Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Políticos dão recado: O povo que se dane!

Enquanto doentes morrem nos corredores das UPAs, os poderosos da República, como os presidentes Lula e Dilma utilizam-se dos Hospital Sírio Libanês. Os serviços médicos não são de graça, são pagos pelo contribuinte. Vejam a notícia abaixo sobre os gastos dos senadores e meus comentários, na sequência.

Sob o comando de Renan Calheiros (PMDB-AL), o Senado gastou em seis meses 70% a mais com despesas médicas no Sírio-Libanês do que o total pago em 2012 para atender congressistas, dependentes, servidores e até ex-senadores e seus cônjuges no hospital paulista.  Fonte: Folha.

De fevereiro a julho deste ano, em janeiro, Renan ainda não era presidente da Casa, foram pagos R$ 5,1 milhões ao Sírio-Libanês, enquanto no ano passado foram R$ 3 milhões, de acordo com o Portal de Transparência do próprio Senado.  

Comentário.

Isto aqui está ficando como a velha China ou a velha Rússia.  Os altos dirigentes do Partido Comunista tinham privilégios e mordomias que contrastavam com a ideologia que os comunistas chineses e socialistas russos pregavam.   

O Brasil de hoje, está se tornando republiqueta de 5ª categoria, onde a casta de dirigentes políticos tem privilégios que contrastam com o abandono que é imposta à população, no caso, em atendimento na área de saúde pública.  Isto, sem contar com demais privilégios como o uso de aeronaves da FAB pelos familiares dos poderes executivos e parlamentares.  

Depois de todas mazelas na utilização do dinheiro do contribuinte em proveitos próprios, a presidência da República, os ministros, os senadores e deputados, se dizem não entender sobre a demanda das manifestações das ruas.  

De modo geral, com raras exceções,  os políticos em geral, ficaram com o cara de pau.  Fica bem esclarecido, também, que há exceções à regra exposta por mim. Com tantos privilégios e mordomias, a maioria dos políticos, dizem sim: "O povo que se dane!"  

Ossami Sakamori

4 comentários:

  1. Teremos de permanecer nas ruas por tempo indeterminado. O clamor dos protestos não assustaram ou comoveram nossos políticos, os gastos exorbitantes do dinheiro público. As capitanias hereditárias continuam no Brasil, um país que tem donos, que usurpam a cidadania das pessoas que morrem como gado nos hospitais públicos.

    Já tem uma piada dizendo que a única instituição que recupera bandido é o Sírio-Libanês, já que todo político que vai pra lá sai recuperado e cheio de forças para continuar na sua espiral de corrupção impune.

    No fim das contas, só não existe recuperação para nós, povo, que vivemos no abandono.

    ResponderExcluir
  2. Penso que as manifestacoes nao serao ouvidas.Eles ja estao acostumados com isso. Sao caras de pau, nao tem vergonha na cara.O que importa e que, enquanto reclamamos por nossos direitos, eles possam continuar a roubar, e assim vao seguindo.Sou a favor do Impeachment, e rapido!

    ResponderExcluir
  3. Tem que colocar 2 milhões ou mais de pessoas nas ruas. O povo não pode dormir! É um absurdo como debocham do povo! Totalmente a favor do Impeachment de Cabral no RJ. Não aguentamos mais!! É preciso fazer uma faxina na política brasileira!

    ResponderExcluir
  4. FORA TODOS OS POLITICOS E INTERVENÇÃO DA FFAA JÁ, DEPOIS VEREMOS O QUE FAZER. O MOMENTO AGORA E DESINFETAR O CONGRESSO!!!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.