Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 28 de abril de 2013

Petrobras. Análise técnica da situação, sem economês.



Apesar do reajuste dos combustíveis, a Petrobras viu seu lucro cair 17% no primeiro trimestre deste ano na comparação com igual período de 2012, na esteira da produção menor de petróleo e da despesa crescente com a importação de derivados. De janeiro a março de 2013, a estatal lucrou R$ 7,693 bilhões, abaixo dos R$ 9,214 bilhões registrados no mesmo período de 2012. Fonte: Folha.

Comentário. O lucro da Petrobras no primeiro trimestre, abaixo do esperado, ainda assim contou a favor o componente do dólar, controlado pelo Banco Central em níveis de R$ 2.  Não se sabe se nos próximos trimestres o lucro se mantém no mesmo patamar.  As refinarias estão operando no limite máximo de capacidade de operação e as novas refinarias só entrarão em operação, na melhor das hipóteses, no primeiro semestre de 2015.  Quanto mais combustíveis importa, menos lucro tem a Companhia.  

A 11ª rodada de licitações da ANP (Agência Nacional do Petróleo) acontece em época pouco favorável às empresas brasileiras de capital aberto --Petrobras, OGX e HRT--, devido à restrição dos caixas dessas companhias.  Mesmo restrita pelo robusto plano de investimentos e a obrigação de ter 30% em todos os blocos que serão vendidos no leilão do pré-sal, a Petrobras deve ter boa presença no leilão, porém menor do que no passado.  Fonte: Folha.

Comentário.  Em todos os blocos de exploração, pela legislação atual a do regime de partilha, a Petrobras fica com 30% de participação em todos blocos licitados.  Isto, de cara, demanda volume de investimento, ainda não avaliado, que poderá estar acima da capacidade da Companhia, em razões expostas no comentário acima.  Lembrando que o limite de endividamento da Petrobras, também, está se aproximando do grau de risco em alerta.  A geração de caixa com os ativos do Golfo do México, antes previsto em US$ 14,8 bilhões, rebaixado para US$ 9,9 bilhões, ao que me parece está comprometida.  Não tem comprador que queira pagar o preço.  


O processo de exploração de petróleo é bastante complexo, por dois motivos principais: 1) sua dependência cada vez mais acentuada de novas tecnologias para aplicação em áreas de maior risco geológico e 2) situações logísticas cada vez mais difíceis. Justamente por causa do risco geológico, requer uma avaliação muito cuidadosa: há altos investimentos, que podem não dar certo. Fonte: Folha.

Comentário.  Das reservas conhecidas e potencialmente viáveis, as bacias localizadas no pós-sal, já estão em fase de esgotamento.  As novas áreas a serem licitadas estão localizados na camada pré-sal.  O problema é que o custo de exploração na camada pós-sal é de média de US$ 16 por barril e segundo informações da própria Petrobras, o custo de exploração do poços do pré-sal, não sai por menos de US$ 40 por barril, num acréscimo de 150% de custo sobre os poços em exploração, atualmente.  Isto significa que a geração de lucro ou de caixa da Petrobras será cada vez mais onerosa.  Como a Graça Foster vai tentar manter o lucro com expressivo aumento de custos é uma boa incógnita a ser decifrada. 

Comentário final.  

O futuro da Petrobras depende basicamente de 4 variáveis importantes, quais sejam:  1) Se o Banco Central vai conseguir segurar o dólar no patamar de R$ 2, super depreciado.  2) Se o preço do óleo Brent no mercado internacional vai se manter no patamar de US$ 100.  3) Se a Petrobras conseguirá gerar o mesmo índice de lucratividade do pós-sal, nas explorações na camada pré-sal.  4) Se a Petrobras vai conseguir levantar empréstimos sem entrar em zona de risco cinzento, conforme avaliação de rating das agências de riscos.  

Vamos ser otimista e torcer que as 4 variáveis sejam elas todas contornáveis, sem prejuízo do Plano de Expansão da Petrobras.  Digamos que ainda há nuvens Cumulus Nimbus (CB) no horizonte! 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT>  Twitter: @sakamori12

3 comentários:

  1. Nobre amigo:
    Essa matéria você, o Daniel Cohen, são mestres e catedráticos!
    Sou absolutamente analfabeto no assunto, no entanto, deixo o registro de que sinceramente me agradou você ter sido ameno e até simpático com sua esperança com a Petrobras! Portanto, na Marinha diz-se : BRAVO ZULU ! Bom domingo e hoje folgo !

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente, o aparelhamento da Petrobrás com "cumpanheiros" incompetentes, está acabando com a Petrobrás. Péssimas gestões.

    ResponderExcluir
  3. A imensa Nuvem negra de pikas voadoras, forjadas à Adamantium e concreto, com seus sacos escrotais carregados de cocô-podre de bode..... Cada vez mais densa e ereta! Quando pokar, vai fecundar! E será o advento da Nova Era onde esse sistema atual será só um passado de perdas e dor... REMEM, PECADORES!!!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.