Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

LUA E DILMA SUBTRAIRAM 9,48 BILHÕES DO FGTS


O objetivo do FGTS.

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS foi criado pela Lei nº 5.107 de 13 de setembro de 1967, como opção ao regime de estabilidade celetista, reformulado pela Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990, e regulamentado pelo Decreto nº 99.684, de 08 de novembro de 1990, com duplo objetivo:
- assegurar ao trabalhador optante a formulação de um pecúlio ao tempo de serviço em uma ou mais empresas, para ampará-lo em caso de demissão e a seus dependentes em caso de falecimento, e
- fomentar políticas públicas por meio de financiamento de programas de habitação popular, de saneamento ambiental e de infraestrutura urbana.

O FGTS , de natureza privada e sob gestão pública, é regido por normas e diretrizes estabelecidos pelo Conselho Curador do FGTS, compostos por representação dos trabalhadores, empregadores, órgãos e entidades governamentais. São reprentados pelos representantes indicados pelos:

  • Ministro do Trabalho e Emprego, que exerce a sua presidência;
  • Ministro das Cidades, que exerce a vice-presidência;
  • um representante do Ministério da Fazenda;
  • um representante do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão;
  • um representante do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior;
  • um representante da Caixa Econômica Federal (Agente Operador);
  • um representante do Banco Central do Brasil; e
  • Coordenador-Geral do FGTS, da Secretaria-Executiva do Ministério do Trabalho e Emprego, que exerce a Secretaria do Conselho.
  • Central Única dos Trabalhadores - CUT;
  • Confederação Geral dos Trabalhadores - CGT;
  • Central Força Sindical - CFS;
  • Social-Democracia Sindical - SDS.
  • Confederação Nacional da Indústria - CNI;
  • Confederação Nacional do Comércio - CNC;
  • Confederação Nacional das Instituições Financeiras - CNF;
  • Confederação Nacional dos Transportes - CNT.
A estranheza dos fatos sobre o subsídios concedidos ao Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), começa assim:

No Relatório de Administração do Exercício 2011, consta entre outras coisas, sobre aplicações de recurso diz que a Caixa Econômica Federal, Agente Operador do FGTS, é responsável pela concessão de créditos aos agentes financeiros para a realização de operações de aplicação dos recursos do FGTS.  Diz ainda o mesmo Relatório:

-No exercício de 2011, a aplicação dos recursos do FGTS, no que diz respeito aos programas destinados a pessoas físicas e jurídicas, vinculados à área de Habitação Popular, foi positivamente marcada pela continuidade do Programa Minha Casa Minha Vida.

-Mais uma vez, o FGTS não se furtou a colaborar com o desenvolvimento nacional, alinhando-se à política setorial de habitação do Governo Federal, com adoção de medidas que vierem a compatibilizar suas diretrizes de aplicação com as diretrizes estabelecidas para execução da segunda etapa de PMCMV.

-Do total dos financiamentos concedidos com recursos do FGTS em 2011m R$ 19,66 bilhões foram realizados no âmbito do PMCMV, com o total de 305 mil unidades produzidas, das quais 250 mil foram beneficiadas com descontos financeiro total de R$4,32 bilhões. 

-Segue ainda demonstrativo dos descontos financeiros no exercício de 2009 no valor de R$1,29 bilhão e no exercício de 2010 no valor de R$3,86 bilhões, totalizando em 3 exercícios,de 2009 a 2011, valor total de R$9,48 bilhões.

-Os descontos financeiros foram estabelecidos pela Resolução CCFGTS 460/04, de 14 de dezenbro de 2004.

O roubo consumado ao patrimônio do trabalhador em globo e especificamente ao patrimônio individual de cada um dos detentores da conta de depósito do FGTS, configura conforme abaixo:

Os descontos financeiros com mutuários foram contabilizados como "Despesas Operacionais" nas Demonstrações do Resultado do Exercício Findos em 31 de dezembro de 2012, conforme o mesmo Relatório.  

Tudo isto está publicado e anotado no Diário Oficial da União, como segue:

O Conselho Curador do FGTS aprovou o Relatório de Atividades do exercício de 2011, pela Resolução nº 692, de 24 de Julho de 2012 e publicado no Diário Oficial da União do dia 2 de agosto de 2012, Seção 1, Página 38.

A denúncia.  

O governo federal, sob gestão do presidente Luis Inácio Lula da Silva e posteriormente pela presidente Dilma Rousseff, não poderiam ter instituído subsídios ao Programa Minha Casa Minha Vida, subtraído do patrimônio individual de FGTS de cada trabalhador.

As medidas tomadas pelo Conselho Curador do FGTS, em obediência às ordens emanadas do Executivo, poderão ter cobertura legal, mas no entanto, diante do prejuízo causado ao patrimônio individual de cada trabalhador, isto no, no mínimo, configura a prática de gestão fraudulenta, uma vez que fora divulgado amplamente em peças publicitárias do lançamento e da operacionalização do Programa Minha Casa Minha Vida que o subsídio estava sendo dado pelo governo da União.  

No meu entender, deverão o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e atual presidente Dilma Rousseff, restituir o valor de R$ 9,48 bilhões ao patrimônio do FGTS, de onde saiu o subsídio autorizado por eles, subtraído do patrimônio individual do trabalhador, sob pena de crime de responsabilidade. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: sakamori10.  E-mail: sakamori10@gmail.com

SERRA DESCENDO A SERRA!

O candidato José Serra (PSDB) caiu de 26% para 20% em duas semanas e está empatado tecnicamente com o petista Fernando Haddad na segunda colocação da corrida pela Prefeitura de São Paulo, de acordo com a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo. O líder, Celso Russomanno (PRB), subiu cinco pontos nesse período e chegou a 31%. Fonte: Folha.

Impulsionado pelo início da propaganda eleitoral no rádio e na TV, Haddad cresceu de 9% para 16% desde a pesquisa anterior, feita entre 13 e 15 de agosto. Como a margem de erro é de 3 pontos para mais ou para menos, Serra pode ter de 17% a 23% e Haddad, de 13% a 19% - daí o empate técnico. O candidato do PT tem usado a TV para promover sua ligação com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff. Fonte: Folha.

Eu já tinha comentado pela rede social Twitter de que o candidato José Serra não iria ganhar eleições para prefeitura da cidade de São Paulo.  O motivo é a costumeira prepotência do candidato, egoísta de marca maior, o sabe tudo, segundo amigos chegados ao candidato Serra.

Os principais partidos do país o PT e PSDB serão os maiores perdedores destas eleições, sobretudo em grandes capitais.  O desgaste causado com as brigas de ringue, verbalizadas na CPMI do Cachoeira, tem tudo a ver com a derrota de ambos partidos.

Amanhã, post do artigo : Lula e Dilma roubam R$ 9,48 BI do FGTS. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10   

PT CONTRA PETISTAS

Estava a assistir programa na TV Cultura, uma entrevista com líder sindical, um dos comandantes da greve dos funcionários públicos.  Já o vi em várias reportagens sobre greve dos servidores federais.  À despeito de greve dos funcionários federais não terem comando único, o que vale é o que vou comentar abaixo.

Segundo o representante da OAB, na própria entrevista, o direito de greve dos funcionários federais, está previsto na Constituição Federal de 1988, porém ainda não regulamentada pela lei.  Sendo assim, por falta de uma legislação própria, de alguma forma, procura seguir as mesmas regras do setor privado.  O que a meu ver, uma tese totalmente equivocada, porque os serviços públicos, como a própria denominação diz, são essenciais à vida cotidiana da população. 

