Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Petrobras está com bomba no colo!


O preço do petróleo do tipo Brent abriu em Londres com a ligeira baixa em relação à cotação de ontem, hoje, cotado a US$ 52,90.  Isto significa que o barril de petróleo tipo WTI deve abrir em Nova York em torno de US$ 48 o barril. Notícia é alarmante para a Petrobras. Notícia vem somar aos da Operação Lava Jato deflagrado para apurar a ladroagem na Companhia.

Ontem, em função do preço do petróleo, até o índice Dow Jones caiu. Igualmente, aqui no Brasil o preço das ações da Petrobras tipo PN caiu para R$ 8,61 com baixa de 8,01% em relação ao fechamento anterior.  Hoje, com a abertura do preço do petróleo Brent em queda, as ações da Petrobras continuarão em queda. Digamos que o mercado está em pânico com a desvalorização das ações da Petrobras.

No dia 4, domingo, este blog fez uma ampla análise sobre situação da Petrobras colocando em primeiro plano a situação da Companhia em relação à Operação Lava Jato e sobre as consequências do petróleo barato para o Brasil e especificamente para a Petrobras. Nunca, nenhuma mídia de circulação nacional tinha feito análise sobre o assunto como este blog fez. Reproduzo a parte referente ao petróleo barato, na íntegra, para os leitores entenderem que tudo isto que está acontecendo no mercado de ações era previsível. Bastava uma leitura atenta para a matéria deste blog. 

O quadro que encontramos ontem, está mais feio do que o previsto na matéria de 4/1/2015 deste blog. O preço internacional do petróleo continua em queda. Pelo visto, a determinação da OPEP em baixar o preço internacional do petróleo em patamares que inviabilizam as empresas que operam alternativas de exploração com custo alto veio para ficar. O objetivo da OPEP é tentar barrar a concorrência do petróleo do xisto dos EEUU e de campos de petróleo de custo mais alto como o do pré-sal. 

Hoje, se seguir a tendência de queda de ontem, o preço do petróleo tipo WTI - West Texas Intermediate, deverá fechar ao redor de US$ 45. Explico. O preço de referência para o tipo de petróleo do pré-sal como o nosso é o do WTI, a mais barata, por ser óleo de pior qualidade do que o do tipo Brent do Mar do Norte. Azar duplo para a Petrobras e para os brasileiros.

Conforme já foi dito na matéria anterior, a própria Petrobras gabava-se de que o petróleo do pré-sal tinha custo de exploração muito barata, isto é US$ 45 o barril. Opinião dos institutos independentes, como já comentado o custo do pré-sal varia entre US$ 45 a US$ 60. Está aqui o motivo para o pânico sobre ações da Petrobras.  O custo de exploração do pré-sal estava barato ao preço do petróleo tipo WTI nos níveis de US$ 95. Não há, no Brasil, a alternativa energética que substitua o petróleo, no longo prazo e nem no curto prazo. 

Para a azar do Brasil e azar da Petrobras, o petróleo mais barato, o da camada pós-sal está com a produção em declínio, com tendência à exaustão no médio prazo. A Petrobras produz hoje cerca de 1,9 milhão de barris dia equivalente em óleo no pós-sal e 600 mil barris dia de óleo do pré-sal, com tendência de aumento de volume de exploração no segundo caso. 

Lembrando que a Petrobras é detentora de 5 bilhões de barris de petróleo do pré-sal, que a União entregou à Petrobras por ocasião da última capitalização da Companhia. O petróleo do pré-sal do campo de Tupi foi entregue à Petrobras ao custo de US$ 5,85 o barril. Pois este é o custo que a Petrobras deve adicionar ao preço de custo de exploração que a própria Companhia, que declara ser de US$ 45. Na prática, o custo de exploração do pré-sal, do campo do Tupi, segundo dados da própria companhia, é de no mínimo US$ 50,85.

