Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 14 de março de 2013

IDH DO BRASIL em 85ª posição. ISTO É UMA VERGONHA!


Apesar de ministro Mercadante contestar que o índice IDH do Brasil deveria subir 20 posições, em relação à 85ª posição atribuida pela ONU, não melhoraria muito a nossa posição em relação ao mundo.  A 65ª posição em IDH pertence à Malásia, um país considerado, em desenvolvimento.  Vejam a notícia e meus comentários na sequência.

O governo federal questionou os dados utilizados pelas Nações Unidas para o cálculo do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) brasileiro e afirmou que o resultado é "injusto" diante dos avanços ocorridos no país nos últimos anos. Fonte: Folha.

Segundo o ministro Aloizio Mercadante (Educação), se esse indicador fosse atualizado, o Brasil subiria 20 posições no ranking - o país ficou em 85º na lista divulgada nesta quinta-feira. Para ele, os cálculos referentes à educação ficaram "totalmente distorcidos".  Fonte: Folha.

"Se estamos tão bem no emprego, se distribuímos renda, se reduzimos de forma destacada internacionalmente a população de extrema pobreza, por que o indicador de IDH não reflete tudo isso que fizemos? Isso dá uma distorção brutal. A situação do Brasil é de estagnação quando houve uma inquestionável evolução", disse Mercadante. Fonte: Folha.

Comentário.

Não tem jeito, ministro Aloizio Mercadante, o Brasil tem 55 milhões de analfabetos funcionais, num total de população de 194 milhões, o que corresponde a grosso modo 25% dela.  Quando se trata de índice de escolaridade, o governo sempre recorre ao número de estudantes universitários.  Ninguém fala em ensino fundamental deficiente.  Ninguém do governo cita o número de estudantes no ensino médio. 

Enfim, estamos estamos atrás da Argentina (45ª), Uruguai (51ª), Rússia (55ª), México (61ª) e Perú (77ª).  Ganha do Brasil o Azerbaijão (82ª), Irã (76ª).  Logo depois do Brasil vem Jamaica (86ª) e Equador (89ª).  Digo, eu, que a avaliação é justa. Explico.

Bem, o Brasil não merece estar numa posição melhor.  Tem muito dever de casa a fazer.  Há poucos dias, a imprensa noticiou que tem sertanejos comendo ratazana para matar a fome, à despeito de R$ bilhões que destinam para combater a seca.  

A própria presidente Dilma, vangloria-se de o Brasil ter apenas 22 milhões de chefes de famílias miseráveis, num contingente de 88 milhões de pessoas, num conjunto de 194 milhões de população.  Grosso modo, em cada 3 pessoas, 1 ganha R$ 70 per capita mês.  Não estou aqui a passar a mão na cabeça dos governos que passaram, seja de que partido for.  O fato é que o Brasil tem, ainda, muito a fazer para merecer a posição melhor no ranking de todos os países do mundo.  

Vamos, em conjunto, reunindo os parlamentares de todos matizes, discutir a forma como melhor o Índice de Desenvolvimento Humano do Brasil?  Vamos eleger presidente da República que pense no País, antes de pensar, apenas, na sua popularidade?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Um comentário:

  1. ONCE UPON AT TIME IN THE RIO GRANDE DO SUL STATE! -BRAZIL

    O Rio Grande do Sul e seus municípios melhoraram suas posições com relação ao desenvolvimento humano na última década.

    O Estado passou de 0,753 em 1991 para 0,814 em 2000 e todos os municípios, sem exceção, aumentaram seus valores de desenvolvimento.

    Em 2000 nenhum município apresentou índice inferior a 0,665, ocasionando um acentuado aumento no número de municípios nas classes superiores.

    Em 1991, Porto Alegre com IDH-M de 0,814, era o único município considerado de alto desenvolvimento (IDH-M acima de 0,800).

    Em 2000 estes já somavam 175, concentrados principalmente nas regiões da Serra, Vale do Caí, Vale dos Sinos, Paranhana-Encosta da Serra, Metropolitana, Alto Jacuí e Fronteira Noroeste.

    Destacam-se os municípios de Bento Gonçalves, Porto Alegre, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Selbach, Ivoti e Veranópois que possuem índice acima de 0,850 =< Bem próximo do UK já em 2010.=>> 28ª em 2010 Reino Unido IDH = 0,863

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.