R$ 308 bilhões, que passou para intenção de pagar R$ 108 bilhões, que agora, passou a ser de R$ 48 bilhões como meta para o ano de 2013.  Seja qual número for, vou colocar abaixo, a grandeza dos números do Orçamento Federal para 2013, comparativamente aos juros.

Resumo:
Previsão de arrecadação do governo federal .  R$  991 bilhões
Juros que vencem anualmente, bruto, real ....... R$  308 bilhões
Parte dos juros que Dilma pretendia pagar.........R$  101 bilhões
Juros que Dilma pretende pagar ....................... R$   48 bilhões
Orçamento do MEC ........................................... R$   90 bilhões
Orçamento do SUS..............................................R$   35 bilhões

Em são consciência, dá para dormir assim?  O Brasil não consegue pagar nem os juros da dívida pública.  Mesmo com todas gambiarras feitas, ainda assim, a Dilma vai pagar como parte dos juros, montante muito maior que o orçamento do SUS ou mais de 50% do que o governo federal gasta no MEC.

Ainda assim, com maior cara de pau, o presidente do Banco Central vem dizer que vai aumentar a taxa Selic nas próximas reuniões do COPOM.  O Brasil já paga juros médios de 11% sobre o total do da dívida porque tem títulos que pagam juros muito acima do Selic  vigente hoje.  Aumentando a taxa Selic, aumenta os juros reais.  A dívida pública brasileira está se tornando, cada dia que passa, impagável.  Será que viramos Grécia, amanhã?

Nota: Primário em negrito, foi corrigido com a participação do leitor Leandro.  Peço desculpa pelo ocorrido. Erro imperdoável. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Economia BR VIII. Inflação está controlada?


Demorei um pouco para manifestar sobre o tema de inflação no Brasil.  Estava a aguardar sinais vindo do ministério da Fazenda e do Banco Central.  Pela primeira vez, neste ano, os sinais são positivos. A inflação medido pela IPCA deve terminar o ano em torno de 6,5% a 7% ao ano, o que considero uma grande conquista, já que havia sinais de aceleração do índice.

A principal âncora para segurar a inflação está sendo o real apreciado.  O Banco Central mostra claramente de que vai segurar o dólar no atual patamar, podendo variar entre R$ 2 e R$ 2,10.  Cacife para manter o dólar no patamar pretendido Banco Central tem.  O Brasil tem cerca de US$ 60 bilhões em Reserva Cambial livre para queimar.  

Para que não haja confusão, explico.  A Reserva Cambial total, hoje, deve estar em torno de US$ 360 bilhões, mas não pode utilizar o total da Reserva porque o País tem dívida externa em torno de US$ 300 bilhões.  Os números estão baseados nos últimos dados, porém o número varia de dia a dia, não podendo precisar sem ver o relatório do Banco Central.  Mas para uma avaliação macro vale número aproximado.

Embora a taxa de juros Selic não tenha influência objetiva na contenção da inflação, o mercado, erroneamente, entende que a taxa Selic segura a inflação.  Como o componente psicológico é importante no combate à inflação, embora considero que é uma política econômica e monetária equivocada, vamos dizer que ajuda segurar inflação pelo lado subjetivo.  O Banco Central, dentro deste contexto, equivocado, vai subir os juros Selic, nas próximas reuniões do COPOM em 0,25%.  Selic deve terminar em 8,25% no final do ano.  

O governo parou de dar ênfase ao estímulo ao crédito ao consumidor, nem tão pouco aos juros baixos.  Pisou no freio.  Do jeito que estava o ambiente econômico no início do ano, estimular crédito seria como tentar apagar incêndio com a gasolina.  O ministério da Fazenda vai tentar manter a política do banho maria.  Quanto menos Mantega falar ou fazer, neste momento, seria uma atitude sensata.  Parece que o ministro está a entender o momento delicado.

O que tem de perigo na frente, perguntariam vocês.  Por enquanto o céu não é de brigadeiro e nem o mar não está para peixe.  Este momento é de aparente calmaria. Repito, aparente. Sabe aquele silêncio ensurdecedor que dá medo?  Aquele silêncio que vem antes do ciclone?  Com uma presidente que só pensa em eleições e uma equipe econômica sem identidade e incompetente, fico de cabelo arrepiado!  Explico o porque.

