Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Feliz Ano Novo! por Saka Sakamori

Obrigado companhia de vocês no ano que está a terminar.
Obrigado amigos e amigas deste blog.
Obrigado companheiros de luta pela democracia.
Obrigado fieis amigos dos momentos difíceis que passamos.

O novo ano, o ano 7, será diferente de todos anteriores.
É sete da soma dos algarismo 2014, meu número de sorte.
O novo ano, não será nada do que falam os que já estão a desistir.
O ano novo será o ano da revolução.

O ano novo será o ano de pagamento de contas.
O ano novo será de dificuldades.
O ano novo será o ano do levante.
O novo ano será de ânimo novo.

O povo vai acordar,
mesmo os mais pobres acordarão, quando inflação do bolso voltar,
o povo se levantará.
E nós estaremos lá, juntos!

O povo se levantará,
O povo carregará a bandeira da mudança,
Ricos ou pobres estarão na mesma fileira dos reclamos,
De intelectuais aos menos cultos estaremos irmanados.

Diremos em bom tom, basta!
Basta de arrogância!
Basta de corrupção!
Basta de privilégios!

Nós lá, estaremos,
Carregaremos a bandeira da liberdade,
Carregaremos a bandeira da probidade,
Carregaremos a bandeira do crescimento.

O ano de 2014, será como eu imagino.
O ano de 2014, será o ano da mudança.
O anos de 2014, será o ano de recuperação da dignidade perdida.
O ano de 2014, será o ano da libertação.

Tantas mazelas juntas, não se repetirão.
Tantas roubalheiras não investigadas, não mais acontecerão.
Tantas injustiças cometidas, serão reparadas.
Tantas gastanças injustificadas, terão o paradeiro.

Para todos os amigos e as amigas deste blog e das redes sociais, o meu muito obrigado! 
Auguro a todos e todas que me acompanham um

Feliz Ano Novo!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori


Tem motivos! DILMA não se reelege em 2014!

Eu afirmei ontem de que a presidente Dilma não se reelegeria em 2014.   Aleguei motivos que me fez crer no que estava a falar.  A repercussão foi tal que volto a falar sobre o assunto.

Por mais que os admiradores e as admiradoras da presidente Dilma, não queiram aceitar a minha opinião, tenho motivos suficientes para me fazer crer que isto será realidade, em 2014.

Por período longo, desde sua posse em 1° de janeiro de 2011, o governo Dilma, vem adotando o "Plano Dilma", dentro do contexto do Plano Real.  O plano é basicamente a cópia ou melhor prosseguimento do "Plano Lula", emergencial, de 2009, para enfrentar a crise financeira mundial de 2008.

O "Plano Lula" foi a maneira de enfrentar a recessão mundial que se avizinhava.  O "Plano Lula" consistia em fazer o País crescer baseado em "mercado interno".  Foi dado estímulo ao crédito aos empresários mediante programa PIS - Plano de Investimento Sustentável, concedendo crédito fácil e barato.  O programa já injetou no "Plano Lula" e "Plano Dilma" nada mais que R$ 430 bilhões, de 2009 a 2013.  O plano que chamo de Bolsa Empresário, devido ao subsídio bancado pelo Estado.

O "Plano Lula" e "Plano Dilma" estimulou o consumo interno, basicamente, com câmbio defasado, ou seja dólar desvalorizado e crédito fácil e barato.  O Banco Central vem atuando com intervenção sistemática sobre área de câmbio, tentando segurar a cotação no atual patamar.  As instituições financeiras oficiais, como a CEF e BB vem atuando pesadamente, ofertando crédito fácil e barato para a população,  com muita propaganda, diga-se de passagem.

O programa PIS, o Bolsa Empresário, chegou no limite que compromete o endividamento do Estado, com captação a juros exorbitantes, Selic.  No ano de 2014, a oferta de crédito neste setor, vai se arrefecer.  Terá menos oferta de crédito nesta modalidade, o PIS.  Por outro lado, a oferta de crédito para a população está chegando no esgotamento da capacidade de endividamento das famílias, que já chega aos 50% da sua renda comprometida com prestações de financiamentos.  O limite de endividamento, que os brasileiros não estão preparados para assumir, chegou no limite do limite. 

O índice de inflação oficial, IPCA, de 5,85% ao ano, chega a ser uma piada, comparado com a inflação do bolso.  A inflação do consumo de dia a dia da população, seja em serviços ou produtos, estão além de 15% ao ano.  Isto me parece, manipulação, como aconteceu e acontece na Argentina.  Esta trajetória ascendente da inflação do bolso, vai continuar no ano de 2014, sobretudo pelo efeito inercial e aumento de tarifas administradas como combustíveis e energia elétrica.  Não há mais espaço para Petrobras e Eletrobras continuar bancando a defasagem de preços.  

O primeiro sinal de que há uma desaceleração do crescimento se verificou pelas vendas do Natal deste ano.  As vendas do comércio estacionaram no mesmo volume de venda do ano anterior, 2012.  Significa que o PIB está desacelerando.  Se tirar a foto do instante, no dia do Natal, o PIB é igual a 0% (zero).  Isto é fotografia do que poderá ser o desempenho da economia no ano de 2014, ano de eleições.  

Há uma certa calmaria no mercado.  Parece que tudo parou no tempo.  As vendas do Natal a 0% de crescimento.  A estabilidade na criação de empregos com carteira assinada, a menor dos últimos 11 anos.  O índice de desemprego do IBGE decrescendo, em função de que o povo, já cansou de procurar empregos.  Isto me parece exatamente o "olho do furacão".  Bem no centro do furação, há calmaria de dar medo.  Ao entorno do olho, ventos que destroem tudo que se encontra na frente.  Estamos, neste momento, no "olho do furacão". 

Não tem como permanecer eternamente no "olho do furacão".  Há momento que terá de sair do olho e enfrentar a tempestade ou tormento, querendo ou não querendo.  Pois, o Brasil atravessa uma situação como descrito.  A própria equipe da Dilma já admite isto.  O conselheiro da Dilma sobre a economia Luiz Gonzaga Belluzzo, pai do Plano Cruzado do Sarney, já pulou fora.  O próprio ministro Mantega, já disse que o Brasil está manco de duas pernas.  Fiz uma frase, que me deu suspensão na rede social, na mesma linha de pensamento dos assessores da Dilma, eu disse que "o Brasil está como pato manco".  

