Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 10 de março de 2013

DELTA CONSTRUÇÕES RECEBEU R$ 877 MI EM 2012!


Não tem erro, a Delta Construções, pagou propinas e ajudou, na forma de Caixa 2, para diversos governos das unidades da federação, além da União.  Sendo que os principais contratos foram celebrados com a União, sobretudo nas obras do PAC, conforme resumo levantado pelo Estadão.  Agora, veja os atos "estranhos" acontecendo, fora da vista dos eleitores.  

Mesmo com  fortes indícios de pagamento de propinas, em forma de Caixa 2, levantados pela CPMI do Cachoeira, num montante assombroso, os governos das unidades federativas e sobretudo da União, liberou para a Construtura suspeita montante que vai a R$ 877 milhões, segundo dados disponíveis nos portais da transparência. Vejam os detalhes nas notícias do jornal Estadão, conforme abaixo.

Mesmo com a crise provocada pelas Operação Monte Carlo da Polícia Federal, há um ano, a Delta Construções faturou R$ 877 milhões em contratos com a União, 12 Estados e o Distrito Federal em 2012 - segundo dados disponíveis em portais de transparência. Esse número pode ser maior, pois os valores estão em atualização. Fonte: Estadão.

O volume de recursos públicos recebidos pela Delta em 2012 corresponde a 55,5% do R$ 1,6 bilhão que a construtora havia faturado em 2011. Depois de três anos como empresa que mais recebeu recursos do governo federal, entre 2009 e 2011, a empreiteira caiu para a 10.ª posição ano passado. Fonte: Estadão.

Em fase final de processo de recuperação judicial, a principal empreiteira do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) faturou, só no ano passado, dinheiro público suficiente para quitar os débitos com credores privados. De acordo com documentos da ação que tramita na 5.ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio, a Delta deve R$ 566,5 milhões a 1.149 bancos, prestadoras de serviço, construtoras, metalúrgicas e outras empresas. Fonte: Folha.

Comentário.

Rememorando, a CPMI do Cachoeira, foi mandado instaurar pelo presidente Lula, para atazanar a vida do seu desafeto político, o governador de Goiás, Marconi Perillo.  Acabou que a CPMI andou levantando movimentação financeira, via empresas fantasmas do Carlinhos Cachoeira, num montante que vai além de R$ 450 milhões.  A investigação, se fosse tivesse prosseguimento, levaria fatalmente aos diversos palácios dos governos, inclusive ao Palácio do Planalto, nos períodos do Lula e Dilma.  

A investigação foi abortada, com a conivência de parte da oposição, terminando num "vergonhoso" relatório de 2 páginas, onde, em síntese dizia que não teria chegado a nenhuma conclusão.  Parte da oposição levou todos os dados colhidos pela CPMI à Procuradoria Geral da República, para, em querendo iniciasse o processo investigatório.  Pelo que tenho conhecimento, a PGR não tomou nenhuma iniciativa à respeito.  Talvez, convenientemente, esperasse o término das eleições de 2014, para fazê-la.  

O assunto é mais grave do que se imagina.  A presidente Dilma, na condição de Presidente da República, deveria ter instado a Procuradoria Geral da República, a prosseguir nas investigações de suspeição de corrupção ativa e passiva dos agentes públicos e privados, indicada na CPMI do Cachoeira.  A maior parte dos contratos suspeitos foram celebrados com a União, por isso o dever da iniciativa.  

Só uma razão faz com que a presidente Dilma não tome tal iniciativa, a de que as investigações poderia levar suspeição sobre lisura do Palácio do Planalto, no esquema da Construtora Delta.  Espero que o Procurador Geral da República, Amaral Gurgel, que já fez veemente acusações aos réus do mensalão, cumpra o seu dever cívico, novamente.  Seria oportuno que as investigações iniciasse muito antes das eleições de 2014, para não parecer casuísmo político.  

Viro mico, se as investigações começar, se começar, antes das eleições de 2014.  Motivos não faltam, a Delta Construções, suspeita de corrupção ativa, recebeu R$ 877 milhões, mesmo após o escândalo da CPMI do Cachoeira.  O contraventor Carlos Ramos, vulgo Carlinhos Cachoeira, ameaçou o PT, de que ele sabe de muita coisa sobre o tema Delta Construções.  Deveria PGR conferir, diante de fortes evidências.

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Um comentário:

  1. Saka,...uma das maiores cagadas do Lulla, foi forçar a barra na formação dessa CPI, a fim de atingir o Marconi Perillo. Quando percebeu que a farofa estava indo diretamente ao ventilador palaciano da Dilma & Cia, trataram de abafar tudo. Cavendish que é bom, foi a CPI dar um passeio e rever seus apaniguados. Talvez tenha aproveitado a viagem para pedir mais algumas obras e de quebra fazer alguns acertos espúrios, sua especialidade.
    Essa corrente é muito forte e baseada na lei do silêncio. Essa é a "omertá" tupiniquim. Imagine vc, se o Cachoeira que de bobo não tem nada, iria manter-se calado na Papuda a troco de nada,...para ele, pegar alguns meses de cadeia em troca de usufruir as benesses roubadas, é um preço razoável a ser pago, na boa,...
    Isso é na verdade o atual Brasil, um país de tolos,...

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.