Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 29 de março de 2013

BRASIL da DILMA é PAÍS DAS MARAVILHAS!

Para tentar decifrar a polêmica criada sobre crescimento versus inflação, na fala da presidente Dilma, na reunião de cúpula do bloco informal BRICS, coletei trechos importantes dos noticiários que diz repeito ao tema em análise.  Não foi fácil, reunir, opiniões e ordená-las para melhor entendimento pelos leigos.  Como sempre, na sequência os meus comentários, preocupantes.


O governo Dilma embarcou em uma frenética operação de "controle de estragos" poucos minutos após a fala da presidente sobre inflação, em entrevista durante a cúpula dos Brics. Pouco tempo depois, a presidente resolveu culpar a imprensa. Fonte: Folha.

O que a presidente Dilma Rousseff disse na África do Sul sobre inflação e crescimento é rigorosamente o que ela pensa -e faz tempo, pelo menos desde que assumiu, há dois anos e três meses. A primeira mais firme manifestação de Dilma em favor do crescimento se deu, curiosamente, às margens de outra cúpula dos Brics, a de abril de 2011 na China.  Fonte: Clovis Rossi, colunista da Folha.

A presidente, visivelmente irritada, reagiu à pergunta da TV Globo: "Presidente, a senhora quer esclarecer sua fala sobre a inflação?". "A notícia que saiu é manipulada", disse Dilma. "Sou uma pessoa que até já escreveu que o combate a inflação é um valor em si; repudio a manipulação da fala." Fonte: Folha.

O Banco Central avalia que a redução da inflação este ano para um patamar próximo ao centro da meta estipulada pelo governo, de 4,5%, é um cenário "irrealista". A avaliação foi feita pelo diretor de política econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, nesta quinta-feira (28) durante divulgação do relatório trimestral de inflação. Fonte: Folha.


Após apresentar um calendário para aumentar, progressivamente, a alíquota do IPI para automóveis, o Ministério da Fazenda agora pensa em adiar a esperada elevação do imposto a partir de abril. A decisão será tomada até a próxima segunda-feira. O objetivo é manter a produção aquecida e conter a inflação, mas há dúvidas no mercado sobre o impacto da prorrogação. Fonte: Folha.

Com o aumento da pressão inflacionária, o posto da "musa" dos juros baixos da Caixa Econômica Federal, Camila Pitanga, pode estar ameaçado. A Folha apurou que gerentes de agências do banco receberam ordens de recolher folhetos publicitários em que a atriz aparece como garota- propaganda. Uma gerente afirmou que a imagem de Pitanga poderá ser usada apenas até domingo. Fonte: Folha.

Comentário.

Existe enorme distância em Dilma querer e a equipe econômica poder fazer. Não é uma tarefa fácil.  A equipe econômica, ao tentar fazer prevalecer a vontade da presidente, abandonou definitivamente um plano de desenvolvimento econômico e social, se é que tem algum.  Desde primeiro dia do governo Dilma, a equipe econômica está neste dilema.  E eu como engenheiro, com habilitação em economia e pequeno participante do mercado financeiro, venho sistematicamente fazendo crítica à política econômica (sic) da Dilma.

A dupla ministro Mantega e presidente do Banco Central Alexandre Tombini, vinha dando jeitinho nos primeiros 2 anos do governo Dilma.  Deram prosseguimento ao "plano de emergência" do presidente Lula, em 2009, para sair da crise financeira mundial de 2008.  Como qualquer plano de emergência, quando se torna uma política econômica definitiva, vai causando distorções difíceis de serem corrigidos, sem trauma.  O que Dilma abomina é uma operação traumática, para manter a popularidade em alta.

Pelo que pude perceber das últimas atitudes da equipe econômica, pós Durban, denota-se a continuidade da operações jeitinhos, que à essa altura se tornara "gambiarras".  Nada vai mudar no reino da rainha Dilma, vai continuar, basicamente, com o "plano emergencial" do presidente Lula de 2009.  A dupla Mantega/ Tombini, vão continuar fazendo ajustes aqui e acolá, deixando pendente os problemas cruciais como a desindustrialização e falta de infraestrutura logística.

Vejam as sinalizações:  1. Banco Central, admite, inflação acima do limite da meta de 6,5% ao ano; 2. Desonerações do setor automotivo, devem continuar; 3. O Copom aumentará a taxa Selic para conter inflação (sic); 4. O juros ao consumidor dos bancos oficiais, BB e CEF, vão subir; 5. Desonerações mentirosas, da folha de pagamento, substituídas pela alíquota sobre faturamento continuam;  6. Controle do câmbio nos atuais patamares permanece, com intervenções sistemáticas do Banco Central.  

Dentre todas preocupações, o que mais me deixa apreensivo, como analista e empresário, não é propriamente o aumento dos juros Selic, que é o foco principal dos agentes do mercado.  No meu entender, tem um grave problema que, até o final do ano, poderá explodir é a questão cambial.  Atrás deste, vem o resto.  O câmbio está, artificialmente, defasado como política do governo Dilma.  O dólar deveria estar, no mínimo, na banda de R$ 2,60 a R$ 2,70.  A cada dia que passa, o câmbio congelado, provoca mais distorções na economia.  Se explodir, não tem Banco Central que segure, apesar da Reserva Cambial confortável.

