Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 4 de março de 2013

BRASIL. PIB PER CAPITA EM 2012 FOI DE 0,1%!


O PIB per capita, o líquido do crescimento, descontado o aumento populacional, foi de 0,1% em 2012.  Crescimento que considero como estagnação, pois é quase zero.  Os outros países emergentes, inclusive os nossos vizinhos latino americanos, batem de longe o crescimento do PIB brasileiro.  Vejam as explicações sobre o PIBinho, mas que não justificam, se considerarmos que o Brasil faz parte do bloco dos países emergentes. 

Diante da crise global que atingiu mais a Europa, grande parceiro comercial do Brasil, as exportações cresceram apenas 0,5%, numa taxa inferior à do PIB. Já as importações (que contribuem negativamente para o PIB, pois retrataram uma produção de bens e serviços realizada em outros países) também tiveram crescimento modesto: 0,2%. Folha.

O PIB (Produto Interno Bruto) é um dos principais indicadores de uma economia. Ele revela o valor de toda a riqueza gerada no país. Em valores, o PIB (Produto Interno Bruto, a soma das riquezas produzidas no país) somou R$ 4,4 trilhões no ano passado. Folha.


O PIB per capita (resultado da divisão do PIB pela população do país) cresceu apenas 0,1% no ano passado. "Em 2012, o crescimento populacional foi maior do que o crescimento do PIB", disse o coordenador de Contas Nacionais do IBGE, Roberto Olinto. Folha.



Para o Brasil, a consequência negativa mais palpável da nova conjuntura global foi a interrupção da escalada dos preços das commodities, ou seja, dos produtos primários de exportação como soja e minério de ferro. Antes de marolinhas ou tsunamis, o país surfava no boom das commodities, que sustentava recordes sucessivos das exportações e dava impulso ao crescimento da produção e da renda. Fonte: Folha.

O ministro Mantega vem dizendo que a tendência do crescimento do PIB em 2013 é de alta.  Ele se refere à tendência da curva de crescimento do PIB demonstrado no terceiro e quarto trimestre do ano de 2012.  Raciocina ele, que se mantido a mesma tendência, o crescimento do PIB no ano de 2013 será em torno de 3%.  

Acontece que no mês de janeiro, as contas externa do Brasil se deterioraram provocando déficit em transações correntes que ficou em US$ 11,371 bilhões, pior resultado desde 1947. E para completar o Brasil criou apenas 28,9 mil novos postos de trabalho com carteira assinada em janeiro, pior resultado para o mês desde 2009. São apenas, alguns dados que contradizem a expectativa do ministro Mantega.

Chamando atenção, novamente, o Banco Central, deu guinada no controle informal do câmbio, voltando a apreciar o dólar, em dezembro de 2012, voltando a balizar na banda informal entre R$ 1,90 e R$ 2,00.  A depreciação do câmbio, leva o País a incrementar importações e diminuir o volume de exportações.  Importações implica em PIB negativo, porque a riqueza é produzida lá fora.

O controle de câmbio, mantendo o real apreciado nos atuais níveis, vai trazer consequências desastrosas sobre a economia do País.  Os produtos primários e manufaturados que alavancam o crescimento do PIB, vão definhando. O crescimento do setor de serviços, devem acompanhar o crescimento do setor primário e industrial. Enquanto isto, com incremento de importações por conta do dólar depreciado, provocarão PIB negativo.  

As declarações da presidente Dilma de que o Brasil vai crescer pouco, mas de forma segura e sustentável, chega a ser uma afirmação ridícula, pois o crescimento real, per capita em 2012 foi de apenas 0,1%.  Tudo indica que o PIB deste ano repetirá, na melhor das hipóteses, igual a do ano passado.  Vamos torcer que o crescimento deste ano, per capita, não seja negativo.

PIB per capita de 2012 foi de 0,1% ao ano.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Um comentário:

  1. concordo plenamente que foi uma resposta, no mínimo, ridícula da presidente Dilma sobre o (não) crescimento do PIB. Falta de vergonha deixa-me indignada.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.