Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

LULA MANDA ENTERRAR CPMI DO CACHOEIRA!


Lula mandou instaurar a CPMI do Cachoeira, na tentativa de dar o troco para Marconi Perillo, o seu desafeto.  Justamente, ele, Perillo que teria dito ao Lula a existência da operação mensalão.  Lula à época teria respondido que "nada sabia" sobre o mensalão.

Até o julgamento do processo mensalão pelo STF, Lula estava convicto de que a tese do "dinheiro não contabilizado" passaria valer como atividade lícita.  Ledo engano.  O STF cumprindo o seu papel institucional, julgou que o dinheiro não contabilizado não passava de ato de corrupção ativa e passiva.  Tese vencida, a do Lula. Por esta razão o Lula determinou aos seus afilhados, parlamentares, enterrarem de vez a CPMI do Cachoeira.  Pois, tanto Lula como a Dilma sabem que aberto sigilo bancário das contas fantasmas da Delta Construções, fatalmente, os rastros levariam à porta do Palácio do Planalto.

No dia 17 de maio passado, eu já tinha mandado convite para os meus prezados leitores, réquiem da CPMI do Cachoeira.  Tal como previsto, o meu prognóstico sobre o destino da CPMI estava totalmente correto.  A CPMI já nasceu morto na origem.  Ao abrir o sigilo das contas fantasmas, fatalmente envolveriam as principais figuras da república.  Com a decisão do STF sobre o dinheiro não contabilizado, o risco de impeachment da presidente Dilma e do governador Sérgio Cabral, motivado pela CPMI do Cachoeira, estaria iminente.  

Muita sujeira estão escondidos debaixo do tape do Palácio do Planalto.  Duvido que a presidente Dilma, mande instaurar qualquer inquérito pelo Congresso sobre os desvios de conduta dos 9 ministros demitidos e dos diretores do DNIT e da VALEC.  Ela não é louca de mandar fazer isto.  Vai deixar como está, jogando toda sujeira embaixo dos tapetes.  CPMI sobre investigação sobre os malfeitos dos seus ex-ministros, nunca!  Mas, a verdade vai aparecer, podem crer!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

BOVESPA DEVE OPERAR EM ALTA


Day after do furacão Sandy.  Os prejuizos constatados são menores do que se imaginava, US$ 20 bilhões.  Para os EEUU o número é relativamente pequeno.  O sistema de alerta funcionou, ainda assim, houve 30 mortes, o que é triste.  Mas, poderia ter sido pior, se não funcionasse o sistema de alerta.  Enfim, o furacão Sandy passou e a NYSE vai abrir hoje.  

A economia globalbateu no fundo do poço.  E como as bolsas mundiais, menos NYSE, antecipam os fatos futuros e operarm em alta, desde segunda-feira.  Apesar do Sandy, o Dow Jones e Nasdaq devem abrir em alta, creio em alta expressiva, apesar do índice futuro indicar alta moderada.  Cada analista apresenta o seu ponto de vista, concordando ou não. A minha análise, que venho divulgando desde segunda-feira (29/10), indica que as bolsas mundiais bateram no fundo do poço.

O índice Bovespa deve ser de alta, colado nos índices mundiais, notadamente no do Dow Jones.  Não vejo motivo objetivo que indique o contrário.  Mesmo aqui no Brasil, terminado as eleições municipais e a Petrobras anunciando o aumento de combustíveis em 15%, mesmo que em janeiro de 2013, o índice Bovespa deve caminhar para uma trajetória de alta.  Expressiva ou não, será de alta.  Os pequenos investidores deverão retornar ao mercado, em consequência.  

A trajetória de alta deve estar, sempre, acompanhada de períodos de realizações de lucros, o que é normal em bolsas.  Será normal, também, alguns papeis, contrariando a tendência geral operar em baixa.  Faz parte do mercado de ações.  Como já disse anteriormente, enfáticamente, o mercado de ações é para investimento de longo prazo.  Longo prazo, no meu entender, vai além de 5 anos!  Ideal seria, comprar papeis para viver de dividendos das companhias, sem ter que vender, como fazem os fundamentalistas.

Lembre-se da máxima do mercado.  Na média, quem ganha são os investidores institucionais ou grandes especuladores.  Os pequenos mais perdem do que ganham.  Os pequenos fazem o papel de vítimas do processo especulativo.  Quem entra no jogo terá que estar consciente disso.  É quem gosta mesmo do jogo acho melhor ir para Punta Del Leste ou para Ciudad Del Leste jogar no cassino, que dá quase na mesma.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

terça-feira, 30 de outubro de 2012

EDUARDO CAMPOS, PRESIDENCIÁVEL EM 2014



O governador Eduardo Campos, de Pernambuco, já tem na imprensa estrangeira um simpatizante entusiasmado com a sua candidatura à Presidência: a revista The Economist. Em reportagem elogiosa, com o título “O modelo de Pernambuco”, o semanário britânico diz que “o sucesso (de Campos) no desenvolvimento do seu Estado pode fazer dele o próximo presidente do seu país”. Fonte: Estadão.


“Ele é nominalmente um aliado da presidente Dilma Rousseff. Mas também uma potencial ameaça à reeleição dela”, observa. A reportagem o descreve como “ao mesmo tempo um gestor moderno e um político à moda antiga”. A tese da revista é de que o desenvolvimento de Pernambuco pode ser atribuído, em parte, ao  governo federal, por meio do Bolsa Família e de investimentos como o do porto de Suape, e em parte ao empenho do governador. Ele soube aproveitar, na visão da revista, os bons ventos econômicos para promover melhorias no Estado. Fonte: Estadão.

Na educação, Campos aumentou salário de professores, lembra a reportagem, e teve ajuda do Instituto de Co-responsabilidade pela Educação, uma entidade privada, para implantar o ensino em tempo integral em escolas do nível médio. Com isso, o Estado tem subido em rankings de performance estudantil. Fonte: Estadão.


No dia 1º/7/2012, postei matéria neste blog, compilação de notícias da imprensa com o título "Eduardo Campos, uma nova geração de políticos".  Hoje, faço, o mesmo, publico matéria do "The Economist" republicado pelo jornal O Estado de São Paulo.  

O objetivo desta publicação é no sentido de abrir a discussão sobre política brasileira, fugindo da polarização PT/PSDB.  Já ouvi muitos comentários preconceituosos sobre o nome do Eduardo Campos, neto do Miguel Arraes.  Ouvi igualmente, comentário de que existe um movimento coordenado pela direita, simbolizado para retomada do poder.  Outros consideram a revista "The Economist", imprensa marrom.  Cheio de intolerância e preconceitos.  Será porque ele é "nordestino" ou porque ele representa uma "nova opção" para oposição?  Só falta mesmo classificar o "fato novo" como "golpe" para derrubada do poder.  Não temos mais democracia?  

Aqueles que discordam do meu ponto de vista, poderão fazer comentários no rodapé deste.  Só não é aceito comentário de anônimo.  Expressão é livre, sem censura, mas com responsabilidade.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

AÇÕES DA PETROBRAS, TENDÊNCIA É DE ALTA


Ontem, comentei a tendência do índice Bovespa buscar o objetivo dos 90.000 pontos.  Hoje, complemento a análise, tomando pelo base as ações da Petrobras.  A Companhia anunciou o resultado do 3º trimestre, no último dia 26/10, com lucro líquido de R$ 5,567 bilhões, 12% abaixo em comparação como o mesmo trimestre em 2011.  Dizem que a expectativa do mercado era de R$ 8 bilhões. Na minha opinião, errou o mercado em prever expectativa tão elevada, considerando que o preço dos combustíveis estão congelados por conta das eleições municipais.