A recente greve da Anvisa, Agência Nacional da Vigilância Sanitária, é um exemplo de que não pode haver greves em detrimento da saúde pública em alguns setores do serviço público.  Remédios retidos em portos por falta de inspeção sanitária, podem estar causando danos irreparáveis à população doente deste país, conforme mostrou na própria reportagem da TV Educativa. Outro exemplo, foi mostrado por uma outra reportagem é a greve dos funcionários do Hospital das Clínicas da UFPR, onde estava atrasando o serviço de transplante de medula [óssea, que só alguns hospitais realizam, entre eles aquele.  Muitos doentes com chances de serem curados não as tiveram, e ficaram à mercê da própria sorte, por falta de oportunidade, em decorrência da greve.

Conclui-se então que a greve dos funcionários públicos deverá ser urgentemente regulamentada para que as revindicações dos funcionários públicos federais não caiam num buraco negro, sem solução.  Há necessidade de regulamentação através de lei, porque assim diz a Constituição da República de 1988.

O Partido dos Trabalhadores está no poder desde 1º de janeiro de 2002, portanto há exatos 9 anos e 8 meses.  Estranha muito que neste interregno de tempo, o governo do PT, não tenha encaminhado ao Congresso Nacional, regulamentação da lei da greve dos funcionários públicos, que na essência são também trabalhadores.  Pior ainda, o que ouvi do líder sindical na entrevista na TV Educativa, o governo Dilma, não mostrou e não mostra disposição de mandar o projeto de lei que regulamenta o assunto tão controvertido.  É meu dever, apesar de não fazer parte do Partido dos Trabalhadores, exigir ao governo Dilma, que regulamente de uma vez por toda a greve dos trabalhadores do serviço público, para que a população não venha, novamente, pagar o pato pelos malfeitos do governo.

Quem diria, PT indo contra Petistas. Os trabalhadores não são base do Partido dos Trabalhadores?

O próximo artigo será: Lula e Dilma roubam R$ 9,48 bilhões do FGTS.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

BOLHA IMOBILIÁRIA IV. O QUE FAZER AGORA?


Como nos anos recentes houve um boom imobiliário nas regiões metropolitanas e um encarecimento (e também esgotamento) expressivo de áreas para incorporação, a taxa de retorno nas grandes metrópoles ficou menor, quando não inexistente.  Fonte: Folha.

Nesse cenário, há um impasse: baixas velocidades de venda e não viabilidade de novos empreendimentos.  E o alto nível de estoque de apartamentos prontos cria ainda mais barreiras para novos lançamentos.  Assim, é possível afirmar que a tendência para os próximos quatro anos é a redução no ritmo de vendas e, consequentemente, estagnação do preço por metro quadrado, o que significa, na prática, redução do preço real, devido ao efeito da inflação. Fonte: Folha.

Como comentados acima pelo jornal Folha, a bolha imobiliária no Brasil estourou.  Já podemos conjugar o verbo no passado. Os investimentos especulativos em imóveis pelo menos nos próximos 12 meses, na minha opinião e 4 anos na da Folha não são nada animadores.  Literalmente, os investidores que já os fizeram estão com o quase mico na mão.  Melhor sair agora, com algum prejuízo do que ficar com o mico total.  

Este que lhes escreve, já vem chamando atenção para este estouro há alguns meses, esta matéria já é quarta de uma série.  

O que fazer agora?  Para os que realmente quer passar do aluguel para imóvel próprio, é recomendável tomar algumas cautelas.  A primeira cautela é que as construtoras e incorporadoras estão muito expostas ao risco de quebra, portanto a recomendação é pela postergação por alguns meses para ver como fica.  Além do fato de ter chance de comprar por menor preço.  A segunda cautela é que as compras sejam feitas, de imóveis prontos.  Seguro morreu de velho, como diz o velho ditado.  As construtoras vão parcelar a entrada destes imóveis prontos, também.  Não se preocupem.  Se tem dinheiro para entrada, deixe na caderneta, isto dá poder de negociação na hora de fechamento.

Fiquem atentos à saúde financeira das empresas PDG e Brookfield como já noticiado no artigo anterior.

Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10 

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

LÍDER DO PMDB LEVARÁ OBRA DE R$ 7 BILHÕES. ISTO QUE É GOVERNO DILMA

Líder do PMDB na Câmara e pré-candidato à Presidência da Casa, o deputado Henrique Eduardo Alves faz lobby no Tribunal de Contas da União para que um de seus sócios obtenha o contrato de concessão da BR-101, entre o Espírito Santo e a Bahia. O negócio envolve cerca de R$ 7 bilhões. 

A concessão da BR-101 é a primeira do governo Dilma Rousseff e está parada no TCU e na Justiça por questionamentos da Rodovia Capixaba, segunda colocada no leilão do trecho, à classificação, em primeiro, do consórcio Rodovia da Vitória. Após sucessivos adiamentos, o tribunal marcou para hoje julgamento de recurso do Ministério Público junto ao TCU para impedir a contratação do grupo vencedor por supostas falhas na proposta.  

A concessão da BR-101, cujo leilão foi realizado em janeiro, definiu o consórcio Rodovia da Vitória como vencedor com preço de pedágio mais baixo. A proposta do grupo não continha 35 itens exigidos pela Agência Nacional de Infraestrutura de Transportes, o que foi complementado em diligências posteriores. A omissão levou o Ministério Público Federal a pedir liminares suspendendo o processo, concedidas pela Justiça. O TCU, que também havia decidido pela suspensão, revogou a medida após esclarecimentos da área técnica, o que levou ao recurso que será apreciado hoje. O trecho da concessão tem 475 quilômetros e será explorado pelo grupo vencedor por 25 anos. 

O crédito da matéria acima é do Estadão de hoje.  Como vocês podem ver, está tudo em casa.  O líder do PMDB na Câmara, faz parte da base de apoio do governo Dilma.  Acho que nem precisa comentar mais.  Mais uma teta em favor dos aliados políticos, mesmo que tenha que desclassificar o primeiro colocado nas licitações.

Este é o governo Dilma. Anotem, para cobrar depois.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10 

DILMA, É FÁCIL ANUNCIAR ESPUMA, DIFÍCIL É REALIZAR


Tony Blair, ex-primeiro-ministro do Reino Unido que se encontrou com a presidente Dilma Rousseff e participou de um seminário sobre competitividade, disse nesta terça-feira (28) que o Brasil precisa realizar mudanças para continuar crescendo. Fonte: Folha.

"Nos últimos 20 anos, o Brasil tem tido uma história de sucesso e um progresso extraordinário, mas com o desenvolvimento da economia há desafios que mudam as coisas", disse Blair. "Hoje, o foco é em competitividade, em educação, em como as pessoas fazem seus negócios" Fonte: Folha.


Para o ex-premiê britânico, as coisas mais importantes para a economia da América Latina são infraestrutura de qualidade, educação, capital intelectual forte e um ambiente de negócios previsível. "É fácil ver o que precisa ser feito", disse Blair. "O desafio é realizar." Fonte: Folha.

Concordo com o ex-primeiro ministro Tony Blair, nos trechos pinçados acima, da reportagem da Folha, sobre o evento sobre competitividade.  

Nos últimos 20 anos, o Brasil passou por mudanças radicais.  Na primeira década, o desenvolvimento do país foi baseado em estabilização da moeda e na lei que regula a responsabilidade fiscal.  Na segunda última década foi marcada pela ascensão da classe de renda mais baixa ao patamar de classe média, comumente denominado de classe de emergentes.  O povo e especialmente os últimos governantes bradam pelo crescimento econômico do país, em termo de PIB, mas esquecem-se de crescimento em outras áreas que foram relegadas ao segundo plano, nas últimas duas décadas.

