Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 2 de julho de 2012

MANTEGA E MIRIAM BELCHIOR RECEBEM R$ 43 MIL POR MÊS

Tenho recebido muitas críticas, via rede social, quando comento sobre o mal desempenho do governo Dilma.  Além do que comentei na matéria sobre "Brasil, país que perdeu vergonha na cara", os fatos narrados pelo articulista Elio Gaspari da Folha de São Paulo somente vem somar argumentos para a matéria publicada na tarde de ontem por este bloguista.  Leiam e comentem sobre o assunto no rodapé desta página.

A comissária Miriam Belchior ainda não conseguiu apresentar um plano de carreira para o magistério federal. Talvez a burocracia do Ministério do Planejamento não consiga alcançar a ideia de que os servidores públicos devem ser valorizados. Fonte. Elio Gaspari da Folha.

Aqui vai um exemplo dos efeitos financeiros dos benefícios oferecidos a servidores qualificados: um ministro qualquer tem salário de R$ 26.724. Pelos seus atributos adicionais (ainda que desconhecidos), pode receber mais R$ 8.232,74 como conselheiro da Petrobras ou, graças a uma competência excepcional (igualmente desconhecida), outros R$ 8.246,71 como conselheiro da Petrobras Distribuidora. Fonte: Elio Gaspari da Folha.

Esse é o caso da comissária Belchior, ministra do Planejamento, e do seu colega da Fazenda, Guido Mantega. Eles levam para casa R$ 43.202,58, enquanto a dona da quitanda, Dilma Rousseff, recebe apenas R$ 26.723,13. (Saindo da Casa Civil para a Presidência, a doutora foi desclassificada, pois perdeu o dinheirinho do conselho da Petrobras.)Fonte: Elio Gaspari da Folha.

Lembrando que o teto de remuneração do salário do servidor federal é o mesmo de um ministro do STF, conforme a legislação.  Para os ministros acima citados receberem acima do teto, devem ter achado uma brecha na legislação que permita isso.  Se é legal, não sei.  Só sei que receber acima do teto é "imoral".  

Continuo afirmando que o Brasil dos últimos tempos, é um país de "faz de conta".  Por estes e outros motivos que faço parte dos 23% que não aprova a conduta do governo Dilma.

Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi prof.da UFPR.
Twitter: @sakamori10 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.