Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

SOS OBESOS. A luta não terminou!


A aprovação da volta dos inibidores de apetite não têm qualquer relação com lobby de laboratórios, com candidatura do deputado Beto Albuquerque e muito menos com qualquer tipo de desrespeito à Anvisa. 

O resultado da votação do dia 2/9/14 foi fruto de uma batalha de três anos, feita por um grupo de obesos absolutamente prejudicados com a suspensão do tratamento adequado. 

Foram horas e horas de mensagens pelas redes sociais e ligações telefônicas ao Senado e Câmara Federal, implorando a volta dos nossos medicamentos. Para muitos jornalistas e apresentadores de TV que têm abordado o assunto, geralmente de forma superficial e até preconceituosa, eu explico o seguinte: a obesidade não é fruto de relaxo, de preguiça ou simplesmente de gula! 

A obesidade é uma patologia séria, provocada por problemas metabólicos, glandulares, hormonais e emocionais, que traz consigo outras várias patologias como consequência, a exemplo do diabetes, hipertensão arterial, alguns tipos de câncer, entre eles o de mama, e muitos problemas relacionados à artrose. 

Faço parte de um grupo de 4 mil pessoas, que suplicamos aos senhores senadores e deputados federais, durante esses longos 3 anos de proibição, pela inclusão dos projetos na pauta e a respectiva aprovação. 

A Anvisa é uma agência reguladora e o Senado entendeu que, como reguladora, foge de suas prerrogativas o proibir que um medicamento seja prescrito por profissionais especializados. 

Quem cuida do paciente, a Anvisa ou o médico que o acompanha? Sem contar que, em mais de 50 anos de utilização, não há registros de efeitos colaterais fatais, muito pelo contrário. 

Durante esses 3 anos, pessoas sofreram infarto com o ganho de peso, entraram em depressão, perderam cônjuges, sofreram AVC, morreram com cirurgias bariátricas; Que poder a Anvisa tem que decidir que mais de 50 milhões de pessoas passem por isso? Alegar que não há estudos, é MENTIRA da Anvisa, porque os estudos existem, feitos e devidamente enviados pela ABESO e ABRAN, mas, para complicar, o senhor diretor da Anvisa, Dirceu Barbano, que não é nem médico, mas farmacêutico, não aceita. 

Ele quer que os laboratórios façam isso. E volto a perguntar: quem acompanha e tem competência para PRESCREVER ao paciente, o médico ou o laboratório? 

Para finalizar, o deputado Beto Albuquerque nunca sequer pensou em usar o assunto para promover a própria eleição, porque quando redigiu o Projeto de Decreto Legislativo em questão, ninguém sabia que ocorreria a fatalidade com o governador Eduardo Campos. 

O deputado Beto Albuquerque foi um que se sensibilizou com a nossa situação e, como o deputado Felipe Bornier, autor de um projeto de lei sobre o tema (2431/11), teve COMPAIXÃO da nossa situação.

Aliás, o PL.2431/11 é a garantia da permanência dos medicamentos no mercado e foi covardemente brecado na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados pelo deputado Dr. Rosinha! A nossa luta continua pela derrubada desse recurso desumano e absolutamente voltado a interesses políticos e a ida do PL ao Senado!


Assino em baixo!

Ossami Sakamori


7 comentários:

  1. O Decre Legislativo foi sancionado pelo Renan Calheiro, presidente do Senado e publicado no Diário Oficial.

    Ainda falta, tramitação na ANVISA. Esperamos que o chefe da ANVISA não invente mais moda, sobre os inibidores de apetite.

    ResponderExcluir
  2. Depois de muita luta , estamos a um passo para termos uma medicação eficaz novamente , agora que foi promulgado o decreto PDS52 ainda estamos dependendo da ANVISA que esta dificultando a vida de pacientes obesos , o diretor Dirceu Barbano insiste em dificultar a saude da população, não podemos esperar , a saúde esta debilidade pelo excesso de peso e corremos sérios riscos sem este tratamento que sempre nos ajudou contra esta maldita doença , obesidade mata e não espera ! Precisamos dos inibidores urgente .

