Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 2 de março de 2013

BOLSA EM BAIXA II. TODO CUIDADO É POUCO!


A análise que fiz sobre o mercado financeiro brasileiro, em geral e em específico sobre Bovespa, foi no sentido de fazer comparativo entre diversas bolsas do mundo.  Não levei em consideração, os detalhes da evolução do índice Bovespa, singularmente.  Meu leitor me pede para fazer a análise técnica sobre a evolução do índice.  vou procurar fazê-lo, resumidamente.

O investimento em ações, tem dois lados. O lado especulativo e o lado de investimento propriamente dito que visa o retorno financeiro em forma de dividendos.  Não existe classificação técnica, mas digamos que tem os "grafistas" e "fundamentalistas".  À rigor, não existe análise técnica.  Sempre tem componente especulativo. Se fosse como ciência, todos estariam ganhando.  Não teria pobre no planeta.  Nem teria havido, crise financeira global em 2008.  Perdoem-me os que pensam o contrário.

Aos grafistas não interessam muito sobre a empresa propriamente dita, os papeis servem apenas para especulação.  Aos fundamentalistas interessam a governança corporativa, a evolução do patrimônio líquido da empresa, os dividendos que distribuem.  Os primeiros são especuladores, que visam lucro ou prejuízo à curto prazo.  Os segundos são normalmente investidores institucionais, que esperam os lucros ou prejuízos à longo prazo, ou melhor à longuíssimo prazo.  

Como bem lembrou o leitor que fez comentário, na matéria anterior, o índice Bovespa tem anomalia.  O índice Bovespa é formado pela cotação dos principais papeis negociados, proporcionalmente ao volume negociado no último período considerado.  Há mudança na composição do índice de acordo com o aumento ou diminuição no volume de participação de cada empresa, de tempo em tempo.  Dentro deste critério, os papeis da Petrobras, Eletrobras, Vale, OGX, entre outros respondem pelos 50% do índice Bovespa.

Com anomalia ou sem anomalia, de certa forma, o índice reflete o cenário econômico do momento, considerado também expectativa do futuro próximo. Veja o que aconteceu com a Petrobras e Eletrobras.  O governo fez intervenção severa na administração impondo controle de preços.  Deu no que deu, despencaram os papeis dos setores de energia e petróleo.  

No caso da Vale e JBS, por exemplo, estão sendo afetados  sobremaneira pela intervenção do câmbio pelo BC brasileiro.  Se isto não é reflexo do cenário macro econômico, resultado da política econômica equivocada, teria que jogar no lixo, todo expertise acumulei ao longo dos 40 anos de atuação direta ou indireta no mercado financeiro.

Quando se quer informações detalhadas sobre perfomance de cada empresa que tem seus papeis negociados no BMFBovespa, não serei eu a fornecê-lo, pois não sou analista de todos os papeis.  Eu me atenho, apenas aos papeis que eu possuo no meu portfólio de investimentos.  Quanto aos papeis que não compõe minha carteira, acompanho-os en passant apenas para me manter informado do conjunto.  Cada corretora de valores tem em seu quadro, analistas que poderão fornecer informações detalhadas de cada papel.  

Bolsa é investimento de risco.  Investimento no curto prazo é como cassino.  Investimento de longo prazo é para pecúlio.  É importante lembrar que o mercado financeiro é um "bolha" alavancado em cerca de 9 vezes o valor da economia real.  Todo cuidado é pouco!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR.  Filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

2 comentários:

  1. Divirjo apenas da correlação feita por este analista, de que grafistas são especuladores e fundamentalistas não o são.

    Teremos especuladores em ambos os grupos, porém os grafistas acreditam que todos os fundamentos já está implícitos na análise história de um papel.
    No fundo, todos somos especuladores, pois especulamos a respeito do futuro, baseado ou em fatos passados, ou em fatos presentes...

    Obrigado

    ResponderExcluir
  2. Saka,

    Se partirmos do maléfico princípio que as principais "blue chips" brasileiras, Petrobrás e Vale, são empresas manipuladas pelo governo e administradas por sindicalistas no atacado e indicações políticas no varejo, veremos que esse lance de "bovespa" em última análise é uma falácia. Essa gente há muito deveria esta na cadeia!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.