Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O QUE SÃO ABISMOS DOS EEUU?


Já estou no mercado financeiro desde 1971, quando comprei pela primeira vez ações como investimentos.  Quem me vendeu as ações, foi corretor meu amigo, me apresentou argumentos mil, com referência àquela companhia que estava eu a comprar ações.  Nos anos subsequentes aquela Companhia que eu tinha investido veio a quebrar e eu perdi a minha pequena poupança.  Foi a minha primeira experiência no mercado financeiro.  De lá para cá, já fazem mais de 40 anos, já mantive até uma distribuidora de títulos credenciado pelo BC, onde adquiri muita experiência. Hoje, sou apenas, pequeno investidor.  

Fiz este preliminar para tentar explicar sobre os "abismos" fiscais ou outras babacas que o mercado financeiro ou melhor os mega especuladores criam para ganhar muito dinheiro.  E põe muito dinheiro nisso.  São US$ bilhões que rodam, diariamente, no mercado financeiro global.  O termo "cliff" é coisa nova.  É coisa de americano.  Mais ou menos como "apocalypse now".  Explico o motivo.

Se as bolsas operarem em alta constante não dá margem para os mega especuladores ganharem dinheiro.  A regra do mercado financeiro é comprar na baixa e vender na alta.  Quando se tem apenas alta, não tem como fazer o giro para ganhar dinheiro, porque a regra é comprar na baixa.  De vez em quando, os mega especuladores criam os "abismos" para colocar o mercado em baixa. E a hora que os mega especuladores compram.  Compram daqueles pequenos investidores que vendem, com o medo dos "abismos". Entendido, então?

Quem conhece a história da democracia americana, que tem uma sequência de mais de 200 anos, sabe que tanto os republicanos ou os democratas, "nunca" vão deixar "quebrar" o País.  Não é nem questão de consciência mas apenas questão de "sobrevivência" deles próprios.  Eles fazem os próprios jogos políticos, até para poderem sair na mídia.  Eles fazem encenações, como fazem os políticos daqui.  Só que lá na terra do tio Sam, não existe Medidas Provisórias que o Executivo impõe ao poder legislativo.  As negociações são de polegada a polegada, cada um cede um pouco e afinal chegam ao meio termo.  Nem o ideal para os democratas, mas nem tanto ruim para os republicanos.  E assim, vão funcionar com os futuros "abismos", aliás, tão enfatizados pela Miriam Leitão da Rede Globo. A jornalista deve estar levando propina dos mega especuladores ou é uma "anta" de comentarista econômico.  

Entendido isto, os investidores em ações devem analisar o aspecto fundamentalista de cada papel (ações), baseado na governança corporativa da empresa em primeiro lugar, que em última análise significa transparência.  Os investidores devem estar atentos aos dividendos que as companhias distribuem anualmente. Devem observar se a companhia está sujeito ao jogo financeiro do grupo econômico que a controla.  Devem analisar o patrimônio líquido, o índice de liquidez, a geração do caixa, o índice de endividamento, o setor de atuação.  Enfim, são inúmeros considerandos que devem ser analisados, para colocar o papel no portfólio de investimentos.  A última coisa a considerar seria as cotações na bolsa, nos últimos não sei quantos anos.  Esta última forma de análise, quem sabe fazer são os famosos "grafistas". Estes últimos, são mais ou menos "cartomantes" da bolsa.

Vê lá o perfil onde se enquadra.  Você é fundamentalista ou grafista?  Você é investidor ou especulador?  Eis a questão, "ser ou não ser".  Se você é fundamentalista, nem dê bola para os "abismos" que são criados.  Se você é grafista, preste atenção em todos os "abismos" que estão a ser criados.  Você escolhe, a sua forma de viver, na essência.  Se é fundamentalista, dorme.  Se é grafista é sério candidato ao infarto de coração, convém providenciar o Plano de Saúde. 

Ossami sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Um comentário:

  1. Na verdade, trocando em miúdos, a bolsa é como um oceano, movida por tubarões e peixinhos. Um alimenta-se dos outros, que a longo prazo, sempre serão comida. Raramente um tubarão morre, ai os peixinhos fazem a festa, mas é raro,....

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.