Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 31 de julho de 2012

DNITduto. Capítulo IV : O ACERTO

A história contada aqui é uma ficção.  Os fatos e personagens citados, se guardam alguma semelhança com a realidade são meras coincidências.   


Na residência do Antonio P, em Brasília.


Luiz Antonio P: Boa noite, ministro!


Antonio P: Ministro, não sou mais, Luiz Antonio... Como está indo o Departamento? 


Luiz Antonio P: Agora, melhor do que nunca, ministro.  Com verba, tudo vai.  Vilma autorizou 20 bi.  O que fazemos dele?  Alfredo N, mandou acertar com você.


Antonio P: Bem, como sempre, os grandes deixa comigo.  Você cuida dos pequenos.  Vou passar lista para você atender.  


Luiz Antonio P:  Os pequenos, são quase 170, deixe que eu acerto com o José P. Então ficou, 2 oficial e 3 por fora, não foi?  O Alfredo me disse que seria assim.


Antonio P: Pois na minha conta, 20 bi, não vai dar. Já pedi mais 20 para Vilma.  Ela vai providenciar.  Os grandes vão escolher obras.  O que sobrar você distribui para os pequenos.  O critério, deixo por sua conta, mas a lista para atender, eu passo.


Luiz Antonio P: Pode deixar. Tomo conta de tudo. 


Antonio P: Os grandes atendes atende São Paulo. Desta turma eu cuido.  Com exceção, a Delta, que quem vai cuidar é o governador Sérgio.  Entendeu?


Luiz Antonio P: Já me disseram que Manaus fica com o ministro Alfredo e Cuiabá fica com governador Blairo.  Confirma, ministro? 


Antonio P: É isto mesmo.  Rio Grande do Sul fica com Tarso. Bahia com governador Jaques.  Pernambuco com governador  Eduardo.  Brasília com Agnelo.  Ah, o Paraná fica com o ministro Paulo.  Isto tudo, encargo seu.


Luiz Antonio P: E quem atende Lula?


Antonio P: O chefe, deixa comigo. Tiro dos grandes. Depois que você fizer casamento dos empreiteiros com os operadores, você cai fora.  Deixe que eles se entendam. Só cuida da obra e do faturamento.  Você está sabendo, não está?  Os 3 tem que sair da primeira fatura.  A combinação do oficial, deixa para os operadores resolverem direto com os empreiteiros.


Luiz Antonio P: Deixa comigo, o José P, é bom nisso.  Já está acostumado.  Não tem erro.  Mais ou menos o mesmo esquema do tapa buraco.  Se você conseguir dobrar para 40 bi, metade pode ficar para os pequenos.  José P, vai ficar super contente.  E, os operadores, muito mais.


Antonio P: Cuida para não dar cagada!  É coisa séria.  Você sabe, não é?  3% de 40 bi dá 1 bi e 200!  É dinheiro que não acaba mais!  Dá para ganhar eleições fácil.  Tome cuidado.  Se tiver alguma alteração, conversamos aqui em casa.  Fica entendido? 


Luiz Antonio P:  Amanhã mesmo vou chamar o José P.  Vai ser fácil. Ele vai acionar o Anel.  Entendeu, ministro?


Antonio P:  Isto é com você, Luiz Antonio. Vamos ganhar eleição, fácil.  Com esse dinheirama todo, tem que ganhar! 


Luiz Antonio P: É verdade. 


Depois de um wiskinho, os dois se despedem. 


As eventuais contestações sobre o script acima, e-mail para contato: sakamori10@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.