Infraestrutura de qualidade, como diz Blair, é o que o Brasil tem de menos.  Há duas décadas que o país não elabora um planejamento estratégico de médio e longo prazo, com exceção apenas referente a utilização do matriz energético.  No campo da infraestrutura logística, a Dilma acaba de lançar uma colcha de retalhos de uma rede de infraestrutura que tem pouco a ver com a necessidade do país.  Tem muito mais a ver com o atendimento ao reclamo político dos aliados de base.  Não há Plano de desenvolvimento Econômico Social de longo prazo.  Tem apenas um PPA.

Educação e capital intelectual são pontos importantes, mas muito fracos, do Brasil.  As nossas universidades, com exceção da USP, são os mais atrasados do mundo, pouca produção em inovação tecnológica.  A produção de patentes "per capita" é a mais baixa do mundo, o que demonstra que o país está no "status" de baixa intelectualidade.  O país não consegue se impor perante o mundo como "inovador tecnológico", ao contrário, apesar de sucesso econômico das últimas décadas, continuamos sendo o provedor de commodities.  Importamos tudo, de agulha a ferramentas industriais.  O desafio é grande para vencer o "gap" que nos separa do primeiro mundo.

Com política econômica de curto prazo, executada pela equipe econômica, mudando a cada 45 dias, produzindo solavancos no mercado e dificultando o planejamento econômico e financeiro das empresas privadas, fica difícil de dizer que o Brasil tem um ambiente de negócio previsível.  Tocar empresas no Brasil é como comandar uma embarcação no meio de tempestade, não sabe o que acontecerá no dia seguinte, imagine fazer planejamento de médio e longo prazo.  Isto não é possível, no Brasil.  

É fácil de ver o que precisa ser feito, o desafio é realizar.  Foi o que disse o Blair.  É o que os governantes das últimas décadas tem feito, falam muito mas fazem pouco.  Implementam alguns programas ícones e ficam por isso mesmo.  Anunciam-se muitas espumas mas poucos conseguem transformar em obras ou em medidas de longo prazo.  Ficam, a maior parte em obras e medidas inacabadas, um verdadeiro desperdício de dinheiro público.  Vamos repetir, novamente o Blair, "o desafio é realizar".  Fica a lição, de um ex-governante do país que realizou as últimas olimpíadas com muita esmero e organização. 

Dilma, chega de espuma e vamos botar a mão na massa?  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10

terça-feira, 28 de agosto de 2012

TEATRO DE FANTOCHES. PAGOT NÃO VAI FALAR. SE FALAR TUDO, CAI DILMA

A CPI do Cachoeira tenta ouvir na manhã desta terça-feira, 28, Luiz Antonio Pagot, ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Ao contrário da maioria dos depoentes, que ficam em silêncio diante dos parlamentares, Pagot se diz disposto a falar.

Demitido durante a "faxina da presidente Dilma Rousseff no Ministério dos Transportes em 2011, Pagot fez denúncias recentes que envolvem tanto governistas quanto oposição. Ele acusou PT e PSDB de usarem os governos federal e paulista para bancar a campanha presidencial de 2010. 

À imprensa, Pagot disse que o alto escalão do PT pediu ajuda para conseguir doações de empresas contratadas pelo Dnit para a campanha de Dilma. Sem apresentar provas, culpou tucanos por suposto desvio de dinheiro do Rodoanel para abastecer o comitê do então candidato José Serra. Os dois partidos negam as acusações. Fonte: Folha.

Esse contraventor está devidamente engraxado.  Não vai falar tudo.  Só vai falar o que interessa ao esquema do Lula e companhia.  Se falar tudo vai dar impeachment da Dilma. Escrevam!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

R$ 811 MILHÕES DE CONTAS INATIVAS DO FGTS PRONTOS PARA SAQUES

Assim como acontece com o Fundo 157, existe no FGTS contas inativas no montante de R$ 811 milhões, disponíveis para saques, sem burocracia.  Estas contas, são dos trabalhadores que não fazem depósitos no FGTS há mais de 3 anos, ou seja "Contas Inativas" segundo CEF.

De acordo com o FGTS, são diversas condições para o saque do fundo, mas especificamente as contas inativas tem a seguinte regra: "Quando o trabalhador permanecer por 03 (três) anos ininterruptos fora do regime do FGTS, cujo afastamento tenha ocorrido a partir de 14/07/90, inclusive, podendo o saque, neste caso, ser efetuado a partir do mês de aniversário do titular da conta."

O procedimento para o saque é muito simples, ainda de acordo com FGTS, basta se apresentar no balcão da CEF com o "Comprovante de inscrição no PIS/PASEP ou inscrição de Contribuinte Individual, no INSS, quando empregado doméstico não cadastrado no PIS/PASEP" .

Existem no mercado, muitos espertalhões, que tem uma listagem conseguido, por meios ilegais, tentando prestar serviço de assessoria para tais saques, como são feitas nos casos de Fundo 157.  Os que estão na situação descrita anteriormente, dirijam-se à CEF com os documentos e mãos e em 15 dias, poderão comparecer para o recebimento "em dinheiro", sem intermediários.

Quem souber de prestadores de serviços desta natureza, poderão ser denunciados nas Delegacias de Defesa do Consumidor.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail : sakamori10@gmail.com  

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

AS URNAS VÃO MOSTRAR: SE PT PERDE LULA PERDE

Alguém já disse que se o Partido dos Trabalhadores perderem as eleições nas principais metrópoles do país, o presidente Lula estaria liquidado.  Concordo 100% com a afirmativa, sobretudo em razão de Lula estar engajados nas campanhas dos candidatos do PT nas capitais de importância máxima nas PRÓXIMAS eleições para presidência da República.

Analisando em números frios, parece que a população está a perceber este fato.  Em São Paulo, Belo Horizonte, Salvador os candidatos não petistas estão na dianteira das pesquisas.  No Recife o então líder do PT no Senado Humberto Costa, está perdendo força, diante do candidato do governador Eduardo Campos.  É o troco que o povo deve dar ao presidente Lula, chefe oculto do processo Mensalão.

O primeiro passo, talvez, seja este mesmo.  Derrubar o presidente Lula via votos nas urnas.  Porque se depender da mídia e dos cordões de puxa sacos, o Lula vai continuar mandando no nosso país até o fim da vida dele.  Lula conseguiu cooptar até o New York Times!  Pensar que até as mentes, antes pensado que eram sadias, estão bajulando o presidente Lula, mesmo sabendo que ele é apenas um contraventor como o Cachoeira.  Só que Lula é mais vivo, "não sabe de nada", isto é, aparenta não saber.  

O presidente Lula já fez falcatruas com "operação tapa buraco" na sua reeleição, com roubalheira no DNIT, utilizando-se do dinheiro não contabilizado para enriquecimento próprio.  Pegou o gosto e repetiu a dose com o mesmo DNIT, utilizando do dinheiro não contabilizado para eleger Dilma e enriquecer roubando parte do dinheiro da campanha Dilma 2010 para engordar conta bancária.  Que diga o ministro Antonio Palocci.  É um verdadeiro Dom Coleone que manda matar, se for preciso. Motivo pelo qual, poucos tem coragem de denunciá-lo, porque represálias virão se assim o fizer.

O espaço destinado a comentários poderão ser utilizados para expor suas idéias, concordando ou discordando da minha opinião à respeito do Lula.  Não adianta me agredir nas redes sociais, buzinando no meu ouvido, ameaças típicos de mafiosos.  Que escrevam o que tem a dizer no rodapé deste.  E estamos falados!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

domingo, 26 de agosto de 2012

EU CONTESTO NEW YORK TIMES, LULA É APENAS CONTRAVENTOR!