Esta aparente calmaria, esbarra em política econômica equivocada de engessamento da economia adotada para manter a popularidade da presidente Dilma, com vistas à sua reeleição em 2014.  O câmbio está defasado, como já me manifestei inúmeras vezes aqui no blog.  As tarifas administradas estão comprimidos em prejuízo das companhias como a Petrobras e Eletrobras.  É aqui que mora o perigo!  É como panela de pressão, prestes a explodir.

Esse engessamento da economia, utilizando-se de instrumentos inadequados para combate à inflação, é uma situação que não pode perdurar por muito tempo.  Quanto mais tempo levar para o ajustamento, maior será o estrago.  O meu receio é que este ajustamento seja adiada para depois das eleições de 2014, ou seja após 5 de outubro do ano que vem. Na minha avaliação este período é longo demais! Isto é como bomba relógio, uma hora explode.  Quanto mais tarde, explosão será maior.

Inflação está controlada, momentânea e aparentemente.  Minha preocupação é o que vem depois!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

terça-feira, 21 de maio de 2013

Rosemary do Lula levou ou não os EU$ 25 milhões para Portugal?


Até a denúncia do deputado Antony Garotinho na ocasião da aprovação do MP dos Portos sobre as composições que houveram  para aprovação do MP dos portos, eu não tinha dado muita credibilidade às informações dadas pelo mesmo deputado na CPMI do Cachoeira sobre o suposto depósito de Euro$ 25 milhões em nome de um ou uma pessoa de influência da República.  Vejam as notícias requentadas que extraí do blog do deputado Antony Garotinho.    

O caso Rosemary é um problemaço para presidente Dilma Rousseff.  Quem acha que Lula e Zé Dirceu vão sair apanhando sozinhos nesse episódio está profundamente enganado. São pelo menos 8 deputados federais do PT que têm seus nomes envolvidos em situações complicadíssimas nas armações ilimitadas de Rosemary. Fonte: Blog do Antony Garotinho.

Todas as operações da Polícia Federal têm nomes que procuram definir seus alvos, mesmo que de forma indireta os nomes sinalizam os objetivos da ação policial. Por que Operação Porto Seguro?  A resposta pode ser encontrada na cidade do Porto, em Portugal, na agência central do Banco Espírito Santo. É só uma pista. Quem descobrir pode achar 25 milhões de euros na conta de uma grande figura da República. Fonte: Blog do Antony Garotinho.

Comentário.

Como é de conhecimento do público, via de regra, no Brasil, vai preso quem faz denúncias, mesmo sendo parlamentar.  Imagine se a denúncia for feita por um reles cidadão, vai direto para cadeia.  Não, não é possível fazer denúncias no Brasil.  As instituições da República exigem que um cidadão comum, recolha a prova material para apresentar a denúncia.  É um contra senso, porque as provas materiais que não tenha sido colhido com mandato judicial não tem valor legal.  

Antony Garotinho fez denúncia, numa sessão aberta do Congresso Nacional, sobre suposto transporte de Euro$ 25 milhões, no avião presidencial AeroLula, registrado como mala diplomática.  O volume, uma mala com suposto Euro$ 25 milhões, em espécie, fora levado em mãos pela então representante da presidência da República na cidade de São Paulo, Rosemary Noronha.  A mala teria sido transportado do Aeroporto, por uma transportadora de valores para o Banco Espírito Santo, na cidade de Porto.  Em nome de quem foi feito o depósito ninguém sabe, por enquanto.  

Rosemary Noronha ficou conhecida como amante do presidente Lula, ocupava o cargo em confiança da presidente Dilma, como representante oficial da presidência da República.  O caso Rosemary não teria vindo à baila se não fosse a denúncia formulada por um funcionário do TCU sobre suposto envolvimento da Rosemary e irmãos Vieira, que vendiam facilidades para viabilizar as futuras operações portuárias do ex-senador Gilberto Miranda.

O envolvimento da Rosemay Noronha veio no bojo da investigação da operação Porto Seguro, da Polícia Federal.  As investigações levaram a proximidade da Rosemary com o presidente Lula, em razão da coincidência de inúmeras viagens feitos ao exterior em companhia do Lula, sempre na ausência da Marise.  Fofoca à parte, a proximidade da Rosemary com o Lula, reforça a suspeita do deputado Garotinho sobre a evasão de divisas de Euro$ 25 milhões por ela.  

