Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 19 de março de 2013

FAÇO PARTE DOS 37% QUE DESAPROVA GOVERNO DILMA!

A aprovação da presidente Dilma, está em 63%, considerado números acima da média, segundo Ibope.  Basicamente, a aprovação se deu em função da Bolsa Miséria, contas de luz e desoneração da cesta básica, anunciada com pompa pela presidente.  Estou entre os 37% que avalia a Dilma do regular ao péssimo.  Em clima de campanha antecipada, a presidente vai utilizando dos pacotes espumas, para consolidar, antecipadamente a sua popularidade.  

A pesquisa CNI/Ibope que mostra um novo recorde na aprovação do governo de Dilma Rousseff --chegou a 63% de "ótimo" ou "bom"-- aponta que o maior crescimento na avaliação do governo e na forma de governar da presidente, nos últimos três meses, ocorreu na região Nordeste. A forma de governar da presidente foi aprovada por 85% dos entrevistados residentes no Nordeste. Fonte: Folha.

A pesquisa capta o período em que começou a valer a redução de até 20% nas contas de lu de consumidores residenciais. Usada como forma de frear o crescimento da inflação, outra medida popular do governo, e mais recente, foi a desoneração da cesta básica. As duas medidas foram anunciadas pela própria presidente em pronunciamentos em cadeia nacional de rádio e televisão. Fonte: Folha.

Comentário.

A economia está no "ponto morto" há alguns meses.  Deu um respiro no mês de janeiro com o aumento do PIB em 1,29%.  Mas o crescimento não se sustenta.  A previsão otimista é que o PIB de 2013, cresça 3%, segundo o próprio Banco Central.  E também, previsão do próprio Banco Central é de que a inflação vai bater no teto de 6,5% no final do ano.  Torço para que os números confirmem.  Já estaria de bom tamanho.

No entanto, não vejo o horizonte da economia do Brasil, tão otimista.  Não creio no crescimento de 3% de PIB, nem no patamar de inflação no teto de 6,5%, como prevê o governo.  A economia está deteriorando rapidamente.  O próprio índice Bovespa é reflexo do quadro geral em 2012, e está no ponto morto, parou abaixo dos 60 mil pontos.  

Nos próximos meses vamos assistir a quebra de empresas imobiliárias como a PDG e MRV.  Bem, as empresas "X" do menino Eike Batista, virou saco sem fundo, absorvedouro de recursos públicos. As empresas JBS, estão igualmente entupido de financiamentos públicos, necessitando de novos recursos para manter-se em pé.  

A Petrobras e a Eletrobras estão com nível de geração de caixa muito baixa para continuar com os investimentos necessários na área de energia.  Poderemos ter os apagões. Ambas empresas estão chegando no limite de risco abaixo do recomendável pelas empresas de rating.  

Ninguém está chamando atenção, por enquanto, sobre o crescimento do déficit comercial, por conta do câmbio defasado.  Pouco se tem falado sobre desindustrialização do País, em função, também, do câmbio defasado.  Dentro de, no máximo, 3 meses, vai ter correria no governo.  O ministro Mantega, vai ter que apagar o incêndio, com mais um "jeitinho" provisório e precário, para equilibrar o balanço de pagamentos.  E assim vai ser o ano de 2013, apagando incêndios.

Infelizmente, estou fora dos 63% que aprovam o governo Dilma.  Muito pelo contrário, faço parte de contingente de pessoas que "desaprovam" veementemente a forma como governa a presidente Dilma.  Já escrevi 619 matérias criticando a forma com que governa a presidente Dilma. Gostaria de estar incluso no contingente majoritário.  Não precisaria estar escrevendo blog, que não é minha praia.  Infelizmente, tenho que estar em "prontidão".

Não faço parte dos 67% que aprova a presidente Dilma!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Um comentário:

  1. Esta senhora é uma vagabunda do pior naipe. O nível de mesquinharia é próprio de Dilma, que para ela um país administrado com pacotinhos e bolsas. Nada nesta mulher é digno de nora, com ela o ESTADO BRASILEIRO virou um chiqueiro imundo provinciano.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.