Bem, a oposição no Brasil não existe.  Os virtuais candidatos, também, tanto quanto Dilma, não tem noção da gravidade do momento que vivemos.  Realmente o Brasil é como pato manco, de duas pernas!  Vem turbulência por aí.  O País passará por momentos semelhantes às saídas do Plano Cruzado ou do Plano Collor, isto é inexorável.  Muitas turbulências estão a acontecer no próximo ano.  Não há como segurar ou mitigar o desastre até depois das eleições.  Neste quadro, a presidente Dilma não se reelegerá!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

domingo, 29 de dezembro de 2013

Dilma perderá eleições de 2014! (postado em 29/12/2013)

Demorou para alguém com certo peso na economia, emitir opinião sobre o equívoco da política econômica da presidente Dilma.  Para quem não se lembra ele foi o idealizador do desastrado Plano Cruzado do governo Sarney que deu no que deu.  O último mês do governo Sarney, a inflação bateu 81% ao mês. 

Com forte influência na formulação da política econômica da presidente Dilma é de crer que teve o dedo do professor Luiz Gonzaga Belluzzo, para cometer o mesmo erro que culminou com o fracasso do Plano Cruzado.  

Entendo que, na prática, o professor está abandonando o barco que ele próprio era o timoneiro oculto do plano econômico (sic) da Dilma pois, agora, faz crítica contundente sobre tudo que ele pregou antes.  Vejam os trechos da notícias da Folha e meus comentários na sequência. 

Folha. O Brasil precisa mexer na política cambial. A valorização do real por vários anos fez com que empresários virassem importadores e a indústria encolhesse. Por isso, o crescimento patina. Se o enrosco não for resolvido, pode haver recuo. O diagnóstico é do economista Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo, 71, professor da Unicamp, ele foi mestre de Dilma Rousseff.  


Folha. Ele avalia a ex-aluna: "Ela está seguindo os cânones dominantes. Deu uma recuada diante da correlação de forças. Com o câmbio muito fora do lugar e essa situação internacional, haverá dificuldades de reativar a economia". Na sua visão, "o governo está perdendo a batalha ideológica e política para o mercado financeiro". 

Comentário.

Ele faz uma espécie de revisão do pensamento que pregara tempo todo, qual seja a intervenção direta do governo na economia, sobretudo em câmbio e preços administrados.  Agora, professor Luiz Gonzaga Belluzzo faz aconselhamento ao contrário.  O que ele prega hoje é exatamente o que venho chamando atenção do governo Dilma sobre o erro sistêmico que ora o professor prega.

O exemplo de como não deve ser feito, existem vários, na própria história do País.  Senão, vejamos, o Plano Cruzado, Plano Bresser, Plano Verão do governo Sarney, o Plano Collor I, Plano Collor II do governo Fernando Collor.  Foram todos planos desastrados, que acabou culminando no Plano Real do governo Itamar Franco, para devolver estabilidade da moeda ao País. 

Basicamente, o professor Luiz Gonzaga Belluzzo aponta erros, mas não mostra o plano de saída.  Todos os planos anteriores se esbarraram propriamente na saída do "congelamento" dos preços.  Há que considerar que existe um "Plano Lula" e "Plano Dilma" embutidos no Plano Real do Itamar Franco.  O Plano Lula de 2009/2010, com extensão agora o "Plano Dilma", 2010/2013, vem rechegado de equívocos que levaram ao fracasso dos planos anteriores ao do Real. 

O governo Dilma, com o seu "Plano Dilma" quer levar a saída para após eleições de 2014.  Não, não vai conseguir.  A saída deve começar agora, imediatamente, sob pena de dar no que deu todos os planos econômicos anteriores.  Se até o conselheiro econômico da presidente Dilma está abandonando o barco é porque ele não quer se comprometer com o resultado da economia para o próximo ano.

Curiosamente, todos os planos anteriores fracassaram por conta do calendário eleitoral.  E desta feita, não será diferente, o "Plano Dilma" vai fracassar pela demora na saída do engessamento da economia.  Todos planos fracassados, na ante-véspera do desastre, havia um ar de "sensação de poder e riqueza" do povo brasileiro, tal qual acontece no "Plano Lula" e "Plano Dilma". 

Quanto mais tarde a correção de rumo, maior será a queda.  Com 45 anos de janela no mundo empresarial e financeiro, a presidente Dilma, não vai conseguir segurar o "Plano Dilma" até as eleições de outubro de 2014.  Em consequência, Dilma perderá eleições, no segundo turno, com derrota acachapante. 

Ossami Sakamori
@SakaSakamori 


sábado, 28 de dezembro de 2013

Petrobras, 28/12/2013. Acidente na plataforma P-20!

Houve 3 explosões ontem aqui na plataforma onde estou a bordo, por pouco não morremos todos incinerados. Yesterday at 12:14pm. from Capixaba. Fonte: Facebook. 

http://goo.gl/uKJjFK

Imagem impressionante do acidente na plataforma P-20 da Petrobras.  Como a grande mídia não registrou a ocorrência com destaque, faço-o como dever de ofício.

Acidentes em plataforma são mais constante do que possa imaginar. Já aconteceu na plataforma P-51, devido ao vazamento de gás na tubulação, sem maiores consequências.  Mas o mais grave foi o acidente com a plataforma P-36, que afundou.

Segundo notícia da época, na madrugada do dia 15 de março de 2001, ocorreram duas explosões.  Segundo a Petrobras, houve duas explosões.  Após as explosões, a plataforma tombou devido ao bombeio de água do mar para o seu interior, o suficiente para permitir alagamento que levou ao seu afundamento. Na ocasião, trabalhavam na plataforma, 175 petroleiros.

Os exemplos não faltam, de acidentes de pequenas proporções, controlados, que poderiam terminar em acidentes fatais de operários embarcados na plataforma.  Como não sou da área, não poderia precisar, se estes acidentes são constantes em plataformas off-shore de outras petroleiras do mundo.  Espero que não.

Faço aqui, dois comentários.  O primeiro é que a exploração do petróleo off-shore não oferece segurança para os trabalhadores embarcados.  A Petrobras como tantas outras do mundo, na área de petróleo, só visam lucros.  O próprio governo brasileiro, só discute a parte comercial, de possíveis receitas, de royalties, de partilhas, tal qual os setes irmãos da área de petróleo.

O segundo comentário é sobre uma eventual acidente na exploração em off-shore, sobretudo em águas profundas, como o do pré-sal brasileiro.  Duvido e aposto que não dispomos de processos seguros para evitar vazamentos, em eventuais riscos de quebra de equipamentos e ou de falhas geológicas não previstas na fase de pesquisa.  O acidente do Chevron atesta o que estou a afirmar aqui.