De qualquer forma, a carta enviada pelo Antony Garotinho foi datada de 5/12/2012.  Já faz 6 meses que o fato veio a baila.  Seria bom que, as instituições da República dessem resposta à população sobre a denúncia do deputado Garotinho, até para que se inocente, o presidente Lula e Rosemary Noronha fossem definitivamente afastados dessa suspeita.  Não adianta enrolar.  Melhor defesa seria apresentar as investigações feitas pelas instituições da República, sob pena de ser considerado como verdadeira a denúncia do deputado Garotinho.

Rosemary levou ou não os Euro$ 25 milhões, em malas diplomáticas, para a cidade de Porto, Portugal?  O dinheiro tinha origem lícita ou não?  A população merece resposta urgente, até para não pairar dúvidas sobre Lula e ou Rosemary.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, foi filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Confirmado! MP 595 era dos porcos!


Na semana passada foi aprovada a MP dos Portos, na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.  Na Câmara dos Deputados foi aprovado em 2 dias de sessões, que entrou madrugada a dentro, numa dedicação nunca dantes vistas, pelo menos nos últimos 10 anos.  No Senado Federal, o projeto chegou pela manhã e no início da noite foi aprovado, sem emendas, para que a MP 595 não perdesse vigência. Ela vai ser sancionada pela Dilma e virar Lei.  

Normalmente faço meu comentário, após a notícia, mas desta feita, vou fazê-lo antes, para vocês entenderem melhor o assunto.

Na sessão da Câmara, que eu, pessoalmente, assisti, houve uma verdadeira lavagem de roupa suja entre os deputados da situação e da oposição.  Houve baixaria que desceu aos níveis que não condiz com o ambiente do parlamento.  As palavras pronunciadas nas "bocas malditas" de cada cidade, foram amplamente usadas no plenário da Câmara, tais como "porco", "tio patinhas", "ladrão", "deveria estar na cadeia", "sacanagem" e por aí a fora.  

Tem razão o ministro Joaquim Barbosa dizer que o Congresso Nacional está à serviço do Poder Executivo.  MP 595, que tramitava no Congresso Nacional desde 6 de dezembro de 2012, iria expirar a sua vigência no dia 15, quinta-feira passada.  Estava parada com possibilidade de cair a vigência.  A presidente Dilma, fez pressão para aprovação da MP 595, custe o que custasse.  E conseguiu a aprovação da MP dos Portos, colocando a Câmara dos Deputados e Senado Federal de joelhos!

Eu disse, logo após a aprovação da MP dos Portos, de que a MP seria dos porcos.  A MP era dos porcos, porque fedia como pocilgas dos sítios.  Estranhei tanta dedicação dos parlamentares para aprovação da MP dos Portos.  Estranhei, também, a ausência de alguns parlamentares, inclusive dos partidos de sustentação do governo Dilma.  Tinha alguma coisa, que cheirava mal.  Só fui entender o sentido daquelas sessões de obediência à Dilma, quando revelado pela Folha, os motivos, no dia seguinte.  

Independente da discussão do mérito da MP dos Portos e paternidade ou maternidade da Lei de Modernização dos Portos editada ainda no governo Itamar Franco, no que em tese, sou a favor, o que me motiva a voltar ao assunto, é a confirmação de que, realmente, eu não fiz injustiça à MP chamando-a de MP dos porcos. Basta, vocês lerem, os motivos que levaram a presidente Dilma, a aprovar à toque de caixa, para me darem razão na nova denominação que usei para se referir à MP dos Portos.

Notícias.


Um grupo de 28 empresas e famílias que exploram portos no Brasil injetou pelo menos R$ 121,5 milhões em campanhas eleitorais e na direção de partidos políticos em apenas três anos, de 2010 a 2012. Fonte: Folha.

As empresas tinham interesses diversos na discussão da Medida Provisória dos Portos, proposta de alteração das regras do setor apresentada pelo governo Dilma no fim de 2012 e aprovada no Congresso na semana passada. Fonte: Folha.


