Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 16 de abril de 2013

Economia. LULA e DILMA estão com síndrome BIPOLAR!


Os presidentes Lula e Dilma, trabalham com economia com síndrome "bipolar".  Por um lado, em tese, enxuga a circulação do dinheiro no mercado oferecendo juros Selic mais alto e por outro lado, exatamente na contra mão, afrouxa o controle sobre os gastos públicos.  Após os trechos de notícias, detalho o meu posicionamento.  

A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tentaram nesta segunda-feira (15), em evento do PT em Minas, afastar o risco de persistência de alta da inflação e sinalizar que o "efeito tomate" não vai abalar a economia brasileira. Fonte: Estado

"Não faço nunca negociação e nem concessão com inflação. Vamos sempre combater", afirmou. "Não fazemos concessão mas também não abrimos mão da estabilidade, e isso não se confunde com a recessão e desemprego", acrescentou. Fonte: Estado. 

O cenário do governo trabalha com quatro altas seguidas dos juros, de 0,25 ponto percentual cada uma, totalizando 1 ponto, o que faria a taxa Selic passar dos atuais 7,25% para 8,25% ao ano. Declarações recentes do presidente do BC, Alexandre Tombini, e do ministro Guido Mantega (Fazenda) sinalizam que o novo ciclo de alta pode começar já nesta semana, com 0,25 ponto. Fonte: Folha.

A dois dias da definição da nova taxa de juros do Banco Central, o governo abriu caminho para um afrouxamento sem precedentes da política de controle de gastos públicos adotada desde 1999. Segundo regras propostas ontem pela Fazenda e pelo Planejamento, as metas fiscais deste ano e do próximo -de eleições para presidente e governadores- poderão ser reduzidas em algo como 70%. Fonte: Folha.

Comentário.

Embora eu seja contra utilização da taxa de juros como instrumento  do governo federal para combate à inflação, o governo anuncia a meta de aumento de taxa Selic ao longo do ano em 1%, passando dos atuais 7,25% para 8,25%.  Os agentes públicos e financeiros, são unânimes, na prática deste instrumento para combate à inflação. Teoricamente, o aumento da taxa de juros, tira dinheiro da circulação, apertando a liquidez do sistema.  Em tese, sem dinheiro na praça, diminui o consumo.  

Para os que seguem cegamente a política econômica da Dilma, quero dizer que se dependesse da taxa de juros, a inflação nos EEUU, Alemanha e Japão estariam em níveis insuportáveis.  Respectivamente, ele praticam juros de 0,25%, 0,75% e 0,1% ao ano.  Existem outros mecanismos, não utilizados ou mal utilizados pelo governo Dilma, para segurar a inflação.  Quando ouço empresários e analistas de mercado, concordarem em coro com a política econômica do governo Dilma, não me contenho. Dou a maior gargalhada do mundo!

Na contramão da política de enxugamento da circulação do dinheiro, o governo anuncia flexibilização nos gastos públicos, diminuindo, a necessidade de geração de Superávit Fiscal.  Para lembrar Superávit Fiscal é parte da receita da União para pagamento de parte de juros da dívida interna.  Ah bom!  Com menor Superávit Fiscal, vai ter que rolar maior parte dos juros do Tesouro, incluídos ao principal da dívida.  Significa, sobretudo, que o governo Dilma vai fazer gastança em 2013 e 2014, véspera de eleições presidenciais.

Exemplificando melhor para os leigos em economia.  A Dilma é como motorista que ao mesmo tempo pisa no freio (Selic) e pisa no acelerador (menor Superávit Primário).  Isto é atitude de motorista "bipolar", com certeza!  No meu entender, não seria melhor engatar uma marcha "segunda", que dispensa pisar no freio e ao mesmo tempo pisar no acelerador?  Na economia, também, isto é possível.

Lula e Dilma, continuam pensando apenas naquilo! Nas reeleição da Dilma para perpetuação da sua troupe que ocupa os principais Palácios da Esplanada dos Ministérios em Brasília.  Há que considerar fora desta lista de palácios, o do STF e do MPF.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12Lul

3 comentários:

  1. Sakamori! Bipolar, Psicopatas, esta gastança promovida é prova maior do descaramento e estupidez de um governo cego pelo poder incapaz de avaliar com responsabilidade seus atos. Quem aplaude as medidas eu diria que estão a serviço, só pode! concordo com vc quando fala de outros mecanismo para conter a inflação que não a taxa de juros, para isso primeiro passo governo teria de reduzir seus gastos drasticamente, isso jamais pelo contrário estes só fazem aumentar. Por essas e toda canalhice de um Governo irresponsável um Congresso medíocre interesseiro, incapaz de se contrapor aos desmandos do Planalto> Eu defendo Militar no

    ResponderExcluir
  2. Estimado Sakamori:
    O comentário da Marilsa Prescinoti, é bastante interessante, pois que, traz a baila a firmação do João:
    VOCES TERÃO SAUDADES DE MIM !!
    Lembro que apezar dos pezares, dito por alguns, naquela época, todos, absolutamente todos, lutavam pelo país e sua sociedade. Com acertos e, naturalmente, erros, mas acima de tudo, pelo bem da população e engrandecimento da nação!
    Não priorizava uma pessoa, mas sim, uma necessidade de se tirar da coleira de país em desenvolvimento, para um país emergente! Tal como é hoje, pois, construimos a infraestrutra mínima necessária para o desenvolvimento de nosso país nos últimos anos! Não fosse a tentação da perpetuação no poder, se tivessem o patriotismo para revezarem-se e contribuirem entre si, poderíamos, estar gozando dos conceitos da China de hoje! Não fossemos vorazes, corruptos, egoistas, e teriamos hoje, uma melhor chance de despontar na Comunidade das Nações! Quanto ao gasto público, tenho dúvidas sobre esse tema. Não vemos um canteiro de obras no país, não vemos os funcionários publicos recebendo aumento, ou vivenciando salários invejados, pois são sempre os grandes culpados, não vemos grandes investimentos em agricultura, portanto, só posso atribuir, às malditas bolsas vagabundos implementada no nosso país de uns tempos para cá, o incentivo a inatividade,ao óscio, à esmola!
    Não sou afeito e não tenho conhecimento sobre economia, faço parte da grande maioria brasileira, a de contribuintes que vê seu suor ser transformado em bolsas para desocupados, para ter seu veículo arrebentado nas estradas brasileiras, enfim, sendo o pé do chamado projeto CARACU, e torcendo para que as informações aqui postas, possam serem mais um carregamento de cores que a realidade, pois, já não temos mais de onde tirar, e enfrentar aventuras!
    É o que posso dizer, e, encerrando, pelos movimentos que você próprio vem comentando, acredito, que estão olhando suas críticas e de demais analistas independentes para procurarem por o carro no trilho, assim espero!
    Desculpando-me pelo comentário de um neófito, abraço-o com respeito!
    MARKITO DE SOUZA

    ResponderExcluir
  3. Olá, Sakamori!

    Gostei do seu texto, como sempre esclarecedor... Penso que o governo da Dilma é mais ou menos como um experimento científico: vai-se testando alternativas para manter, ou melhor, garantir os interesses políticos, enquanto que nós, o povo, somos as cobaias, tão suscetíveis às decisões nem tanto democráticas assim de nossa presidente. Abraço e ótima terça!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.