Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 23 de outubro de 2012

DIGA NÃO AO HADDAD!


Eu não ia me posicionar sobre eleições da cidade de São Paulo, porque o meu domicílio eleitoral é de Curitiba.  Sou eleitor de Curitiba, e vou votar no candidato ao prefeito Gustavo Fruet que é do PDT, partido em que estou filiado há 6 anos.  Não tenho pretensão política, nenhuma.  Já estou dobrando o Cabo da Boa Esperança.  Porém, diante do posicionamento contundente do STF, em desfavor dos réus José Dirceu, José Genuino e Delúbio Soares, sinto-me compelido a me pronunciar sobre a candidatura do Fernando Haddad em Sampa.

Não sou a favor da candidatura do José Serra, já manisfestada por mim em matéria postada neste blog.  No entanto, sou visceralmente contra a postura política e pessoal do presidente Lula, também já manisfetada por mim, em dezenas de matérias já postadas.  O STF condenou o ministro chefe da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, em crimes de corrupção  ativa e formação de quadrilha.  Em países do Primeiro Mundo, sobretudo no regime presidencialista, certamente, o chefe do executivo seria defenestrado políticamente, no mínimo, mesmo não sendo condenado pela justiça.  Por que no Brasil haveria de ser diferente?  Somos republiqueta de 5ª categoria?  Não!  Creio que não.

O STF veio a demonstrar ao povo que há instituição no País que merece respeitabilidade.  Com o julgamento e condenação do principal assessor do presidente Lula, o Brasil cresceu perante o mundo, mesmo que o próprio Lula não tenha sido julgado ou indiciado, em razões das circunstâncias da época da denúncia.  O fato é que caiu por terra a tese do presidente Lula de que ele "nada sabia"Diante das evidências e circunstâncias o Lula é o chefe da quadrilha, de fato.  José Dirceu, seu imediato no executivo, era apenas preposto que decidia em seu nome.

A mudança do rumo do País ococrrerá somente quando o verdadeiro chefe da quadrilha, de fato, estiver defenestrado do mundo político e empresarial.  Enquanto o Lula estiver comandando as principais decisões dentro e fora do governo, a quadrilha não se desbaratou.  Chegou a hora do povo decidir sobre o rumo que quer dar ao País.  Chegou a hora do povo brasileiro mostrar que o Brasil faz parte do Primeiro Mundo.  A decisão depende de nós mesmos.

Dentro do contexto, Fernando Haddad é candidato ao prefeito da maior cidade do Brasil sob imposição do presidente Lula.  Fernando Haddad é seu "sobrinho" dentro da estrutura de quadrilha que assalta o País há 9 anos e 10 meses.  No dia 28 próximo, domingo, diga simplesmente NÃO ao candidato do verdadeiro chefe da quadrilha, o Lula.  Dizer NÃO para o Haddad é dizer NÃO para o Lula, o chefe da quadrilha! 

Com esta manifestação explícita, posso perder até os leitores deste, mas as circunstâncias me compele a fazê-la.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori10

3 comentários:

  1. É por isso que leio todos seus textos. Tu és porreta. Fala e escreve a verdade. Sinto-me satisfeito com suas palavras, é como se fossem minhas. Obrigado

    ResponderExcluir
  2. Colega Sakamori, Peço licença para fazer uso de suas palavras acima mencionadas, com o mesmo orgulho e sentimento patriótico, apenas poupa-me o trabalho de repeti-las. E mais! deixar claro que muito pelo contrário, não estas só em sua manifestação.

    ResponderExcluir
  3. Oi,Sakamori!

    Como é bom ler seus textos e saber que há muitos como nós indignados e torcendo para que a justiça (completa) enfim seja feita. Também concordo que a imagem do ex-presidente não é lá mais essas coisas... e concordo com aqueles denominados da oposição em querer investigá-lo, afinal, na época do roubo (arroubo), era ele o chefe do país. Não sei se da quadrilha, mas tudo o que estiver sob seus domínios e influência precisa de maior atenção,uma vez que ainda não sabemos de seu envolvimento. Abraços, ótima semana.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.