Comparando o custo de exploração do pré-sal do campo de Tupi que é de US$ 50,85 o barril com o preço internacional do petróleo do tipo WTI em torno de US$ 48 o barril, hoje, significa que a exploração do pré-sal do campo Tupi é comercialmente injustificado. Como a Petrobras tem o monopólio da exploração e refino do petróleo, mesmo sendo inviável comercialmente a Companhia poderá continuar explorando o petróleo do pré-sal do Tupi no prejuízo. A União fará com que os consumidores paguem a conta da diferença.

Lamentável que o prejuízo virtual da exploração do petróleo da camada pré-sal tão festejada pelos presidentes Lula e Dilma deverá ser arcado pelos consumidores de combustíveis, na bomba. A Petrobras por outro lado, só não vai para a falência porque os consumidores de combustíveis no primeiro momento e o conjunto da população brasileira pagarão pelos erros cometidos pelos presidentes Lula e Dilma em açodadamente partir para investimentos pesados em pré-sal. Como sempre, a conta é do contribuinte!

Na sequência, leiam a matéria postada no domingo, dia 4, já prevendo o quadro desenhado sobre a consequência do petróleo barato no mercado internacional de petróleo.

Isso é o capítulo referente à Operação Lava Jato
Mas tem muito mais coisas a considerar.

Outro capítulo tão importante para a sobrevivência da Petrobras se refere à baixa do preço internacional do petróleo. Nos últimos 6 meses, o preço do petróleo no mercado internacional caiu cerca de 45%, sendo o óleo tipo Brent cotado a US$ 60 e WTI cotado a US$ 55. As notícias internacionais consta que a OPEP que controla boa parte da produção do petróleo no mundo, 30 bilhões de barris, não vai diminuir a produção para retorno do preço aos níveis de 1 ano atrás. 



Segundo notícias internacionais, o movimento de baixa de petróleo deve perdurar pelo menos mais 2 anos. Explica-se. A OPEP vê como possíveis concorrentes as empresas que operam na exploração de gás do xisto e empresas que exploram os óleos nas camadas mais profundas. O nível de preço que a OPEP quer praticar, os atuais US$ 60 para Brent e US$ 55 para WTI tem como objetivo inviabilizar ou quebrar empresas que estão operando em alternativas aos petróleos mais baratos como são os da Organização. Este é o caso da Petrobras.

Se por um lado, o petróleo mais barato é benéfico para o Brasil que ainda depende de importação de petróleo, cerca de 1 milhão de barris dia, diferença entre o consumo estimado em 3,5 milhões de barris dia e produção de 2,5 milhões de barris dia equivalente em óleo, o preço baixo do petróleo é altamente prejudicial à Petrobras. É um paradoxo, porque para o País é benéfico por ser importador, mas é altamente prejudicial à Petrobras como produtora de petróleo do pré-sal.



Explica-se. Apesar da Petrobras dizer que o custo de produção do pré-sal é de US$ 45 o barril, consultores independentes estimam que o custo de produção do pré-sal pela Petrobras gira entre US$ 45 e US$ 60 cada barril. Digamos o preço internacional do petróleo do tipo pesado WTI sendo cotado a US$ 55 apenas cobriria o custo de produção do pré-sal brasileiro. Se bobear ou ainda se o preço do WTI cair um pouco mais do que o atual R$ 55, o pré-sal brasileiro ficará inviável comercialmente enquanto perdurar o petróleo barato no mercado internacional.

A Petrobras está produzindo cerca de 600 mil barris dia de óleo do pré-sal atualmente e a tendência é de aumento de produção neste segmento de exploração. A produção do petróleo do pós-sal está se exaurindo. Significa que o petróleo que traz lucro para a Petrobras está acabando e estrará em operação o petróleo do pré-sal, que na melhor das hipóteses vai empatar com o preço internacional ou inviável comercialmente. 

Lá se vão os sonhos dos royalties do pré-sal para financiar educação e saúde dos brasileiros. O tão esperado e festejado pré-sal do campo de Libra ficará a exploração jogadas para calendas gregas. Explica-se. Os anglo-holandeses Shell, a francesa Total e os chineses CNOOC, majoritários no campo de Libra com 60%, vão postergar os investimentos pelo menos enquanto perdurar o petróleo baixo.  A Dilma, os governadores e prefeitos que tirem logo o cavalo da chuva!