Lula volta à linha de frente, diz o "New York Times", que dedicou uma reportagem ao ex-presidente em sua edição impressa deste domingo (26). Em destaque, está a relação de Lula com réus do mensalão e seu papel diante de "um dos maiores desafios" de toda a história do PT. "Não acredito que o mensalão tenha existido", afirma Lula ao jornal nova-iorquino, reiterando o que já disse em outras ocasiões. O diário cita brevemente o suposto pedido de Lula ao ministro do STF Gilmar Mendes, em abril, para que o julgamento do mensalão fosse adiado. Fonte: Folha.

Ainda na entrevista, Lula nega ter pretensões de voltar ao poder antes do fim de um suposto segundo mandato de Dilma Rousseff. "Dilma é minha candidata e, se Deus quiser, será reeleita." Sobre a eleição de 2018, porém, afirmou que é difícil para qualquer político excluir as possibilidades de ser candidato. "Um sinal claro de que seu gosto pelo jogo político permanece inalterado", aponta o jornal. "Política é a minha paixão", diz Lula, ao fim da reportagem.  Fonte: Folha.


A matéria foi publicada no jornal New York Times e republicada na jornal diário Folha de São Paulo de hoje.  Passar em branco, sem uma contestação, seria como admitir que eu sou um ser humano lobotomizado, sem nenhum sentimento, sem nenhum brio, sem nenhuma vergonha na cara e sem dignidade.  Pois estou aqui a dizer com todas as letras que o presidente Lula, diante de tanta evidência do processo mensalão, amplamente divulgado em julgamento no STF, não passa de um reles contraventor, chefe da quadrilha que apossou do Palácio do Planalto para meter a mão, literalmente, nos cofres públicos em favor da sua reeleição e dos companheiros da base aliada.

O simples fato de jornal com a envergadura da Folha de São Paulo, republicar a matéria do New York Times, sem ao menos tecer comentários próprios, significa também que o Brasil passa por uma grave crise moral.  Ao caminhar na mesma direção, a imprensa em geral, citando o processo mensalão apenas como fato jornalístico, mostra que o poder público exerce força de coerção intransponível através de verbas publicitárias.  Foi-se o tempo que o Estadão publicava o texto de Camões, nos espaços reservados às matérias que iam de interesses contrários ao regime militar de 1964. 

Digo que sou da resistência.  Sou apenas um caminhante solitário.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

CURITIBA. VIADUTO ESTAIADO GERA DISCÓRDIA NA ELEIÇÃO

Abaixo, inteiro teor sobre o polêmico Viaduto estaiado, sob título: Viaduto estaiado gera discórdia na eleição.  Gazeta do Povo de Curitiba, pág 2, Caderno B, do dia 26 de agosto de 2012.

A construção do viaduto estaiado na Avenida das Torres colocou a atual gestão na mira das oposições em Curitiba.  Os candidatos criticam tanto a falta de debate com a população da região quanto o suposto excesso de dinheiro gasto em uma só obra (cerca de R$84 milhões).  O prefeito Luciano Ducci (PSB) defende o projeto, dizendo se tratar de uma intervenção que trará grande melhoria no trânsito e que será, também, um novo cartão portal da cidade.

O ex-prefeito Rafael Greca (PMDB) propõe a substituição da estrutura estaiada por um viaduto comum, o que significaria uma redução considerável de custo.  "Eu colocaria o viaduto sustentado por dois pilares e reduziria em R$50 milhões o custo.  Usaria este dinheiro para reformar a Avenida das Torres inteira", afirma.  Ratinho Jr. (PSC) diz que a verba investida poderia servir para o aterramento das linhas de energia da via e a construção de um VLT sobre rodas ligando o aeroporto e a rodoferroviária.

Gustavo Fruet (PDT) considera que o projeto apresentado não levou em conta as opiniões da sociedade organizada.  "Em todos os debates que participei, inclusive com profissionais do Ippuc, duas coisas ficaram claras.  Primeiro, (era necessário) mudar o trajeto, o percurso do viaduto.  Segundo, com esse recurso era possível tubular praticamente toda a avenida das Torres para se ganhar um novo eixo", afirma.  Entretanto, como a bora já foi contratada, ele não vê mais outra saída a não ser executá-la.

Ducci defende.  Segundo ele, além de resolver um estrangulamento na avenida, a intervenção contribuiria para o embelezamento da região e servirá como um novo cartão postal para a cidade.  Além disso, diz que o projeto apresentado pela prefeitura já previa a construção desse viaduto, logo, não seria possível redirecionar a verba. (CM)

Totalidade do crédito desta matéria é da Gazeta do Povo, de Curitiba.

CHEGA DE ESPUMA, DILMA! VAMOS TRABALHAR?

Assim como acontece com o feirão de imóveis, o feirão de automóveis apenas mostra a realidade do mercado.  No caso de imóveis oferecem brindes que vão de viagem para nordeste brasileiro ou mesmo um automóvel zero quilômetro.  No caso de imóveis já foi mostrado aqui no blog que faz parte do estouro da bolha imobiliária no Brasil.

Voltando ao feirão de automóveis, o fim oficial da redução de IPI dos automóveis está previsto para o próximo dia 31 de agosto.  Há informações de que o Palácio já fez acordo com as montadoras de prorrogar o prazo de redução do IPI por mais 60 dias.  Isto parece estar já sacramentado e segue a lógica das postura do governo Dilma.  Segurar todas decisões que contrariem interesse da população para depois do segundo turno das eleições municipais.  Acabar com redução do IPI neste momento daria impressão de aumento nos preços de veículos. Isto a Dilma não quer.

Esta política de vale tudo para ganhar eleições municipais, com vistas à reeleição da Dilma em 2014, tem provocado algumas distorções na economia, entre as quais a aqui citada, a renúncia fiscal para as montadoras.  As montadoras são as maiores beneficiárias da redução do IPI, porque conseguiu desovar o estoque de veículos do páteo de fábrica, além de ter a maior venda anualizada dos últimos anos.  

A segunda decisão nefasta é a intervenção do Banco Central no dólar, tentando fixar uma banda informal de R$2,00 a R$2,10.  Uma hora o Banco Central terá que soltar, ou seja deixar flutuar livremente.  Se não fosse a atuação do Banco Central, a cotação do dólar deveria estar no patamar próximo de R$2,40, conforme mostra estudo de diversos institutos de pesquisas econômicas, além do meu.  A principal causa da alta do dólar, ao contrário do que foi apregoada pela Dilma, foi a postergação dos investimentos estrangeiros diretos (IED) além de mercado de commodities estarem mornos por conta da crise europeia e da desaceleração da economia chinesa. Esta situação de intervenção não deverá durar por muito tempo.

A terceira decisão põe em risco a saúde financeira da Petrobras, segurando o preço dos combustíveis, no momento em que a própria Companhia já alertara várias vezes a necessidade destes reajustes sob pena de postergação de investimentos.  Somado ao fato, os preços internacionais de petróleo vem sofrendo aumento significativo em dólar.  Segundo a Petrobras, a "paridade" do preço de combustíveis ao mercado global é questão inegociável, sob pena de sucateamento da Companhia.  Dilma optou pela absorção decorrente da "não paridade" unicamente nas costas da Petrobras, até a realização do segundo turno das eleições municipais.  

Dilma, o seu projeto de reeleições em 2014 vai custar muito caro para a população, dessa forma.  O almoço nunca é de graça, Dilma. O Brasil não pode estar pautada apenas na sua agenda política pessoal.  Dilma, faça o que tem que ser feito, sem manipulações, o povo irá corresponder da mesma maneira na sua reeleição.  Nada de querer virar "pop star" ou uma "Evita" versão brasileira, imponto política de "vale tudo".  Chega de espuma, Dilma! Vamos trabalhar? 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

sábado, 25 de agosto de 2012

MENSALÃO. UMA VERGONHA NACIONAL


O ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos disse na sexta-feira, 24, que o voto do revisor Ricardo Lewandowski, pela absolvição do deputado João Paulo Cunha (PT-SP) no julgamento do mensalão, abre caminho para o triunfo da tese de caixa 2.  Fonte: Estadão.

