Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

DON LUIS LULA DA SILVA, O NOSSO "PADRINHO"


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou nesta terça-feira, 2, ao horário eleitoral na TV para pedir votos para o ex-ministro do Esporte Orlando Silva, candidato a vereador pelo PC do B. Orlando foi demitido do cargo pela presidente Dilma Rousseff em outubro do ano passado, após denúncias de corrupção em um dos principais programas da pasta. Fonte: Folha.

Orlando Silva foi acusado de se beneficiar de um esquema de corrupção envolvendo o programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte. As denúncias partiram do policial militar João Dias Ferreira, dono de ONGs que tinham convênios com a pasta. Ele acusou o então ministro de ser o principal beneficiário de desvios de recursos públicos do programa para alimentar o caixa do seu partido, o PC do B. Orlando Silva negou envolvimento com o suposto esquema e informou na época que iria processar o denunciante por calúnia. Fonte: Folha.

Don Vito Coleone, personagem fictícia, do romance "Godfather" de Mario Puzzo, fazia exatamente o que o Lula faz, dava guarida aos seus afilhados da máfia, a quadrilha organizada, que sugava o minguado dinheiro dos pobres com agiotagem e extorsões.  Assim é a figura do Lula, uma figura carismática entre os pobres, que achaca dinheiro dos beneficiários do governo federal, como se o governo fosse o seu "caixa" permanente, para continuar a cometer os delitos de corrupção ativa e passiva.  Agora, o processo penal de número 470, em julgamento no STF, vem a demonstrar exatamente os fatos aqui narrados.  Ele, Lula, é o próprio Don Vito Coleone, que idealiza o delito, mas não o assume.  Tem quem o assume, para livrar o seu nome. 

Assim como Don Vito Coleone, o Lula quer de toda maneira influir nas eleições dos seus afilhados para poder manter-se no "poder de fato", para por em prática o crime continuado de mensalão repaginada.  Mas, na essência, é o mesmo personagem que é idolatrada pelo povo ou temido pelos empresários.  Ninguém ousa a criticá-lo.  Tem medo da morte!  Algumas pessoas do seu círculos pagaram com a vida, a não subordinação aos seus mandos.  Quem deixou de assistir ao filme, basta sentir no "ar" o que se passa no país.

As eleições se aproximam.  No dia 7 de outubro, próximo domingo. Quem eleger os seus afilhados, certamente, estará consolidando o seu poder de mafioso.  O Don Vito Coleone será uma personagem tal qual a figura do romance e terá um o nome Don Luis Lula da Silva.

A personagem que se sentir ofendida, tem à disposição, o espaço neste blog, para desmentir os fatos aqui narrados.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

3 comentários:

  1. Não me senti ofendido; mas, frustrado.
    Não se trata de uma desilusão pela existência dos "DOM", nem dos ladrões do erário e nem da oligarquia exploradora; porém, desesperançoso quanto à democracia brasileira, a qual é composta por um povo indouto que SEMPRE VOTA nos "DOM", reelegendo-os mais rápido do que a justiça consegue condená-los...
    Assim sendo, este "modus" processual está nos levando para um rumo não desejado.

    ResponderExcluir
  2. Como publiquei no Twitter:

    Orlando Silva como homem público não vale uma tapioca. Mas se vende por uma.

    ResponderExcluir
  3. MILLORIANAS: a dívida pública é uma dívida epidêmica.// agora triplicada pelo novo Don Vito Coleone de Garanhuns, com a diferença que o mesmo faz seus subornos com dinheiro público.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.