Vou contar aqui as verdades.  O balanço trimestral da Petrobras foi divulgado com 26 dias após fechamento do balancete de setembro.  O que tem a ver isso?  Tem tudo a ver. Os grandes investidores, entre os quais as grandes fundações, sobretudo das estatais federais, são acionistas importantes da Petrobras, portanto, há pelo menos 20 dias já sabiam do resultado contábil da Companhia.  Uma espécie de "inside information", que os minoritários não tem.  Os minoritários venderam adoidados, até ontem, amargando prejuízos.  Souberam, os minoritários,  do resultado do balanço trimestral da Petrobras apenas pela imprensa.   

Bem, as cotações das ações em geral, não refletem exatamente a situação econômica financeira atual das empresas.  As ações antecipam os fatos futuros.  Dentro deste conceito, os preços das ações da Petrobras, não necessariamente batem com a situação de penúria da Companhia, em função do congelamento do preço dos combustíveis.  

Pois bem, a presidente Graça Foster, já anunciou o aumento de 15% no preço de combustíveis seguindo a política de "convergência" de preços.  Não sabe dizer, Graça Foster, se este aumento virá ainda este ano ou em janeiro de 2013.  A autorização do aumento, depende do ministro da Fazenda Guido Mantega.  O fato que vem o aumento de 15%.  Como dito anteriormente, as cotações dos papeis (ações) dependem de fatos futuros, o anúncio da calibração do aumento dos combustíveis no curto prazo deverá refletir positivamente nas cotações dos preços das ações da Petrobras.  Aliás, pecou a Petrobras, não fazer o anúncio relevante sobre o aumento, conforme determina regras da CVM.

Para cada ponta vendedora tem a correspondente ponta compradora, isto é lógica matemática.  Não existe negócio se não houver casamento de vendedor com o comprador. Se alguém vendeu, com prejuízo, tem um correspondente comprador fazendo estoque para lucrar com expectativa futura.  Isto é inexorável.  Bem, se assim, os minoritários que venderam adoidados na outra ponta estão as fundações.  Daqui em diante, só os grandes investidores vão ganhar.  E futuramente, ironicamente, vão ganhar, vendendo para os mesmos minoritários que já venderam com prejuízo, no desespero.  É um verdadeiro jogo de comprados e vendidos.  A coisa é para gente grande, pois o buraco é mais para baixo!

Fico na posição comprada de Petrobras nos níveis de preço de hoje. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

BOVESPA VAI BUSCAR OS 90.000 PONTOS!


A OGX Petróleo, companhia do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, teve queda de US$ 16,310 bilhões em valor de mercado somente este ano, segundo levantamento feito pela consultoria Economatica com 1.948 empresas de capital aberto da América Latina e Estados Unidos. Segundo o estudo, 13 empresas da amostra registraram perda de valor de mercado superior a US$ 10 bilhões este ano, até sexta-feira (26), e a OGX é a que teve a maior queda porcentual (69,5%). Seu atual valor de mercado é de US$ 7,170 bilhões. Fonte: Estadão.


As outras brasileiras da lista são a Vale (queda de US$ 12,398 bilhões em valor do mercado, ou -11,7%), Itaú Unibanco (perda de US$ 10,526 bilhões, ou -14,4%) e Petrobras (queda de US$ 10,263 bilhões, ou -6,6%). Atualmente, o valor de mercado da Vale é de US$ 93,128 bilhões, da Petrobras, US$ 145,172 bilhões e do Itaú Unibanco, US$ 62,715 bilhões. Fonte: Estadão.

Comprem tudo, sobretudo as ações de empresas que tiveram maiores quedas na BMFBovespa, quais sejam, Petrobras, OGX, Vale e Itaú Unibanco.  Na minha avaliação, estamos no fundo do poço.  Não tem motivo para cair muito mais do que a cotação de fechamento de hoje.  Digamos que qualquer baixa, além do nível atual é pura especulação.  As bolsas vivem de especulações.  No entanto, as munições para provocar maiores quedas já estão se esgotando.  Crise da Grécia, da Espanha, da China, dos Estados Unidos, já são motivos já meio batidos.  Não funcionam mais.

Em termo de índice Bovespa, no auge da alta em 2007, já bateu o pico de 75.000 pontos.  Se corrigido, apenas pelo índice de inflação do período, estaria na casa dos 90.000 pontos.  Hoje, 29 de outubro, está fechando ligeiramente acima de 57.000 pontos.  Teoricamente, para retornar ao mesmo patamar de 2007, antes da crise de 2008, o índice Bovespa tem margem para subir 50% sobre os atuais níveis. Logicamente, a bolsa é um jogo de comprados e vendidos, não segue o limite da racionalidade.  Mas, historicamente, é assim que funciona.  Já vi, vários filmes passarem na minha vida de investidor, desde 1971, quando comprei meu primeiro lote de ações do Banco do Brasil.  Agora, sou modesto investidor.  Compro para investimentos, sem me preocupar com os ganhos a curto prazo.  

Eu indico a data limite para a retomada das altas, para após o resultado das eleições dos EEUU.  Isto deve ocorrer na semana que começa no dia 10 de novembro.  Explico o porque.  Segundo analistas do mercado financeiro mundial, especialmente, os americanos, pode se traçar 2 cenários possíveis, um se Obama ganhar e outro se Mit Romney ganhar.  

Estou de acordo com os analistas americanos.  Se Obama ganhar, as altas serão moderados, mas ainda assim, o índice das bolsas americanas experimentarão as altas, em função da melhora no cenário econômico doméstico dos EEUU.  Se Mit Romney ganhar, as previsões são bastante otimistas.  Ele, Romney é empresário e é investidor.  Os analistas prevêem que o presidente republicano, se eleito, cuidará da saúde financeira das empresas para que estas criem os empregos.  Ambos, quer Obama ou Mit Romney, cuidarão do crescimento econômico dos EEUU, favorecendo as altas nas cotações das ações das empresas americanas.  Dizem os analistas que em caso de Mit Romney ganhar, haverá explosão de altas.  No caso de Obama permanecer, também, haverá altas, mas moderadamente.  Seja como for a previsão será de alta.

As empresas brasileiras estão direta ou indiretamente ligados ao crescimento econômico dos EEUU, querendo ou não.  Os fatores Zona de Euro e China, estão mostrando sinais de equacionamento, embora, mediante solução de longo prazo.  Estamos no fundo do poço.  Portanto, o "clique" ou o sinal do "start" da alta está na dependência do resultado das eleições dos EEUU, em maior ou menor grau.  O índice Bovespa, vai acompanhar o desempenho das empresas brasileiras, portanto, dentro da lógica traçada aqui, a tendência é de alta.  No meio do caminho, haverá os tradicionais "pit stop" para tomar o fôlego.  Não me cobrem, se eventualmente, houver período de baixa, dentro da trajetória de alta.  As oscilações são naturais no mercado de ações.  

Não entrem no jogo de especulações.  Os pequenos ganham de caminhão, quando ganham, enquanto os grandes investidores ganham de trem, de navio ou de navios cargueiros.  Na especulação, no final das contas, ganham sempre os grandes.  Os pequenos que se contentem com os ganhos no longo prazo.  Invista em ações, com espírito de fazer o pecúlio para o futuro.  Neste último caso, mesmo os pequenos, sempre ganharão.

Bovespa vai buscar os 90.000 pontos!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

PETROBRAS VENDE FILÉ MIGNON AO PREÇO DE BANANA!


A Petrobrás está com dificuldades para negociar a venda de ativos no exterior. Potenciais compradores sabem que a companhia tem pressa em fazer caixa e aproveitam para barganhar preços, segundo fontes da estatal.  O plano de negócios de 2012 a 2016 prevê vendas de ativos no valor de US$ 14,8 bilhões, a maior parte em 2012. Mas, a pouco mais de dois meses do fim do ano, a estatal ainda não conseguiu levantar os recursos. O dinheiro é fundamental para financiar os investimentos no pré-sal, cada vez mais prioritários para a empresa, em detrimento dos projetos no exterior. O reforço de caixa é ainda mais importante porque a Petrobrás está perdendo bilhões com a importação de combustíveis e com a queda de produção na Bacia de Campos. Fonte: Estadão.

