Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 30 de setembro de 2012

PARQUE EÓLICO. CONSUMIDOR PAGA R$ 370 MI SEM USO



Quase metade das usinas licitadas no primeiro leilão de energia eólica do Brasil está pronta sem poder gerar um único megawatt (MW) de eletricidade. Dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mostram que 32 dos 71 parques eólicos leiloados em 2009 estão parados por causa da falta de linhas de transmissão. "Houve um descasamento entre a entrega das usinas e do sistema de transmissão", afirmou o diretor da agência reguladora, Romeu Rufino. Fonte: Estadão.

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), estatal do Grupo Eletrobras, venceu o leilão das linhas de transmissão, mas não concluiu nenhum projeto - em alguns casos, nem iniciou as obras. Pelas regras do contrato, o sistema de transmissão teria de ser concluído na mesma data dos parques eólicos para permitir o início dos testes. Mas, na melhor das hipóteses, a conexão com as usinas apenas se dará em julho do ano que vem. Fonte: Estadão.


Rufino afirmou que a Aneel tem discutido constantemente com a estatal para tentar resolver o problema e diminuir os impactos para o consumidor. Segundo ele, não está descartada a possibilidade de fazer uma instalação provisória enquanto a definitiva não é concluída. Apesar de não poderem produzir energia, as geradoras terão direito de receber a receita fixa prevista nos contratos de concessão. Pelos cálculos da Aneel, as 32 usinas têm receitas de R$ 370 milhões a receber. fonte: Estadão.

Assim anda as obras do PAC do sistema elétrico,  literalmente desconectadas.  Sem o mínimo de gerenciamento.  Quem paga a conta é o consumidor, pelos valores pagos às geradoras, sem a correspondente utilização da energia.  O consumidor paga, pelo rateio, sem utilizar as energias.  Isto acontece justamente no setor que a presidente Dilma se diz entendedor do assunto. Se neste setor acontece isto, imagine o resto como anda.

E por estas e outras razões que estou no contingente de 23% que não aprova a administração da Dilma, como presidente da República. Gerentona, onde?  É o que acontece, em quase todos os setores da administração pública.  Os importantes cargos da administração do governo federal é loteado, como capitanias hereditárias, sem o mínimo de exigência da competência de quem os ocupam.  Assim, afunda o Brasil.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.