Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

DILMA, ESTAGFLAÇÃO JÁ ACONTECE! Faça alguma coisa!


Infelizmente, o quadro que se apresenta não é nada bom.  A economia brasileira, vive o momento de "estagflação".  Há 6 meses previ esta situação. Até por conta disso, foi me formulado convite para deixar o País.  E não estou aqui a comemorar a situação de estagflação, afinal sou brasileiro tanto quanto outro qualquer.  Após reprodução de notícias, comento sobre o assunto.

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), índice oficial de inflação do país, fechou o mês de janeiro com alta de 0,86%. Trata-se do maior nível para o mês desde 2003 e o mais alto índice mensal desde abril de 2005. Fonte: Folha.

Em dezembro, a taxa havia ficado em 0,79% fazendo o índice fechar 2012 em 5,84%. No período acumulado em 12 meses até janeiro, o IPCA registra avanço de 6,15% e se aproxima do teto da meta oficial de inflação, que é de 4,5%, com margem de dois pontos para cima e para baixo.  Fonte: Folha.

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou taxa de 0,31% em janeiro deste ano. O índice é inferior ao registrado em dezembro de 2012 (0,66%), mas levemente superior ao observado em janeiro do ano passado, que havia sido 0,3%. Em 12 meses, o IGP-DI acumula taxa de 8,11%. Fonte: Monitor Digital

Comentário.

Por mais que a Dilma e sua equipe projetem o crescimento do PIB na meta de 4,0% em 2013, isto não se tornará realidade, mantendo a atual política econômica e monetária.  O índice IGP-DI reflete um pouco a situação do crescimento do País, no instante considerado.  IGP-DI vem desacelerando, conforme acima.

Por outro lado, a inflação deu sinal de vida.  Apesar da consideração da redução tarifária e o aumento de gasolina, no  IPCA de janeiro, o efeito cascata do aumento de gasolina refletirão nos índice de, pelo menos, próximos 3 meses.  Em tese, o efeito cascata não poderia acontecer na mesma proporção do aumento de gasolina, mas a história tem demonstrado o contrário.  O aumento de gasolina, psicologicamente, provoca efeito cascata quase que na mesma proporção do aumento de gasolina.  É o olhar do Delfin Neto, no qual eu concordo.

O eventual efeito de redução no preço de gasolina, devido ao aumento de adição de etanol na gasolina na proporção de 20% para 25%, não vai causar redução no preço de gasolina na bomba.  O governo não pode contar com esta redução no índice de inflação de maio, mês que está previsto o aumento de adição de etanol na gasolina.

Por enquanto, à pedido da Dilma, o prefeito Haddad de São Paulo e Eduardo Paes do Rio de Janeiro postergaram o aumento de tarifa de ônibus para o mês de junho, na tentativa de pulverizar os aumentos tarifários.  Mas, vem outros aumentos de tarifas administradas como água e telefone, entre tantas que estão a estourar nos próximos meses.

Enquanto isso, a Petrobras e a Eletrobras estão na fila para solicitar o aumento de gasolina, novamente, e reajuste de tarifa de energia por conta dos custos das térmicas, respectivamente.  O segundo semestre que poderia ser tranquilo, não vai ser mais.  A Dilma terá que dar atenção às duas Companhias, sob pena de colocar em risco o rating delas, que já estão no limite para as Companhias serem colocadas no limbo.

Dilma, estagflação já acontece! Faça alguma coisa!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  @sakamori12

Um comentário:

  1. INFELIZMENTE È QUERER MUITO DE UMA POBRE CRIATURA ESCRAVA DO PODER QUE NEM DELA È,È DO SEU MENTOR LULA O FAMIGERADO QUE JÀ FOI APUNHALADO PELAS COSTAS VARIAS VEZES E INFELISMENTE NÃO MORREU FOI TRAIDO E NÃO SABE POR QUEM,ENTÃO NESSE CENÀRIO COMO ELA PODE COMBATER A ESTAGFLAÇÃO SEM SABER QUE BICHO È ESSE . ELA SABE NO ENTANTO DISTRIBUIR BOLSAS COTAS E APOIAR QUALQUER VAGABUNDO QUE LHE DÊ A TAL DA GOVERNABILIDADE QUE È UM MEIO DE LESAR A NAÇÃO TODA.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.