O grupo empresarial sob controle de Dantas, que inclui o banco Opportunity e a Agropecuária Santa Bárbara, doou mais R$ 3,9 milhões, 97,4% dos quais para a Direção Nacional do PT. O maior doador do setor de portos foi o grupo Odebrecht, com R$ 66 milhões. O PT recebeu 36% desse volume, seguido por PSDB (28,5%) e PMDB (22%). A Libra Holdings direcionou 57,5% de suas doações para o PSB, partido do ministro Leônidas Cristino (Secretaria Especial de Portos). Fonte: Folha.

Bem, o resto é por conta de vocês. Tirem suas próprias conclusões e reflitam bem, em que mãos nós eleitores entregamos a administração do País. Também, aproveitando a fala do ministro Joaquim Barbosa, os partidos políticos, de maneira geral, são de mentirinhas.  STOP!  Antes, que eu vá preso e vocês ficarem sem o meu blog. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12


segunda-feira, 20 de maio de 2013

Programa Bolsa Miséria é um engodo!


Bolsa miséria é maior engodo dos governos Lula e Dilma.  Todo mundo tem medo de criticar o programa Bolsa Miséria e serem taxados de elitistas.  O Lula criou mesmo é curral eleitoral para o seu projeto político e do seu partido, o PT.  Não se combate pobreza absoluta dando R$ 70 per capita mês para os beneficiários.  É um absurdo pensar que acabou ou zerou a pobreza absoluta com R$ 910,00 por ano, per capita.  Isto é esmola institucionalizada!

Está em discussão, a linha tênue que separa os miseráveis dos não miseráveis.  Esta linha, de acordo com o Banco Mundial, se refere a US$1 per capita dia de gastos.  Primeiro de tudo, este valor de pouco mais de R$ 2 por dia per capita, é totalmente incompreensível e irracional.  US$ 1 per capita dia, pode funcionar no Burundi, na África, mas aqui no Brasil isto é menos que a população dá de esmola.  

Pensem  bem, o que pode fazer com R$ 2 per capita dia.  Se for aqui em Curitiba, onde moro, não pagaria nem a passagem de ida de um ônibus coletivo, pois a passagem custa R$ 2,85.  Bem, para o cidadão sair de casa e ir procurar emprego, só a cada 3 dias, quando completar R$ 6, correspondente a tarifa ida e volta.  Nesse ínterim o cidadão tem que optar por não comer.  Ah, para comer, uma porcaria de marmita custa mais que Bolsa Miséria de 3 dias.  Isto significa que o cidadão consegue se alimentar com 1 refeição a cada 3 dias.  Nada a ver com 3 refeições por dia do Lula.  Na cabeça do Lula, o povo gasta R$ 2 para fazer 3 refeições diárias.  

O Bolsa Miséria, com certeza absoluta, deve estar sendo distribuído como esmola para quem já tem emprego informal, muito acima do R$ 70 mensal per capita.  A ideia do Bolsa Miséria não é contemplar cidadão com renda extra a R$ 70, mas sim para completar o valor até alcançar os R$ 70 mensal per capita.  Quem ganha acima de R$ 70 mensal per capita, pelo princípio do programa não deveriam ter direito.  Como as contas não fecham, devem ter milhões e milhões recebendo Bolsa Miséria, irregularmente. 

Dilma diz que o programa atende 22 milhões de miseráveis do País, com licença do uso da palavra, para com os mais humildes do Brasil.  Se 22 milhões ganha menos que R$ 70 mensal per capita, é de se super que o cidadão beneficiário esteja sem emprego ou está com sub-emprego, sem carteira assinada.  Quero saber onde está incluído este contingente de pessoas.  Como desempregados não devem estar, porque o IBGE diz o contrário.  

Diz a estatística do IBGE que o índice de desemprego está pouco acima de 5%, isto traduzindo em números deve ser menos de 4 milhões de desempregados no País.  E essa turma que ganha Bolsa Miséria, que se supõe desempregados, no total de 22 milhões, onde se enquadra?  Eles estão excluídos da estatística oficial.  Os números não fecham.  Em tese, este contingente de pessoas, não deveria passar de 4 milhões de pessoas, igual ao número de desempregados.  Será mesmo que a Dilma considera a diferença de 18 milhões, como excluídos que não entram nem nas estatísticas?  

