Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 2 de junho de 2012

DILMA, A MÁSCARA CAIU !

Presidente Dilma, no dia 21 de maio último, escrevi matéria com o título "Dilma, fantasia acabou!" e volto com esta matéria, que venha a ser a confirmação daquela anterior. Infelizmente, para nós brasileiros, a situação econômica do país está deteriorando rapidamente.  Tudo que a Senhora falou ao povo, está a acontecer exatamente ao contrário, por isso o título da matéria de hoje.

Uma das mais graves afirmações que a Senhora fez, foi ter chamado os europeus de canibais.  A Senhora se referia ao fluxo positivo de dólares no país, com injeção de liquidez que o BCE fez ao sistema bancário na Zona de Euro.   Nada disso confirmou, pelo contrário, deixaram os investidores europeus perplexos.  O resultado é que empresas como BMW e Land Rover que estavam com investimento programado para este ano, simplesmente já adiaram "sine die".  Bem feito para nós, menos empregos qualificados.  Fazer o que?


A Senhora e o ministro Mantega fizeram um estardalhaço sobre desoneração de folha de pagamento, no montante líquido de R$ 3,5 bilhões, segundo seu próprio governo.  Nessa semana que está a terminar, a Senhora mandou aumentar impostos de bebidas, 5% na cerveja e 10% para refrigerantes para consumidor, em média. Uai, presidente, a Senhora deu com uma mão mas tirou com outra?  Já sei, presidente, sei a resposta que o ministro Mantega vai me dar.  Todo esforço é para gerar o maldito Superávit Primário!  O Superávit Primário, para ajudar pagar os juros da dívida do Tesouro, respondo eu. 


A Senhora viu que a jogada de marketing do juro barato do BB e CEF não está produzindo efeito desejado?  Só está mesmo funcionando para Camila Pitanga, porque na prática, as concessões de crédito são limitadas para clientes preferenciais.  Seu ministro da Fazenda, o Mantega, disse que vai mandar os bancos abaixarem os juros em 40%, mas não vai, não!  O setor bancário foi o segmento que mais se beneficiou nos 9 anos e 5 meses dos governos Lula e seu. Os bancos são concessões do governo, mas na legislação brasileira, eles tem autonomia para estabelecer sua política comercial, dentro das normas do Banco Central do Brasil e do acordo de Basiléia.  Resumindo, não adianta bravata do ministro Mantega, eles vão continuar atuando como vinha, auferindo lucros fantásticos! 


A Senhora reduziu o IPI de automóveis até agosto próximo.  Muito bem, a promoção "limpa páteo" deverá funcionar.  A dúvida é se após redução temporário do IPI, o movimento de compra vai continuar a pleno vapor.  Creio que não.  Os consumidores, ainda estão pagando prestações de promoções semelhantes feitas em 2009, em 72 prestações, portanto maioria dos emergentes que compraram veículos há 3 anos passados, apenas pagaram metade dos carnets. Esta promoção "limpa páteo" é apenas medida de emergência, que nada repercute no futuro da economia do país. 


Outra coisa importante, Dilma, por acaso a Senhora mandou verificar o mercado imobiliário? Pois, está entrando em forte desaquecimento, por conta da incerteza sobre o crescimento do país.  Os imóveis ofertados estão com margem muito grande de lucros e estão chegando no ponto de estresse.  A próxima crise será o estouro da bolha imobiliária no Brasil como ocorreu nos EEUU em 2008.  Haja coração, presidente!  Quando esta bolha explodir, aí a coisa fica bem feia, mesmo!  Fique atenta, Dilma!  Se ninguém está chamando atenção, estou eu a fazer.  Sinal amarelo!


Presidente Dilma, para agravar mesmo a situação, nessa semana houve duas notícias negativas no "front" externo.  Somado à crise da Europa saiu indicativo de que os EEUU e China cresceram menos do que esperado no mês passado.  Este fato é o que mais me preocupa, presidente.  Por conta disso o dólar vai continuar subindo, provavelmente até bater na cotação de R$2,40.  Ninguém sabe onde está o teto.  

Quando fiz afirmativa de que o dólar poderia estar no patamar de R$2,40 parecia ser irreal ou mesmo surreal, mas agora estão vendo que é factível, que já está se tornando unanimidade.  O ministro de Fazenda e o presidente do Banco Central, deverão estar de olho no comportamento do dólar, porque a qualquer derrapada poderá ultrapassar o número colocado aqui.  Vamos dizer que o dólar está muito volátil, precisa de atenção redobrada. Afirmo: não tem Swap cambial que resolva a disparada, se houver.  Sinal vermelho, Dilma!


Presidente Dilma, a máscara caiu.  Fazer o que?  Vamos, então, arregaçar a manga e trabalhar duro!  E não adianta chamar de volta o Meirelles porque não vai resolver nada.  Gente competente para isso o Brasil tem, inclusive alguns dentro do seu próprio governo.  

E mais importante de tudo, Dilma, o povo merece saber da situação real do país, não aquela que a Senhora anunciou a quatro ventos de que o Brasil está preparado 300% para a crise. 


Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi prof.da UFPR
Twitter: @sakamori10



12 comentários:

  1. Prezado "Saka". Parabéns por antever, em matérias anteriores, os graves problemas econômicos e éticos que o país atravessa. Fica uma pergunta? Sempre ouço falar que no governo brasileiro existem muitas pessoas honestas e competentes. Onde elas estão? Por que não aparecem e impedem a corrupção e os problemas econômicos do país? Abraço, amigo :)

    ResponderExcluir
  2. Voces economistas parecem minhocas. Não há terra que chegue! rs

    Se o dolar está baixo? PAU NO GOVERNO!
    Se o dolar subir? PAU NO GOVERNO!
    Se mantem os impostos? PAU NO GOVERNO!
    Se corta IPI? PAU NO GOVERNO!
    Se baixa as aliquotas de importação para conter inflação? PAU NO GOVERNO!
    Se sobe as aliquotas para ajudar a industria? PAU NO GOVERNO!
    Se taxa o capital especulativo? PAU NO GOVERNO!
    Se remunera este mesmo capital especulativo? PAU NO GOVERNO.
    Se sobe os juros para atrair investidores? PAU NO GOVERNO!
    Se baixa os juros para reduzir a remuneração de capital externo? PAU NO GOVERNO!

    Ajuda ai! kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zé Carlos, salvo meus olhos tenham tentado enganar-me, "Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi prof.da UFPR" foi o que li logo acima...

      Excluir
  3. Prezado Sakamori,
    Chegou o dia de ler algo de alguém que pensa de forma idêntica à minha! Parabéns!
    Só que uma coisa é certa: parece que em nosso País não se gosta de dar ouvidos a coisas sensatas que não dão ibope. Ainda que seus comentários sobre a economia tenham nexo poucos lhe darão
    atenção e o levarão a sério.
    Parece que falamos a surdos.

    Eli dos Reis, de RibeirãoPreto.

    ResponderExcluir
  4. Ossami, querido, nós é que estamos 300% perdidos. Sim, você cantou a bola sobre o dólar subir a R$ 2,40 e creia-me: sempre acreditei em você! Beijos

    ResponderExcluir
  5. Pois é "japa" o negócio está feio. Espero que nao piore, mas parece que minhas esperanças nao se cumprirão.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns, vc tem deixado de forma clara e antecipada os acontecimentos da economia deste Brasil desgovernado!

    ResponderExcluir
  7. @FCprinceOficial: Se tivéssemos uma oposição decente, teriamos que estar sendo informados da real situação do Brasil a cada 24 horas, sem produzir nada a mais, não se chega a classe média(alta então?), o resto é fantasia do inventor da "marolinha" e seus auxiliares escolhidos a dedo, uma na presdência, capaz de suportar até torturas, que ñ entregará nada, e estão querendo colocar um em SP, que só entende de Kit Gay, e imitar seu criador.

    ResponderExcluir
  8. Tivemos 8 anos de governo Lula, estamos indo para o 3º ano de governo Dilma e é engraçado como a situação econômica anda estável e tem beneficiado diferentes classes.

    Desculpa, meu amigo, mas a omissão e tentativa de desmoralizar o bom governo que temos presenciado me leva a crer que ou em alguma coisa você foi prejudicado, ou sua posição partidária te obriga a fazer oposição.

    É justo, mas não é digno de respeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vantagem de quem consegue raciocinar sobre bases mais complexas, Hugo, é justamente saber separar conjuntura econômica de gestão pública. E, principalmente, atribuir o peso correto a cada um desses fatores. Do ponto de vista da gestão, que é o que Sakamori se propõe a analisar, o artigo está muito bem escrito. O governo precisa definir o rumo que vai tomar na questão das alíquotas - isso de ficar baixando e subindo pontualmente em um e outro setor da economia, beneficia a quem?

      Esse seu comentário, chamando de "bom governo" os governos PTistas, por conta de uma "situação econômica estável" lembra muito o discurso dos ditadores nos anos de chumbo. Pesquise sobre: "milagre brasileiro" + "ditadura militar". Essa confusão só serve pra iludir a massa iletrada, não me parece ser o seu caso.

      Excluir
  9. Excelente! Nada aqui foge à realidade, embora alguns membros da "patrulha do PT", aqui presentes nos comentários, se esforcem em não enxergar.

    ResponderExcluir
  10. Realmente, o que me assombra é ler pessoas, aparentemente esclarecidas, definirem os governos de Lula e este da Dilma como bons governos, baseando-se na elevação do salário mínimo e o melhor poder de compra das classes menos privilegiadas. Aí, estamos com uma inadimplência nunca vista antes destes governos (23% iniciais a > 50% do PIB hoje). Pior, empurramos com a barriga problemas econômicos que mereciam melhor atenção com soluções menos imediatistas e menos populistas. Não houve a grandeza de impor restrições aos gastos públicos, isto é, manter o que já havia na Lei de Responsabilidade Fiscal. Não, vamos liberar aos poucos essa barreira imposta pelos governos de Itamar e FHC! Ainda hoje, ações pontuais nas aliquotas do IPI para carros, linha branca etc continuam sendo soluções também pontuais, que colocam sorrisos temporários na boca do brasileiro para, logo mais, provocarem o desespero e lágrimas pelos bens devolvidos e leiloados. Caramba, quem não vê que o que se fez e faz produz o mesmo efeito que as drogas? Primeiro dão a sensação de alívio, de flutuação, de ausência dos problemas, para, enfim, trazerem o peso real da vida, a contuidade da alienação e a necessidade de flutuar indefinidamente. Que tristeza!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.