A dificuldade para vender os ativos é sentida no Golfo do México, nos Estados Unidos, onde a Petrobrás negocia com empresas de petróleo de vários países uma complexa parceria para seus 175 blocos de exploração de petróleo. Também podem ser negociados refinarias no Japão e nos Estados Unidos e ativos na Argentina. Além de tentar vender os ativos, a Petrobrás também reduziu os investimentos no exterior. O plano de negócios de 2012 a 2016 previu US$ 6 bilhões em investimentos internacionais, quase metade dos US$ 11,2 bilhões do plano anterior (2011-2015). Fonte: Estadão.

O assunto já foi comentado amplamente em matérias anteriores.  A Petrobras está com dificuldade de geração de caixa, em função de manter a política de "convergência" de preços, abandonando a política corrente no mercado internacional de "paridade" de preços dos combustíveis.  Como a própria denominação diz, a política de convergência, adota para o preço de combustíveis na bomba, preços inferiores ao desejado, mitigado o preço internacional do petróleo.  É a política adotada pela presidente Dilma, para tentar segurar a inflação.  Pelo impacto que o aumento de combustíveis trariam no índice de inflação do anos de 2012, já encostando no teto da "meta de inflação" do BC, é provável que o aumento dos combustíveis na bomba só venha ocorrer em janeiro de 2013.

Dentro desta política de convergência, a Petrobras não tem dinheiro para tocar os projetos do pré-sal, razão pela qual está a tentar vender os ativos no exterior, maioria um verdadeiro "filé mignon".  O mercado internacional já percebeu isto é quer arrematar os ativos à venda, ao preço de banana.  Se a Petrobras quiser fazer o dinheiro à toque de caixa, como de fato ela quer, terá que vender os ativos "filé mignon" ao preço de "carne de segunda".  Esta constatação não é só minha, são de analistas do mercado, os mais avisados.  

Petrobras vende filé mignon ao preço de banana!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

domingo, 28 de outubro de 2012

NO BRASIL, NÃO HÁ LIBERDADE DE IMPRENSA!



O jornal "The New York Times" anunciou ontem que apoia a candidatura de reeleição de Barack Obama, repetindo endosso dado ao democrata na disputa de 2008. "Apoiamos com entusiasmo um segundo mandato do presidente Barack Obama, e expressamos esperança de que sua vitória seja acompanhada de um novo Congresso disposto a trabalhar a favor das políticas de que os americanos necessitam", diz o editorial de hoje, antecipado no site do jornal ontem. Fonte: Folha.

O texto cita como motivos para escolher o democrata a reforma no sistema de saúde promovida por Obama e as medidas que evitaram recessão mais grave na economia americana, entre outros.

Sem contar o "New York Times", o Projeto Presidência Americana, da Universidade da Califórnia, contabilizava na sexta que 18 jornais declararam apoio a Obama, contra 16 de Romney. Fonte: Folha.

O Brasil ainda não chegou lá, como os EEUU.  Os principais jornais do nosso País, ainda não se manifesta sobre a preferência a um determinado candidato, sob pena de serem taxados de petistas ou tucanos.  A nossa democracia, na nova fase, que tem menos de 30 anos, não está madura para acatar como normal o posicionamento dos donos do jornal ou das revistas sobre eleições.  Eu acho que deveria estar, depois de 20 anos de mordaça imposta pela ditadura militar. Tenho a mesma sensação que experimentei nos anos 64/68, época dos meus estudos na UFPR.

Os jornais, mesmo os de maior circulação como Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo ou Valor Econômico, só noticiam os fatos.  Os jornais brasileiros não opinam.  No máximo que faz é reproduzir opinião de algum agente do governo ou agente do setor privado.  E, quando o faz, é veementemente criticado e de sobra levam a pecha de petista ou tucano.  Para mim, tudo isto é estranho.  Muito estranho.  A imprensa, que teoricamente tem jornalistas preparados, deveria dar opinião sobre cada matéria que publica, não apenas divulgar os fatos acontecidos apenas como flash back.  Hoje em dia, ninguém lê o editorial, porque as opiniões expostas lá, são geralmente, de pouca importância e contundência.

Diante da realidade vivida no nosso País, algo parecido como Cuba e outros com pouca liberdade de expressão de idéias, de repente, ganha importância a opinião de bloguistas.  E no vácuo dessa falta de liberdade, ganha também a importância as redes sociais, tal qual acontece no Irã ou na China.  E de quebra, o atual governo dito "socialista" fala-se em "controle social" da mídia.  Percebe-se que estamos mais próximo do Irã do que dos EEUU.  Talvez, por esta razão, a imprensa brasileira está com a barba de molho.  Está esperando maior abertura democrática no País para exercer o seu verdadeiro papel.  Triste, isto.

Definitivamente, não há liberdade de imprensa no Brasil.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10    

sábado, 27 de outubro de 2012

BRASIL ESTÁ COM APAGÕES


Dilma cuspiu para cima na campanha eleitoral de 2010.  Disse ela que o governo FHC não soube planejar o sistema elétrico, por isso houve os apagões elétricos no período do governo tucano.  Pois, ela cuspiu para cima.  Ela foi ministro das Minas e Energia do governo Lula.  Dizia que na gestão dela tinha resolvido os problemas do setor elétrico.  Afirmara muitas vezes, de que os apagões eram coisas do passado. Ela se orgulhara de ter sido a gerentona do sistema elétrico brasileiro.  Nada disse era verdadeiro. Os resultados estão aí.  Já somam 4 apagões desde último setembro.  A cusparada caiu bem na cara dela.  

Assisti, ontem, o depoimento do ministro interino das Minas e Energia.  Após reunião realizadas pelos principais responsáveis pelo setor elétrico, quais sejam, os diretores da ANEEL, da Eletrobras e do ONS, o ministro afirmou que o sistema elétrico brasileiro não está tão confiável.  Já avisou que vai mandar averiguar o que acontece.  Dias desses, era apagão de combustíveis.  No passado recente, apagão de aeroportos.  E assim, vai. Sabe lá, o que virá no futuro.

No entanto, os mais graves apagões são nas áreas de educação, saúde pública e segurança pública.  Um levantamento feito, mostra que 5% da população com idades compreendias entre 18 e 23 anos, nem estuda e nem trabalha.  É um dado alarmante, que passou batido, na área de educação e ou capacitação.  No sistema de saúde, doentes morrendo em corredores de hospitais.  E na área de segurança pública, cada vez mais violento, sobretudo em grandes centros.  Não sei o que acontece.  A arrecadação de impostos federais está sempre acima da inflação, mas as despesas correntes do orçamento da União, crescem assustadoramente.  Somente nos últimos 12 meses, os gastos em custeio da máquina do governo federal cresceu 6,5%.  São fatos que não dá mais para esconder.

A presidente Dilma, está totalmente ocupada com as eleições dos seus aliados.  Ela faz de tudo para mitigar os fatos graves que estão a ocorrer em diversos setores da administração pública.  Uma hora, o vento leva a espuma e desnuda a realidade brasileira. Esta hora será difícil para a população. Quanto mais tarde, as correções necessárias, mais amargo deverão ser os remédios.  E já foi dito também, que os ajustes virão somente à partir de janeiro do próximo ano.  Veremos quais serão os remédios no alvorecer do ano de 2013.

Enquanto isso, o Brasil está com apagões!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12.

DILMA MANDA MAQUIAR O BALANÇO (ORÇAMENTO).


