Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Economia do Brasil sem máscara!


Hoje, vou abordar o assunto sem meias palavras. Vou utilizar linguagem que foge do economês para os leigos poderem entender o que se passa com  a nossa economia. Vejam as maquiagens que a Dilma faz, para manter-se no governo.  As maquiagens estão caindo e a cara nua está aparecendo. A verdadeira face da economia brasileira é extremamente feia! Os comentários que seguem, não guardam nenhum paralelo com os da imprensa. Prestem atenção no que vou a dizer. 

1. Dólar desvalorizado. 

O ministro Guido Mantega e o presidente do BC Alexandre Tombini mantém dólar desvalorizado.  Intenção da Dilma é provocar "sensação de bem estar" e "sensação do poder de compra".  Objetivo: Ganhar eleições.  Prejuízo: O dólar desvalorizado sucateia indústria brasileira e assim cria menos emprego no País.  Não há empresa que ganhe na competitividade com o dólar no patamar que está.  O dólar deveria estar sendo cotado acima de R$ 3,00.  Isto é o centro do problema. 

2. Selic alto.

A taxa Selic, renovado ontem em 11%, está 4,5% acima da inflação oficial, IPCA.  Os juros reais do Brasil é a mais alta entre os 40 maiores economia do mundo.  Objetivo: Atrair os especuladores nacionais e internacionais, para financiar a dívida pública federal.  Prejuízo: Juros altos, provoca "bola de neve" na dívida interna do País. Como o País não consegue pagar nem os  juros, a dívida pública cresce assustadoramente. Não sente o resultado agora, mas no médio prazo.  Isto vai dar em m... ! Isto a imprensa não fala!

3. Preços administrados engessados.

O governo da Dilma engessou os preços administrados, como tarifa de transporte de massas, tarifas de energia elétrica e combustíveis.  Objetivo: Segurar a inflação oficial dentro do teto da meta de 6,5%.  Prejuízo: Os preços administrados estão endividando e sucateando as empresas do setor de energia e de petróleo, sobretudo Eletrobras e Petrobras.  Uma hora, esta conta vem para o povo.  Somado ao efeito da defasagem cambial, no realinhamento dos preços relativos, isto vai ser como botar gasolina na fogueira.

4. Bolsa miséria.

O governo federal dá benefícios dos programas sociais para 13 milhões de famílias ou 52 milhões de pessoas.  Objetivo: Oficialmente, para matar a fome da população.  Prejuízo: Sem os respectivos programas de educação e capacitação, cria-se população permanentemente dependente de auxílio ou subsídio do governo. Criamos um cercadinho de cordeirinhos votando na Dilma, assim pensa ela. Lembrando, com o dinheiro dos contribuintes.

5. Bolsa empresário.

O governo investiu R$ 450 bilhões no programa denominado de PSI - Programa de Sustentação de Investimentos. Através do BNDES empresta às empresas amigas do poder, recebem empréstimos com juros subsidiados de 3,5% ao ano, enquanto o Tesouro paga no mercado juros de 11% para financiar o programa PSI. Objetivo: Oficialmente, alavancar o crescimento da indústria brasileira.  Prejuízo: Os números mostram que ao invés de criar empresas competitivas, estão criando empresas viciadas em subsídios, estas ficarão eternamente dependente das tetas do governo federal.  Quem paga o subsídio é o contribuinte. 

6. Inflação em alta.  

O governo Dilma estabeleceu como meta de inflação 4,5% para o ano de 2014.  No meio do ano, esta meta já está estourada.  Está batendo, no imaginário "teto" da meta de 6,5% ao ano.  Inflação tem teto e piso? Muito engraçado inflação ter teto e piso! Objetivo: Tentar mostrar ao otário do povo brasileiro que a inflação está sob controle.  Prejuízo: Enquanto a Dilma tenta segurar a inflação dentro do teto da meta, mediante manipulação do câmbio, da taxa de juros Selic e dos preços administrados, a política econômica (sic) fajuta da Dilma vai fazendo água.  Daqui a pouco estoura a represa gigantesca!  Haverá muitas vítimas, com certeza!