Assisti pelos noticiários de televisão que se aglomeravam em frente às agências da Caixa Econômica, em função do boato.  Estas pessoas incluídas no programa Bolsa Miséria, excluídos socialmente parecia não ser.  Maioria, homens e mulheres com aparência forte e saudável que mais parecia um desempregado do que um excluído socialmente.  Afinal, quem são os beneficiários do Bolsa Miséria?  De certo, eles são as párias, são excluídos socialmente.  Simplesmente não existem, nas estatísticas.  

Creio que devo devolver o diploma de engenheiro civil à UFPR, pois fiz cadeira de Economia e Estatística, mas não são aplicáveis nos governos do PT. Uma outra hipótese é que devo considerar, em respeito aos meus mestres da Universidade, é que os presidentes Lula e Dilma tenham fugidos da escola, pois não sabem fazer uma simples conta de aritmética, de somar e diminuir.  Assim sendo, concluo que o programa Bolsa Miséria é um engodo! 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

BOVESPA. Por que continua PATINANDO?


No final de semana, polemizei demais a política brasileira.  Vou dar descanso aos políticos brasileiros.  Vamos aos meus leitores investidores, sobretudo, investidores de ações. Veja a notícia e vamos aos comentários.


Há exatos cinco anos o Ibovespa, índice que serve como referência para o desempenho da Bolsa de Valores de São Paulo, marcava 73.516 pontos. Era o pico histórico do principal termômetro dos negócios com ações no país. Fonte: Folha.

Hoje longe daquele patamar (com 55.164 pontos na última sexta), o índice não dá sinais de recuperação em médio prazo. À época do recorde, o país acabara de obter o chamado "grau de investimento", selo de bom pagador de dívida. Fonte: Folha.

Comentário.

O governo Dilma está desmantelando a economia brasileira, com várias medidas que abaixo comento sem me aprofundar.  A principal causa é o engessamento da economia.  As empresas brasileiras sofrem com as medidas que a equipe econômica da Dilma toma.  Cada dia uma novidade, sem contar com os problemas crônicos como a falta de infraestrutura no País.  O reflexo vem no desempenho das companhias listadas na bolsa.  Como o índice Bovespa é composta de ações de companhias abertas, o resultado não poderia ser diferente, índice  Bovespa fica patinando nos patamares atuais.

O índice histórico 73 mil pontos alcançado no auge, antes da crise de 2008, corrigido pelo índice inflacionário do período deveria estar em 90 mil pontos.  Pois, estamos patinando no patamar de 55 mil pontos.  Como o desempenho da bolsa reflete a "expetativa" da economia do País como todo, dá para imaginar a "apreensão" dos investidores institucionais e especuladores com relação aos resultados esperados para o ano de 2013 sobre inflação e o crescimento do PIB.  Fatores estes que influenciam o Selic, segundo prática da equipe econômica.

O mercado financeiro percebe que a presidente Dilma, usa tarifas administradas e câmbio como âncora da política econômica (sic), se é que tem algum.  As tarifas administradas estão comprimidas, fazendo o balanço das empresas como a Petrobras e a Eletrobras verem seus lucros minguarem dia após dia.  Por outro lado, a compressão exgerada do câmbio faz como que as empresas exportadoras de commodities e de bens de capital sofram as consequências, perdendo competitividade no exterior.

Para ajudar ainda mais a instabilidade do índice Bovespa, ocorrem problemas de estelionato, com manipulação das ações das companhias semi-falidas, como as das empresas OGX e JBS, por sinal, ambos das famílias Batista$, distintas.  Primeira do menino Eike Batista e o segundo dos meninos Joesley e Wesley Batista.  O mercado fica mais temeroso ainda, porque ambas companhias contam com a participação expressiva dos financiamento do sistema bancário oficial, tais como BNDES, Fundos e CEF.

Enquanto a presidente Dilma, não estabelecer uma política econômica consistente, sem os engessamentos e manipulações, o índice Bovespa vai ficar nesta lenga lenga, com prejuízos para os investidores, sobretudo, pequenos e desvisados.  Para contrastar como a nossa bolsa, as bolsas de Nova York e de Tóquio, estabelecem recordes atrás de recordes.  Ainda assim, a Dilma acha que nós é que estamos certos e eles, os EEUU e Japão, estão errados.