O esforço fiscal do governo está inflado em cerca de R$ 25 bilhões graças à ajuda de receitas atípicas. A estimativa é do economista Gabriel Leal de Barros, da FGV e será publicada na revista "Conjuntura Econômica" do próximo mês.  Com um crescimento econômico menor e desonerações fiscais para estimular a atividade, as receitas do governo cresceram 1,8% em 2012 (já descontada a inflação). Já as despesas aumentaram 6,5%. Com receitas menores e despesas em alta, o esforço do governo para o pagamento da dívida emagreceu substancialmente, diz Barros. Fonte: Folha.

E o governo intensificou o uso de receitas atípicas.  "Seria melhor o governo assumir que não cumpriria a meta em vez de forçar as receitas com essa contabilidade criativa", diz. "Com esses ajustes no superavit primário, o governo distorce o real impacto dos seus gastos na demanda."  A "contabilidade criativa" não é novidade no governo. Segundo Barros, é utilizada em maior ou menor medida desde 2008. O termo é adotado para designar meios considerados alternativos para inflar a receita ou para reduzir a despesa primária, como a operação de capitalização da Petrobras. Fonte: Folha. 


Presidente Dilma vive criticando a Angela Merkel da Alemanha, sobre excesso de rigor na execução orçamentária daquele País. Critica, também, sobre injeção de recursos do BCE garantir liquidez na Zona de Euro.  Pois bem, a Dilma para mostrar que segue à risco a execução orçamentária, faz maquiagem, nos números, uma verdadeira "gambiarra" que salta à vista.  E a ofensiva dada pelo bancos oficiais injetando recursos bancados pela União, já comentada em matéria anterior, faz exatamente como BCE faz.  Logicamente, o discurso dela sobre "canibalismo" e "tsunami financeiro" foi apenas para enganar os "trouxas" do mercado interno, que somos nós.  

À rigor, a maquiagem em si não traz nenhum efeito nefasto para a economia, mas o que se questiona é a "manipulação" de números.  Coloca-se em dúvida, à essa altura, qualquer outro número como endividamento bruto do governo federal, o PIB, o índice de inflação e outros tantos.  Lembrei-me do "tabelamento da inflação" pelo ministro Delfin Neto em 12% ao ano.  Igualmente, lembrei-me da discussão patética sobre a inclusão ou não do chuchu no cálculo da inflação, à época.  A conclusão que chego é que se a Dilma manda maquiar o número de orçamento, que é uma peça importante ao País, não estaria maquiando outros números que apresentam à população, para garantir a sua popularidade.  Vamos acompanhar atentamente.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

HADDAD: O POVO QUE SE LIXE, O MEU ESTÁ GARANTIDO!


Vou em socorro aos paulistanos.  Justifico, gosto muito de Sampa.  Viajo muito para aquela capital.  Jardins, Ibirapuera, Faria Lima, Paulista, Brigadeiro, Congonhas, enfim, cada canto da cidade me é familiar.  Minha segunda cidade é Sampa.  Gosto também do seu povo.  Sampa tem cara do Brasil.  Tem os paulistanos natos, os nordestinos, os japoneses, os italianos, os árabes, os coreanos, os portugueses.  Enfim, São Paulo é locomotiva do Brasil, respira negócios, dia inteiro!  E, à noite também!  Justifica-se, Sampa é o 3º PIB do Brasil.

Agora, vem um porquinho novo, magro, mas com muita fome, gerenciar o 3º maior orçamento do Brasil.  Vem que vem!  Indicado pelo nada menos que o chefe de quadrilha, de fato, Lula, e imposto à revelia do seu próprio partido, o seu "sobrinho" Haddad.  E de quebra tem o apoio do nada menos Paulo Maluf, o "roubo mas faço", procurado pela Interpol no mundo todo.  Mas, o "sobrinho" não fica atrás.  Até no exame de avaliação do Enem, teve suspeita de "roubalheira".  Está aí, formada, novamente, a quadrilha.  Segundo STF, quadrilha tem que ter no mínimo 3.  Pois, já temos: Haddad, Maluf e Lula.  Adivinhe quem vai ser o "chefe" da nova quadrilha?

Este é a quarta matéria contra a eleição do Haddad à prefeitura da maior cidade do Brasil.  É constrangido meter o bico no terreiro alheio, mas sinto um pouco paulistano, nestas horas.  Quero conclamar os meus parentes e amigos que moram em Sampa.  Não vote no Haddad!  

Não se trata de opção de ideologia.  Acho alguns paulistanos metidos à intelectual, sem o ser, mas ostentam sê-lo para ficar bem na foto.  Esquecem-se, porém, de que "roubalheira" de dinheiro público, não tem ideologia.  Que ideologia representa essa associação?  Por um lado o Paulo Maluf, ungido pela ditadura militar para governar o estado e o Lula que é oriundo da dita esquerda?  Percebe-se, nitidamente, que esta associação é uma quadrilha com o objetivo de meter a mão nos cofres públicos.  São Paulo, se eleger Haddad, vai ostentar o título de "paraíso dos corruptos", com merecimento.  

Pensem bem, amigos paulistanos.  Depois, não vem me dizer que o dinheiro público não está indo para a educação, saúde pública e segurança pública.  Haddad não está preocupado com o programa do governo. Em seguidas entrevistas, perguntado sobre programa do governo, invariavelmente manda o povo lê-lo no site da sua candidatura.  Como seu chefe, ele não sabe de nada!  É assim que aprendeu com o chefe: "eu não de nada".  O objetivo é outro.  Com aquela cara de sonso, o objetivo é meter a mão nos cofres públicos.  Pensa ele, o Haddad: o povo que se lixe, o meu está garantido!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

HADDAD NÃO TEM OPOSIÇÃO !



 Às vésperas do segundo turno, a corrida por cargos numa eventual gestão de Fernando Haddad (PT) na Prefeitura de São Paulo já opõe petistas a partidos aliados como PMDB, PP e PSB.

As três siglas cobiçam secretarias fortes para as quais o PT tem pretendentes, como Educação, Saúde e Habitação. A corrida incomoda o ex-presidente Lula e Haddad, que desautorizaram a discussão antecipada por vagas.

Na Saúde, o PMDB quer emplacar Marianne Pinotti, vice na chapa de Gabriel Chalita. O vereador Carlos Neder (PT), que chefiou a pasta na gestão Luiza Erundina (1989-92), conta com a simpatia de Ana Estela, mulher do candidato, para voltar ao cargo.

A Secretaria de Habitação é cobiçada pelo PP do ex-prefeito Paulo Maluf. O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) defende a nomeação do deputado estadual petista Simão Pedro, integrante da coordenação da campanha.

Outra pasta em disputa é a da Educação, área de origem do candidato. O presidente municipal do PSB, Eliseu Gabriel, sonha com a vaga, que também é reivindicada pelo grupo do deputado estadual Adriano Diogo (PT). "Até que seria bom", diz Gabriel.

O PT também vive disputas internas por espaço numa eventual gestão de Haddad. A Secretaria de Transportes, por exemplo, é almejada pelos deputados federais Jilmar Tatto e Carlos Zarattini.
O coordenador da campanha, Antonio Donato, quer a Secretaria de Governo. Para isso, terá que deixar a presidência municipal do PT. 

Trechos colhidos da Folha de São Paulo, edição "on line".  Haddad e Lula já consideram eleições já ganham.  Ei, paulistanos, vocês vão deixar assim?  Perderam a dignidade!  Haddad já está loteando cargos!  Enquanto isto, oposição ao Lula está discutindo picuinha.  Pode?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

VOTAR NO HADDAD É NO MÍNIMO INSANO!


Ontem, vi pela TV os resultados das pesquisas do IBOPE e do Data Folha, todos favoráveis, de longe, para o candidato Fernando Haddad com expressivo número de 49% de voto dos paulistanos.  Pelo que está desenhado, a vitória do Haddad será acachapante.  Será a vitória do Lula mais do que a do seu "sobrinho" Haddad.