    ResponderExcluir
  3. Só quem é obeso pode saber da nossa luta,sofremos a 3 anos com a falta dos nossos medicamentos,obesidade é uma doença cronica que como tal deve ser tratada com medicamentos,isso nos foi tirado,foi tbm tirado nosso direito a uma vida melhor e com saude,obesidade mata

    ResponderExcluir
  4. Lamentavel a atitude do sr.dirceu barbano o q pode estar ocorrendo atrás disso? Profissionalismo está longe de ser. Só uma CPI na anvisa dirá. Enquanto especialistas passam a vida estudando e batalhando nos consultórios ao lado do doente o diretor da anvisa prescreve o q julga ser o melhor. Lamentável mts jornalistas imaturos q se julgam melhor q os médicos, falando o q o doente deve fazer,ISSO É CRIME. Me orgulho do beto albuquerque cm politico mostrou q tem capacidade e caráter. Viu a luta dos obesos e não pensou duas vezes em ajudar fazendo o pds. Pedimos para tdos ele nos ouviu. E não foi ontem ja faz tempo. Então o melhor e o certo deve ser feito deixem q os médicos junto com seus pacientes saiba o q é melhor para cd um.

    ResponderExcluir
  5. Seria muito interessante que a imprensa, como um todo, procurasse ouvir gente séria e que esteve à frente desse movimento desde a maldita proibição! É lamentável o número de emissoras de TV de grande alcance que fazem reportagens incompletas e até mentirosas, ouvindo gente sem credibilidade! Pq não procuram os membros do grupo (União pela Liberação dos Inibidores de Apetite e Suplementos Alimentares) e os representantes da ABESO, ABRAN, CFM?? Pq não ouvem médicos de verdade, em vez de arrancar conversa fiada do zé-da-esquina? Lamentável a postura de muitos profissionais e muitos órgãos de imprensa da atualidade. Onde estão a imparcialidade e a autenticidade da notícia? Fazer "a cabeça" das pessoas em troca do quê e ainda com informações chulas? Me poupem!!

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de agradecer o Professor Sakamori, que tanto tem nos ajudado nesta luta entre Davi e Golias.
    Eu só gostaria de entender o que se passa na cabeça do ilustre Sr. Presidente da ANVISA, que insiste em PERSEGUIR os obesos, ele está desrespeitando o próprio Senado Federal colocando empecilhos para o andamento de matéria estudada, votada e aprovada pelo Senado que acaba de ser promulgada.
    A balela de exigir estudos sobre a eficácia do medicamento é irrelevante já que o Sr. Dirceu Barbano nunca os leu, ou é preguiçoso ou não tem capacidade de entende-los.
    De qualquer forma, mesmo exaustas temos que continuar ainda lutando por esse direito de poder contar com medicamentos que realmente funcionam para o tratamento da obesidade, medicamentos esses que o Sr. Dirceu arbitrariamente proibiu. Essa atitude beócia tem sido o inferno para quem sofre com a obesidade e suas consequências.
    Eu me pergunto, se este Barbano é tão desumano a ponto de, mesmo tendo sua resolução vencida pelo Senado, ainda se acha no direito de continuar essa perseguição aos obesos.
    Temos que nos unir mais uma vez, e dessa vez com mais força para cobrar o andamento da PL2431/11, barrada pelo Deputado Dr. Rosinha que garante a permanência destes medicamentos nas farmácias, por que com todo preconceito e perseguição inquisidora e unilateral que está sendo feita pela mídia e veiculada todos os dias falando um texto ensaiado e patético passando a impressão que quem faz uso destes medicamentos é um viciado e não um doente.
    Finalizando. Esses medicamentos necessitam de receituário especial, numerado e controlado, só podem ser adquiridos sob prescrição médica e tem efeitos colaterais como qualquer remédio. Se tomados adequadamente sob orientação não causam dano algum.
    Quando,(SE) estes medicamentos voltarem as pessoas que não sofrem de obesidade não são OBRIGADAS a tomar.
    Queremos respeito, dignidade e principalmente LIBERDADE, para escolhermos o que é melhor para nós.
    Marcella Janua S. Schimidt.. Cidadã Brasileira.

    ResponderExcluir
  7. LAMENTÁVEL VER Q O BRASIL SE DEIXAR AINDA SER DOMINADADO POR UMA CORJA DE MEIA DÚZIA DE PESSOAS Q SE BENEFICIAM COM PROPINA,CAUSANDO O MAL DE MILHARES DE PESSOAS Q NECESSITAM DE UMA MEDICAÇÃO VITAL P SUA SAÚDE,AGRADEÇO POR FAZER PARTE DE UM GRUPO ONDE AS PESSOAS LUTAM PELOS SEUS INTERESSES.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.