Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 10 de julho de 2012

NOSSA PETROBRÁS EM LIQUIDAÇÃO!

A Petrobras estuda pôr à venda duas refinarias no exterior. A estratégia faz parte da intenção da empresa de se desfazer de ativos para levantar US$ 14,8 bilhões (R$ 30 bilhões) e, com isso, financiar seu plano de investimentos, cujo foco é a exploração dos campos do pré-sal no Brasil. Fonte: Folha.

O primeiro passo para se desfazer da refinaria de Pasadena (EUA) foi dado na semana passada, quando a estatal pagou US$ 821 milhões (R$ 1,7 bilhão) para encerrar disputa judicial com a ex-sócia Astra Oil. Ao todo, a refinaria, comprada em 2006, custou US$ 1,2 bilhão.  Fonte : Folha.

A Petrobras diz que a maior parte do plano de venda de ativos, lançado em 2011, será executada ainda neste ano. A estatal já vendera 40% da distribuidora Gas Brasiliano (interior de SP) à Cemig e 50% de dois blocos exploratórios na Tanzânia à Shell. Fonte: Folha.

A Petrobras acelerou o processo de venda de blocos de exploração de petróleo que possui nos EUA e despertou o interesse das maiores petrolíferas do mundo, de acordo com três fontes que têm conhecimento da situação.  As principais candidatas à compra são Shell, Chevron, BP e Exxon, parceiras da estatal em alguns blocos na parte norte-americana do Golfo do México, disseram à Reuters duas fontes a par das conversas. Fonte: Folha.


Tudo por conta de Petrobrás ser instrumento de política econômica do governo Dilma.  Está liquidando tudo, até os filés mignon, para investir açodamente no plano de exploração do pré-sal.  A Companhia está com geração de caixa comprometida em função da defasagem de preço de combustíveis, segundo analistas, em torno de 20%.  


A medida anunciada pelo ministro Edson Lobão de aumentar a adição de etanol na gasolina, até o limite máximo, em parte ajuda, porque adiciona um componente mais barato na gasolina.  Não sendo repassado a economia para o consumidor, ajuda na recomposição da margem da gasolina, mas está longe de resolver geração de caixa.


O problema de segurar o preço dos combustíveis é sobejamente acentuado com o novo patamar de cotação do dólar, acrescido de alta em dólar no mercado mundial de óleo.  Dois componentes que somado aumenta a necessidade de geração de caixa da Companhia.  


Pelas razões expostas, o preço das ações da Petrobrás, negociado inclusive na Bolsa de Nova York, ADR, está depreciando em dólares, cada vez mais.  O preço das ações está caindo, mas lembrando que para cada vendedor tem um comprador.  Daqui a pouco, a Petrobrás, embora o governo brasileiro tenha o controle do seu capital social, a maioria das ações vão parar nas mãos dos investidores estrangeiros.

A Petrobrás, embora nominalmente nossa, vai ser na prática Companhia estrangeira.  Getúlio Vargas deve estar lamentando o sucateamento da Companhia.  

Quantas vezes já me manifestei sobre o sucateamento da Petrobrás?  Ninguém mais fala sobre isto? Estou a perceber que o povo brasileiro já perdeu até orgulho de sê-lo.  Espero que não percamos a dignidade, pelo menos!

Ossami Sakamori,  67, engenheiro civil, foi prof. da UFPR
Twitter: @sakamori10

2 comentários:

  1. Quem é mesmo que diziam que iria privatizar a Petrobras?
    Deveriam ter privatizado antes do PT chegar ao poder, pelo menos não teria quebrado nas mãos de gente incompetente e corrupta.

    ResponderExcluir
  2. Putz... É aquela famosa atitude... Não sabe o que fazer com o que tem, passe para outras mãos mais sabidas. Só que há risco.
    Vamos ver aonde isso vai parar. Valeu, Sakamori! Abração.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.