Penso eu.  Será que justifica tanto açodamento em licitações de águas profundas, como a que foi feito no leilão do campo de Libra?  A licitação da Libra foi apenas para cobrir déficit fiscal do ano de 2013, com a entrada de R$ 15 bilhões de bônus de participação?  Ou teria interesse em atender as empresas chinesas de petróleo?  Uai, para que tanta pressa!  Alguém vai roubar o nosso petróleo, guardado no sub-solo brasileiro?  

Ossami Sakamori
@SakaSakamori 




sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Pior Natal dos últimos 11 anos!

Folha. Crédito restrito, confiança em baixa, juros em alta e dólar mais caro levaram os brasileiros a reduzir o ritmo de consumo neste Natal, a principal data do ano para o comércio. Balanços preliminares indicam o pior desempenho em 11 anos.  Os fatores acima, somados ao ainda alto endividamento das famílias e à inflação elevada, provocaram, em 2013, uma desaceleração do comércio depois do forte ritmo registrado nos últimos anos. Até então, o consumo vinha se mantendo como o principal vetor de crescimento da economia brasileira. 

Comentário. 

Falou tudo a Folha. O povo gastou menos nesse Natal, pelos seguintes motivos: 1) confiança em baixa; 2) juros em alta; 3) dólar mais caro; 4) crédito restrito; 5) inflação elevada e 6) endividamento das famílias.  Só isto.  É pouco? 

Pela política econômica equivocada implementada pela Dilma, não poderia dar numa outra situação.  Vou lembrar aos amigos, o básico da minha teoria porque critico a política econômica (sic) da Dilma.  A presidente pegou o programa emergencial do Lula para sair da crise financeira mundial de 2008.  Foi bem nos primeiros 2 anos, 2009 e 2010, para governo Lula.  Como todo programa emergencial deveria ter terminado e implementado uma nova política econômica, sustentável no longo prazo.  Dilma não fez.  Pior, continua com a velha política emergencial do governo Lula, até hoje. 

Não vou repetir tudo que foi dito em mais de 1.000 matérias chamando atenção para o erro sistêmico da política econômica da Dilma.  Em querendo, basta acessar às matérias pertinentes a cada tema da economia.  Lá encontrarão os motivos que levaram ao País a viver situação de hoje.  Pior Natal dos últimos 11 anos!   Exatamente é o número de ano que o PT está no governo.

Triste é ter que dizer para vocês o que estou a dizer aqui.  A situação que se apresentou no Natal não representa o fim da crise.  Não, não é o fim, infelizmente.  A situação é apenas prenúncio do que virá no próximo ano.  Não é fim da crise, mas o início dela. O governo Dilma, perdeu o controle da situação.  Com prorrogação do programa emergencial do Lula, populista, tinha que dar no que deu.  Criou-se enorme distorção na economia do País.  E agora, vamos pagar a conta.  Não tem almoço de graça!

Digamos que o "pior Natal dos últimos 11 anos" é o prenúncio de "ano muito difícil em 2014".  

Ossami Sakamori
@SakaSakamori 





quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Em 2014, vamos apostar no Brasil Melhor, vamos?

O ano de 2014 se aproxima, é o momento de reflexão.
Quero apostar no Brasil Melhor.
O Brasil tem potencial, tem riquezas sobre o solo e no sob-solo.
O País tem população rica em diversidades.

O ano de 2013 foi elo perdido,
Foi o ano da inflação, de crescimento ladeira a baixo,
Desemprego baixo, diz o governo.
Baixou foi a população que não mais procura o emprego.

O que teria acontecido ao País para se encontrar assim,
Tão cabisbaixo, tão envergonhado de si próprio.
Os que pensam está com auto-estima em baixa,
Os que não pensam está com auto-estima em alta.

É o País do contraste,
Do pobre e do rico,
Do analfabeto e do intelectual,
Do probo e do ladão,
Do medíocre e do corajoso.

Há um gangue que se instalou no poder,
Roubam como quadrilha de traficantes.
São os senhores feudais,
Mandam no País que se tornou uma republiqueta.

Mas o Brasil é grande.
O País tem riquezas naturais,
O País tem solos ricos,
O País tem empresariado ativos,
O País tem extensão territorial.

Faltam, faltam sim.
Faltam pessoas que sejam patriotas,
Pessoas que se orgulham do País,
Faltam pessoas que passem à liderança,
Pessoas que propõe o resgate do País.

O anos de 2014 será o de eleições presidenciais,
É o ano de definição do futuro do País,
Precisamos sair desta inércia e sair às ruas,
Propor mudanças para o Brasil Melhor.

Vamos apostar no Brasil Melhor, vamos?

Ossami Sakamori
@SakaSakamori


quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

O caminhante do mundo.

Estou a caminhar neste mundo há algum tempo,
Tempo que não sei precisar, 
O tempo é de Deus, infinito do cosmos,
Do meu caminho, o tempo é uma fagulha, breve, muito breve.

Nem me lembro, o primeiro caminho,
Não me lembro nem das primeiras palavras balbuciadas,
A inércia foi me levando à razão,
O tempo me levou para o caminhos de chão batido.

O caminho foi abrindo, sem minha visão,
O caminho do futuro, parecia infinito, longínquo, 
Tão longe, quanto minha visão me permitia,
O caminho terminava no horizonte, sempre.

O tempo foi passando,
O horizonte nunca chegava,
Quanto mais caminhava mais longe ficava,
Descobri que o caminho não tem fim.  

No caminho encontrei muitas pedras,
Pedras que me faziam doer os meus pés descalços,
Das dores fui aprendendo os ensinamentos,
Dos ensinamentos que pouco valeram no caminho da vida.

Dei várias pausas, como que esperasse a mudança,
Não, não mudou,
Ganhei novas forças e continuei a caminhar,
Mas, o horizonte, parecia estar sempre longe.

Encontrei vários transeuntes,
Uns para trocar, apenas algumas palavras,
Outros para trocar pensamentos.
Volto a caminhar, só, rumo ao mesmo horizonte.

As minhas mochilas são sempre mesmas,
Cheias de esperanças e de futuro,
As esperanças e futuros que foram alimentos para prosseguir,
E estou a caminhar, novamente.

Encontrei flores no meio do caminho,
As flores para dar vida ao caminho de chão batido,
São flores que parecem insignificantes para os caminhantes,
Elas são belas se parar para tocá-las.

Descubro que o horizonte nunca chega,
O horizonte é como utopia, nunca chega,
O que importa são flores das relvas,
Deixei de olhar apenas o horizonte, olho as flores das relvas.

