Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

ESTAÇÃO BRASILEIRA NA ANTÁRTIDA. Sargento paga o pato sozinho.



A primeira instância da Justiça Militar em Brasília aceitou a denúncia contra o militar acusado de ser o responsável pelo incêndio na estação brasileira na Antártica. O incêndio ocorreu em 25 de fevereiro de 2012 e dois militares morreram. O fogo destruiu cerca de 70% da base brasileira na Antártida. O prejuízo estimado é de quase R$ 25 milhões. Fonte: Folha.

O sargento da Marinha responderá por homicídio culposo (sem intenção de matar) e dano. O caso está sob sigilo. Segundo a denúncia do Ministério Público Militar, por volta das 23h30 do dia 24 de fevereiro, o sargento resolveu transferir o combustível que estava em tanques de armazenamento para dois tanques de serviço, que ficam próximos aos geradores de energia elétrica. Fonte: Folha.

Segundo o laudo da perícia, o militar não concluiu a transferência do combustível no tempo hábil e, por isso, os tanques de serviço transbordaram e o combustível, óleo diesel, entrou em contato com partes mais quentes do gerador que estava em funcionamento, provocando o incêndio. Fonte: Folha.

Comentário.

Na ocasião em que ocorreu o incêndio, fiz matéria sobre a base brasileira na Antártida e as circunstâncias em que ocorreu o acidente.  Na realidade, o incêndio que ocorreu pela imperícia do sargento, só não fora percebido por demais militares da manutenção da estação, porque o alarme do incêndio fora desligado para promover "baile com efeito de fumaça", que os participantes estavam a promover naquela noite.  

Se não fosse o socorro das forças armadas chilenas, estacionadas na base Antártida próximo da estação brasileira, ter vindo em socorro, talvez o resultado do acidente fosse ainda pior.  Morreram ainda assim 2 militares brasileiros.  

O fato é que a estação brasileira, era feitos de latas, quer foram ampliando de acordo com a demanda.  Enfim, a nossa base era uma sucata.  E nem o navio que fica ancorado próximo à estação, no período de verão, não estava suficientemente preparado para prestar socorro necessário.  Brasileiros foram salvos pelos militares chilenos.

Agora, a Marinha vai fazer o concurso de projeto para a nova estação brasileira na Antártida, com orçamento de R$ 100 milhões, que só deverá ficar pronto no verão de 2015.  Esta obras, sim, mereceria um RDC (Regime Diferenciado de Contratações).  Não precisaria de concurso de projeto.  Deveria contratar o projetista que fez as bases seguras como as chilenas, americanas ou coreanas, sem licitações.  Garanto que a nova estação brasileira, não sairia muito mais do que os R$ 100 milhões previstos.  

Sempre, dois pesos duas medidas.  Para erguer um estádio de futebol para realizar Copa 2014, gastam-se mais de R$ 1 bilhão, em cada estádio em RDC.  Uma construção numa região que fica totalmente isolado do mundo, durante 8 meses do ano, deveria o projeto prever redundâncias necessárias, para uma possível acidente, mesmo no período de isolamento.  Não se brinca com coisa séria!

Culpar um sargento pela imperícia na manutenção dos equipamentos, obsoletos, sem redundâncias, seria exigir demais.  Era simples, ter previsto uma válvula de segurança que fechasse automaticamente quando o nível de abastecimento tivesse chegado no limite.  A coisa era, pelos relatos, feito no "olhômetro".  Agora, os militares vão condenar o sargente pelo incêndio para mostrar que existe seriedade (sic).  No Brasil, a corda sempre arrebenta para o lado mais fraco.

Ah! Só um aviso, para quem pensa que sou político militante.  Não sou, não.  Sou apenas filiado ao partido PDT.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12 

Um comentário:

  1. Estimado Sakamori: É uma tremenda falácia, essa de que, perdeu-se a base da Antartida !
    Nunca deram atenção, como as outras necessidades das Forças Armadas, nem o PT, nem o PSDB, ou qualquer outro ! Por ocasião do Orçamento, diversas vezes, juntamente com a Assessoria Parlamentar do Exercito e da minha Marinha, lutamos, ou melhor, combatemos de gabinete em gabinete para conseguir uma emenda parlamentar para suprir as necessidades mínimas dessas forças! No caso da Base da Antartida, também, e, por sorte, esta conta com o apoio do Senador do seu partido,o Cristovam Buarque, que auxilia a incentivar os parlamentares a dar alguma coisa para a defesa da nossa patria! A Marinha como o Exercito, possuem uma missão espinhosa de defenderem as fronteiras secas e marítimas do nosso Brasil,e com um volume financeiro ridículo!
    Como poderá a Marinha, defender o mar territorial de 200 milhas, as plataformas petrolíferas, essa costa maravilhosa de nosso pais, e o Exercito, com fronteiras secas no oeste do pais, no norte, no sul, e mendigando recursos a um Ministério da Defesa, que somente desarticulou as forças armadas, porque, de efetivo não possui nada, a não ser os cargos !
    O triunvirato ENZO, SAITO, MOURA, estão fazendo milagre ao conduzir suas forças, e cumprir suas missões constitucionais! Parabenizo-o pela matéria, e pela sugestão de dispensar licitação para a elaboração do projeto da Base Antártica!
    O PROANTAR, merece, a comunidade científica brasileira também merece, e nossa Marinha, ahhhh!
    como merece esse agrado!
    Esse assunto mexe comigo, pois, tenho nos meus iguais nessas forças, a disciplina para não reagir aos desmandos perpretados contra elas, a grandeza de entender a fragilidade de nossas intituições, e o desejo sincero de poder ajudar a construir esse país maravilhoso! Ao Brasil tudo! Abraços, Markito de Souza

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.