Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 25 de agosto de 2012

BOLHA IMOBILIÁRIA III . PDG E BROOOKFIELD EXPLODINDO


A PDG Realty, uma das maiores construtoras do país, foi a empresa de capital aberto do setor de construção e locação com maior prejuízo entre companhias da América Latina e Estados Unidos no segundo trimestre do ano. O levantamento foi feito pela consultoria Economatica. 
A empresa registrou perdas de US$ 222,69 milhões (R$ 450 milhões) entre abril e junho. 

A segunda empresa com maior prejuízo no segundo trimestre deste ano foi a Brookfield com perdas de US$ 189,7 milhões (R$ 383 milhões). Entre as dez empresas com maiores prejuízos, há cinco empresas brasileiras, duas mexicanas, duas americanas e uma argentina.

Veja os prejuízos das empresas

PDG Realty (Brasil): -US$ 222,69 milhões
Brookfield (Brasil): -US$ 189,72 milhões
Beazer Homes (EUA): - US$ 39,88 milhões
Generalshopp (Brasil): -US$ 38,58 milhões
Kaufman&Broad Home (EUA): -US$ 24,14 milhões
Viver (Brasil): - US$ 21,22 milhões
João Fortes (Brasil): - US$ 12,37 milhões
Urbi Desarollos (México): -US$ 9,35 milhões
Dine (México): -US$ 2,76 milhões


Fonte: Folha de São Paulo de 24/8/2012.

É preciso ficar atento para a estouro da bolha imobiliária no Brasil.  As construturas e incorporadoras, tem como hábito vender o projeto na planta.  Os incautos compradores dão como entrada quando da assinatura do contrato de compra, na planta, e pagam prestações mensais e os balões durante a construção.  Muitos destes clientes compram para especulação, com propósito de ganhar dinheiro na revenda, quando da assunção do financiamento imobiliário.  O que poderá não ocorrer se não houver eventual comprador. Vai morrer com o mico na mão.

O mercado de imóveis, já viveu triste experiência do caso Encol, que deixou mais de 40.000 clientes na mão em todo o Brasil.  Muitos daqueles tinham dado como entrada ou pago antecipadamente com o dinheiro da poupança acumulado ao longo de anos.  Na liquidação da Encol, alguns poucos clientes tiveram ressarcimento de parte do prejuízo, após anos de desgastes na demanda judicial.  Coisa semelhante poderá acontecer, com o estouro da bolha imobiliária que estamos a assistir.

Pelo volume financeiro do prejuízo anunciado, tudo leva a crer que as empresas PDG e BrookfiEld poderão estar no mesmo do caminho da Encol, ou seja estão na posição de "Encol ontem".  Se houver quebra de uma destas ou ambas, a consequência no mercado imobiliário vai ser nefasta, configurando tecnicamente como estouro da bolha imobiliária, que nunca este país experimentou antes. 

Não compre imóveis na planta!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
e-mail: sakamori10@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.