Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Petrobras. Por que a queda de 10% das suas ações?

Folha. Com um dos maiores caixas do país, a Petrobras teve de resgatar, em três meses, R$ 27,8 bilhões de um fundo de curto prazo para cumprir investimentos e obrigações com fornecedores e bancos.  O patrimônio desse fundo (chamado FIC Olimpo), que tinha, no auge, em 27 de agosto, R$ 45,7 bilhões, foi reduzido em 67%, para R$ 15 bilhões, na quinta-feira passada, dado mais recente segundo a agência Bloomberg.  

Comentário.

Ontem, foi dia negro para Petrobras. As ações ON da Companhia perdeu em poucas horas, R$ 25 bilhões em valores do mercado.  Lembrando que o seu patrimônio líquido em 31/12/2012 apontava R$ 343,1 bilhões.  Foi devido ao aumento de combustíveis abaixo do que o mercado esperava.  E também, influenciou a indicação do governo de que o governo Dilma vai continuar usando a Petrobras como instrumento da política monetária do governo.

Por falta de aumento de combustíveis, a Petrobras vinha raspando o caixa, lançando mão, do resgate do seu fundo conforme notícia acima da Folha.  O fundo FIC Olimpo que se refere a notícia, segundo últimos dados, em setembro representava 93,6% das aplicações, ou seja quase a totalidade do fundo de caixa.

Para uma gigante como a Petrobras, com patrimônio líquido de R$ 343,1 bilhões, dispor de R$ 15 bilhões em caixa é muito pouco.  Para uma empresa que fatura cerca de R$ 300 bilhões por ano, deveria ter em seu caixa no mínimo R$ 30 bilhões que seria despesa corrente dos próximos 30 dias.  Pois a Companhia teve que raspar o caixa e entrou na zona de risco.  

Pelo aumento concedido pelo ministério da Fazenda, abaixo da expectativa da Petrobras e do próprio mercado, a Companhia talvez consiga recompor parte dos custos, mas não terá margem para recompor o fundo de caixa.  Eis o motivo da preocupação do mercado.  A Petrobras está no limbo!  

Pelos motivos expostos, é inexorável o novo aumento dos combustíveis nos próximos 6 meses, sob pena de sucatear de vez a Petrobras, colocando-a na zona de alto risco.  

Por estas e outras medidas equivocadas do governo, que denomino de erro sistêmico da política econômica, o Brasil vai perdendo credibilidade no mercado financeiro internacional.  Perdendo credibilidade no mercado financeiro internacional, obriga o Brasil pagar a taxa básica de juros, Selic, a mais alta do mundo, para atrair capital estrangeiro especulativo para poder dar solvência à rolagem dos títulos do Tesouro Nacional bem como fechar a balança de pagamentos em níveis de estabilidade.

Como pode ver, a credibilidade da Petrobras acaba influenciando na credibilidade do País, assim como a política econômica mal sucedida do Brasil acaba influenciando no resultado da Petrobras.  Isto ocorre, porque o governo Dilma utiliza a Petrobras como instrumento da política monetária, por sinal mal sucedida.  Haja coração para aguentar um País, na mão da incompetente presidente Dilma e sua equipe econômica.  Vamos aguentar até quando?

Vamos apostar no Brasil, sem  Dilma, vamos?

Ossami Sakamori


4 comentários:

  1. Devido a esta política econômica (sic), se não me engano, estamos cotados como "Especulação"; ou seja, tomamos hoje e tomaremos mais

    ResponderExcluir
  2. Lula diz que salvou a Petrobrás das mãos de FHC. Mas, para que? Para acabar com ela?!? Se a Petrobrás era "patrimônio do povo brasileiro", como falavam os petistas, no tempo de FHC, pergunto: E agora, o que ela é? Apenas geradora de dinheiro para financiar todas as maluquices deste governo incompetente?

    ResponderExcluir
  3. Daqui a pouco a Petrobras se tornará uma empresa insolvente. Entretanto, A Petrobrás continua sendo a Ilha da fantasia para muita gente. Mas, um tsunami vem chegando para afogar os habitantes desta ilha.

    ResponderExcluir
  4. A economia do país ainda aguenta 1 ano dessas loucuras de política econômica e monetária, até porque ainda tem gente tentando fazer trabalho sério. Mas mais 5 anos o país não aguentará, com certeza.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.