Olho e aprecio as flores das relvas,
Os detalhes, são diferentes uma das outras,
São individuais, nunca iguais, 
Colho uma, me fará companhia, me fará a diferença.

Ossami Sakamori
@SakaSakamori 


Petrobras. Dima manda fazer operações fictícias para fechar a conta.

FolhaHá duas semanas de acabar o ano, o Brasil registrou a exportação "contábil" de mais uma plataforma de petróleo. A operação foi decisiva para engordar o resultado da balança comercial e garantir um modesto superavit de US$ 1 bilhão em 2013.  A operação está regulamentada com o nome Repetro.  


Folha. Neste ano, o país exportou "no papel" o recorde de sete plataformas de petróleo, que garantiram US$ 7,74 bilhões a mais para a balança comercial. Sem essa ajuda, o país teria registrado um deficit de US$ 6,7 bilhões em suas trocas com o mundo. 

Comentário.

O secretário de Tesouro Arno Augustin, o rei das gambiarras, e o ministro da Fazenda Guido Mantega, fazem milagre para fechar a conta da execução orçamentária de 2013, no papel.  Gambiarras para mostrar ao mercado financeiro nacional e internacional que o Brasil está cumprindo a lei da responsabilidade fiscal, nos seus devidos termos.

A venda de plataformas é uma operação semelhante ao que acontece com aviões da Embraer em determinados casos.  Exporta-se aparelhos para uma empresa de Leasing ou locação sediado, em paraíso fiscal, para esta fazer contrato de leasing ou locação para empresas aéreas brasileiras.  No caso de aviões, a operação é corriqueira porque avião é um equipamento móvel.  

No caso de exportação de plataformas de petróleo é uma gambiarra contábil para fechar o Orçamento Fiscal, a balança de conta corrente e de pagamentos.  Oficialmente, na contabilidade da Petrobras aparece como "exportação" de plataformas e nas contas do governo como se efetivamente exportações houvesse, com fechamento de câmbio e tudo.  Porém, é uma exportação fictícia porque a plataforma é fixa no mar, com finalidade de exploração do petróleo.  Há, declaradamente, "passeio" de nota fiscal.  

Se uma empresa privada fizesse esta operação, digamos, em outros segmentos os administradores das empresas iriam presos.  Pois o que se faz é uma "operação fictícia" de faz de conta, de exportação, mas que na prática, não houve.  Acontece muito com "exportação" de cervejas, sem atravessar a fronteira e o produto ficar aqui no Brasil, para venda no varejo, sem pagar impostos.  Em ambos casos, houve o famoso "passeio" de notas fiscais.  Somente as notas fiscais atravessam a fronteira, pega o carimbo de saída, mas o produto não sai do País.  

Há muitos casos de fraudes fiscais, como esta da Petrobras, sobretudo na área de bebidas, cigarros e combustíveis.  A operação no "sub-mundo" se denomina "passeio de nota".  A denominação é explicada pela singeleza da operação, que é um verdadeiro passeio de notas fiscais.  E claro, carimbo de saída, para beneficiar-se das isenções de impostos.  É o que a Petrobras faz na prática.  Como a empresa é do governo, criou-se regulamentação especial denominado Repetro, para "esquentar" a operação.

Digo, novamente, que se fosse em outras áreas não abrangido pela regulamentação Repetro, a operação motivaria prisão de envolvidos. Como o Brasil é uma republiqueta, os atos ilícitos são legalizados, ou melhor dizendo, em termos técnicos, as operações são blindadas.  

Vamos apostar no Brasil, sem elles, vamos?

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Dia de Natal. Minha homenagem à Celina.

Minha Celina,

Poeta não sou, para descrever o seu valor sem cometer faltas.
Nem maestro sou, para dedicar-lhe as melhores melodias do mundo que você merece.

Tento descrever em poucas linhas, as suas virtudes que não caberia numa enciclopédia.  
É a forma que encontrei para demonstrar o meu afeto por você.

Antes de tudo, você é mulher de caráter, guerreira, determinada.
A vida a moldou para enfrentar todos percalços da vida, solitária, mas dignamente.

Só Deus sabe, tantas lutas, até chegar ao dia de hoje.
Gravidez, amamentação, as primeiras palavras, os primeiros passos, a primeira liberdade.  
Isto sempre fará parte da sua vida.
Isto ninguém a tira.  
Isto são momentos exclusivos, seus.

Tantas lutas para vê-los crescerem.
Crescerem com educação, o seu melhor legado.
Você deu melhor de você, esquecendo-se de si mesma.

Muitas lutas, ainda estão para vir.
As recompensas estão a vir juntas.
Os momentos de cansaços são compensados por eles existirem.

Tanto tempo já passou sem se aperceber-se das marcas indeléveis.
Sim, você é uma nova mulher. 
Você merece voltar a viver parte da sua juventude que deixou para trás.
Sim, você está a vivenciar novos tempos.

O mundo é assim, Celina.
Uns vem, outros vão. 
A felicidade não é ser.  
A felicidade é estar.
A felicidade é nossa escolha.
Nada mais.

Celina, 
Neste dia, o dia simbólico de um início, 
Estou para compartilhar as velhas e novas venturas.
Sinta-se, novamente, mulher de caráter, guerreira e determinada.
Você não mais está sozinha.

Dedico esta mensagem para todas mulheres do mundo, através da figura da Celina, com estas poucas linhas, com pobres palavras, apenas pelas que vieram espontaneamente da minha alma.

Ossami Sakamori
@SakaSakamori 



segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

O eixo do poder: Planalto, Alvorada e Papuda!

Os poderes do Brasil não mais serão os três poderes da instituição da República do País.  Desde decretação de prisão dos mensaleiros, como são designados os condenados do processo mensalão, na Penitenciária da Papuda, o centro efetivo do poder da República mudou de endereço.

O Palácio do Planalto onde decide, oficialmente, a condução da política econômica e social do País, continua servindo de anteparo para todas medidas do governo na área econômica.  Os projetos de impactos positivos são anunciados pela presidência da República, do Palácio do Planalto.  

O Palácio da Alvorada tem servido de encontro, não oficial, entre os dois presidentes brasileiros, a Dilma a de direito e o Lula o de fato.  As articulações políticas estão sendo costuradas, em jantares entre os principais articuladores da área política do governo e do partido da situação, com jantares pagos pelos contribuintes.

Há um novo desenho nos bastidores do poder da República.  Os principais articuladores do partido da situação, hoje, cumprem penas na penitenciária da Papuda, todos, por enquanto, em regime semi-aberto.  Na prática, os condenados irão apenas dormir na Penitenciária da Papuda, mas a realidade é que o endereço residencial é o da penitenciária, como são todos demais condenados daquele presídio.

