Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 15 de setembro de 2013

Corrupção no governo Dilma. Colocando os pingos nos is.

Falando francamente, tem manhãs que não sei se acordei no Brasil ou no Burundi, África.  Preciso chacoalhar a cabeça para entender que estou vivendo no Brasil desfigurado.  Não, não estou no Burundi.  

Tenho 45 anos de formado, com breves intervalos, atuando no ramo de construção civil e empreendimentos imobiliários.  Atuei fortemente, à época do regime militar como empreiteiro de obras públicas.  Entendo muito bem, o que significa carteis e sobre corrupção que assola o País. 

Já assistimos afastamento de um governador do estado do Paraná, ad nutum, pelo regime militar por ter tentado obter propina de uma grande empresa construtora do Paraná.  Por outro lado, já me foi oferecido à época, serviço de intermediação do escritório de um senador da República do estado de Maranhão.  

Já fiz denúncia sobre privatização da Vale do Rio Doce, pelo que respondi judicialmente, na condição de denunciante.  Os processos foram todos arquivados à meu favor.  Ainda bem, que as instituições da República funcionam, quando não estão contaminados.

Causa-me indignação e isto me deixa atônito, o número de ministros afastados no governo Dilma, apenas 9.  Eram denúncias de suspeição  de corrupção, mas nada foram apurados e nem processos judiciais foram abertos.  Do denunciante, certamente, será!

O caso mais grave da denúncia que resultou na demissão do ministro de Transportes Alfredo Nascimento, foi obras superfaturadas no montante global de R$ 46 bilhões, que foram utilizados para o cartel de empreiteiros financiarem a campanha presidencial de 2010.  Isto já foi denunciado por mim, neste blog.  Nada foi apurado, pelo contrário o processo foi arquivado, antes da denúncia pelo MPF.  

Agora, vem o caso do Ministério do Trabalho, sob responsabilidade do ministro Manoel Dias do PDT, partido que eu estou filiado.  Foi noticiado pela imprensa o desvio de R$ 400 milhões, apurado pela gloriosa Polícia Federal.  Os secretários do Ministério do Trabalho foram afastados.  Prenderam o dono da ONG, mas como sempre, os funcionários públicos envolvidos estão livres e soltos.  Apenas foram demitidos.  E o ministro do partido a que pertenço, PDT, continua no cargo, cumprindo o acordo de apoio à base parlamentar do governo Dilma.  Isto é normal?

Isto tudo que relatei é verdade.  Acho que estou vivendo no Burundi, uma republiqueta de 5ª categoria, situado no continente africano.  Ou tudo isto é mentira?   Já tem ditado que diz que mentiras repetidas acabam virando verdade.  Deve ser isto que está ocorrendo.  O povo já se acostumou com as mentiras.  O povo já se acostumou com a roubalheira.  Para completar, o lugar tenente do chefão da quadrilha, está a merecer uma segunda chance para se defender ao crime de quadrilha e de lavagem de dinheiro.  Pode isto?

Hoje de manhã foi pesadelo de novo.  Só espero um dia poder acordar no Brasil, não mais no Burundi.  Já não sei mais distinguir o Burundi do Brasil.  Quarta-feira próxima vou saber da minha sanidade mental.  Creio que preciso me internar no sanatório.

Ossami Sakamori

5 comentários:

  1. Não, não estamos no Burundi, pois lá o povo assume suas mazelas, aqui, a sociedade é cheia de empáfias, burguesa demais para assumir que o Brasil vive mergulhado na lama da mediocridade política. Parabéns pela sua denúncia do esquema de corrupção da Vale do Rio Doce, você mexeu com peixes bem grandes.
    Sabe o que mais me intriga? Vejo neste governo poucas denúncias de corrupção pela grande mídia, embora eu saiba que no governo Dilma há tanta corrupção quanto no governo Lula - não creio que isso seja um jogo de cintura da Dona Dilma, molejo político é coisa que ela nunca teve... Sei que este governo é protegido por inúmeros sites (GGN), blogs (Diário do Mundo) e revistas (Carta Capital e Isto É). Entretanto, há pouca denuncia e pior, os poucos escândalos divulgados têm pouca repercussão e duram pouco tempo, logo são esquecidos. Isso tem a ver com vultosas verbas publicitárias distribuídas pelo governo Dilma e, principalmente, os eventos da Copa do Mundo e Olimpíadas, que sustentam muitos interesses.
    A Copa e as Olimpíadas vão ajudar a garantir a reeleição da Dilma. Quando Dona Dilma for reeleita e esses grandes eventos passarem, vamos acordar do pesadelo, a crise vai explodir, os escândalos deste governo virão à tona, tudo tarde demais para salvar o Brasil. Repito: não estamos no Burundi ou na Argentina, Colômbia ou Venezuela - países mais parecidos com o Brasil, estamos no quintal do PT, o que é pior...

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o que o Alessandro postou, infelizmente. Mas nao podemos deixar que ossos esperanças se esvaiam. A Presidente Dilma nao sera reeleita, alguma coisa vai acontecer antes disso, tenho fé! Amigo, nao se entregue, assim como nao se desgaste, nao vale a pena. De uma trégua a si mesmo, para o seu bem! Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, Celeste, seu comentário é de grande importância. Invejo as pessoas de fé, o que me falta. Sim, vou refrescar um pouco mais a alma e acreditar que a mudança é possível - tem que ser possível. Acredito em suas palavras. Mais uma vez, obrigado.

    ResponderExcluir
  4. J B L - CURITIBA

    A corrupção na política e na administração pública no Brasil sempre existiu. O elemento novo é que agora está sendo investigada e revelada de modo sistemático e eficaz pelos governos petistas. Exatamente por essa razão ocorre uma maior percepção do problema pela sociedade.

    Mais que em quaisquer outros governos anteriores, o governo Lula combateu, e a presidenta Dilma vem combatendo, cotidianamente a corrupção no país, promovendo o controle do uso dos recursos públicos, a integridade institucional e a ética na administração.

    Não por acaso, o Brasil foi classificado em oitavo lugar em um ranking de 85 países que tiveram o grau de transparência do orçamento público analisado pelo International Budget Partnership (IBP), uma ONG com sede em Washington. Nesse ranking, somos o país mais bem posicionado da América Latina.

    Dilma Rousseff vai se reeleger presidente da República em 2014 por causa, daquele Brasileiros que nunca teve uma unica oportunidade na vida, os que vive nos grotões calcinados, da terra vermelha que entranha na pele, do matuto de fala de viés, da mulher de mãos de pedra.

    Muitos desses esquecidos por Governos anteriores, homens e mulheres viviam sem energia elétrica, meio palmo de tempo atrás. Agora, graças aos programas sociais do governo, eles dispõem de energia, uma casinha, um ganho mensal. Imagine que essas famílias, hoje, podem conservar seus alimentos numa geladeira. O homem pode beber sua cerveja gelada. A mulher pode guardar o feijão para o dia seguinte.

    Você que está acostumado com geladeira, com TV, com luz elétrica, com os confortos de uma casa bem montada. As pessoas das lonjuras do Brasil, muitas delas, não.

    É isso que reelegerá Dilma. A vida recentemente confortável dos que nunca tiveram conforto algum.

    Agora vai aí também uma crítica ao governo do PT. Porque o governo do PT, nesses três mandatos, não foi capaz de apresentar projeto algum. Um desanimador desperdício de popularidade, porque, com todo esse respaldo, Lula e, depois dele, Dilma, poderiam ter feito as reformas de que o Brasil necessita.


    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.