Ontem, vi, também, a dosimetria de pena de um dos integrantes do mensalão, a do Marcos Valério, mais de 40 anos.  Marcos Valério vai levar a pena maior, porque é o membro da quadrilha que mais sujou a mão.  Como sempre acontece, a figura menor, sempre paga o pato.  No entanto, durante o julgamento do processo mensalão, ficou evidenciado que o José Dirceu era o chefe da quadrilha e que as ordens e cobranças partiram dele.  Seria mais um crime de corrupção ativa e passiva, somado a outros tantos como peculato, se o José Dirceu não fosse o chefe da Casa Civil e principal articulador do governo Lula.  Ele operava o mensalão, durante mais de 2 anos, exatamente no gabinete anexo ao do presidente Lula.  Todas evidências levam que o verdadeiro chefe da quadrilha era o próprio presidente Lula.

Fernando Haddad, faz parte do projeto de assalto aos cofres da Prefeitura de São Paulo, maquinado pelo mesmo chefe, de fato, da quadrilha que praticou a operação mensalão, o presidente Lula. Os inocentes dizem que é mais um tartaruga em cima do poste.  Nada disso é verdadeiro.  A verdade é que a quadrilha não se desbaratou com o julgamento do processo mensalão, ela continua atuando com mais vigor, agora, do que nunca.  Um projeto criminoso que está em curso, comandado pelo Lula, que transformam os seus "sobrinhos" empresários em "novos" bilionários com benesses do Bolsa Empresário com recursos públicos vinculados ao governo federal. 

Mesmo antes do resultado das eleições para prefeito de São Paulo, o Lula, chefe da quadrilha, já anunciou à imprensa que Alexandre Padilha, outro "sobrinho" seu vai ser o seu candidato ao governo do estado de São Paulo.  O apetite da quadrilha é voraz.  É o projeto de assalto aos cofres públicos, dos 20 anos, já anunciado pelo seu "primeiro chefe" José Dirceu.  

Assim como já manifestei na matéria de ontem, aqui não se trata de luta entre os partidos.  Não é confronto de ideologia.  Não será tão pouco, confronto de programas de governo.  Fica longe, os bons tempos, em que os candidatos disputavam em torno de siglas partidárias, uns mais à esquerda outros à direita ou mesmo com ideologia do centro.  No caso de São Paulo, o voto ao Haddad é votar na QUADRILHA. Se o  oponente é conhecido como INDIVIDUALISTA, paciência.  Só não seja INSANO em votar no membro da quadrilha que vai ASSALTAR os cofres do 3º maior orçamento público do Brasil.  

Votar no Haddad é no mínimo insano!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter? @sakamori10

terça-feira, 23 de outubro de 2012

DIGA NÃO AO HADDAD!


Eu não ia me posicionar sobre eleições da cidade de São Paulo, porque o meu domicílio eleitoral é de Curitiba.  Sou eleitor de Curitiba, e vou votar no candidato ao prefeito Gustavo Fruet que é do PDT, partido em que estou filiado há 6 anos.  Não tenho pretensão política, nenhuma.  Já estou dobrando o Cabo da Boa Esperança.  Porém, diante do posicionamento contundente do STF, em desfavor dos réus José Dirceu, José Genuino e Delúbio Soares, sinto-me compelido a me pronunciar sobre a candidatura do Fernando Haddad em Sampa.

Não sou a favor da candidatura do José Serra, já manisfestada por mim em matéria postada neste blog.  No entanto, sou visceralmente contra a postura política e pessoal do presidente Lula, também já manisfetada por mim, em dezenas de matérias já postadas.  O STF condenou o ministro chefe da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, em crimes de corrupção  ativa e formação de quadrilha.  Em países do Primeiro Mundo, sobretudo no regime presidencialista, certamente, o chefe do executivo seria defenestrado políticamente, no mínimo, mesmo não sendo condenado pela justiça.  Por que no Brasil haveria de ser diferente?  Somos republiqueta de 5ª categoria?  Não!  Creio que não.

O STF veio a demonstrar ao povo que há instituição no País que merece respeitabilidade.  Com o julgamento e condenação do principal assessor do presidente Lula, o Brasil cresceu perante o mundo, mesmo que o próprio Lula não tenha sido julgado ou indiciado, em razões das circunstâncias da época da denúncia.  O fato é que caiu por terra a tese do presidente Lula de que ele "nada sabia"Diante das evidências e circunstâncias o Lula é o chefe da quadrilha, de fato.  José Dirceu, seu imediato no executivo, era apenas preposto que decidia em seu nome.

A mudança do rumo do País ococrrerá somente quando o verdadeiro chefe da quadrilha, de fato, estiver defenestrado do mundo político e empresarial.  Enquanto o Lula estiver comandando as principais decisões dentro e fora do governo, a quadrilha não se desbaratou.  Chegou a hora do povo decidir sobre o rumo que quer dar ao País.  Chegou a hora do povo brasileiro mostrar que o Brasil faz parte do Primeiro Mundo.  A decisão depende de nós mesmos.

Dentro do contexto, Fernando Haddad é candidato ao prefeito da maior cidade do Brasil sob imposição do presidente Lula.  Fernando Haddad é seu "sobrinho" dentro da estrutura de quadrilha que assalta o País há 9 anos e 10 meses.  No dia 28 próximo, domingo, diga simplesmente NÃO ao candidato do verdadeiro chefe da quadrilha, o Lula.  Dizer NÃO para o Haddad é dizer NÃO para o Lula, o chefe da quadrilha! 

Com esta manifestação explícita, posso perder até os leitores deste, mas as circunstâncias me compele a fazê-la.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

LULA É O VERDADEIRO CHEFE DA QUDRILHA


Sete anos depois das primeiras denúncias, o STF desfechou o escândalo com 25 réus condenados e julgou que a gestão do ex-presidente Luiz Inácio da Silva comprou votos no Congresso para a aprovação de projetos de interesse da administração federal. De acordo com o ministro Celso de Mello, decano do tribunal, "um dos episódios mais vergonhosos da história política do País", operado por "homens que desconhecem a República, pessoas que ultrajaram as suas instituições e que, atraídos por uma perversa atração do controle criminoso do poder, vilipendiaram os signos do Estado Democrático de Direito e desonraram com seus gestos ilícitos e ações marginais a ideia que consignam o republicanismo na nossa Constituição". Fonte: Estão.

No entendimento do STF, o desvio de recursos públicos, os empréstimos bancários fraudados, a lavagem desse dinheiro e a distribuição para deputados, tudo foi montado para angariar apoio ao governo Lula e ampliar o poder do PT. "Tenho, para mim, que, neste perfil, reside a verdadeira natureza dos membros dessa quadrilha, que, em certo momento histórico de nosso processo político, ambicionou tomar o poder, a constituição e as leis do País em suas próprias mãos. Isso não pode ser tolerado", afirmou Mello. "Ninguém tem legitimidade para transgredir as leis e a Constituição de nosso país. Ninguém está acima da autoridade do ordenamento jurídico do estado", continuou. Fonte: Estadão.

Assim foram proferidos últimos votos do processo penal número 470, que transita no STF, denominado de "mensalão".  Ficou de fora a denúncia contra o presidente Lula, por ter declarado que ele "não sabia de nada".  Ele sabia, sim!  De toda forma, a imprensa parece ignorar que tal operação mensalão residia em angariar o apoio político aos "projetos do governo Lula".  Não dá destaque ao Luís Inácio Lula da Silva, o maior beneficiário do mensalão.