Há estreito relacionamento entre o Palácio do Planalto e o Palácio da Papuda.  A presidente da República, manda recado via rádio, em cadeia nacional, ao novo morador da Papuda, o ex-deputado e ex-presidente do partido da situação, o apenado José Genuíno.  Provisoriamente a residência do apenado é no endereço da sua filha, mas certamente, o destino será novamente no Palácio da Papuda.

Se algum habitante do primeiro mundo, ler este artigo vai achar que é uma ficção.  Vai achar que isto é piada.  Mas, não é.  A realidade é que o eixo do poder deslocou-se para o triângulo do Brasil, o Alvorada, o Planalto e a Papuda, querendo ou não, os seus ocupantes.  A história do País vai registrar isto.

Ossami Sakamori  
@SakaSakamori

domingo, 22 de dezembro de 2013

2013, o ano que não foi.

O ano de 2013, começou com inflação de tomate.  Os preços dos alimentos subiram assustadoramente, no primeiro trimestre.  Houve aumento de tarifa de ônibus no mês de junho.  O povo foi para ruas, numa manifestação que acabou com 1 milhão de pessoas nas ruas, contra a situação política do País.  E o povo saiu vitorioso com anulação do aumento de R$ 0,20 nas principais capitais do País. 

Em resposta ao reclamo da população, a presidente Dilma foi à televisão e prometeu fazer plebiscito.  Houve discussão calorosa sobre temas que deveriam fazer parte da consulta.  Houve debate se a consulta à população deveria ser feita em forma de plebiscito ou em forma de referendo.  Discutiu-se, os temas a serem a serem consultados nas urnas.  Parecia, até que enfim, o povo teria chance de passar a limpo o País.

Ledo engano.  Nada disso aconteceu.  Ninguém mais falou sobre o assunto.  Nem a própria presidente Dilma que foi primeiro a levantar o assunto se interessa mais sobre o tema.  Dá-se impressão que foi mais uma espuma da presidente Dilma.  Foi a espuma para apagar o incêndio das manifestações das ruas.  Passado o calor das manifestações, o assunto foi para geladeira.  

Vieram os black blocs na esteira das manifestações das ruas.  As autoridades policiais não estavam preparados para enfrentar os black blocs.  Editaram leis para coibir os abusos, à toque de caixa.  Isto na esteira dos quebra-quebras dos novos pseudos manifestantes que ocuparam as ruas e manchete dos jornais.  

A inflação do bolso foi subindo, apesar da inflação oficial estar comportada dentro do teto da meta estabelecida pelo Banco Central.  O PIB definhou em relação à meta prevista no início do ano.  As metas fiscais do governo estão fechando taco a taco, com dinheiro do bônus do Libra, REFIS e leilões de privatização dos serviços aeroportuários.  Mas, o déficit da conta corrente com o exterior continua negativo em número assustador.  

Os velhos costumes políticos, objeto de muitos protestos dentro das manifestações das ruas, continuam os mesmos.  Os parlamentares com costas quentes continuam utilizando os jatinhos da FAB para suas viagens particulares.  O último foi do presidente do Senado que fez viagem para implante dos seus cabelos.  O último ato legislativo do Congresso Nacional foi aprovação do Orçamento da União do próximo ano.  O Congresso aprovou como a presidente Dilma queria, com o mimo de R$ 15 milhões de emendas parlamentares para o ano que vem.  Funcionando o velho esquema do mensalão, agora, oficial.

Nada mudou nesta república da banânia como dizem alguns ou republiqueta de 5ª categoria como costumo dizer aqui.  O retrato de que nada mudou, aconteceu na festa de final de ano no Instituto Lula.  Segundo a imprensa, esteve presente no mesmo palanque, a presidente Dilma, o presidente Lula e o deputado Paulo Maluf.  Os últimos conhecidos como ladrões mor da república.  E juntinho com os conhecidos malfeitores, a presidente Dilma, na festa de despedida do ano de 2013.  Nada a espantar, este é o retrato fiel do Brasil.

Diante dos fatos narrados, o que posso dizer do ano que está a terminar?  Só posso afirmar que, 2013 foi o ano que não foi!  

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

sábado, 21 de dezembro de 2013

Reflexão. Haddad é igual ao Naoki Inose?

O prefeito de Tóquio, Naoki Inose, renunciou no último dia 19, após ter seu nome ligado ao  escândalo financeiro da sua campanha eleitoral.  Não houve comprovação do seu envolvimento, mas apenas denúncia de ele ter recebido Y$ 50 milhões (equivalente a R$ 1,15 milhões) de um outro parlamentar filho do presidente do grupo médido Tokushukai.

Como de praxe no Japão, Naoki Inose, teve que dar entrevista coletiva para imprensa japonesa e pedir desculpas, além de explicar o motivo da renúncia, fazendo máxima reverência aos espectadores, pelo suposto crime cometido.  A polícia japonesa, o equivalente a Polícia Civil daqui, já teria detido 6 pessoas do grupo que supostamente teria financiado a campanha do prefeito.

Só para vocês entenderem, a cidade de Tóquio, além de ser capital do Japão, é ao mesmo tempo centro financeiro daquele país, com cerca de 13,2 milhões de habitantes.  Seria equivalente em termo de dinâmica financeira, à cidade de São Paulo, que tem 11,3 milhões de habitantes além de ser o centro financeiro do Brasil.  O prefeito de Tóquio é eleito em eleições direta como aqui em São Paulo.

O que venho chamando atenção, nas minhas inúmeras matérias aqui postadas, não é o aspecto da corrupção ou dos financiamentos de campanhas eleitorais, mas sim, o volume de dinheiro que envolve nos escândalos financeiros brasileiros.  Digo isto, porque a argumentação dos contras minha opinião é de que corrupção é mal da humanidade e que há em todas partes do mundo.  Isto vale como tese para fazer prevalecer a impunidade no País.

Poxa, o prefeito de Tóquio que renunciou, porque pesa sobre ele acusação, mas não provada ainda, de ter recebido para sua campanha eleitoral cerca de R$ 1,15 milhões equivalente de um grupo médico tal qual algum Plano de Saúde do Brasil.  Sabemos que no Brasil, o lote mínimo de corrupção ou roubalheira de dinheiro público é de R$ 20 milhões.  Quantos parlamentares, já foram envolvidos em supostos desvios de dinheiro público pelas ONGs fantasmas, que nem sequer tinham endereços físicos.