Enquanto isto, vamos vivendo o País do oba, oba, da gerentona Dilma Rousseff, presidente!  Rio ou Choro?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

3 comentários:

  1. Nobre Sakamori:

    Enfim uma matéria mais palatavel! Dara para fazer algumas considerações que talvez possam aclarar a cabeça de seus leitores, no tocante, a governabilidade!
    Primeiro, um conceito pessoal, a Predidenta necessita trocar sua equipe econômica, pela incompetência, honradez e falta de dignidade!
    Subservientes, estão lá para defenderem suas remunerações e, sabe-se lá mais o que!
    Deveriam para o bem da Nação, admitirem que devam sair, pois estão penalizando mais de 200 milhões de brasileiros com suas brincadeiras de economista ou executivo!
    Ainda creio que a Presidenta acalente na alma, os valores conquistados aí no Sul, e assim, continue sendo perseguidora do melhor para o país, pois, foi assim na nossa juventude, que ficamos em lados opostos! Convergíamos no objetivo, o Pais, mas na forma, divergimos, sou dos Governos Militares com muita honra!
    Hoje, temos um perfil monstrengo, com um congresso jurídicamente mais forte que o Executivo, pois, foi assim que fizemos a Constituinte, num regime Presidencialista! Ora, com um Congresso descompromissado com o interesse público, com seus ocupantes a defenderem suas empresas, seus negócios, e socializando os defícits, todos sabem no que dá!
    Quem senta hoje na cadeira de Presidente, fica a mercê da chantagem partidária para negócios, refém das indicações para os órgãos, refém para a realização de qualquer medida que venha ao interesse da população! Somado a isso, a voracidade dos agentes declinados, não na defesa de seus eleitores ou de seus Estados, mas de si próprios, de seus conglomerados e de suas famílias! Os valores que incidem em vocês aí do Sul, para elegerem homens comprometidos com o interesse público, infelizmente, não ocorre do lado de cá, e principalmente no Nordeste! O que manda é o maldito "social", e somado com a pouca educação, temos bancadas imensas eleitas pelas bolsas, pelas botas, por toda sorte de ações que subjulgam e aproveitam a fome desses infelizes!
    No Congresso, contra o atendimento de seus interesses, aprovam o que for preciso para saciarem seus infindáveis desejos de riqueza!
    No meu Rio de Janeiro, vejo um cara que deveria dar a vida pelo Estado, pois tirou-o da escuridão, e olha o que faz, como minha Petropolis, e com a região serrana !
    Recursos foram enviados em 2011, e no ano passado, fui visitar, e verifiquei, que absolutamente nada havia sido feito para minorar a dificuldade dos meus conterrâneos! Desvios começam nas Prefeituras, e aí vaí!
    Na enchente do Sul em 90, fui um dos que com Andreazza, alimentei financeiramente, recursos para essa região de trabalhadores honestos, e tive que enfrentar o Esperidião e o Amaralzinho, Sta Catarina, e Rio Grande do Sul, por haver mandado mais recursos para o Paraná de José Richa, e que no entender deles, não seria justo, já que pertenciam a Arena, e o Richa ao MDB ! Isso chegou a gerar uma fraze do Delfin para mim, face a pressão do Amaral que não viajava de avião e me ligava todo dia de manhã e a tardinha, me puteando, como dizem aí ! Disse-me o Delfin, então: "Markito não se preocupe, o Rio Grande do Sul é um país amigo, o Brasil mantém razoáveis relações de amizade !"

    Saudades desse tempo em que os recursos eram remetidos e utilizados para a sociedade !
    Já falei demais!
    Pedindo desculpas aquêles que não adimitem que possa ver virtudes em adversarios, lembro-lhes que, são adversários e não inimigos!

    A você,meu valoroso Samurai, meus agradecimentos pela oportunidade única de me permitir aproximar de você, pois representa o que há de melhor em nosso país!

    Esperando em Deus, o reconhecimento aos seus atos, auxiliando-o como a tantos outros que amam este país, a realização dos anseios, abraço-o afetuosamente, MARKITO DE SOUZA

    ResponderExcluir
  2. Prezado Markito,

    Conheci o ministro e coronel Andreazza, homem considerado à época como híbrido ou civil. Fiz muitas obras, à época, pelo Brasil a fora, sem pagar 1 tostão de propina, para ninguém do governo militar. Foi época da distensão. Ser militar de carreira, não é desonra, amigo!

    Quanto a minha posição em relação ao governo Dilma, não muda. Eles sabem porque não mudo. Continuo na "resistência".

    Este espaço continua livre para manifestações, mesmo que contrária a minha opinião. Tenho convicção de que isto é Democracia, com "d" maísculo.

    Ossami Sakamori

    ResponderExcluir
  3. Caros Saka, Markito,

    Como vcs sintetizaram a situação, nada mais me resta a comentar que vivemos hoje, o samba do economista louco, onde o rabo abana o cachorro. "Equipe econômica" é uma tremenda falácia,..melhor dizer "Equipe de marketeiros" que tudo fazem visando o maldito projeto de poder do PT que a tudo e todos arrasta em seu tsunami imoral, onde a ética como valor, foi levada de roldão pelas ondas de bandidos, que essa política asquerosa, permitiu instalarem-se nos feudos, que não visam a nação e seu povo e sim, suas transformações em espúrias moedas de porcas trocas.
    Quando governantes transforma-se em reféns de seus pares(e no caso do PT, ímpares também), nada teremos de resultados e atitudes, que levem, e conta o futuro. Tudo que enxergam é seu imediato umbigo, sempre sujo e vendido! E desta forma, a vida transcorre em um "bombeirísmo", pois todos se prestam unicamente a apagar incêndios.

    Brasil é um país de Tolos e cordeiros, ou melhor, de cordeiros tolos,...

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.