Diz o Don Luís Lula da Silva, o honorável chefe da quadrilha, que ele já foi absolvido pelo sufrágio voto universal.  Mesmo discurso usa o presidente Collor, de que o voto universal o absolveu do antes processo de cassação do seu mandado.  O voto não absolve o crime cometido.  O mandato parlamentar ou do executivo, apenas dá guarida temporal aos donos do mandato.  O fato de presidente Lula não figurar como réu no processo mensalão, foi estratégia, imagino, traçado pelo PGR Antonio Fernandes para que o processo tivesse o seu curso normal.  Certamente, com o presidente Lula figurando como réu no processo número 470, nunca veríamos o finalização do julgamento pelo STF.

Disse o ministro decano Celso de Mello: "Ninguém tem legitimidade para transgredir as leis e a Constituição de nosso país".  O presidente Lula, transgrediu leis, sim.  No mínimo, o Lula abrigou no Palácio do Planalto, no gabinete ao anexo dele, durante mais de 2 anos, o maior escândalo da história do País. Ele próprio, o Lula, posteriormente, utilizou-se de um outro mecanismo de "achaque" de empreiteiros do DNIT para se reeleger, em 2006, com as obras denominadas de "operação tapa buraco".  Aliás, esta última operação, que nem sequer foi denunciado pelo MPF, foi tão evidente que, até o "peão de trecho", sabia que as obras tapa buraco eram para financiar a campanha de reeleição do presidente Lula.  

Não adianta o Lula vir ao público que é golpe da elite brasileira.  Ele próprio já faz parte dela.  Ele é "padrinho" dos seus "sobrinhos" empresariais, Eike Batista e Henrique Meirelles, respectivamente ligados às empresas EBX e JBS.  Ambas empresas tomaram emprestados à juros subsidiados do Governo Federal, no montante muito acima de R$ 10 bilhões cada uma, nos governos Lula e Dilma.  O honorável chefe da quadrilha, continua a agir utilizando-se da estrutura do governo federal, agora comandada pela sua "sobrinha" Dilma.  O projeto político de perpetuação no poder continua a todo vapor, apesar do resultado do mensalão, ultrajando as instituições da república.  Só nos resta o caminho das urnas para desalojá-los do poder, democraticamente, através do voto universal, já no próximo domingo, dia 28.  Todos os "sobrinhos" do Lula, deverão ser excluído via eleições, sob pena de continuidade e perpetuação da roubalheira do dinheiro público.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

EM 4 ANOS, EIKE BATISTA TOMOU R$ 10,8 BI DO GOVERNO FEDERAL


O grupo EBX, de Eike Batista, contou, desde o início de sua fase de expansão acelerada, com o apoio do BNDES tanto pela via de participação no capital das empresas quanto pela do financiamento a projetos. Fonte: Folha.

Desde 2009, o banco estatal emprestou R$ 8,1 bilhões às companhias do grupo e investiu nas empresas --tem participação acionária em cinco delas: MPX (energia), CCX (carvão), MMX (mineração), OGX (petróleo) e SIX (de semicondutores).
Os empréstimos de 2009 a 2012 (até julho) ao grupo corresponderam a 1,6% dos desembolsos do banco no período (R$ 513,4 bilhões). Fonte: Folha.

Nas firmas de capital aberto, as maiores participações do BNDESpar, o braço de investimentos do banco, são na MPX e na CCX: 11,72%. Na MMX e na OGX o banco tem, respectivamente, fatias de 1,03% e 0,26%. A petroleira OGX é a campeã em desvalorização, com perda de 59,8% no período. Fonte: Folha.

O FMM (Fundo da Marinha Mercante) garantiu um empréstimo adicional de R$ 1,5 bilhão para a OSX, empresa de estaleiros e afretamento do grupo EBX, do empresário Eike Batista. Com este financiamento, os recursos públicos do projeto passam a corresponder a 87,5% do total. O novo financiamento vem se somar à linha de R$ 2,7 bilhões fornecida pelo FMM no ano passado, e repassada pelo BNDES e CEF (Caixa Econômica Federal) à OSX. Fonte: Folha

Na soma do comprometimento entre BNDES e FNM, o montante de empréstimo e ou particiapções do Governo Federal é de F$ 10,8 bilhões, no período de últimos 4 anos.  Não tenho dados sobre o volume de financiamento e ou participação acionária do período anterior, ou seja, do primeiro mandado do presidente Lula.

Eu já comentei na matéria anterior como o menino Eike Batista se tornou bilionário em pouco tempo.  Resumindo, ele tinha pretensão de comprar a Companhia Vale do Rio Doce à época da privatização, no que foi barrado pela equipe do FHC.  Enfurecido, bandeou-se para o lado do Lula.  Virou afilhado do Don Luís Lula da Silva e conseguiu alavancar as suas empresas de mineração MMX, de estaleiro OSX e de petróleo OGX.

Curiosamente, a empresa OSX de construção de plataformas de petróleo ganhou encomendas bilionários, sem ter construído uma plataforma sequer.  E a empresa OGX conseguiu concessão de exploração do petróleo sem ter perfurado um poço sequer. 

Não tem notícia na velha e na nova República de que alguém tenha tomado participação e ou financiamento, com juros subsidiados tão elevados, proporcionalmente, do governo federal.  Talvez, apenas o grupo JBS, do Henrique Meirelles, tenha comprometimento tão expressivo quanto ao do Eike Batista.  Enfim, ambos são afilhados  do Don Luís Lula da Silva, agora, também da presidente Dilma.  Uma verdadeira prática de Robin Hood ao inverso, onde se tira do contribuinte para beneficiar os poucos já endinheirados empresários bilionários.

Ossami Sakamori, 68, engenheirio civil, foi professor ada UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

sábado, 20 de outubro de 2012

DILMA ESTÁ SUCATEANDO O BRASIL


As notícias de repetidos apagões de energia no Distrito Federal e em boa parte do território nacional, é apenas amostra de que poderão vir outros apagões nos próximos meses.  Por falta de chuvas, os reservatórios, das usinas que geram energia, estão com níveis críticos, segundo fontes oficiais.  Ainda, segundo Aneel, já estão em operação o sistema elétrico alternativo movido a gás, para reforço.  

Se a situação agravar, poderá repetir o racionamento de energia ocorrido no período do governo FHC.  O Brasil é extremamente dependente de energia produzido por sistema hidráulico, dependente do regime de chuvas. Esperamos que as chuvas do próximo verão, voltem a encher os reservatórios com níveis baixos, para que não repita o apagão do FHC, tão criticado pela presidente Dilma.

Outras notícias preocupantes são sobre desabastecimento dos combustíveis nos estados de Amapá e Rio Grande do Sul.  Não chegou a ser notícia nacional, mas houve desabastecimento de diesel na zona rural do Paraná, além de outros pontos isolados no interior deste Brasil.  Estas notícias, parecem anunciar proximamente o racionamento de combustíveis, como já ocorrera no passado.  

As refinarias da Petrobras estão funcionando em regime de capacidade máxima e não tem projetos de ampliação que entre em operação no curto prazo.  Única nova refinaria em construção no país, a Refinaria Abreu e Lima, deverá entrar em operação somente em 2016.  Enquanto isto, a Petrobras importa combustíveis prontos, gerando déficit comercial no setor de petróleo.  Não se tem notícias de que os portos brasileiros, sucateados, estão preparados para atender a crescente demanda de importação dos combustíveis.  

Como já foi citado em matéria anterior sobre a perspectiva de bom nível de crescimento no ano de 2013, pelo menos acima dos 1,7% do ano de 2012, vai agravar mais ainda as situações no setor de energia elétrica e de combustíveis.  Os setores mencionados são as bases para o crescimento sustentável e não sendo solucionados os problemas tornarão gargalos para os melhoria nos índices de crescimento, nos próximos anos.  

Continuo a afirmar que o país carece de um Plano Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.  Tudo é feito no improviso, escolhendo projetos pontuais para incluir no PAC, Programa de Aceleração de Crescimento, numa tentativa desesperada de "tapa buraco".  Nem assim, a coisa anda.  As obras do PAC estão com cronogramas atrasadas. 