Bem o prefeito Fernando Haddad de São Paulo está apurando um escândalo de desvio de dinheiro do ISS no montante estimado em R$ 500 milhões, isto é mais do que 400 vezes o valor do escândalo japonês em que o prefeito de Tóquio teve que renunciar.  Segundo, as notícias, os fiscais bagrinhos agiam nas gestões dos ex-prefeitos José Serra e Gilberto Kassab.  E com agravante, o braço direito do atual prefeito recebia, segundo a imprensa, mensalinho destes mesmos fiscais.  Aliás, um deles foi nomeado como homem de confiança do braço direito, licenciado, do prefeito Fernando Haddad.

No País da impunidade é assim.  Segundo a imprensa, os bagrinhos roubaram debaixo do nariz do José Serra, Gilberto Kassab e Fernando Haddad, montanha de dinheiro para ninguém botar defeito, ou seja R$ 500 milhões.  Bem, lembrando que o prefeito de Tóquio recebeu doações ilícitas para sua campanha no valor de R$ 1,15 milhão.  Lembrando que aquele prefeito, o de Tóquio, apesar de ainda não denunciado formalmente, teve que renunciar.

Outro fato que venho chamando atenção de que R$ 20 milhões ou R$ 500 milhões de roubalheira está virando rotina e sendo praticado pelos bagrinhos da república.  Poucos vão para Papuda, isto já sabemos.  É por esta e outras razões, que quando falo em indícios de desvio de R$ bilhões nos altos escalões da República, nada acontecem.  Pelo contrário, sou bombardeado pelos inimigos da pátria, sistematicamente.  

Dizem que, nas minhas denúncias, não apresento provas.  Pois não faço parte do MP ou das polícias para produzir provas.  Apresento denúncias, mas creio que existe instituições da República para apurar os fatos e colher provas.  As sucessivas denúncias que apresento, vão se confirmando no decorrer do tempo, apesar dos contras.  Mas, nada acontecem.  Pelo contrário, os envolvidos nos escândalos continuam influenciando fortemente no governo central.

Sugiro que todos os políticos envolvidos em escândalos financeiros envolvendo dinheiro público, renunciem aos mandatos, para mostrar ao mundo que o Brasil é um país sério.  Vão sobrar poucos, isto tenho certeza, também.  Os probos que não se sintam ofendidos, porque estou os excluindo das críticas!

Vamos apostar no Brasil, comigo, vamos? 

Nota: Não sou candidato a nenhum cargo eletivo.

Ossami Sakamori





sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Feliz Natal e próspero Ano Novo!

Estamos chegando no final do ano.  Que ano difícil foi.  Muita turbulência na economia e muita falação na política.  O Brasil continua do mesmo tamanho, apequenou-se em alguns aspectos mas engrandeceu-se em outros.

Hoje, estou aqui para fugir um pouco da minha cotidiana análise sobre economia e política.  Vivi bons momentos em redes sociais e outros nem tanto.  Recebi elogios e críticas às matérias postadas neste blog.  A cada dia, vivi momentos de alegria ou de tristeza.  Enfim, o blog foi uma fuga para mim.  Este blog foi o meu escape que encontrei de tantas mazelas que vejo nos noticiários dos jornais.  

A repercussão, positiva ou negativa das matérias postadas aqui, auferi através de redes sociais na internet.  As redes sociais foram importantes para aferição da aceitação ou não de determinados assuntos que aqui foram tratados.  As suspensões das minhas contas nas redes sociais, foi como amputação dos meus braços.  O destino parece me reservar o direcionamento dos temas apenas num sentido.  Faz parte do ambiente político do País.

Com muita tristeza que vejo facções políticas engalfinharem-se com utilização de mais nova ferramenta de marketing político que são redes sociais.  O respingo alcança até aqueles que não fazem parte da militância política.  E pior, alcança até reles cidadão, que quer apenas contribuir.  Fazer o que? Faz parte da democracia.  Espero que no ano que vem, no debate econômico e político, as discussões sejam em alto nível. 

Aproveito deste espaço para mandar os cumprimentos do fim do ano para os amigos e amigas que estarão longe dos blogs e redes sociais, no período de férias do final do ano.  Eu estarei por aqui, sempre que possível.  

Amigos e amigas!
Feliz Natal e muitas festas junto dos seus!
Um ano novo cheio de realizações!

É o que eu e minha família desejam para todos amigos e amigas deste blog e das redes sociais, que me são caras.  

Ossami Sakamori



quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Dólar deve subir nos próximos dias!

Folha. O Federal Reserve (banco central americano) anunciou nesta quarta-feira (18) o início da redução dos estímulos econômicos nos EUA. A autoridade monetária reduziu de US$ 85 bilhões para US$ 75 bilhões o volume de recursos que injeta mensalmente na economia desde 2009 por meio da recompra de títulos. A medida vale a partir de janeiro. 

Comentário.  

O que a equipe econômica da Dilma temia, veio com um mês de antecedência.  Esperava-se a retirada do estímulos econômicos nos EEUU, para mais tarde.  O que fez com que o FED, Banco Central americano tomasse decisões antecipadas foi o resultado do PIB do terceiro trimestre 3,6%, anualizado.  

Ontem, mesmo a presidente Dilma disse que o Brasil estava preparado para as medidas de redução de estímulos da economia americana.  Isto é como dizer que o Brasil não está preparado para as medidas anunciadas.  O mercado entende, que se o País estivesse preparado não precisaria de declaração nenhuma.

Este blog já comentou aqui a possibilidade das medidas em razão da substituição do Ben Bernanke atual presidente do FED pelo Janet Yellen, um pouco mais cauteloso, em relação à expansão muito rápida.  A nova presidente do FED, tem medo de que a expansão muito rápida traga junto a inflação, no que ela de certa forma tem razão.

O anúncio da medida do FED, veio em má hora.  O Brasil está apresentando déficit em conta corrente cada vez mais acentuado comparado com os anos anteriores.  Com a decisão de fortalecimento do dólar e crescimento  sustentável da economia americana, haverá revoada de dólar em direção aos EEUU.  

As medidas anunciadas reflete diretamente, aqui no Brasil.  Haverá fuga do  investimento estrangeiro, provocando a desvalorização do real, em ritmo mais acelerado.  O mercado vai ignorar a intervenção do Banco Central via swap cambial tradicional e vai exigir venda efetiva de dólar no mercado à vista ou mesmo a venda futura do  dólar efetivo.   O mercado não vai mais aceitar o dólar de faz de conta, o swap cambial tradicional.

