Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Alerta 2! O Brasil da Dilma já está na beira do abismo!


Já venho fazendo crítica ao governo Dilma, sobre a defasagem do câmbio, desde fevereiro do ano passado.  No meu entender a política cambial é determinante na formulação de qualquer política econômica do governo. Câmbio artificialmente defasado, no caso brasileiro, o real demasiadamente apreciado é tiro no pé.  Chego a denominar de erro sistêmico.  Felizmente, algumas vozes importantes vem somar ao meu posicionamento à respeito do câmbio.  Segue notícias, sobre câmbio e na sequência meu comentário.

A balança comercial brasileira registrou superavit de US$ 627 milhões na segunda semana de abril, informou nesta segunda-feira (15) o Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), mas o resultado não foi o suficiente para reverter o quadro negativo do ano. Fonte: Folha.

Com isso, o desempenho do comércio internacional brasileiro acumula superavit de US$ 938 milhões no mês, mas ainda está deficitário em US$ 4,218 bilhões no ano --US$ 60,345 bilhões em exportações e US$ 64,563 bilhões em importações. Fonte: Folha.

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, disse, nesta segunda-feira, 15, em entrevista à Agência Estado, que uma taxa de câmbio boa para a atividade industrial brasileira seria de R$ 2,47 por dólar. Fonte: Estado. 

Comentário.

Até segunda semana de abril, o País está com déficit na balança comercial de US$ 4,2 bilhões, contrastando com o número do ano passado.  No mesmo período do ano passado, a balança registrava saldo positivo de US$ 2,140 bilhões.  Sem contar com o registro da parte de importação de combustíveis pela Petrobras, no montante de US$ 2,0 bilhões.  Somado, o déficit da balança comercial até 2ª semana de abril está em US$ 6,2 bilhões.

No ano passado o déficit da balança comercial foi coberto pelo ingresso de investimento estrangeiro direto (IED), quase que em valor equivalente.  O prognóstico para este ano é um pouco diferente do ano passado.  Certamente, haverá no final de 2013, déficit na conta corrente onde inclui serviços e juros.  Ainda não sabemos quanto.  Para manter o dólar no nível de R$ 2,00, o governo deverá queimar a Reserva Cambial.  Queimando a Reserva Cambial, o mercado financeiro vai olhar com olho de desconfiança na condução da economia do País.

Ontem, diretor de investimento da Fundação Cesp, Jorge Simino, deu parecer de que o câmbio deveria estar sendo negociado em níveis de R$ 2,30.  Eu tenho defendido cotação de R$ 2,60 a R$ 2,70, valor corrigido desde a implantação do Plano Real.  Agora, o presidente da poderosa CNI, Robson Braga de Andrade, defende cotação de dólar a R$ 2,47.  Embora, números divergentes entre nós, o fato é que o real está demasiadamente apreciado.

A consequência do câmbio defasado, vem causando desindustrialização do País, com consequências que levarão anos para a recuperação.  Os empresários brasileiros estão fechando fábricas no Brasil para montar na China.  O câmbio defasado torna os nossos commodities sem competição no mercado internacional, como é o caso do minério de ferro.  Na agricultura, está havendo distorções que agride a nossa inteligência, tudo por conta da defasagem cambial.  Estamos importando da China, feijão preto e tomate!  

Com tantos problemas que a defasagem cambial produz na economia doméstica, a equipe econômica insiste em manter a atual política de câmbio.  Explica-se.  O câmbio está sendo a "âncora" para conter a inflação.  Com o câmbio contido, segura o preço dos combustíveis e de tarifa de energia.  Segura também, preço dos alimentos, via importações.  Não importa que quebre a indústria e a agricultura brasileira.  Quer mesmo que o povo sinta o "poder de compra" para garantir a reeleição da presidente Dilma.

Não saberia dizer até quando vai aguentar a política do jeitinho, da gambiarra, do improviso, do imediatismo.  Creio que, Dilma e sua equipe, não conseguirão segurar o estouro da "bomba relógio" por muito tempo.  A situação não se sustenta até eleições presidenciais em 5 de outubro de 2014.  

Alerta! Já sabemos que o Brasil da Dilma está na beira do abismo!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.