Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

PT? ESTOU FORA!


A afirmativa acima não obriga os leitores optarem pelo principal partido da oposição, no meu entender.  Há no país, invariavelmente, em todos os tempos, presentes e passados, pensamento quase que uníssono de que quem não é da situação, é do principal partido da oposição.  Isto pode funcionar em alguns países do mundo, notadamente, onde funciona o bipartidarismo de fato. Portanto, que fique cristalino de que as considerações postas nesta matéria, não me leva automaticamente optar pelo principal partido da oposição.  Aliás, sinto me muito à vontade em escrever esta matéria, pois pertenço a um dos partidos da base alidada do atual governo.  Nem por isso, me curvo às posições partidárias, para tecer meu pensamento crítico em relação ao comportamento ético do atual governo.

Feito estas considerações, vamos ao que nos interessa.  Assim como as redes sociais da rede mundial de computadores foram e estão sendo decisivas no posicionamento dos ministros do STF no julgamento do processo penal número 470, conhecido como mensalão, no próximo dia 7 de outubro, o povo terá a sua derradeira opção em dizer basta a uma verdadeira roubalheira do dinheiro público.  O que afirmo ao Partido dos Trabalhadores, no título desta,   se encaixa para qualquer outro partido que estejam, hoje, no poder municipal praticando atos semelhantes ao do governo federal.  Basta de roubalheira, basta de quadrilhas organizadas para subtrair dinheiro do contribuinte.  A afirmativa serve, inclusive ao partido que eu estou filiado, há mais de 6 anos.

Estive atendo à leitura do relatório do ministro Joaquim Barbosa do STF e também prestei muita atenção no contraditório apresentado pelo ministro Ricardo Lewandowski, nestes exaustivos 2 meses e 6 dias.  Mesmo para leigo sobre assuntos jurídicos, como eu, deu para entender exatamente a frase dita pelo José Dirceu, de que o Partido dos Trabalhadores tinha projeto de permanecer, no mínimo, 20 anos no poder.  Pelas urnas, certamente, os 12 anos já estão conquistados.   Ninguém imaginava, à época da declaração do José Dirceu, de que o projeto a que se referia não era exatamente o projeto político.  Nos relatórios do ministro Joaquim Barbosa está a demonstrar claramente de que o projeto referido pelo ex-ministro da Casa Civil, dizia respeito ao aparelhamento do poder executivo com os membros do Partido dos Trabalhadores e seus aliados de base, para poder praticar o mais vil dos objetivos de subtrair dos cofres cofres públicos o dinheiro não contabilizado para proveito pessoal dos seus integrantes.  Aqui, não faltou nem mesmo as notórias e máximas figuras da República, a atual e o ex-presidente.  

Pois, chegou a derradeira hora de exercer o nosso direito de optar.  Vamos, novamente, chancelar votos para os afilhados políticos da Dilma e do Lula?  Ou vamos dizer basta e eleger pessoas que, o curriculum demonstra trajetória política aparentemente ilibada.  Pela opção que fazemos, podemos estar errando, mas vale a tentativa de mudar o "status quo", sob pena de tornar permanente a cultura da roubalheira do dinheiro público no país.  Creio e tenho certeza de que, se todos nós fizermos a melhor opção, estaremos na direção de tornar o Brasil um país em que todos nós possamos nos orgulhar.  

Sugiro, simplesmente: PT, estou fora!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

Um comentário:

  1. Nada amais claro.

    Com a derrota nas urnas...

    "Os ratos começarão a deixar o barco."

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.