Como um bom volume de investimento estrangeiro especulativo  financia o título do Tesouro Nacional, haverá necessidade de novos aumentos de juros, Selic, para tentar barrar a saída de dólares pagando juros reais maior do que já está hoje.  E o Brasil vai afundando cada vez mais, pagando juros reais cada vez mais alto.  Tão cedo, o País não deverá deixar o posto de juros mais alto do planeta.

Isto é como círculo vicioso.  Desvalorizando o real aumenta os juros e preços dos combustíveis.  Aumentando juros e combustíveis aumenta a inflação.  Aumentando inflação, aumenta juros e combustíveis.  E assim vai.  É como o cachorro querendo morder o seu próprio rabo.  É um círculo vicioso.  

Vamos ver, nos próximos dias, até que ponto as medidas anunciados pelo FED americano vai afetar no câmbio.  Dependendo do comportamento, volto aqui para fazer análise dos reflexos das medidas sobre o restante da economia.  Por enquanto, vamos ficar na expectativa.

Temo que a equipe econômica da presidente Dilma não tem competência para administrar a nova realidade, já que economia do País está totalmente engessada.  Na minha análise, a presidente Dilma deveria ter corrigido o rumo da economia no momento da sua posse, isto dito aqui 300 vezes.  Pelo contrário, tornou permanente os programas de emergências do Lula, implementados em 2009, como saída para crise financeira mundial de 2008.  Agora, chegou o momento da presidente Dilma pagar a conta dos erros cometidos na formulação da política econômica (sic) do seu governo. 

Definitivamente, o Brasil virou um pato manco!  

Ossami Sakamori 





FAB escolhe caças GRIPEN para a defesa nacional.

Folha. Os 36 caças suecos vão custar ao Brasil US$ 4,5 bilhões. O ministro Celso Amorim (Defesa) confirmou na tarde desta quarta-feira (18) que o Brasil escolheu os caças Gripen NG, da empresa Saab, para o projeto FX-2 da Força Aérea Brasileira.

Comentário.  Não entendo sobre assunto da defesa nacional, no entanto, pela aprovação entusiástica do comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, parece ser tecnicamente uma escolha correta.  Disse ele, segundo noticiário da imprensa em geral, que fora anos de sofrimento até a escolha dos caças.

Quanto ao preço, nem tem o que comentar porque era o mais barato, sendo que, segundo a imprensa, o pedido inicial era de US$ 6 bilhões.   Houve redução no valor do contrato, durante a negociação.  As caças serão entregues 48 meses após a assinatura do contrato, segundo informações à imprensa.

Agora, comentário de leigo, sob ponto de vista de cidadão brasileiro.  Os nossos potenciais inimigos são os vizinhos sul-americanos ou eventualmente os africanos do outro lado do Atlântico.  Diante da posição geográfica, em que não vemos inimigos bélicos à altura, realmente não precisaríamos de caças para combate com as maiores potências do mundo, ocidental ou oriental.  

Decisão correta.  Parabéns comandante Juniti Saito, pela escolha dos caças!  E para presidente Dilma, pela escolha que atende as reais necessidades do País, sem desperdício de dinheiro público.  Eu mesmo apostava que a escolha recairia nas caças Rafale francesa.  

O Brasil precisa de muitos Junitis Saito, para melhorar o País.

Ossami Sakamori



A força da amizade pelo professor José Carlos Bortoloti

Do professor José Carlos Bortoloti



“...Todo homem é como os companheiros 
que escolhe ter...!”

Eurípdes.


Estes últimos dias foram um teste maravilhoso para as ditas “redes sociais”.
De frivolidades, de vaidades (convencimentos esdrúxulos, empáfias), presunção, alardes, pequenez, seres vazios que utilizam a rede para uma espécie de transferência e autolocupletação de suas mentes vazias. Orgulhos lotados de arrogância, símbolos de suas mediocridades.

Dizem que é em meio a grandes problemas que enfrentamos que encontramos os verdadeiros amigos. O Twitter mostrou isso esta semana com Ossami Sakamori. Este homem, paranaense, economista, ex-professor universitário, Sensei que todo o TT adora simplesmente foi retirado, apagado. Sumiram com seu endereço na Rede. Eis que em poucas palavras que conseguíamos de um ou outro sentíamos a tristeza por terem lhe feito algo que o próprio não entendia.

Isso causou revolta. Ossami, nosso mestre Sensei,  é o homem que nos informa tudo sobre economia e a quantas ela anda, principalmente no Brasil. Ele de fato é um Brasiles. Ele mostra quando o Governo (aquele que nos gerencia faz idiotices com nosso dinheiro, com nossa econômia que atinge nossas finanças e nosso modo de vida) não importando quem está lá. O PT não nos interessa, somos altamente críticos contra os PETRALHAS.

Pronto, bastou para mostrar a força do Twitter e dos amigos, admiradores e pessoas que tem Sakamori em alta consideração, pois ele é um Samurai do TT. Integro honesto, inteligentíssimo, cavalheiro enfim, o ser que todos nós buscamos ter como amigo da mais alta conta.

Ary Kara, outro grande mestre do TT, Marisa Cruz minha mestra de Politica,Tania Brito, baianinha simpática e sempre presente, Beth Almeida a guerreira das lutas do que acontece no Congresso, enfim, não daria para citar todos que moveram mundos e fundos para que nosso mestre retornasse ao Twitter e nos mantivesse informados em nossa ignorância econômica sempre.
Seu blog atingiu a milionésima postagem com mais de 320 mil acessos, no período em que Sakamori está no TT.

Isso significa conquista de confiança no que é dito. No homem distinto queMestre Saka se transformou e pelo respeito que lhe dedicamos.

O que aconteceu com mestre Saka em cerca de dois dias, mostra que pensando seriamente, pois não dói, podemos fazer muito, por muito mais pessoas.

Assim como Beto Mous faz em sua rádio na Web Line, e que pegou para sí a luta do #SOSEducação, batalha que faço junto com o grande professor e escritorNelson Valente dos quais já estamos juntando um batalhão. Com o #SOSINSS e o Brasil que o Brasil não conhece nosso programa das segundas-feiras e  vendo as mazelas que passam os Brasileses neste pais continental.

E nisso foi se juntando a Brasileira Nata (para mim Brasilesa) esta mulher recém-retornada a nosso país e que se juntou a luta contra o que não está bom para nosso país. Mamélia Fernandes outra grande mulher que esta sempre junto das lutas que considera o melhor para os que não têm voz.