"Acho que é um começo de reconhecimento da procedência dessa tese. De certa maneira é uma vitória da tese do caixa 2, que não fui eu quem criou, apesar dessa lenda urbana aí de que fui eu quem inventou."  Caixa 2 é a versão apresentada por um núcleo de réus do mensalão para tentar justificar saques em espécie na boca do caixa. A proposição de crime eleitoral se contrapõe à acusação da Procuradoria da República – endossada pelo relator, Joaquim Barbosa –, que imputa aos acusados peculato, quadrilha, corrupção, lavagem de dinheiro e evasão, ilícitos punidos com reclusão. Fonte : Estadão.

Márcio Thomaz Bastos, ministro da Justiça do governo Lula, à rigor é autor de duas teorias, ambas inventadas intempestivamente quando eclodiu o escândalo do mensalão na imprensa brasileira.  Lembro-me o presidente Lula estava em viagem no exterior naquele momento e as teses foram a ele repassadas.  

A primeira é de o presidente Lula deveria defender a tese de que ele "não sabia" de que estava se passando com respeito ao mensalão.  As versões foram contestados pelo governador Marconi Perillo e pelo deputado federal de então Roberto Jeferson de que o presidente Lula sabia sim do esquema que se passava na Casa Civil, anexo à sala do presidente Lula, no 3º andar do Palácio do Planalto.  Como não houve testemunha nas conversas mantidas pelo presidente Lula com os referidos interlocutores, ficou muito fácil defender a tese do "não sabia".  Em razão desta tese, o  presidente Lula, ficou de fora do rol de réus que compõe o mensalão.  O poderoso chefão, ficou de fora.

A segunda tese é de o dinheiro sujo denominado "Caixa 2" como é uma prática comum em campanhas eleitorais,  seria dinheiro de doações anônimas de campanhas eleitorais, apenas não declarado na prestação de contas dos partidos, no caso do PT.  Sabe-se que o Caixa 2, é apenas uma forma de denominar dinheiro roubado do poder público em forma de desvio de verbas ou de sonegação de impostos.  Criou-se uma denominação que à princípio, não agride aos ouvidos da população, acostumado a ouvir sempre Caixa 2 para dinheiro ilícito.  Essa tese do ministro Márcio Thomaz Bastos, de denominar dinheiro da "roubalheira explícita" de "dinheiro não contabilizado" serviu como uma luva para absolver os "contraventores" ou "ladrões" comuns dos cofres públicos.  

De hoje em diante, as teses do "eu não sabia" e "dinheiro não contabilizado" vão ficar valendo como jurisprudências nos tribunais, em especial no STF.  É a oficialização da "roubalheira explícita" do dinheiro público.  Ninguém mais vai ser processado pelo menos por este título.

Liberou geral, para roubalheira explícita das verbas públicas. O Brasil, à partir do julgamento do mensalão será outro país, no sentido inverso em moralidade pública.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

CAMINHANTE SOLITÁRIO

Horizonte vejo, o mesmo da minha infância.
Horizonte vejo, o raiar do sol de manhã.
Horizonte vejo, o azul do céu com luminosidade que me enche de entusiasmo.
Horizonte vejo, com a disposição de um dia começar.
Horizonte vejo, cheio de esperanças.

Noticiário leio, assaltos à mão armada.
Noticiário leio, traficantes dominando favelas de morro,
Noticiário leio, doentes morrendo em corredores de hospitais.
Noticiário leio, políticos roubando escancarado.
Noticiário leio, ministros do Supremo confraternizando-se com os advogados dos réus.

Labor me espera, para cobrir os saldos bancários.
Labor me espera, para correr atrás da máquina.
Labor me espera, para superar enfadonhas burocracia fiscal.
Labor me espera, para contribuir com os tributos.
Labor me espera, para atender auditores trabalhistas.

Lembranças tenho, das coisas retas que meu pai me ensinou.
Lembranças tenho, do respeito que minha mãe exigia aos velhos.
Lembranças tenho, de que o premio vem do trabalho.
Lembranças tenho, das viagens ao primeiro mundo.
Lembranças tenho, da educação dos meus ascendentes nipônicos.

Caminhante estou, olhando para o horizonte.
Caminhante estou, com esperança de dia melhor para o país.
Caminhante estou, olhando para os meus filhos criados como meu pai quis que os criasse.
Caminhante estou, olhando para a minha neta, a esperança do país.
Caminhante estou, com certeza de que este país um dia vai ser digno.

Horizonte está lá, como dantes.
Horizonte está lá, com sol a raiar.
Horizonte está lá, cheio de esperanças.
Horizonte está lá, servindo-me como o meu norte.
Horizonte está lá, para onde serei chamado por Deus.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gamil.com

BOLHA IMOBILIÁRIA III . PDG E BROOOKFIELD EXPLODINDO


A PDG Realty, uma das maiores construtoras do país, foi a empresa de capital aberto do setor de construção e locação com maior prejuízo entre companhias da América Latina e Estados Unidos no segundo trimestre do ano. O levantamento foi feito pela consultoria Economatica. 
A empresa registrou perdas de US$ 222,69 milhões (R$ 450 milhões) entre abril e junho. 

A segunda empresa com maior prejuízo no segundo trimestre deste ano foi a Brookfield com perdas de US$ 189,7 milhões (R$ 383 milhões). Entre as dez empresas com maiores prejuízos, há cinco empresas brasileiras, duas mexicanas, duas americanas e uma argentina.

Veja os prejuízos das empresas

PDG Realty (Brasil): -US$ 222,69 milhões
Brookfield (Brasil): -US$ 189,72 milhões
Beazer Homes (EUA): - US$ 39,88 milhões
Generalshopp (Brasil): -US$ 38,58 milhões
Kaufman&Broad Home (EUA): -US$ 24,14 milhões
Viver (Brasil): - US$ 21,22 milhões
João Fortes (Brasil): - US$ 12,37 milhões
Urbi Desarollos (México): -US$ 9,35 milhões
Dine (México): -US$ 2,76 milhões


Fonte: Folha de São Paulo de 24/8/2012.

É preciso ficar atento para a estouro da bolha imobiliária no Brasil.  As construturas e incorporadoras, tem como hábito vender o projeto na planta.  Os incautos compradores dão como entrada quando da assinatura do contrato de compra, na planta, e pagam prestações mensais e os balões durante a construção.  Muitos destes clientes compram para especulação, com propósito de ganhar dinheiro na revenda, quando da assunção do financiamento imobiliário.  O que poderá não ocorrer se não houver eventual comprador. Vai morrer com o mico na mão.

O mercado de imóveis, já viveu triste experiência do caso Encol, que deixou mais de 40.000 clientes na mão em todo o Brasil.  Muitos daqueles tinham dado como entrada ou pago antecipadamente com o dinheiro da poupança acumulado ao longo de anos.  Na liquidação da Encol, alguns poucos clientes tiveram ressarcimento de parte do prejuízo, após anos de desgastes na demanda judicial.  Coisa semelhante poderá acontecer, com o estouro da bolha imobiliária que estamos a assistir.

Pelo volume financeiro do prejuízo anunciado, tudo leva a crer que as empresas PDG e BrookfiEld poderão estar no mesmo do caminho da Encol, ou seja estão na posição de "Encol ontem".  Se houver quebra de uma destas ou ambas, a consequência no mercado imobiliário vai ser nefasta, configurando tecnicamente como estouro da bolha imobiliária, que nunca este país experimentou antes. 

