Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

DILMA, GAMBIARRA DE NOVO COM A PETROBRAS?


Vejam o que aconteceu na Bovespa, ontem.  É mais ou menos como tragédia na boate de Santa Maria, estou a chamar atenção sobre o sucateamento da Petrobras há muito tempo.  Inúmeras matérias foram postadas, com os detalhes dos motivos que levaram a Petrobras à essa situação.  O mercado, começou a perceber, a grande furada da política econômica do governo, com relação à Companhia.   Aproveito na sequência, para comentar sobre o reflexo do aumento da gasolina na economia como todo.

O Ibovespa --principal índice de ações da Bolsa brasileira-- fechou esta quarta-feira (30) em queda de 1,77%, aos 59.336 pontos, sua menor pontuação de fechamento desde 13 de dezembro do ano passado, quando atingiu 59.316 pontos. Fonte: Folha.

O movimento teve forte influência das ações preferenciais (as mais negociadas na Bolsa, sem direito a voto) e ordinárias (com direito a voto) da Petrobras --que possuem forte peso no índice--, as quais caíram 4,76% e 5,12%, nesta ordem. Fonte: Folha.

Os investidores refletiram o reajuste no preço dos combustíveis, anunciado ontem pela empresa, quenão foi suficiente para zerar a diferença entre o valor pago pela Petrobras para importar gasolina do exterior e aquele cobrado por ela no mercado brasileiro. Fonte: Folha.

O pior de tudo, não foi só isto.  A Dilma mandou a dupla Mantega e Tombini, fazer uma "gambiarra" no câmbio para tentar minorar o problema da defasagem do preço de combustíveis, puxando a banda cambial informal para um degrau abaixo, ou seja entre R$ 1,90 a R$ 2,00.  É aquela história, pior "emenda" que o "soneto".  É um erro primário querer resolver o problema da Petrobras da Graça Foster, fazendo apreciar ainda mais o real, que já está super apreciado.

O parque industrial brasileiro já estava sofrendo com a apreciação do real, perdendo competitividade lá fora devido, sobretudo a defasagem cambial.  A participação do setor industrial no PIB brasileiro passou de 25% para 17%, no período Lula.  Fala-se muito em custo Brasil, mas o maior custo vem do ônus de industrias terem que aguentar a defasagem cambial, iIndo direto na ferida.  Fazemos exatamente o contrário do que fazem os chineses.  Os chineses lutam para manter a sua moeda Yuan (Ren Min Bi) altamente depreciada.  E eles, crescem no mínimo 7,8% ao ano.  Quem está com a razão? Brasil ou China?

Isto tudo é problema menor.  Já falei que estamos com economia "engessada".  Uma das camisas de força é a defasagem cambial.  Com a recentíssima medidas do Banco Central, a defasagem cambial estará no patamar de 40%.  Imagine, quando tiver que soltar o câmbio com uma defasagem desta.  Vai haver uma explosão, em tudo quanto é lugar.  Saiam de baixo.  Vai ser como saída do Plano Cruzado do governo medíocre do Sarney.  Não se tem com prever as consequências.  

Dilma, gambiarra de novo com a Petrobras?

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12 

Um comentário:

  1. Saka,..a Petrobrás nada mais é do que a ponta visível do Iceberg. Mostra-nos claramente o estilo estatizante e burro das esquerdas administrarem a coisa pública, como se fosse propriedade do partido e suas obtusas ideias.

    Se olharmos para qualquer outra empresa(Vide Eletrobrás,por ex.) encontraremos o mesmo nível de problemas e resultados, as vezes até piores, pois as mesmas não tem um produto tão valorizado como combustíveis para vender.

    Os fundamentos da estabilidade econômica, sob os quais apoiam-se o Real são: Cambio Flutuante,Superávit primário e controle das metas de inflação! Diga-me qual deles esta no trilho? Nenhum! Portanto, como digo, Petrobrás é só a ponta mais visível do anunciado desastre que enfrentaremos em breve. O barco sendo tocado por Mantega(rançosa) e Dilma(incompetente), certamente vai acabar naufragando!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.