O país errou em acreditar nos discursos do presidente Lula e da própria presidente Dilma, que venderam a imagem da Dilma como se fosse "gerentona" hábil.  Nada disso foi verdadeiro.  A Dilma está prestes a sucatear o sistema elétrico brasileiro, na renovação das concessões, impondo indenizações e tarifas incompatíveis com o nível de investimento do setor.  Tudo pela manutenção da popularidade da Dilma.  

E com a manutenção dos preços dos combustíveis na bomba, está sucateando a Petrobras num processo acelerado, postergando investimentos necessários para acompanhar o crescimento, mesmo que seja pífio.  Tudo pela manutenção da popularidade da Dilma.  Todos as atitudes tomadas pela presidente Dilma se assemelha às do presidente Hugo Chavez da Venezuela. Igual, igual.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  twitter: @sakamori10

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

BANCO CENTRAL DECRETA INTERVENÇÃO NO BVA


O Banco Central do Brasil decretou nesta sexta-feira intervenção no Banco BVA S.A., em função do comprometimento da sua situação econômico-financeira e do descumprimento de normas que disciplinam a atividade da instituição.

Com a decisão, os bens dos controladores e dos ex-administradores da instituição foram bloqueados.
O Banco BVA S.A é especializado em crédito para empresas de médio porte e tem sede na cidade do Rio de Janeiro. São sete agências localizadas nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. A instituição detém apenas 0,17% dos ativos do sistema financeiro e 0,24% dos depósitos.

Em nota, o Banco Central informa que "está tomando todas as medidas cabíveis para apurar as responsabilidades, nos termos de suas competências legais de supervisão do sistema financeiro", para depois aplicar as medidas punitivas.

Fonte: Estadão

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

ECONOMIA. PRENÚNCIO DE 2013 AUSPICIOSO


Até o final deste ano, o pagamento do 13º salário deverá injetar 
R$ 139,9 bilhões na economia do País, valor que representa 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Conforme análise da Austin Rating, o montante gerado pela gratificação representa um aumento de 7,92% perante o total apurado em 2011 e deve contribuir para o impulso das vendas do comércio. Fonte: Estadão.

Conforme previsões da agência classificadora de riscos, no cenário econômico mais provável, com 80% de chance de se concretizar, o comércio varejista brasileiro deverá encerrar 2012 com alta de 9% sobre as vendas apuradas em 2011. Considerando um cenário otimista (15% de chance), a alta das vendas seria de 9,6% na mesma comparação, enquanto no cenário pessimista (5% de chance) o aumento seria de 8,3%. Fonte: Estadão.

Interessante observar a quase coincidência dos números entre aquele apresentado neste blog em 14/10 com o da agência Austin Rating.  Disse eu, há menos de 1 semana, na matéria " O Natal de 2012 será melhor dos últimos tempos", que era provável o comércio varejista alcançar volume financeiro de venda deste ano em 10% acima do ano de 2011, alcançando o número em reais o mais expressivo desde a criação da moeda em uso.  No cenário de pessimismo com o PIB crescendo a 1,7% aa a previsão de crescimento da venda em 10% parecia à primeira vista um tanto otimista.  Mas, veio a Austin Rating confirmar o que eu dissera naquela matéria.  

De certa forma, com inflação em curva ascendente, o acréscimo de liquidez no sistema financeiro, grosso modo, R$ 140 bilhões, é como botar gasolina na fogueira.  É por este motivo, também, que o BC, segundo a última ata do COPOM, a taxa Selic vai se estabilizar no atual patamar.  Pelo contrário, na reunião de janeiro de 2013, poderá aumentar a taxa Selic, conforme pensamento da atual administração do BC.  Poderá vir, também,  acompanhado de aumento de depósito compulsório, conforme a trajetória da inflação, após o despejo de R$ 140 bilhões.  O teto da inflação, baseado na meta do BC é de 6,5% para o ano de 2012.  Na minha modesta opinião, deve fechar o ano batendo no teto.  O ano de 2012, fecharia com o quadro de "estagflação" querendo ou não, conforme matérias postadas neste blog no 1º semestre deste ano.

Seja como for, o "melhor Natal dos últimos tempos" em 2012, abrirá o novo ano com certo "ar de otimismo" por parte da população, o que seria muito bom para a economia do Brasil em 2013.  Coincidirá também com a realização dos jogos da Copa das Confederações, uma prévia para a Copa 2014.  Tudo isto deve dar fôlego para que o PIB do ano de 2013, para que seja melhor que o de 2012.  O Brasil é maior do que qualquer governo de plantão, seja de que cor partidária for, felizmente.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

LULA É O VERDADEIRO CHEFE DA QUADRILHA !


Ministro Joaquim Barbosa do STF acaba de condenar o ex-ministro da Casa Civil do governo Luís Inácio Lula da Silva, no crime de formação de quadrilha, além de corrupção ativa, já pronunciado pelo pleno do STF em sessões anteriores. 

Para quem não se lembra, José Dirceu foi o articulador e responsável pela eleição do presidente Lula, nas eleições de 2002 e seu principal articulador político do primeiro mandado do ex-presidente.  Ele, José Dirceu, foi também, presidente do Partido dos Trabalhadores, por longos anos.  É célebre a frase dito por ele e divulgado pela imprensa de todo o Brasil, que o projeto de poder do seu grupo político era permanência no comando do executivo do país por 20 anos.  Já se passaram 9 anos e 9 meses.  Com certeza, o seu grupo político, incluído o presidente Lula e presidente Dilma, vão comandar o país pelo menos 12 anos.  

Na falta de provas, José Dirceu acabou respondendo pela chefia da quadrilha, mas ninguém que tenha um pouco de visão política, sabe que o verdadeiro chefe da quadrilha se chama Luís Inácio Lula da Silva.  Num país em que é considerado a 7ª economia do mundo, é impensável que o presidente da República, no sistema presidencialista, não tivesse conhecimento de que o seu ministro chefe da Casa Civil, num longo período de mais de 2 anos estivesse praticando os crimes já imputados.  Se este seu poderoso ministro praticava atos de corrupção ativa e de formação de quadrilha, por período tão longo, articulando para a sustentação do governo Lula no Congresso Nacional, a conclusão que se chega é que o verdadeiro chefe da quadrilha era o próprio presidente da República, no caso Luís Inácio Lula da Silva, o Lula.

Lula é o verdadeiro chefe da quadrilha e pronto.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

PETROBRAS. DESABASTECIMENTO EM AMAPÁ


Por mais que eu faça esforço para compreender a política econômica da presidente Dilma, não é possível aceitar a saia justa imposta à Petrobras, para segurar a inflação.  O resultado desta política já está causando problemas de desabastecimento na bomba de postos de combustíveis.

Assisti a fala do senador pelo Amapá, João Capiberibe, PSB, sobre desabastecimento da região metropolitana de Macapá, há mais de uma semana.  Fiquei  pasmo que foi necessário, segundo Capiberibe, a mobilização da bancada de Senadores e Deputados para solucionar o tão simples problema de abastecimento de uma capital do Estado do Amapá.  

Segundo relato do senador Capiberibe, foi necessário mobilizar o presidente da Petrobras Graça Foster, para que o problema fosse resolvido, temporariamente.  Segundo ele, ainda, não se sabe se a solução é definitiva.  O que me espanta é a necessidade de presidente da maior estatal do Brasil, ter que, pessoalmente interferir para que os combustíveis voltassem às bombas de postos, em uma capital do Estado.  Para mim, isto é apenas a ponta do "iceberg" do sucateamento da Petrobras, bem ao contrário do discurso dela, Graça Foster, de que a Companhia aperfeiçoa-se em gestão eficiente.

