Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

DILMA OFICIALIZA BOLSA EMPRESÁRIO



Mesmo sob pressão do Tribunal de Contas da União (TCU), o governo resolveu fazer uma reestruturação de parte da dívida do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com o Tesouro Nacional em condições mais vantajosas para o banco estatal. O secretário do Tesouro, Arno Augustin, confirmou à Agência Estado que a reestruturação foi feita para ajudar o BNDES na estratégia do governo de aumentar a oferta de crédito para investimentos. Fonte: O Estado.


Os primeiros financiamentos foram concedidos com uma taxa de remuneração que somava a variação da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais 2,5% ao ano. Com a reestruturação, a taxa de correção será apenas a TJLP, mesma remuneração que corrige os empréstimos mais novos. Desde 2009, o governo já autorizou o repasse de R$ 285 bilhões ao banco de fomento. A última parcela - de R$ 15 bilhões - foi liberada no último dia útil do ano que terminou. Fonte: O Estado.


A notícia acima não causa nenhuma surpresa, porque na prática, desde o governo Lula e agora com o governo Dilma, já vem concedendo empréstimos subsidiados, o grosso, para os empresários com trânsito no Palácio do Planalto, como os empresários Eike Batista e Henrique Meirelles (JBS).  A grande massa de empresários, cerca de 65.000 micro, pequeno e médio empresários, respondem apenas pelos 30% do bolo.  Um verdadeiro Robin Hood ao avesso.  Tira-se do pobre contribuinte para aquinhoar os amigos do Planalto.  O valor noticiado, R$ 285 bilhões, corrigido para hoje, deve alcançar perto de R$ 400 bilhões com encargos de juros para efeito do Tesouro Nacional.  

Presidente Dilma, já prometeu no final do ano passado, 2012, que o Tesouro Nacional, deverá aportar mais R$ 100 bilhões para o BNDES,  na mesma modalidade de empréstimo, no ano de 2013.  O dinheiro, o grosso, já está carimbado para os amigos do Palácio do Planalto.  Os 2 grupos citados acima, deverão receber cerca de 20% do total do montante do Bolsa Empresário.  Anotem, que os novos financiadores da campanha de reeleição da Dilma vão ser os beneficiários do Bolsa Empresário, em forma de doação oficial ou mesmo via contas no paraíso fiscal.  Vocês verão cavalo descendo a escada, ainda, como já dizia o Ibraim Sued, o colunista. 

Hoje é apenas, dia 2 de janeiro do ano novo.  Vamos colocando, as matérias, de leve.  Mas, a presidente poderá esperar muitas críticas, construtivas, para o seu governo.  Se ela vai seguir ou não as minhas receitas, eu não saberia dizer, mas que vai ouvir, vai.

Amanhã, não terá postagem de nova matéria. O blogueiro em viagem. 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

3 comentários:

  1. Enquanto isso... o grosso dos votos que elegeram a Dilma recebe migalhas da bolsa familia.
    Para mim, tanto a bolsa empresário(BNDES) e bolsa família são injustas pois a 1ª beneficia, como explica o texto, os empresários que depois beneficiarão as campanhas(nova fórmula de caixa 2), e a 2º que é a bolsa família, é uma ajuda sem data para terminar. Com isso, muitos nem trabalham acostumados na pobresa. Ainda tem o salário para a família de presidiários que era de +-R$700,00. Conclusão, tudo é compra de votos para perpetuar-se no poder aproveitando do analfabetismo político do brasileiro(a).

    ResponderExcluir
  2. Tu és muito gentil, Saka. De leve... Abs.

    ResponderExcluir
  3. O ano é novo, mas os xavecos são veeeelhossss... E depois, os bons exemplos infelizmente não são seguidos. A corrupção está em toda parte, em todas as classes. O pobre coitado se acomoda com a bolsa família e os políticos se apoderam do nosso dinheiro sem vergonha, sem nenhum pudor... Descaradamente.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.