Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Petrobras. Leilão do Libra tem baralho marcado!

As grandes petroleiras não querem perder tempo, nem dinheiro, em participar do leilão do pré-sal, campo de Libra, previsto para o próximo mês.  Aqui funciona, a espionagem comercial que todas empresas grandes fazem, independente de ser empresa americana ou não.  Eles decidem onde e como querem.  Leiam a notícia da Folha e na sequência o meu comentário, curto e grosso.  

Um sinal de que as petroleiras que querem "ganhar dinheiro" e não assegurar apenas reservas estarão fora do leilão do pré-sal veio nesta quinta-feira, com a desistência de três gigantes do setor: a norte-americana Exxon Mobil e as britânicas BP e BG.  A BG surpreendeu mais o mercado, já que é a principal sócia da Petrobras no pré-sal e vinha com um discurso de apostar no país e nessa nova fronteira exploratória. Fonte: Folha.

Comentário.

Todo mundo sabe, até o engraxate da BMFBovespa sabe, que o ganhador do leilão de pré-sal será empresa chinesa SinoChem e seus associados.  Eles tem informações privilegiadas sobre natureza geológica do campo de Libra.  E já vem preparando o plano de investimento desde início do ano.

Graça Foster, no início do ano, esteve na China, fora da agenda oficial, para tratar dos detalhes do leilão do campo de Libra.  Segundo engraxate da BMFBovespa, os chineses vão pagar sozinhos o lance de R$ 15 bilhões, apesar de Petrobras pela lei fazer parte do 30% do consórcio.  

O investimento para exploração do pré-sal do Libra é uma equação financeira difícil.  O investimento ao longo do período de exploração será entre US$ 450 bilhões a US$ 550 bilhões.  A Petrobras não tem dinheiro para fazer aporte da sua parte, os 30%.  Os chineses tem.  O faturamento bruto do pré-sal está previsto em US$ 1,2 trilhões.  

Ao largo da exploração do pré-sal no Brasil, as companhias americanas estão muito mais interessados na exploração do gás do xisto no próprio território americano, onde tem reserva estimado para os próximos 100 anos.  Além do mais, o risco de exploração é quase nula, uma vez que a exploração é na terra. 

O problema da exploração do pré-sal não é tecnologia.  O problema maior são os riscos que corre em exploração em águas aprofundas.  O BP e os EEUU sabem o risco que corre.  Não existe garantia de risco zero.  Já assistimos uma pequena amostra com o desastre do poço da Chevron/Petrobras.  Imagine, se a mesma situação ocorrer em águas profundas.  As grandes petroleiras sabem disso.  Os chineses nem tanto, porque para eles interessam apenas a parte do lucro, eventuais prejuízos com o risco ambiental que o governo brasileiro pague.

Após a descoberta da fórmula de exploração do gás do xisto pelos americanos, o petróleo do pré-sal passou de carne de primeira para carne de segunda.  O custo e risco em exploração na terra é muito menor que exploração em pré-sal.  Hoje, petróleo do pré-sal ficou relegado ao segundo plano para as grandes companhias de petróleo. 

Pensar que a Petrobras está fazendo licitação do Libra açodadamente para fazer caixa para cobrir o déficit público, com os R$ 15 bilhões do lance da licitação, é no mínimo cômico.  Tão cômico como não abrir mão de 10% de multa do FGTS para fazer caixa do Tesouro, embora indevidamente.  O desespero para cobrir a conta do rombo do Orçamento Fiscal chega a ser cômico, mais do que trágico!  

Ossami Sakamori

2 comentários:

  1. O que vem dando errado? apesar dos esforços da ANP, acredito que a estratégia brasileira está errada. Primeiro quando ouve o vazamento no Campo de FRADE. A Presidenta DILMA ROUSSEFF, mandou a Polícia Federal ir vistoriar até os funcionarios da Chevron em auto mar. Nomearam um delegado inexperiente, que junto com o Carlos Minc, fez uma série de entrevistas imbecis com o delegado, visando acharcar a CHEVRON. Essa sucessão de erros, além do fato da senhora Graça Foster, bater publicamente na gestão anterior da Petrobras, é óbvio que deixou o mercado perplexo, Indeciso, hesitante; espantado e atônito, com tanto amadorismo, tanta falta de respeito por quem é parceiro da Petrobras e do BRASIL. Só a CHEVRON, tem presença no Brasil desde 1915. Creio que se faz urgente suspender esse leilão de LIBRA. Pois estamos entregando tudo, a maior riqueza já descoberta no BRASIL, para ser de Chineses, Malasianos etc. Não se trata aqui de espírito de Xenofobia que significa aversão a pessoas ou coisas estrangeiras, mais sim de PATRIMÔNIO NACIONAL, riqueza que deveria sim ser explorada por empresas brasileiras, em parceria com estrangeiras. Quando estamos sendo espionados pela "NSA" em questões estratégicas já comprovadas, deveriamos enchergar a longo prazo. O Governo vem errando sistematicamente, e estar entregando tudo, dados, estudos, conteúdo estratégico, e não podemos hoje confiar mais em quem manipula essas informações. Pois o resultado já tá aí, é só vê o "modus operandi" do MENSALÃO. Isso já passou do sinal vermelho, e não se ver ninguém, nem oposição, nem governo discutir essas questões estratégicas. Isso pode levar o BRASIL a tornar-se um Grande Paraguai, e isso se nós, se ainda amamos essa Nação não podemos mais permitir. Já ouve abuso demais!
    MARCÍLIO NOVAES MAXXON
    Presidente da CONPETRO
    CONPETRO – Confederação Nacional do Petróleo,
    Gás Natural, Biocombustíveis e Energias Renováveis
    www.conpetro.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com o comentário abalizado do Marcílio, presidente da CONPETRO. Por que fazer leilão se Petrobras diz que tem "tecnologia brasileira" para explorar o pré-sal? Está atrás dos míseros US$ 15 bilhões para cobrir o rombo do Tesouro Nacional?

      Vamos lutar para cancelar o leilão do Libra, sim! Ou no mínimo postergar o leilão para 2015, após ampla discussão com a sociedade civil.

      Abraço!

      Excluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.