Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 9 de julho de 2012

PETROBRÁS PERDE PARA COLOMBIANAS, EM EFICIÊNCIA.

Investidores brasileiros têm descoberto que os recursos naturais do pré-sal não significam exatamente dinheiro na mão" e que a "euforia (do petróleo) sucumbiu à realidade", diz uma reportagem publicada nesta segunda-feira pelo jornal norte-americano "Wall Street Journal".  O consultor de energia especialista em América Latina Roger Tissot diz no artigo acreditar que o Brasil foi superestimado quanto ao seu potencial petrolífero. Tissot culpa o governo brasileiro: "a política do governo limita a implantação de capital estrangeiro e a especialização, retardando o desenvolvimento e aumentando os custos". Fonte: Folha.

O "Wall Street Journal" culpa exigências feitas pelo governo, de que investimentos tenham aproveitamento local, por ineficiências nos gastos. Com isso, segundo o diário, o custo de produção por barril da estatal brasileira aumentou. O jornal diz que ações de empresas colombianas do setor tiveram um desempenho "bem melhor que os rivais brasileiros". A indústria do petróleo do país vizinho cresceu 6,5% por ano desde 2003. Esse aumento coincidiria com novas políticas para encorajar o investimento estrangeiro em petróleo e gás. Fonte: Folha.

Razão pela qual, a Petrobrás está vendendo ativos no exterior.  Está à venda o filé mignon dos direitos de exploração do petróleo do Golfo do México, bem como as refinarias de petróleo do Japão.  Trocando o filé mignon pela carne de primeira.  

Enquanto o governo Dilma utilizar a Petrobrás como instrumento de política econômica, quem amarga prejuízo são os acionistas minoritários e próprio contribuinte, em função do sucateamento da Companhia fundada pelo presidente Getúlio Vargas.  

Por estas e outras que a credibilidade do governo Dilma vai de ladeira baixo.  Sim, não estamos preparados 300% para enfrentar a crise financeira mundial.

Ossami Sakamori, 67, engenheiro cvil, foi prof.da UFPR
Twitter: @sakamori010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.