Vamos torcer que o desabastecimento, não venha ocorrer em outras cidades deste imenso Brasil.  Vamos torcer que a dupla Dilma e Graça Foster, não enterre de uma vez, a nossa gloriosa Petrobras construída com muito sacrifício dos contribuintes, desde 1953.  Uma  companhia gigantesca como a Petrobras, basta um descuido para ela ir para o buraco.  Tudo isto, infelizmente, para segurar a popularidade da presidente Dilma. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

terça-feira, 16 de outubro de 2012

DILMA IGUAL A HUGO CHAVEZ


Disse Graça Foster, hoje, confirmando matérias anteriores de que o preço dos combustíveis está abaixo do que deveria estar, mas que não sabe quando virá este aumento, numa clara demonstração de que ela não manda na Petrobras.  Ela é mais um marionete do jogo político da presidente Dilma, sua companheira de cela no DOPS.  Ela só faz cara feia, mas não tem autonomia nenhuma.  Graça Foster cuida da Petrobras, gigante na área de petróleo, como se cuida uma micro-empresa.  Definitivamente, não está preparada para o cargo que ocupa.  Ela é totalmente incompetente.

A presidente Dilma, utiliza a Petrobras como instrumento de política econômica, para manter sua popularidade em alta.  Uma atitude totalmente irresponsável, que imagino nunca tenha acontecido coisa semelhante, antes.  A responsabilidade de manter a inflação deveria ser do Tesouro Nacional e do Banco Central, não de uma Companhia de economia mista, de capital aberto.  Esta atitude incompreensível, de segurar a inflação, jogando prejuízo nas costas da Petrobras, depõe contra as boas regras do mercado aberto.  Está colocando em risco a saúde financeira da Companhia, num gesto que remete à irracionalidade.  E Dilma, faz conscientemente. 

Lembra-me atitude semelhante tomada pelo presidente venezuelano Hugo Chavez.  Ele, segundo se sabe, mantém a popularidade por dois programas "carros chefes", de moradia popular e gasolina barata.  Claro, ele é ele.  Venezuela é Venezuela. A semelhança de ambos, Hugo Chavez e Dilma, no método de manter-se com popularidade em alta, salta-se aos olhos.  Todos os programas do governos são pautados para manter a popularidade em alta, mesmo que o sacrifício seja distribuído entre os contribuintes.  É o método neo-socialista que no médio prazo vai levar o país à bancarrota.  

Impressiona-me sobremaneira, quando a imprensa em geral, apenas noticia os fatos, esquecendo-se de tecer comentários mais analíticos sobre as consequências de cada medida tomada pelo governo, no caso o da presidente Dilma.  Não creio que seja incompetência da imprensa brasileira.  Aposto mais na possibilidade de imprensa ter medo de opor-se ao governo e sofrer boicotes econômicos e ou represálias por parte do aparelho do Estado.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

PROCESSO MENSALÃO SÓ TERMINA EM 2014 !


Está a terminar o julgamento do processo penal número 470, conhecido como mensalão, no STF, nos próximos dias.  O resultado do julgamento, o país inteiro está acompanhando atentamente.  Há uma discussão sobre o cumprimento da pena pelos condenados no processo, imediatamente após o proclamo dos resultados ou vai se aguardar a decisão final do processo.  Ao que me parece, há consenso sobre a matéria, pelos ministros do STF.  Não se emitirá mandados de prisão aos réus condenados, de imediato.

Segundo juristas, mesmo condenados pelo STF, ainda há um último e derradeiro recurso denominado de "embargo de declaração" ao próprio STF que é franqueado aos réus do mensalão.  Existe um processo semelhante no DF, sobre o mesmo tema, julgado pelo STF em 2010, que os réus aguardam em liberdade o resultado do recurso, segundo STF, será julgado ainda este ano, isto é, após 2 anos do julgamento originário.  O STF, neste caso de recursos por parte dos réus, deverá aguardar o interregno de tempo regulamentar,  normal, também, no caso mensalão.  Considerado isto, a decisão sobre os recursos que serão interpostos pelos réus, deverão ser decididos em 2014.  Curiosamente, coincidente, novamente com o calendário eleitoral.

Nisto tudo, há um componente intrigante no julgamento dos recursos dos réus ao STF.  Em 2014, com certeza, o pleno do STF terá mudado a sua composição com os novos ministros indicados pela presidente Dilma.  Por enquanto, 2 ministros, um em substituição ao ministros Cezar Peluso e Ayres Brito.  Nestes próximos 2 anos, poderá haver mais outras substituições, possivelmente.  Com a nova composição do STF, os recursos poderão ser reformados, portanto.  Por enquanto, estamos a falar apenas em tese.  Conforme andamento do clima político e das pressões da sociedade, poderá ser reformada a decisão para alguns réus.  Isto faz parte das regras democráticas, não adianta espernear.  Importante se torna, à essa altura dos acontecimentos, o referendo das indicações  aos postos de ministros do STF feitas pela presidência da República, pelo Senado Federal. Esperamos que sejam aprovados nomes com ilibada competência jurídica, mas sobretudo isento de influência das agremiações políticas.

A vigilância continua!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

EIKE BATISTA OBTÉM MAIS R$ 1,5 BI DE FINANCIAMENTO SUBSIDIADO



O FMM (Fundo da Marinha Mercante) garantiu um empréstimo adicional de R$ 1,5 bilhão para a OSX, empresa de estaleiros e afretamento do grupo EBX, do empresário Eike Batista. Com este financiamento, os recursos públicos do projeto passam a corresponder a 87,5% do total. O novo financiamento vem se somar à linha de R$ 2,7 bilhões fornecida pelo FMM no ano passado, e repassada pelo BNDES e CEF (Caixa Econômica Federal) à OSX. Fonte: Folha.

A trajetória do menino Eike Batista, começou em 1994, com o episódio da privatização da Companhia Vale do Rio Doce, hoje denominado simplesmente de Vale S.A.  À época da privatização, o menino Eike Batista, filho do presidente Eliezer Batista tentara arrematar a Vale, no leilão de privatização da Companhia, no entanto, vetado pela equipe do FHC.  Da tentativa saiu-se frustrado.  Quem levou a Vale foram as fundações das estatais e o Bradespar em conjunto com o grupo japonês Mitsui.  Corre-se a notícia de que, em razão da tentativa frustrada, o menino Eike levou a cópia do inventário de principais jazidas minerárias da própria Vale, cujo acesso fora permitido pelo pai Elezer.  

Magoado com a tentativa frustrada na privatização da Vale S.A., o menino Eike Batista, se uniu à oposição liderada à época pelo ex-presidente Lula.  E dali que nasceu a relação de "padrinho" para com o "afilhado".  Os fatos posteriores, demonstram claramente, que houve favorecimento para concessão e ou transferência de direitos minerários, incluindo o petróleo.  O fato de menino Eike Batista se tornar, em apenas 9 anos e 9 meses, bilionário, em dólares americanos, nada é novidade.  Hoje, frequenta a lista dos mais ricos do mundo, segundo lista da revista Forbes.

Em qualquer parte do mundo, denota o fato de menino Eike Batista, conseguir concessão na exploração de petróleo, sem ter antes extraído nenhuma gota do precioso óleo, via empresa denominada por ele de OGX.  Nenhuma novidade, o fato do menino conseguir, também,  encomendas da dezenas de plataformas de petróleo, sem ter o estaleiro e sem ter construído nenhuma delas antes.  E de sobra, a empresa OSX consegue financiamento subsidiado para instalação da fábrica de plataforma num montante de 87,5% do investimento de R$ 4,8 BI.  Nem é preciso comprovar que houve ingerência do "padrinho" Lula e "madrinha" Dilma para que o "afilhado" fosse beneficiário do financiamento subsidiado do sistema BNDES e CEF, denominado por mim de Bolsa Empresário.  

Vocês ainda tem dúvida de que o Lula e a presidente Dilma são os padrinhos patrimonial do menino Eike Batista?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12