Ainda que o petróleo é uma riqueza finita, há muito petróleo barato no mercado internacional, além dos campos da OPEP. Os campos de pós-sal na costa ocidental africana, localizados entre costas da Nigéria e da Angola, tem reserva em abundância a custo de produção baixa, cerca de US$ 20 o barril. Apenas como comentário extra, a Petrobras entregou de mão beijada os 50% de participações nos campos de petróleo barato na costa ocidental da África para o grupo BTG-Pactual do André Esteves, sem licitações, ao preço de banana.



Quando a Refinaria Abreu e Lima e o COMPERJ entrar em operação, teremos o refino do petróleo o mais caro do mundo. Segundo consultores independentes, o custo de produção do petróleo das duas unidades em questão não sairá por menos de US$ 60 o barril de petróleo bruto. Economicamente seria mais barato e lucrativo para a Petrobras comprar os combustíveis e petroquímicos prontos do que processados nas refinarias da Petrobras. Seguramente, o consumidor pagará a conta da ineficiência da Companhia, novamente.


A perdurar o quadro de preço do petróleo no mercado internacional, literalmente, a Petrobras será uma empresa inviável sob ponto de vista da OPEP.  A Petrobras é uma Companhia com muitos problemas sob aspecto de governança corporativa.  A Petrobras é a cara do governo da presidente Dilma, um "pato manco", com certeza. A Petrobras com a confirmação da Graça Foster no comando continuará sendo o "mico" do mercado.


Petrobras é o retrato da Dilma!

Ossami Sakamori

17 comentários:

  1. Parabéns. Bela análise. E como muito bem mostrado, a Petrobras encontra-se no fio de uma navalha. Somando-se ao episódio da Lava-Jato- que por si só já causou um desastre -, veio agora mais essa: a redução drástica do preço do petróleo no mercado internacional. De fato é uma bomba prestes a explodir.

    ResponderExcluir
  2. Prof., grata pelas explicações. O governo petista fará de tudo para esconder do povo brasileiro mais esta sua incompetência ... Lembro-me do PROALCOOL, pena que esta alternativa foi abandonada. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Lula e Dilma conseguiram acabar com a Petrobras, um ex-orgulho nacional. Ondas de pessimismo rondam os céus do Brasil, com a perda da credibilidade internacional, mas ainda brilha para 53 milhões de irmãos brasileiros a estrela vermelha solitária, agora encurralada. Acho que deste ano não passa, já antevejo as algemas nos pulsos dos dois.

    ResponderExcluir
  4. A Petrobras sangra, ferida mortalmente! E pra ser salva vai custar o nosso sangue.
    O pré sal sempre foi o discurso da picaretagem.
    Pena estarmos num país de analfabetos.

    ResponderExcluir
  5. O Presidente da República poderia ter seus bens bloqueados pela justiça quando ele e sua equipe tomasse decisões equivocadas "de propósito", lesando o povo brasileiro. A maioria de nós não demos aval para Lula e Dilma aventurarem-se em assuntos como o pré-sal. Se leitor leigo como eu já desconfiava que isso iria dar errado pois países ricos e com tecnologia avançada não se preocupavam com pré-sal por que o Brasil atrasado em tudo quis sair na frente? Agora que, como prevíamos, deu errado temos que pagar a conta? Lula e Dilma que vendam seus bens e depositem na conta da União.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que a quadrilha está vendendo nossos bens e depositando em paraísos fiscais...

      Excluir
  6. A queda abrupta e duradoura do barril do Petróleo trará impactos que ainda serão difíceis de mensurar. A fraude na Petrobras mostra a incompetência do PT em focar em gestão; acharam que a fonte era permanente.

    ResponderExcluir
  7. Cadê os guardiões da Pátria (FA) ?
    Morreram,foram compradas ou se fingem de mortas (como o Lulalá)?
    Ninguém vai tomar providência contras esses lesa-pátrias,travestidos de patriotas,que não passam de comunistas,que desviam fortunas do País?
    ACORDA,BRASIL!