Não compre imóveis na planta!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

MENSALÃO. LULA, O PODEROSO CHEFÃO!

A apenas 5,4 km do STF (Supremo Tribunal Federal), Gurgel, o ministro Marco Aurélio Mello e advogados dos réus do mensalão confraternizaram numa festa que invadiu a madrugada de ontem.  Algoz dos réus, Gurgel celebrou com os advogados o 80º aniversário de José Gerardo Grossi no salão de um hotel, em Brasília.

"Elegantíssimos, gentilíssimos", repetiu Gurgel ao cumprimentar Arnaldo Malheiros e Alberto Toron, defensores de Delúbio Soares e João Paulo Cunha, respectivamente.  No jantar, a aposta generalizada era pela absolvição de João Paulo, o que ocorreu.


Um dos primeiros a chegar, Gurgel recebeu, ao lado da mulher, a subprocuradora, Cláudia Sampaio, o advogado Márcio Thomaz Bastos com caloroso abraço. "O embate acontece lá. Aqui, é confraternização", justificou Gurgel.


 Ao lado de Gurgel, o antecessor Antonio Fernando Souza não exibia tanta desenvoltura. Autor da denúncia e alvo dos advogados, atacou: "Eles também diziam que não havia dinheiro público. E já há dois votos a favor".


Cercado de advogados, Marco Aurélio brincou com Toron, ausente de Brasília quando Joaquim Barbosa pediu a condenação de seu cliente: "Vou cortar seu ponto", disse.

Ao ex-ministro Sepúlveda Pertence falou do gênio de Barbosa. Descreveu-lhe a sessão em que ele acusou Ricardo Lewandowski de deslealdade.

Lembrando que foi repreendido por Sepúlveda após um arroubo, opinou: "Aquilo ali é meio de vida. Não de morte".

Evanise Santos representou o namorado, o ex-ministro José Dirceu --que, de Vinhedo (SP), telefonou para parabenizar o aniversariante.

O jantar terminou com um show de gaita. No repertório, o tema de "O Poderoso Chefão". 


Acima trechos da notícias pinçadas do jornal de amior circulação no país. Precisa comentar?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail? sakamori10@gmail.com

NATAL DE 2012 SERÁ 0 MELHOR DOS ÚLTIMOS TEMPOS

O ministro Guido Mantega (Fazenda) afirmou ontem que a economia já está dando sinais consistentes de retomada. Segundo ele, as previsões indicam que o último trimestre deste ano fechará com um crescimento de 4%. Fonte: Folha.

Em julho, o índice de desemprego foi de 5,2%, o mais baixo da série histórica nacional, segundo o ministro. No mês, foram criados 142 mil postos de trabalho formais. "Isso no meio de uma crise mundial", disse. Fonte: Folha.

 "O governo está mantendo um programa de incentivo ao investimento para retomarmos as taxas de 2007", disse. Naquele momento, o investimento crescia acima de 20%, superando o ritmo de alta do consumo e do PIB. Fonte: Folha.

Ainda segundo o ministro, se o objetivo for atingido, haverá ainda mais produção e mais consumo. Mantega citou pesquisa de uma consultoria que projeta o Brasil como o quinto maior mercado de consumo no mundo em 2020. Fonte: Folha.

Os trechos acima foram pinçados da Folha, apenas, em pontos convergentes com o meu pensamento.  Dedes 15 de fevereiro deste ano, dia que comecei escrever este blog, não me lembro de ter concordado com a opinião do ministro Mantega.  No entanto, neste caso concordo com o ministro Mantega no tocante ao crescimento do último trimestre do ano em 4% , isto anualizado vai dar abaixo de 1,8% porque o crescimento dos primeiros 2 trimestres foram pífios.

Eu já disse e repito aqui, o Brasil é maior que os partidos políticos.  O país cresce pela vocação, apesar de políticas econômicas equivocadas de sucessivos governos.  A história do Brasil mostra isso, o Brasil cresceu e cresce desde à época de revolução, período em que me tornei empresário.  Basta que as ideologias de partidos políticos não atrapalhem para o Brasil ser uma potência mundial.  Pode colocar um ou uma presidente medíocre ou melhor até melhor que coloquem um  ou uma medíocre.  Presidente medíocre pelo menos ouve os reclamos da população, do que personagens carimbadas que estão muito mais preocupados com a sua própria imagem e popularidade do que a demanda do país.  

O Natal de 2012, será no ponto de vista econômico, o melhor dos últimos tempos.  É a minha previsão.  Veja que tenho acertado a maioria dela.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

LULA É ANTA OU CHEFE DE QUADRILHA?

Ao assistir o relatório do ministro Joaquim Barbosa sobre parte do julgamento do mensalão, dá para perceber que houve um verdadeiro assalto ao dinheiro público, independente dos réus serem absolvidos ou não.  Questões de filigranas jurídicas podem colocar pelo menos parte dos réus em absoluta absolvição, apesar de todos indícios contrários.  

O que espanta é, diante de tanta lambança, no assalto aos cofres públicos pelos agentes do governo e do partido do presidente Lula, o próprio ficar fora do julgamento.  Dizem que é por falta de provas.  Uai, mas a operação do mensalão foi desenvolvidos por alguns meses no gabinete do chefe da Casa Civil?  Casa Civil, não está localizado no mesmo andar do Palácio do Planalto ao gabinete do presidente da República?

O presidente Lula dizer que não sabia que existia o mensalão, que desconhecia que o seu partido PT, estivesse fazendo tantos desvios do dinheiro público, quer seja em forma de  forma de verbas de propaganda diretamente do  Banco do Brasil ou em forma de empréstimo fajuto nos Banco Rural e BMG, via Marcos Valério em nome do PT.  

Diante da constatação, só podemos tirar uma das duas conclusões.  Que o presidente Lula é um completo ignorante, com índice de inteligência baixíssimo, quase como um asno, o que não acredito.  Ou que o presidente Lula é efetivo chefe da quadrilha que fez assalto aos cofres públicos, exatamente como fazem os traficantes que assaltam a população pobres das favelas de grandes capitais.  

Endeusar um homem como presidente Lula, colocando-o como o principal cabo eleitoral nas campanhas eleitorais municipais, como estão fazendo, demonstra que o Brasil como país não está preparado para caminhar na direção de um país desenvolvido.  Está caminhando à galope para um países subdesenvolvidos como Haiti e Burundi, creio eu.

A realidade é triste, mas tem que ser dito com todas letras, mesmo que isto custe cerceamento da liberdade de expressão  ou mesmo cerceamento de ir e vir.  Só não podemos esquecer que temos responsabilidade sobre a população que não tiveram oportunidade como eu de cursar universidades. 

Eu faço parte da resistência!  Quem vem comigo?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: @sakamori10

TREM BOLA DA DILMA GERA R$ 3,0 BI EM CAIXA 2

O leilão do Trem de Alta Velocidade (TAV), que ligará Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas, será realizado no dia 29 de maio de 2013, na BM&FBovespa, às 14 horas, quando as propostas econômicas das proponentes qualificadas serão abertas, prevê a minuta do edital. Para participar do leilão, os interessados deverão depositar uma garantia para a proposta no valor mínimo de R$ 77 milhões.  A assinatura do contrato será realizada no dia 7 de novembro de 2013.
Fonte: Folha.


A minuta prevê que a tarifa teto a ser aplicada para o serviço ferroviário não poderá ser superior a R$ 0,49 por quilômetro, de acordo com informações da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O valor de referência para o pagamento pela outorga será de no mínimo R$ 66,12 por trem.km equivalente - unidade que corresponde à circulação de uma composição de comprimento igual ao trem referência ao longo de um quilômetro. Fonte: Folha.