O indício de que a Dilma não está conseguindo segurar inflação é que o mercado financeiro está a exigir do Banco Central remuneração dos empréstimos para com o Tesouro, acima da taxa Selic de 11%.  A inflação real está sendo considerado pelo mercado financeiro como sendo 12% ao ano.  A inflação do bolso, à essa altura, já ultrapassa os 20% ao ano.  O problema da inflação é expansão da base monetária, o resto é conversa para boi dormir. 

7. Resumo.

Digamos, que o Brasil se encontra na situação pré Argentina.  Se descuidarmos viramos amanhã uma Grécia, um Portugal ou uma Espanha, com desemprego em massa! É mais do que urgente e necessário a mudança da política econômica, impondo austeridade fiscal e colocando vários instrumentos exercendo suas funções originais.  

Recorte este texto, guarde-o e leia no final do ano. 

Ossami Sakamori

5 comentários:

  1. Sempre brilhante e esclarecedor.. Economia para leigo entender..e principalmente tomar atitude, mudar o cenário. Fora PT 2014..!

    ResponderExcluir
  2. Pelo que eu entendi da sua explicação didática, eles estão fazendo malabarismos com a economia até passar as eleições depois teremos que pagar um preço caríssimo pelas incapacidade e incompetência dessa corja de esquerdopatas marginais, que se sustentam no poder, por esse congresso abjeto e vendido e pelo STF que agora virou um balcão de negócios. Não podemos contar com mais ninguém a não ser com a força do voto nas eleições e o povão continua com o voto de cabresto do bolsa família. A sorte está lançada e salve-se quem puder.!!!

    ResponderExcluir
  3. Este é o alto preço do atraso de um povo. E que isso já vem de longe. O pior é que, pelo movimento que tenho acompanhado é bem provável que troquem a carne de porco pelo toucinho. O povo não se interessa em investigar, não só a vida profissional e pública, mas, principalmente a moral dos candidatos. E o que vem aí é bastante assustador. Preço altíssimo que se paga quando se desconsideram as leis universais da Natureza para governar, ser governado, escolher e ser escolhido. Um povo que não respeita a Natureza, merece é isso mesmo. E SALVE-SE QUEM PUDER E SE PUDER! O conserto de tudo isso só virá muito mais tarde, depois de MUITO SOFRIMENTO. Infelizmente a rudez só encontra cura através do SOFRIMENTO! Portanto, por mais estranho que pareça, aos olhos do UNIVERSO, está tudo certo."A vida para ser bem formada, bem constituída, firme, equilibrada ao bom viver, é preciso que os seres orgânicos e as organizações sejam todas paralelas ou adequadas ao modo de que se constitui a vida; que a vida também é constituída de diversas organizações e de diversos meios de poder da vida. O PODER da vida está naquilo que as organizações podem corresponder para equivaler à vida." (UNIVERSO EM DESENCANTO). Aí está o maior postulado de economia UNIVERSAL! Quando isso for aplicado por todas as Nações do mundo, a solução de todos os problemas surgirá tão rápida e naturalmente como um simples respirar. Bom trabalho, Amigo Sakamori! Gratíssima pelos tweets!

    ResponderExcluir
  4. Excelente como sempre. Mas, infelizmente tomamos conhecimentos das barbaridades realizadas por esse governo e nao temos como combater. Estamos assistindo a tudo e o que se pode fazer? Nas urnas? Será? Estamos vendo a implantação de uma ditadura, visitas a Cuba, visitas de Cuba! Visita de comunistas, haitianos com passaporte e autorizados a votar na Dilma?

    ResponderExcluir
  5. A sua explicação didática è simplesmente estarrecedora! E agora quem consegue melhorar esta situação? Como vai ser o nosso futuro? Guerra civil? Simplesmente devastadora tal situação onde o ser humano deixa de ser humano e comporta-se de modo irracional onde predomina a crueldade desnecessária.

    E nem falou no Decreto Federal nº 8.243, de 23 de maio de 2014, que anula o legislativo e cria os “soviets”, da mesma forma que na antiga União Soviética e Cuba e que os deputados federais e senadores vão deixar passar!

    Estou estarrecido, por que já vivi num pais onde os "soviets" ou comissóes de trabalhadores e comissões de moradores è quem mandavam mais! mandavam!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.