Dilma, vamos contar lorotas para os terceiro mundistas!  Liberem a economia do Brasil e deixem a gente, nós empresários, trabalharem!  Chega de fazer campanha de reeleição Dilma 2014! Paciência tem limite, presidente!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

domingo, 19 de maio de 2013

ÁLVARO DIAS, Presidente 2014!


Ontem, teve a convenção do PSDB para escolha da Executiva Nacional para próximo biênio, conforme noticiado em principais jornais do Brasil.  Foi eleito para presidir o PSDB, a figura do Aécio Neves, ex-governador de Minas Gerais.  Foram eleitos nos principais postos, também, a tropa de choque do ex-governador de São Paulo, José Serra, o que motivou este a escrever a possível candidatura do José Serra à presidência da República.  

A matéria sobre José Serra, teve repercussão positiva e negativa.  Mas, houve muitas manifestações, nas redes sociais a citação do nome do senador Álvaro Dias como sendo sendo desejável, por muitos participantes, no lugar do José Serra.  Já citei como possível postulante, os nomes da Dilma, Lula, Michel Temer, Aécio Neves, Eduardo Campos, Geraldo Alckmin e José Serra.  Hoje, vou ensaiar uma possibilidade da candidatura do senador Álvaro Dias à presidência da República em 2014.  

No caso do senador Álvaro Dias, minha posição é delicada em  escrever esta matéria, sugerindo à sua candidatura, por ser amigo do senador pelo Paraná.  Não conversei este assunto com o senador e  nem tenho autorização para lançar a sua candidatura ao cargo máximo da República.  Tudo aqui, se passa como ilações da minha parte.  É provável que eu leve reprimenda do senador, mas o faço em nome de alguns amigos da rede social.  Prometi-os.  

No estado do Paraná, as notícias dão conta de que ele é candidato à reeleição ao Senado Federal pelo PSDB.  Segundo comentário de principais analistas políticos da terra dos pinheirais é de o nome dele é imbatível para recondução ao Senado Federal.  Duas coisas são certas, ele, senador Álvaro Dias não é candidato ao governador do estado do Paraná, pois ele vai respeitar o governador Beto Richa que  é candidato à reeleição pelo PSDB.  Outra situação é que ele não será candidato à presidência da República pelo PSDB.

Mas, o quadro dos postulantes à sucessão da presidente Dilma Rousseff não está ainda definido.   Em tese, até o dia 4 de outubro deste ano, existe possibilidade de troca-troca de partidos, com vistas às candidaturas nas eleições de 2014, para qualquer cargo eletivo.  Dentro desta tese é que enquadro o nome do senador Álvaro Dias como sendo candidato à presidência da República.  

História política o senador Álvaro Dias tem.  Na vida privada ele foi radialista em Londrina.  Elegeu-se vereador em 1968 pelo MDB. Foi deputado estadual em 1970, deputado federal em 1974 e 1978. Em 1982 elegeu-se senador pelo PMDB.  Em 1986 elegeu-se governador do estado do Paraná. também pelo PMDB.  Em 1998, foi eleito senador pelo PSDB. Em 2002, pelo PDT, concorreu ao governo do estado do Paraná, perdendo para senador Roberto Requião. Em 2006, elegeu-se senador pelo PSDB e seu mandato expira em 2014.  

Álvaro Dias, governador ficou conhecido como tocador de obras, asfaltou diversas rodovias estaduais, que até hoje, não tem quem o suplante nas estatísticas. Álvaro Dias, como parlamentar, atuou ativamente contra a corrupção, o que motivou, inclusive a sua expulsão juntamento com o senador Osmar Dias, seu irmão, do PSDB. A saída motivou os irmãos Dias a se abrigar no PDT.  Osmar Dias, ainda permanece no PDT, atualmente, ocupando uma diretoria do Banco do Brasil.  

Isto não foi dito por ele, mas digo eu, que o Álvaro Dias poderá ser candidato à presidência da República.  A candidatura do Álvaro Dias só poderá ocorrer, se o PDT do Carlos Lupi e do senador Cristovam Buarque, o aceitarem de volta ao partido e aceitarem, também, como seu candidato à presidência da República.  É uma costura política difícil, mas não é impossível e nem improvável.  De outra forma, ele não tem chance de ser candidato à presidência da República, mesmo que os seus seguidores assim o quiserem, a legislação eleitoral não o permitiria.  