Licitações pelo avesso.  A assinatura do contrato será pela concessão de "operação" de linhas TAV, Trem Bala.  Não se sabe quem vai construir as obras, com que tecnologia vai ser construídas, quem vai desapropriar as áreas onde vai correr linhas do TAV.  Nem ao menos sabe o valor total da obra, estimado pelo governo em R$35 bilhões, sendo que o mercado aposta no custo de no mínimo R$55 bilhões.  No entanto como a obra faz parte do PAC, então é regido pelo REC que prevê 100% de reajustes, a obra poderá ultrapassar os R$100 bilhões.  

Além de tudo, o regime de concessão da operação vai ser feita na base de PPP (Parceria Público Privado), até que as tarifas cubram o número de passageiro previsto para o trecho, o Tesouro terá que arcar com o eventual prejuízo provocado pela falta de demanda de passageiros.  Os contribuintes serão chamados novamente para cobrir o rombo.

Um verdadeiro balaio de gato, que certamente vai correr o já famoso "dinheiro não contabilizado".  Se obedecer o mesmo percentual aplicado nas obras do DNIT, será de $3,0 bilhões.  Digamos falando em português claro, roubalheira explícita de R$3,0 bilhões.  O presidente nomeado para TAV já tem expertise sobejamente conhecido sobre o dinheiro não contabilizado.  O nome dele foi rejeitado pelo Senado para recondução na ANTT pelo motivo de suspeição de roubalheira explícita.

Desta forma, a presidente tem chance de ser conhecida como Trem Bola ao invés de Trem Bala.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

PETROBRAS EM SINAL DE ALERTA, NOVAMENTE.


Os preços dos contratos futuros de petróleo fecharam em alta em Nova York e em Londres nesta quarta-feira, impulsionados pela queda das reservas de petróleo nos EUA e pela publicação da ata da última reunião do Fed (Federal Reserve, banco central americano), que indicou a possibilidade de novas medidas de estímulo à economia no curto prazo. Fonte: Folha.

O WTI (petróleo intermediário do Texas, na sigla em inglês) para entrega em outubro subiu US$ 0,42, para US$ 97,26, na Nymex (New York Mercantile Exchange).  Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte, também para entrega em outubro, fechou com ganho de US$ 0,27, a US$ 114,91. Fonte: Folha.


A alta do petróleo verificado nos últimos dias no mercado internacional, aliada ao estímulo de economia americana previsto pelo Fed, coloca a Petrobras numa situação cada vez mais complicada, uma vez que a presidente Dilma, quer de qualquer maneira segurar o preço dos combustíveis até o encerramento do segundo turno das eleições municipais.  Enquanto isto a Petrobras vai contabilizando o prejuízo decorrente da falta de "paridade" dos preços internacionais com ao do mercado interno.

Como já foi dito por mim, por diversas vezes, a Petrobras está sendo usado como um dos instrumentos da política econômica do governo, no caso para segurar a inflação.  Houve uma pequeno aumento dos combustíveis no mês de junho deste ano, uma parte compensado com diminuição da Cide.  Aquele aumento não cobriu a defasagem do custo que segundo analistas do mercado estava em cerca de 15%.  De junho para cá, o preço do petróleo no mercado internacional subiu quase 10% em dólares, donde se conclui que a defasagem do preço dos combustíveis na bomba está próximo de 25% , hoje.  

Seguramente, após o segundo turno das eleições municipais, o preço dos combustíveis na boma sofrerá aumento significativo de preço sob pena de não o fazendo, colocar a Petrobras numa situação de geração de caixa num patamar incompatível e perigoso para dimensão da Companhia. Enquanto isto, quem paga o pato são os acionistas minoritários da Petrobras e também os contribuintes porque em última análise a Companhia pertence ao controle da União Federal.

Petrobras em sinal de alerta!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

CENSURA NA REDE SOCIAL

Apenas, comunicando que estou CENSURADO na rede social twitter.  Os perfis que estão SUSPENSOS são @sakamori10 @sakamori20 e @sakamori30.  Única explicação que me foi passado é que uso de conteúdo inadequado para rede social. Pode, isso?  Além de bancos de dados daqueles perfis foram ZERADOS. Já passei por situação semelhante na ditadura militar em 1964/68. 

Não vai faltar muito para CENSURAR este BLOG. 

Infelizmente, só tenho verbo como arma para denunciar roubalheira explícita dos agentes do governo em conluio com os beneficiários do sistema Bolsa Miséria e Bolsa Empresário deste país.

É o começo do fim! 

Em tempo: Sem nenhuma solicitação, talvez motivado por esta denúncia, os serviços foram restabelecidos em 26/08/2012.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
sakamori10@gmail.com

BOLHA IMOBILIÁRIA II . ENTENDA MELHOR.

Morador de Santana, zona norte de São Paulo, o engenheiro aposentado José Maria Troitino, 59, comprou dois apartamentos na planta na região do Morumbi, zona sul da cidade, para investir. Fechou negócio no mês passado e pagou 20% menos que o preço de tabela do lançamento usando um outlet de imóveis virtual. "Depois que escolhi o apartamento no site, agendei o atendimento presencial para perto da meia-noite no estande de vendas", diz.  Fonte: Folha.

Comodidade e, principalmente, preços até 30% mais baixos são o chamariz de sites de venda de imóveis em São Paulo -que ganham impulso com o aumento dos estoques das construtoras. Na capital paulista, havia quase 17 mil unidades novas em estoque em junho (dado mais recente disponível). No mesmo mês do ano passado, eram cerca de 14 mil, de acordo com o Secovi-SP, sindicado que representa as empresas do setor.  "Funcionamos da mesma forma que um outlet de moda. As empresas repassam a nós os produtos que não foram absorvidos pelo mercado", diz Rogério Santos, diretor da RealtON.  Fonte: Folha.

Coitado do José Maria Troitino, o entrevistado da Folha, ele possivelmente será uma das vítimas dos imóveis vendidos e não entregues.  Tomara que não se enquadre nas condições que viveram os mais de 40.000 compradores, em planta, da empresa Encol, no passado não tão distante.  Esperamos que não.  No entanto, tem grande possibilidade de ser mais uma vítima da Bolha Imobiliária no Brasil.

Diz Rogério Santos, assessor imobiliário, da mesma matéria da Folha, que hoje existe uma espécie de Out Let de Imóveis.  Isto é, ponta de estoque de imóveis encalhados.  Se como os anúncios de imobiliárias dizem que o mercado está bombando, dificilmente prosperaria um negócio denominado Out Let de Imóveis.  Isto é confirmação do estouro da bolha imobiliária.

Cumpre, como atuando no mercado de construção civil, esclarecer que a bolha imobiliária no Brasil tem natureza diversa daquela vivida pelos americanos.  A bolha nos EEUU não foi bem o encalhe de imóveis, mas sim de inadimplência nos créditos de hipotecas.  Os maiores bancos com crédito hipotecários entrarem de crise de liquidez por conta da inadimplência dos tomadores de crédito de imóveis.  Aqui a bolha vai estourar, quando estourar, nas mãos das construtoras não estão bem estruturadas financeiramente e que não vão conseguir honrar o compromisso de entrega efetiva dos imóveis vendidos na planta, apesar de ter recebido a entrada ou sinal de negócio.

Não comprem imóveis na planta! Desconfie dos descontos excessivos!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

terça-feira, 21 de agosto de 2012

CARLINHOS CACHOEIRA É MERO LAVADOR DE DINHEIRO SUJO. QUEM SÃO OS DONOS?

