Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 1 de abril de 2013

BRASIL da DILMA é PAÍS do VALE TUDO!


Sim. O Brasil é País do Vale Tudo.  Não reconheço mais o País que eu nasci, cresci, estudei e batalhei para conseguir alguma coisa na vida.  Este País deu-me a nacionalidade brasileira, a qual me orgulho muito.  Deu-me 3 filhos, todos formados, que me dão a maior alegria do mundo.  

Das minhas memórias, lembro do tempo do Juscelino Kubstcheck, Brasil jovem e pujante.  Dos governos militares, politicamente período nefasto, mas economicamente marcou o tempo de desenvolvimento, sobretudo na área de infraestrutura. Do Sarney, lembro o período de "euforia" do Plano Cruzado, mas também, lembro do fracasso, com inflação mensal batendo 80% ao mês.  Veio o Collor é deu no impeachment, pelo achaque aos empreiteiros de obras, notadamente.  Enfim, o Congresso Nacional fez a justiça, votou o impeachment.  

Veio o Plano Real do Itamar Franco e a lei de responsabilidade fiscal, que deu estabilidade da moeda, querendo ou não admitir os governos Lula e Dilma.  FHC se preocupou em garantir o Plano Real e bem ou mal conseguiu.  O Lula do primeiro mandato, com Henrique Meirelles no Banco Central, manteve o Plano Real, o que de certa forma foi o maior feito do Lula, porque afirmara antes de estar no governo, sua contrariedade à teoria neoliberal (sic).  Enfim, sua marca foi de recuperação do salário mínimo acima da inflação, o seu maior feito.

O "vale tudo" começou com o "mensalão", distribuição de propina para conseguir apoio no Congresso, segundo a teoria apresentado na defesa pelos réus do processo.  Mas, justiça foi feita, os réus foram condenados.  

O "vale tudo" continuou assim mesmo, com total descaramento.  A reeleição do Lula foi financiado com dinheiro do Caixa 2, proveniente da "operação tapa buraco" realizado pelo DNIT em 2006 num montante de R$ 10 bilhões.  Não se sabe exatamente quanto foi a contribuição dos empreiteiros, via contribuição oficial e quanto foi pelo Caixa 2.  Sobre a operação tapa buraco, ficou no esquecimento.  Ninguém mais falou da operação.

O "vale tudo" deu continuidade com a operação DNIT, numa operação de arrecadação de dinheiro para campanha da presidente Dilma, em 2010, num montante total de R$ 46 bilhões, sendo que R$ 20 bilhões fora ordenada diretamente pela própria Dilma no exercício do cargo de chefe da Casa Civil do Lula.  O assunto veio à tona, mas o resultado foi o afastamento do ministro Alfredo Nascimento e o direto do DNIT Luis Antonio Pagot.  Nada sobre o desvio do dinheiro foi apurado, até este momento.  Creio nem ter inquérito em andamento no momento.

O "vale tudo" continuou com a operação da Delta Construções, que a CPMI detectou "lavagem de dinheiro" num montante que ascende a R$ 400 milhões, onde envolveu dois governadores, o Marconi Perillo de Goiás e Sérgio Cabral do Rio de Janeiro.  Por ordem do Palácio do Planalto foi mandado arquivar.  O relatório terminou em lacônico 2 páginas, sem indiciar ninguém.  A íntegra da investigação foi encaminhada pelos partidos de oposição para a PGR do MPF, mas não se tem notícia de que fora aberto algum inquérito.

O "vale tudo" acontece com o presidente Lula, fazendo loby para empreiteiros, certamente com interesse financeiro, conseguindo contratos R$ bilionários, nos países da América Latina e África.  Contratos que só viabilizam com a garantia de financiamento daquelas obras de infraestrutura pelo BNDES.  O Brasil é carente de infraestrutura dentro do País.  O interesse de banco oficial em financiar as obras de infraestrutura para aqueles países soam um pouco "deboche" para com o povo brasileiro.  Só mesmo bobo entende que Lula faz loby para o interesse do País.

O "vale tudo" acontece com financiamento subsidiado para empresas de "papel", extremamente endividados, com risco muito alto, para empresas como os do Eike Batista e Joesley Batista, respectivamente grupo EBX e J&F (leia-se JBS).  No primeiro caso, o do Eike Batista as empresas se tornaram insolventes.  No segundo caso, não tarda a acontecer.  Isto até engraxate da BMFBovespa sabe.  E dá lhe "Batistas" com os recursos do BNDES, com ordem expressa da presidente Dilma.  Viro miro, se a presidente mandar estancar a sangria do BNDES para com estes grupos. 

O "vale tudo" já aconteceu na Petrobras, o primeiro caso o superfaturamento na refinaria do Pasadena nos EEUU, e o segundo caso os "filé mgnon" do golfo do Méximo.  No primeiro caso, a própria companhia mandou contabilizar prejuízo no montante de R$ 450 milhões e no segundo caso já mandou como prejuízo no balanço no valor de US$ 4,9 bilhões.  Ainda, assim a presidente Dilma não toma nenhuma atitude em relação aos administradores que causaram tais prejuízos.  

Se maracutaia de R$ bilhões, não causam preocupações para o Palácio do Planalto, só tem uma das duas explicações.  A primeira explicação é que a presidente Dilma é incompetente.  A segunda explicação é que a presidente Dilma está metido até o pescoço com os "vale tudo".  Caros, amigos leitores, você escolhe, qual é a situação da presidente Dilma.

Brasil é País de Vale Tudo!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

3 comentários:

  1. Vai pra cochichina,vai se lamentar la!! pois nem seus tataranetos verão os trabalhadores fora do poder!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta PTralha com certeza está mamando nas tetas do governo. Só assim para ignorar a ladroagem destes comunistas. É o medo de ter que trabalhar para se manter hinestamebte.

      Excluir
  2. Muito Verdadeiro, como sempre, é a verdade Nua e Crua, sem esquecer detalhe algum, incluindo Lula... so nao sabia que vc quer os "trabalhadores" fora do poder...#PetralhaNervosinha?!Publicando Face!Abs Celly Mattos

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.