Mas a alegria que sentimos com a volta e o retorno de Mestre Sakamori nos comoveu e nos deu força. Sim muita força  - abriram com isso nossa lata de espinafre – e agora os Popeye – espalhados pela rede somente aumentarão na luta contra injustiças e o que não esta bom para muitos, mas muitos brasileses mesmo.

Obrigado pelas informações técnicas de Ary Kara. Obrigado Taninha,  Marisa, Amel, Beth, Tovaga e todos os outros amigos e cérebros iluminados do TT, pelo que fizeram com nosso grande economista.
Ossami Sakamori, você já é nosso exemplo e lenda viva do TT, mantenha-nos informado sorrindo sempre.

Você é imprescindível para que não tenhamos no Brasil, ao menos isso, uma rede social vazia uma espécie de face... (o resto não me permito dizer) Tao frívola, e que consigamos levar para as pessoas cada vez mais um modo de pensar... Pois não dói.

Bem-vindo querido amigo e mestre Ossami Sakamori.

Você faz a diferença!

Com a admiração deste seu velho amigo do sul!


Entendimentos & Compreensões
A Valorização da Amizade na Rede

Orçamento da União para 2014, uma peça de ficção!

O Congresso Nacional aprovou o Orçamento da União para o ano de 2014.  Faz parte do rito institucional, aprovar o orçamento do ano seguinte até o último dia do mês de dezembro.  A presidente Dilma, mandou o Congresso não deixar para o início do ano, como aconteceu em várias ocasiões.  O motivo é justificado para mostrar ao mundo que o Brasil está na normalidade.  De olho nas agências de classificação de riscos.  

Não vamos destrinchar o Orçamento da União, porque é uma peça de ficção.  Justifico, o Orçamento da União engloba além da receita e despesa da União, mas também, a rolagem da dívida bruta do governo federal.  Engloba também os parte do orçamento das estatais.  Engloba as receitas e despesas de previdência social.  

É um Orçamento ficção porque parte do princípio, vamos dizer, de parâmetros importantes que depende da conjuntura futura.  Mas enfim, em cima dele que a União faz despesas.  Senão vejamos as premissas básicas:  Crescimento do PIB em 3,8% e inflação em 5,8%.  Os números estão ou superestimados ou subestimados, conforme as projeções feitos pelo mercado financeiro.

Seria muito bom se o Brasil, em 2014, crescesse 3,8%.  O País cresceu 0,9% em 2011 e tem projeção de crescer 2,3% neste ano.  Os analistas, todos, preveem que a inflação do ano que vem vai encostar no teto, isto é 6,5%.  Isto que se chama, País do faz de conta.  Já começa no Orçamento da União. Números otimista demais.  Por isso que o governo aplica o "contingenciamento" nos 3 primeiros trimestres, porque sabe que aquelas projeções são difíceis de serem alcançados. 

Vamos aos números que aguça a curiosidade de vocês.  Embora o Orçamento represente R$ 2,4 trilhões, a arrecadação da União englobando todas fontes, não vai passar de R$ 1,2 trilhão.  A diferença está justamente na captação com a venda de títulos do Tesouro para rolagem de dívidas e investimento das estatais.  A rolagem da dívida está previsto no Orçamento em R$ 654,7 bilhões, o que corresponde mais do que a metade da arrecadação do governo federal com impostos, tarifas e contribuições.  

Está previsto gastos com o pessoal lotados em repartições públicas federais do poder executivo em R$ 242 bilhões, o que corresponde aproximadamente 1/4 do que o governo federal arrecada.  A saúde pública está contemplado com R$ 105 bilhões englobando as despesas de custeio.  A verba destinada ao sistema SUS, deve corresponder a 40% deste total.  Antes vinha separado o número do SUS, mas agora, está englobado, dificultando saber quanto gasta efetivamente na ponta do atendimento.  

As emendas parlamentares está estimado em R$ 14,68 milhões, sendo necessariamente 50% para saúde pública.  Essa é a moeda de troca, o mensalão oficializado, para obter cooptação dos parlamentares para determinados projetos de interesse do Poder Executivo.  Sim, os parlamentares, se vendem por muito pouco.  As emendas, que muitas vezes vem embutidos a intermediação, nem sempre, vai para investimentos em seus respectivos redutos eleitorais.  

Ah, ia me esquecendo... O salário mínimo está previsto no orçamento em R$ 724 a partir de janeiro.  A presidência da República, deverá sancionar o decreto fixando o valor.  Os benefícios previdenciários devem acompanhar o mesmo valor, conforme praxe, apenas para o piso.  

Acho que estes números básicos são suficientes para melhor entendimento.  Se vocês quiserem saber dos detalhes, o Orçamento da União, na sua integra está disponível no site do Governo Federal ou no site do Senado Federal. 

Ossami Sakamori




terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Matéria número 1.000 !

Este é a milésima matéria deste blog, criado em 15 de fevereiro de 2012.  Hoje, dou uma pausa, para dedicar apenas a vocês leitores.

Muito obrigado por me aguentar tanto tempo, amigos e amigas!

Com promessa de continuar na mesma linha editorial, sempre defendendo o Brasil Melhor. 

Conto com vocês, pelo menos até eleições de 2014, apenas como comentarista!

Ossami Sakamori


Marco civil da Internet.

FolhaEm conversa com jornalistas no Palácio do Planalto, a ministra disse que a presidente Dilma Rousseff "não abre mão" de trechos do projeto que asseguram questões como a neutralidade da rede (utilizado para definir que o acesso a todos os sites precisa ser feito na mesma velocidade e que não podem ser vendidos pacotes específicos) e a armazenagem de dados em território brasileiro. 

Comentário.  

O assunto é pertinente às matérias anteriores sobre a suposta interferência dos militantes de determinados partidos.  Disse na matéria anterior, que faz parte da Teoria da Conspiração.  Conspiração à vontade soberana do povo, inverso daquilo que possa imaginar.  

Felizmente, algumas exigências são letras mortas.  A armazenagem de dados em território brasileiro, das redes sociais por exemplo, não há como vingar.  É difícil separação de dados entre usuários que acessam de diferentes pontos do mundo.  

A censura ou interferência nas redes sociais acontecem na República Popular da China.  O país adota regime comunista, abrandado pela democratização cada vez mais na área econômica e financeira, mas rígido no comportamento político da população, daí a censura na internet.  

Nem vamos aprofundar neste assunto que me dá enjoo só de pensar no controle da mídia pelo regime militar de 1964.  O discurso de hoje é exatamente igual dos anos do chumbo.  Os métodos, também.  Creio, o atual regime, o bolivariano, estar se esgotando.  Tomara que eu tenha visão correta do momento político que vivemos.

Ossami Sakamori