Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

EIKE BATISTA OBTÉM MAIS R$ 1,5 BI DE FINANCIAMENTO SUBSIDIADO



O FMM (Fundo da Marinha Mercante) garantiu um empréstimo adicional de R$ 1,5 bilhão para a OSX, empresa de estaleiros e afretamento do grupo EBX, do empresário Eike Batista. Com este financiamento, os recursos públicos do projeto passam a corresponder a 87,5% do total. O novo financiamento vem se somar à linha de R$ 2,7 bilhões fornecida pelo FMM no ano passado, e repassada pelo BNDES e CEF (Caixa Econômica Federal) à OSX. Fonte: Folha.

A trajetória do menino Eike Batista, começou em 1994, com o episódio da privatização da Companhia Vale do Rio Doce, hoje denominado simplesmente de Vale S.A.  À época da privatização, o menino Eike Batista, filho do presidente Eliezer Batista tentara arrematar a Vale, no leilão de privatização da Companhia, no entanto, vetado pela equipe do FHC.  Da tentativa saiu-se frustrado.  Quem levou a Vale foram as fundações das estatais e o Bradespar em conjunto com o grupo japonês Mitsui.  Corre-se a notícia de que, em razão da tentativa frustrada, o menino Eike levou a cópia do inventário de principais jazidas minerárias da própria Vale, cujo acesso fora permitido pelo pai Elezer.  

Magoado com a tentativa frustrada na privatização da Vale S.A., o menino Eike Batista, se uniu à oposição liderada à época pelo ex-presidente Lula.  E dali que nasceu a relação de "padrinho" para com o "afilhado".  Os fatos posteriores, demonstram claramente, que houve favorecimento para concessão e ou transferência de direitos minerários, incluindo o petróleo.  O fato de menino Eike Batista se tornar, em apenas 9 anos e 9 meses, bilionário, em dólares americanos, nada é novidade.  Hoje, frequenta a lista dos mais ricos do mundo, segundo lista da revista Forbes.

Em qualquer parte do mundo, denota o fato de menino Eike Batista, conseguir concessão na exploração de petróleo, sem ter antes extraído nenhuma gota do precioso óleo, via empresa denominada por ele de OGX.  Nenhuma novidade, o fato do menino conseguir, também,  encomendas da dezenas de plataformas de petróleo, sem ter o estaleiro e sem ter construído nenhuma delas antes.  E de sobra, a empresa OSX consegue financiamento subsidiado para instalação da fábrica de plataforma num montante de 87,5% do investimento de R$ 4,8 BI.  Nem é preciso comprovar que houve ingerência do "padrinho" Lula e "madrinha" Dilma para que o "afilhado" fosse beneficiário do financiamento subsidiado do sistema BNDES e CEF, denominado por mim de Bolsa Empresário.  

Vocês ainda tem dúvida de que o Lula e a presidente Dilma são os padrinhos patrimonial do menino Eike Batista?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12 

2 comentários:

  1. Um dia descobriremos que essa foi a maior jogada/maracutaia do governo PTralha. Concordo plenamente e digo mais: as empresas são frágeis e desprovidas de qualquer fundamento tangível que mereça o valor declarado. Tudo é um balão de ensaio que deixará muita gente, como aliás já deixou, a ver navios,...aliás, plataformas,...

    ResponderExcluir
  2. Esse pessoal do pt confunde patrimônio próprio com o público. Todo esse dinheiro público deveria ser usado em benefício da maioria dos brasileiros e não para enriquecer amigos.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.