Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

EDUARDO CAMPOS E MARINA SILVA, OS NOVOS PEDAÇOS DO BOLO


Após o lançamento das candidaturas da Dilma Rousseff e do Aécio Neves ao posto de presidente da República, apresentam-se como virtuais candidatos, Marina Silva e Eduardo Campos, respectivamente ex-ministra do Lula e atual governador de Pernambuco.  Ainda bem que, pelo que configura, a repartição do bolo não vai feita em, apenas, duas partes.  Vejam o que eles disseram e em seguida comento sobre o desdobramento.


A ex-ministra e ex-senadora Marina Silva disse na noite desta segunda-feira (18) que a Rede Sustentabilidade, seu partido em fase de criação, se antecipa à reforma política no Brasil. "Nós resolvemos antecipar algumas coisas que já podem ser feitas no sentido de mudança do sistema político e da forma de se fazer política no Brasil", disse Marina, que participou hoje do programa "Roda Viva", da TV Cultura. Fonte: Folha.

No último sábado, Marina disse que a Rede Sustentabilidade não será nem de esquerda nem de direita, mas estará "à frente" das outras legendas. Marina Silva foi ministra do Meio Ambiente na gestão de Lula, mas rompeu com o governo e deixou o PT em 2009. No ano seguinte, concorreu à Presidência da República pelo PV e teve 20 milhões de votos, ficando em terceiro lugar. Fonte: Folha. 


As declarações de Eduardo Campos ocorrem um dia depois de um embate entre os principais nomes de PT e PSDB para a disputa eleitoral de 2014. Fonte: Folha.


Potencial candidato do PSB à Presidência, o governador Eduardo Campos (PE) criticou ontem a antecipação eleitoral de PT e PSDB e afirmou que atualmente não é possível ter certeza de que, em 2014, os dois partidos irão polarizar de novo a disputa pelo Palácio do Planalto. Fonte: Folha.

"O país não precisa dessa velha rinha, não precisa discutir o passado, discutir coisas que não dialogam com a pauta do povo. A população está preocupada com um Brasil que não cresceu como se esperava. Não é possível eleitoralizar a política brasileira assim", disse o governador. Fonte: Folha.

Muito estranho a afirmativa da Marina Silva, de dizer que o partido Rede Sustentabilidade dela não seja nem de esquerda e nem de direita (sic).  Pelo que eu me lembro, Marina Silva, se exonerou do cargo de ministra do governo Lula, discordando da cooptação do partido do Lula à ideia "neo-liberal" (sic).  Portanto, até onde a gente sabe, ela é de esquerda.  No entanto, ela se lança como a fatia do bolo do meio.  Nem para um lado, nem para outro lado, situação de "tico-tico no fubá".  

Por outro lado, o Eduardo Campos, lança a mesma ideia exposta por mim, na matéria de ontem, sobre Dilma e Aécio, que passo a reproduzir a frase na integra: "O país não precisa dessa velha rinha, não precisa discutir o passado, discutir coisas que não dialogam com a pauta do povo."  Dizer que conheço Eduardo Campos, estaria mentindo.  Conheço-o de passado recente, via noticiários na imprensa, sobre sua popularidade como governador de Pernambuco.  

Atrás de cada figura, a da Dilma Rousseff e do Aécio Neves, estão as figuras fortes na mídia, FHC e Lula.  Ambos seguem a linha dos seus antecessores.  Dilma defendendo o legado de Lula, do programa social Bolsa Miséria e tentando rotular o Aécio como defensor da ideia "neo-liberal" (sic). Aécio defendendo o legado do FHC, do Plano Real e Lei da Responsabilidade Fiscal e tentando desconstruir os programas de obras.  Discutem sobre o passado, como se fossem discussões sobre o resultado de jogo de futebol de véspera, em qualquer bar da esquina.  

Que os pretensos candidatos apresentem propostas para o futuro, preferencialmente, que atendem novas demandas da população.  As mazelas correm soltas, nos campos de educação, saúde e segurança pública.  O que tem os candidatos a oferecer como saída para os segmentos, os mais importantes, para a população.  Isto sim, mexe com o cotidiano do povo.  O povo não quer saber da dicotomia, dito na matéria de ontem.  Quer saber, o que cada um tem a oferecer para as demandas de hoje.  Só isso!

Eduardo Campos e Marina Silva, são os novos pedaços do bolo!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.