Na política tudo é possível.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12,

sábado, 18 de maio de 2013

Bomba! JOSÉ SERRA Presidente 2014!


Hoje, dia 16, vai ocorrer em Brasília a convenção nacional do PSDB para escolha do presidente do partido.  Pelas notícias dadas no jornal Estado, o grupo do José Serra, vai integrar a chapa, afastando definitivamente a possibilidade da mudança do partido do ex-governador de São Paulo, José Serra.  Vejam a notícia e na sequência o meu comentário.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta quinta-feira, 16, que irá à convenção nacional do partido, no sábado (18) em Brasília, ao lado do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do ex-governador José Serra, e que os paulistas estarão "muito bem representados" na nova executiva da sigla. Fonte: Estadão.

Comentário.

Venho apresentando neste blog algumas alternativas de candidatura de nomes expressivos na política brasileira para o posto máximo do Poder Executiva do País.  Já falamos da Dilma, do Lula, da Marina Silva, do Michel Temer, do Eduardo Campos e Geraldo Alckmin.  Continuarei, a minha análise sobre possíveis alternativas para as eleições de 2014.

As últimas movimentações articuladas pelo governador de São Paulo Geraldo Alckmin, a primeira constatação é de que José Serra vai permanecer no PSDB, contrariando expectativa de alguns analistas da sua saída do principal partido da oposição.  José Serra permanece no PSDB.  

Pela indicação dos nomes ligados ao ex-governador José Serra, praticamente descarta a sua postulação ao posto de presidência da República, pelo menos em 2014.  Governador Geraldo Alckmin, está a demonstrar, com este último gesto, de que será candidato à reeleição ao posto de governador do estado de São Paulo.  Após a publicação da matéria sobre sua possível candidatura à presidência em 2014, pude perceber a reação do povo paulista, da preferência da reeleição do Alckmin como governador de São Paulo.

Os nomes indicados pelo governador Geraldo Alckmin ao candidato à presidência do PSDB Aécio Neves, para compor a Executiva do PSDB, mostra claramente a intenção do José Serra em influir na escolha do candidato à presidência pelo seu partido.  São indicações do Alckmin, Mendes Thame, Alberto Goldman e Andrea Matarazzo, sendo que o primeiro nome para ocupar a Secretaria Geral do partido.  Secretaria geral é o cargo chave para articulações dos convencionais na escolha do candidato na convenção do partido no final do mês de junho de 2014.

A ocupação da Executiva Nacional pela tropa de choque do ex-governador de São Paulo, tudo leva a crer que ele, José Serra, será candidato à presidência da República em 2014, contrariando a expectativa da maioria dos polítocos dentro e fora do quadro partidário.  É um fato, novo.  Aécio Neves será presidente do PSDB, na convenção de hoje, mas não será escolhido como candidato à presidência da República pelos convencionais do partido se José Serra declarar-se como pretendente ao cargo.  

José Serra como candidato à presidência da República, embora não seja nome que me empolgue, pela sua personalidade conhecida por todos de ser extremamente individualista, ele tem a seu favor ser nome com forte raiz no estado de São Paulo, com 22% do colégio eleitoral do País.  Minas do Aécio representa 13% do colégio eleitoral.  Tem a seu favor, também, nome conhecido nacionalmente, por ter sido candidato à presidência, disputando com o Lula. 

José Serra tem ainda, como fiel escudeiro, o nome como do senador Aloysio Nunes, líder do PSDB no Senado, o que faz diferença a desfavor do Aécio Neves.  Sendo José Serra candidato à presidência da República, certamente, contará com o PSD do ex-prefeito Gilberto Kassab na aliança para eleições presidenciais.  Pode sair dobradinha PSDB/PSD em nível nacional.  Na aliança Gilberto Kassab poderá ser indicado como vice do Alckmin ou candidato ao Senado na aliança desenhada.  

Esta possibilidade não foi aventada por nenhum jornal de circulação nacional, mas é um fato importante a ser considerado.  Anotem no seus cadernos, que nos próximos dias, a mídia nacional vai falar muito sobre esta possibilidade.  Afirmo que esta matéria não se trata de informações privilegiadas, até porque, não tenho nenhum acesso aos bastidores do PSDB em nenhum nível.  Sigo apenas a lógica da política brasileira.  

PSDB poderá ter José Serra como candidato à presidência em 2014. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12