    ResponderExcluir
  8. Analise profunda e perfeita, parabéns!
    Seria ótimo se essa bomba explodisse em cima da Dilma,do Lula, da Foster e seus asseclas, não sobre o povo que ,como sempre,arcará com as consequências dos desmandos,roubos e erros desse desgoverno petralha.

    ResponderExcluir
  9. O destino da PTROBRAS não podia ser outro.
    Usaram a empresa para se locupletar,entumescer suas contas particulares no exterior,arrumar dezenas de arapucas com desvios de dinheiro público e agora vêm com conversa de donzena para fazer boi dormir...

    ResponderExcluir
  10. esse termo 'pre-sal' é um termo fantasioso que foi criado por técnicos-marketeiros com o intuito de enganar todos, inclusive os mais esclarecidos... É um termo com muito significado mas totalmente fantasioso, como 'casa mal assombrada' ou 'super-homem', 'amigo-da-escola'. O termo pre-sal deveria não ser utilizado, e aqueles que o utilizassem deveriam despertar suspeita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A PTrobras mente tanto como a demente bulgara. Não existe alguma produção de pré-sal, pois ela se encontra a mais de 7 mil metros!

      As reservas do pré-sal encontradas no litoral do Brasil são as mais profundas em que já foi encontrado petróleo em todo o mundo. Representam também o maior campo petrolífero já encontrado em uma profunda região abaixo das camadas de rochas salinas ou evaporíticas.

      Camadas semelhantes de rocha “pré-sal” são encontradas em alguns outros locais do mundo (litoral Atlântico da África, Golfo do México, Mar do Norte e Mar Cáspio). Em algumas dessas regiões foram encontrados “indícios” de petróleo em camadas rochosas pré-sal.

      A grande polêmica está justamente na tecnologia que será necessária para a extração. O Brasil ainda não dispõe de recursos necessários para retirar o óleo de camadas tão profundas e terá que alugar ou comprar de outros países. O campo de Tupi, por exemplo, se encontra a 300 quilômetros do litoral, a uma profundidade de 7.000 metros e sob 2.000 metros de sal. É de lá e dos blocos contíguos que o governo espera que vá jorrar 10 bilhões de barris de petróleo.

      Portanto, não há pré-sal por falta de tecnologia!

      Excluir
  11. Já começou a custar o sangue das pensonistas, o salário desemprego e os abonos salariais. O que economizaram nisso; doaram para a Petrobrás!

    ResponderExcluir
  12. Belíssima explanação Profe. Saka, pena que quando passamos a entender realmente sentimos a dor que o desgoverno nos dá. É uma pena que sempre quem paga a conta da pouca vergonha, é sempre a mesma classe social, aquela que trabalha e que tem vergonha até de falar Pré- Sal. Será que algum dia as coisas mudam ? Será que algum dia vai ter Lula e Dilma e o resto da quadrilha de malfeitores atrás das grades ? Acho que a primeira pergunta que eu deveria fazer era: Será que teremos LEI ? Eu gostaria de pensar que sim

    ResponderExcluir
  13. Aqueles que dizem que a empresa esta no fundo do poco seria bom que se lembrassem que a culpa dessa bancarrota nao e da empresa e sim de Lula e Dil-ma e daqueles que esses dois escolheram para rouba-la de todas as formas para enriquecer a gang. Noticias recentes dao conta de que Lula intimou Paulo Roberto Costa a dar UM MILHAO de reais para as escolas de Samba do RJ. Com que autoridade esse traste intima? Ate aqui a estrategia do PT esta sendo um sucesso pois todos os eles estao ricos e esbanjando alegria e cinismo. Basta ver o nivel dos novos ministros escolhidos, todos meliantes e militantes, ja mostrando claramente a que vieram. Agora teremos pela frente a CENSURA, digo, REGULACAO DA MIDIA, que e a prioridade UM, para que os roubos, propinas e infamias nao sejam divulgadas e o povo permaneca na inercia. Funcionou ate aqui por que nao continuar com a roubalheira institucionalizada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paisinho de m...
      Comunistas petistas fdp...
      Entregam até a mãe por dinheiro...
      Lesa-pátrias.
      Por que o Obama não manda invadir logo essa nhaca?

      Excluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.