Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

DILMA, SAÚDE PÚBLICA É SEU ÔNUS, TAMBÉM!


Passa ao largo da presidente Dilma, os descasos na área de saúde pública.  Todas notícias que são veiculadas dizem respeito aos hospitais públicos municipais ou estaduais.  Nenhuma linha contra o ministério da Saúde do governo Dilma.  Como se União Federal não fosse responsável pelas negligências e irresponsabilidades que saltam aos olhos do cidadão comum.

A União Federal abocanha sozinho, do total de arrecadação dos tributos nada menos que 62,5%, restando grosso modo 22,5% para os 27 unidades de federação incluído DF e 15% dos recursos para serem distribuídos entre 5.564 municípios.  Os números não são exatos porque o governo não é transparente quanto ao volume de arrecadação como também o total de recursos gastos em cada exercício.  

O certo é que proporcionalmente à arrecadação, a União Federal deveria responder por 62,5% dos gastos na saúde pública, mas não é o que acontece atualmente.  A maior parte dos gastos em saúde pública são bancados pelos municípios e estados.  No orçamento do SUS para 2013 está previsto verba no montante de R$ 74,9 bilhões, nada desprezível.  Não sei dizer exatamente quanto os municípios e estados gastam em saúde.  Sem contar com a participação das entidades beneficentes como as Santas Casas, que tem haver com o governo federal cerca de R$ 12 bilhões.  

O fato é que a saúde pública está à beira de morte ou melhor administrando a morte dos pacientes.  As notícias correm o Brasil de norte ao sul, todos os dias, sobre os descasos.  Doentes morrendo nos corredores dos hospitais em condições sub-humanas ou morrem dentro das ambulâncias num jogo de empurra entre os hospitais administrados por entes distintos.  

A população padece!  Gasta-se muito dinheiro, mas os recursos não chegam na ponta do sistema de saúde. Para se ter ideia apenas R$ 35,6 bilhões dos R$ 74,9 bilhões irão para atenção à saúde para procedimento de média e alta complexidade.  O resto vai para consolidar as políticas espumas da presidente Dilma.

Enquanto a população menos assistidas morrem nos corredores dos hospitais, a presidente Dilma, não toca uma linha sobre o estado falimentar da saúde pública, como se a saúde pública não tivesse nada a ver com o governo federal.  Faz-se propaganda de espuma como "Brasil carinhoso" e por aí vai.  Aplica a filosofia do "o que é positivo" divulga e "o que é negativo" esconde.  E assim vai faturando mais alguns votos com o programa Brasil carinhoso.

Para presidente Dilma e a cúpula da política brasileira, não importam a angústia da população com as mazelas na área de saúde pública, porque para eles os atendimentos serão feitos, sempre, em hospitais de referência como Hospital Sírio Libanês.  Presidente Sarney, presidente Lula e a própria presidente Dilma estão vivos, graças ao atendimento de alta complexidade, num hospital de referência do Brasil, indiretamente pagas com o dinheiro do contribuinte.

Dilma, saúde pública é seu ônus, também!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Um comentário:

  1. Honorável Sakamori: Pelas informações que pude colher nos últimos tempos nesse assunto, por força de diligência recebida, não me arriscaria hoje, a afirmar que o Ministério da Saude deixe a desejar no tocante a suas responsabilidades de ações, e repasses financeiros para a saude dos Estados e Municípios !O que infelizmente tem ocorrido, é a maldita prática da malversação utilizada pelos nossos homens públicos, independendo de coloração partidária, embasados com a impossibilidade, acreditam, de serem identificados em suas falcatruas!No Ministério Publico Federal, na Procuradoria Regional da República 1a REGIAO, é incansável o trabalho desenvolvido por seu corpo de Procuradores, Assessores, Funcionários, pois que, responsabilizam-se por 2/3 do Território Nacional, e, com uma atuação efetiva, porém, apartada das vaidades, vem causando uma devassa do Espírito Santo, Nordeste, Norte, Centro Oeste,e Minas Gerais, nas contas dos Estados e Municipios! Com um contigente de mais de 496 Procuradores da Republica, vem entulhando o TRF1,com as ações desenvolvidas contra as máfias instaladas no Serviço Público, nos diversos níveis em que se encontram ! Nessas ações, especificamente na saude, pude constatar que os recursos para equipamentos, instalações, medicamentos, saem do Ministério da Saude,e muitas vezes, se perdem pelos escaninhos dos escalões intermediários! Se não existe vaidade, o rigor é quase exagerado, pois, não se pode minimizar a gravidade do desvio nesse setor fundamental da Sociedade Brasileira.Assim sendo, e para ser mais conciso, pude tambem identificar, que as mazelas ocorrem no setor, e nos logradouros, independente de partido, donde atribuo ao mau costume da locupletação,e tambem, a queda de braços entre Estado e Médicos!
    Portanto, já conhecendo-o um pouco, como admirando seu caráter, não faria uma vala comum do deserviço prestado pelos atuais ocupantes da Esplanada dos Ministérios em Brasília, mesmo comungando de outro matiz !
    Esperando haver conseguido minimizar a revolta que nos une, na atuação do Estado Brasileiro,pós Constituinte de 88, renovo meus protestos de elevada estima e consideração.
    Brasil acima de Tudo !!!
    Abraços,Markito de Souza

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.