A procuradora da República em Goiás Léa Batista de Oliveira, responsável pela denúncia contra o grupo comandado pelo empresário Carlinhos Cachoeira, disse que vem sofrendo ameaças por conta do papel desempenhado na Operação Monte Carlo.  A procuradora classificou de "máfia" o grupo comandado por Cachoeira, que consegue ser "mais lucrativo do que uma grande empresa". Fonte: Folha.

Segundo ela, a principal característica mafiosa do grupo é a existência de um código de silêncio. "A postura dessa organização criminosa decorrente de um código de silêncio, é típico, conforme a literatura especializada, das organizações mafiosas", disse a procuradora. "Esse código de silêncio está bem claro aqui na CPI e na Justiça Federal, quando a cúpula da organização criminosa não falou nada."  Fonte: Folha.


O código de silêncio que não só protege o Carlinhos Cachoeira, mas sobretudo o esquema de roubalheira explícita  de dinheiro público via empreiteiros de obras públicas, entre os quais a Delta Construções.  Carlinhos Cachoeira é apenas contraventor que fez lavagem de dinheiro sujo oriundo de obras públicas, um contraventor de meia tigela que apenas serve para esconder os verdadeiros mafiosos da roubalheira explícita do dinheiro público.  

Quando é que a CPMI do Cachoeira e os Procuradores da República vão investigar a origem e o destino desta montanha de dinheiro, que segundo se sabe, ultrapassa o R$1,2 bilhão?  Talvez porque se a investigação for feito de ponta a ponta, como deveria ser feita, identificando claramente os corruptos e corruptores, levará às personagens  imexíveis na estrutura da República.  Faz-se a remoção da maquiagem, mas nada que fosse um banho completo.  Para mostrar ao público, o Carlinhos Cachoeira como sendo o único culpado do esquema mafioso, fica mais fácil do que mexer na estrutura dos poderes constituídos da República, em vários níveis. 

Instrumentos de investigação a Polícia Judiciária tem disponíveis, desde os bancos de dados do COAF ou banco de dados do DEA americano, falta dar respaldo legal para que as investigações possam acontecer, porque a instituição Polícia Federal tem competência e estrutura para tanto.  Que investigue de uma vez por toda, a verdadeira máfica de desvio de dinheiro público que se instalou no país, não apenas o contraventor, meia tigela, Carlinhos Cachoeira!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10

BANCO CENTRAL REGULAMENTA PROMOTORES DE VENDA DE CRÉDITOS


O "pastinha", um dos personagens mais populares no mercado de crédito, pode estar com os dias contados.
Eles são 50 mil hoje no país e servem como intermediários autônomos entre bancos menores (sem grande rede de agências) e clientes interessados em empréstimos consignados (cujo pagamento é descontado em folha).
Preferem ser chamados de promotores de crédito, mas ganharam o apelido de "pastinha" porque trabalham para várias instituições e, por isso, andam com várias pastas sob o braço. Fonte: Folha.

Hoje, quando um "pastinha" faz um empréstimo de R$ 1.000, embolsa cerca de R$ 180 (18%) no dia em que sai o dinheiro. Em 2005, chegava a levar 28%.  A ideia do BC é limitar a comissão a 10% e fazer com que ela seja recebida em pequenas partes até a quitação da dívida. Por exemplo, se for de 24 meses, o promotor recebe 1/24 todo mês. Fonte: Folha.

Uma resolução do BC exige certificação dos profissionais até 2014 e pede que os pastinhas deixem de atuar dentro das agências bancárias a partir de novembro. A Aneps diz ter 5.000 profissionais certificados.  Fonte: Folha.


Banco Central apenas regulamenta um setor que estava dando muitos problemas com os usuários de créditos junto aos "promotores de vendas de créditos".  Muitas destas empresas subcontratadas dos bancos trabalhavam com listas de aposentados e pensionistas "comprados" mediante dinheiro não contabilizado do próprio INSS.  Geravam e geram ainda, roubalheira explícita das listas de uso exclusivo do órgão.

Enfim, o Banco Central vem para disciplinar o segmento de créditos consignados.  Já era tempo.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

PETROBRAS, A VERDADE SOBRE REFINARIA ABREU E LIMA

A demissão de centenas de operários das obras da refinaria Abreu e Lima (PE) nesta segunda-feira pode atrasar ainda mais o cronograma de uma das principais obras da Petrobras.  O início das operações de Abreu e Lima já foi adiado cinco vezes. O cronograma inicial da refinaria, em construção no Estado de Pernambuco, previa a partida do primeiro trem de refino em novembro de 2011. Hoje, a previsão é que a refinaria fique pronta somente em novembro de 2014, segundo a Petrobras. Fonte: Folha.


O custo inicial do projeto, segundo dados oficiais do plano de negócios da estatal para o período 2012-2016, era de US$ 2,3 bilhões. Atualmente, seu custo total já chega US$ 20,1 bilhões --nove vezes o valor inicial.  O projeto de construção da Refinaria Abreu e Lima foi lançado em 2005, em cerimônia com o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Fonte: Folha.

Pelo acordo, a estatal venezuelana PDVSA teria 40% do empreendimento. A Petrobras já construiu sozinha mais da metade do projeto, e o investimento venezuelano ainda não foi feito. A Petrobras e o governo brasileiro já adiaram em pelo menos quatro vezes o prazo para que a PDVSA assuma sua fatia na refinaria.  O acordo inicial previa um projeto com dois trens de refino, um para o petróleo brasileiro do Campo de Marlim, da bacia de Campos, e um segundo para processar o óleo de Carabobo, mais pesado, na Venezuela. Atualmente, a refinaria está preparada somente para o óleo brasileiro. Fonte: Folha.


Para receber o petróleo mais pesado do país vizinho, seria necessário um investimento extra de US$ 300 milhões em uma planta de redução de enxofre. Para formalizar a parceria, a PDVSA precisa acertar as garantias de um empréstimo feito junto ao BNDES e colocar 40% do que foi gasto no projeto. Fonte: Folha. 


Como podem ver os números acima, Hugo Chavez deveria ter colocado 40% dos R$20,1 bilhões, ou seja cerca de R$8 bilhões na Refinaria Abreu e Lima.  Chavez, além de batizar o nome da reginaria em homenagem ao general brasileiro do movimento bolivariano, ganhou benesse do presidente Lula de ser sócio de 40% sem, por enquanto, colocar um tostão sequer.   A presidente Dilma, na mesma linha do presidente Lula, vem concedendo prazos sucessivamente ao Hugo Chavez a integralização do capital por parte da empresa venezuelana PDVSA.  Ambos, Dilma e Lula, não tem coragem de afrontar Hugo Chavez, e botar na parede, ou tecnicamente, denunciar o contrato de parceria com o motivo de que a PDVSA não cumpriu com suas obrigações ontratuais.  

Das duas uma, ou a dupla Dilma e Lula são incompetentes como administradores públicos ou são verdadeiros contraventores que escondem interesses escusos que estão por trás destes tantos benesses concedidos à PDVSA de Hugo Chavez.  Ambos presidentes, Dilma e Lula, merecem justificar à população brasileira porque destas atitudes que à luz das legislações nacionais e internacionais não tem nenhuma justificativa.  

O caso se parece muito com a Usina de Itaipú, onde o governo Paraguai não colocou um tostão sequer, mas no entanto vende 50% da energia para a Furnas, uma companhia do grupo Eletrobras.  Certamente, a PDVSA do Hugo Chavez, receberá 40% dos lucros da Refinaria Abreu e Lima, sem ter colocado um tostão sequer.  

Já fiz denúncia mais de uma vez aqui no blog que a Petrobras é mero instrumento de política econômica do governo Dilma.   E pior de tudo, praticando bondade para com o Hugo Chavez com os recursos do contribuinte e dos acionistas minoritários.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10