Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 22 de julho de 2012

IATE DE US$15 MILHÕES É O DESTINO DO NOSSO DINHEIRO

Al mare. José Batista Júnior, um dos donos do JBS, acaba de encomendar um iate de 140 pés para navegar pelas águas do litoral de Miami.  Pagou 15 milhões de dólares pelo brinquedo que lhe será entregue dentro de dois anos. Fonte: Revista Veja, edição 25 de julho de 2012.


Na minha opinião, as pessoas que está no poder como a presidente da República, seus ministros, diretores das Estatais deveriam manter comportamento sóbrio, de acordo com o salário que ca um recebe nas respectivas funções.   Comentei há alguns dias, sobre a distribuição de release e de fotos, com a Dilma presidente com seu novinho em folha, helicóptero voador, que custou aos cofres públicos R$74 milhões.  Não questiono a compra do helicóptero, apenas que a entrega do aeronave deveria ser um ato de rotina da burocracia estatal.  Não precisaria de ter esfregado na cara do povo, que ela pode e o povo não pode. Atitude típica de um ex-empresária de loja R$1,99, digo eu.


Dentro do mesmo raciocínio e pensamento, fez mal o empresário, dono da JBS, mandar release para revista Veja.  Para ele José Batista Júnior, não deve ser nada o valor de R$15 milhões .  É como eu bloguista tomar cafezinho no bar da esquina.  Novamente aqui, como fiz com o comportamento da presidente Dilma, quero repreender o comportamento do empresário.  Para quem não sabe, o grupo JBS é atualmente dirigido pelo nada menos que então presidente do Banco Central do Brasil no governo Lula.    Nada há de errado também, Henrique Meirelles ser sócio do grupo JBS, afinal ele cumpriu como relógio, a quarentena imposta pela natureza do cargo.  O buraco está mais para baixo.


O grupo JBS é uma das maiores tomadores do empréstimo subsidiado do BNDES.  Isto mesmo, é aquele dinheiro que o Tesouro paga taxa Selic de 8,0% e repassa para empresários à taxa TJLP de 5,5%.  Segundo imprensa, o total de passivo da JBS nesta modalidade de empréstimo junto ao BNDES é de espantoso R$17 bilhões.  Fiz continha rápida, grosso modo, sobre a diferença de juros que o contribuinte banca para o empresário, uma bagatela de R$400 milhões anuais. Robin Wood (proposital inventado pelo bloguista) praticado pela presidente Dilma, tira dinheiro do contribuinte para canalizar ao Bolsa Empresário, uma alusão explícita ao Bolsa Sem Miséria.  A recente medida que reforça o financiamento subsidiado aprovado pelo governo de R$45 bilhões, curiosamente, tem um artigo que diz explicitamente que poderá ser utilizado para financiamento de frigoríficos.  Só faltou à Medida Provisória colocar o carimbo de "JBS".


O grupo JBS, sabe-se no mercado que, se não receber o socorro da Dilma, via BNDES, vai explodir.  Uma operação muito bem desenhada pelo Henrique Meirelles, com sua competência e trânsito na área pública.  Seria tudo normal, se  o dinheiro não fosse do contribuinte.  Para inteirar-se do destino da Bolsa Empresário, basta dizer que 64% dos recursos são destinados aos mega empresários, como José Batista Júnior ou Eike Batista.  E os 36% do restante dos recursos subsidiados são pulverizados a outros 164.000 clientes, pequenos e médios empresários. 


Deixo este espaço livre para que as pessoas e empresas citadas, possam fazer suas defesas, se for o caso. Meu endereço físico, consta dos cadastros da empresa Google, mantenedora do site BlogSpot.


Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10.

Um comentário:

  1. Prezado Ossami, parabéns por suas palavras verdadeiras, ainda mais o senhor sendo ex-professor da UFPR. Pois, o que vemos hoje nas Federais é o ensino tomado pelo partido do governo. Ninguém em atividade hoje nas Federais divulgaria o que o senhor escreveu aqui. Demonstra lucidez e bom senso, contrariamente, à cegueira que impera neste país. Enquanto ocorre o que o senhor descreveu, e mais, dinheiro "desviado" para atender caprichos do nosso ex-presidente, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas do Rio, o nosso povo continua com a pior saúde, educação, saneamento básico e segurança do mundo. Dinheiro subsidiado para grandes empresários que fazem o que pelo nosso país? Nada. Apenas enriquecem e jogam seu dinheiro e poder na cara dos menos favorecidos.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.