Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 15 de julho de 2012

150 DIAS DE BLOG. REFLEXÃO

Este espaço que se denomina blog é o mais recente meio de comunicação. Muito interessante.  Cada um utiliza da maneira que pode.  Pois, foi a alternativa que encontrei para expor os meus pontos de vistas sobre matérias divulgadas na grande mídia, nacional e internacional.  Embora, em linguagem tosca. 


Não sou mídia para produzir matérias, nem tenho interesse e nem condições financeiras para manter equipe de jornalistas e repórteres ao meu serviço.  Este espaço é cedido gratuitamente pela empresa Google.  Não tenho pretensão e nem interesse em concorrer com os articulistas das mídias tradicionais.  Sou apenas cidadão comum, do povo.


Pensei em contratar revisor de texto, mas é uma operação muito complexa, além de tudo o texto sofreria adequação nas frases, que as deixariam mais polidas. Aqui, as frases ditas, são aquelas que uso no cotidiano, tosco, mas sincero.  Nem sempre, são adequados ou corretos.  Mas são as que vem dentro do meu ser, em maioria dos casos, como que um grito de desabafo.  Desabafo de ver tantas mazelas no país que amo, que tem o nome de Brasil, sem que os governantes de plantão tentem resolver de verdade.  


A atual e o presidente anterior costumam utilizar-se de artifícios verbais para conquistar ou enganar a população.  As famosas frases de efeitos, que pegam bem ao povo, mas que é vazio na essência, sobejamente utilizado pelos marketeiros.


Sem dúvida que importantes conquistas, no campo econômico e social foram foram conquistadas nos últimos 9 anos de governo.  No entanto, os investimentos essenciais e necessárias para o desenvolvimento do país, foram simplesmente esquecidos nos porões, da democracia.   Onde foram parar os investimentos em educação, saúde pública e segurança pública?   Nestes setores que caberia ao Estado intervir, seguro e firmemente, nada fizeram ou pouco fazem.


Ao mesmo tempo que a população tem acesso aos bens de consumo duráveis como geladeira e automóveis, viagens aos EEUU, andar de avião, os governantes de plantão, não conseguem implantar ensino fundamental em tempo integral, saúde pública pelo menos mais digna e evitar que 90 mil brasileiros morram em homicídios e acidentes de trânsito.  Tem muita coisa a fazer, antes dos discursos com frases de efeito, um verdadeiro blá, blá, blá.


Obras faraônicas são anunciadas, mas longe de ser concluídas como transposição do rio São Francisco, ferrovia Norte-Sul, obras de mobilidade urbanas, nas regiões metropolitanas.  Onde estão investimentos em metrôs?  E os investimentos em ferrovias, em hidrovias, rodovias, portor e aeroportos?  Trem-bala? Se, nem temos ferrovias decentes para ligar Rio-São Paulo? Os programas anunciados são colchas de retalhos, sem obedecer a nenhum Plano Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social de longo prazo.


Aliado a ineficientes gestão administrativa, sobretudo em nível federal, pipocam 100 números de denúncias de roubalheira em diversos níveis de governo, nas mais diversas matizes políticas, sem que nenhuma providência concreta seja tomada para elucidar os fatos, à despeito da existência de provas colhidas pela Polícia Federal.  O que fazem as instituições? Não tomam atitudes, a não ser instados por uma CPMI?  As instituições da República estão sendo cerceados pelos governos de plantão?  Não quero acreditar que somos uma republiqueta de 5ª categoria. Recuso-me a acreditar.


150 dias já se passaram.  Fico feliz em poder estar servindo aos amigos e amigas deste blog.  Alguns números: 39.600 páginas visitadas.  221 artigos.  386 comentários.  500 páginas visitadas/dia, como média do último mês.  305 amigos e amigas que me fazem companhia no site/blog.


Só tenho a dizer: Muito obrigado, amigos e amigas!


Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi prof. da UFPR.
Twitter: @sakamori10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.