Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 3 de agosto de 2013

Os políticos dizem: "O povo que se lixe!"

Em seu terceiro ano como presidente, Dilma Rousseff assistiu ao esfacelamento do "núcleo duro" de apoio a seu governo na Câmara dos Deputados, que já foi formado por 17 partidos e hoje abriga apenas petistas e remanescentes de outras sete legendas. Desde então, esse núcleo vem encolhendo, e atualmente se resume a 101 deputados, segundo revela o Basômetro, ferramenta online do Estadão Dados que mede a taxa de governismo do Congresso. Fonte: Estadão.


Como pode ver pela notícia do tradicional jornal Estadão, A Dilma conta efetivamente com 101 deputados dos 513 que compõe a Câmara dos Deputados.  Lembrando que os projetos de leis devem passar necessariamente pela aprovação de ambas Casas Legislativas, ou seja da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.  

É o resultado contabilizado após as manifestações das ruas do mês de junho.  Agora, a maioria dos parlamentares, tendem a acompanhar os movimentos das ruas, votando contra os projetos da Dilma, já que a sua popularidade despencou no final de junho.  Os parlamentares estão de olho nas suas próprias reeleições, não importando em nada com as eleições da presidência da República.

Nem mesmo a liberação de R$ 6 bilhões de emendas parlamentares para os próximos meses, não vão conseguir o número suficiente de deputados para aprovação dos projetos importantes.  Podem esquecer, a aprovação da convocação de plebiscito pelo Congresso Nacional para os seus efeitos terem validade nas eleições de 2014.

Dilma está isolado, como patinho feio, no Palácio do Planalto.  O País vive situação semelhante à saúde da presidente Dilma, frágil, muito frágil.  A 14 meses das eleições, o País, simplesmente vai parar, em compasso de espera das eleições em outubro de 2014.  A presidente Dilma possivelmente não será candidata à reeleição no ano que vem.  Quem vai determinar o candidato será o presidente Lula.  O candidato da situação será ele próprio ou uma cara nova, de sua indicação.  Dilma está morta, politicamente.

Quem paga o pato é o povo, pela antecipação pela Dilma, em pelo menos 1 ano a campanha presidencial para pretendida reeleição à presidência da República.  O Brasil vai ficar nesta letargia por 14 longos meses.  Podem escrever.  Até lá vai se falar apenas em eleições presidenciais do ano que vem.  

O País paga o pesado ônus pela disputa pela vaga ao Palácio do Planalto.  O poder confere à presidência da República, pelo que sabemos pela prática corrente, deve render muitos R$ bilhões, além do prestígio pessoal como representando de um País com 200 milhões de pessoas.  

Os políticos ainda não perceberam que o povo já sabe que a maioria disputam vagas para seus próprios interesses financeiros ($$$) pessoais. A maioria dos políticos dizem: "O povo que se lixe!" ou "O povo que se foda!".  Excluídos uma minoria que defendem os reais interesse da população.  Quanto aos presidentes Lula e Dilma, cada um de vocês os coloca no seu devido lugar.  

O povo deve continuar com as manifestações nas ruas.  Os políticos não entenderam o recado dado em junho. Devemos repeti-las.  Eles próprios, os políticos, estão fazendo armações utilizando-se de movimentos como Black Blocs ou Occupy para tentar desmoralizar as manifestações pacíficas do povo para que não ocorram novamente.  Os políticos tem medo das manifestações pacíficas e ordeiras!  

As manifestações das ruas pacíficas devem continuar até que os políticos de todas matizes, entendam de uma vez por toda, os anseios e as demandas do povo brasileiro.  

Ossami Sakamori 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.